Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

Tag: Boicote à Globo.

CBF/Globo contra o Bahia

Esse caso, que corre a Internet, de punição ao Bahia por este ter assinado com o Esporte Interativo, é realmente lapidar e certamente será lembrado por todo aquele que um dia escrever sobre esse período negro do futebol brasileiro, em que uma rede de televisão tenta manipular o esporte e, em parceria com uma Confederação suspeitíssima, ignora as leis da livre concorrência e pressiona as agremiações para continuarem atreladas a ela, mesmo recebendo bem menos dinheiro do que oferece o Esporte Interativo.

E não é só dinheiro, é questão de filosofia. O esporte, para crescer, para se desenvolver em todos os níveis, precisa ser regido pela meritocracia. O melhor, o mais competente, o que dá os melhores espetáculos, deve ser mais valorizado. E não aquele que, simplesmente, tem um maior número de simpatizantes, como quer a Globo. Essa visão, para mim, é uma das responsáveis pela falência técnica do futebol brasileiro, pois hoje vivemos uma reserva de mercado, em que dois clubes ganham muito mais do que os outros, mesmo praticando um futebol feio, modorrento, sem brilho.

Conforme notícia muito comentada, e que pode ser melhor analisada no link abaixo, do site Torcedores.com, para poder realizar um amistoso em Orlando City, o Bahia solicitou que o seu jogo contra o Galícia, pelo Campeonato Baiano, fosse transferido do dia 9 para o dia 16 de março. Com isso, sua estréia na Copa do Brasil seria transferida de 16 de março para outro dia.

A CBF, entretanto, estabeleceu que no dia 9 o Bahia terá de cumprir dois compromissos: contra o Galícia, pelo Estadual, e também contra o Juazeirense, pelo Campeonato do Nordeste. Como fazer dois jogos no mesmo dia? Será que a CBF imporia a mesma condição se o clube fosse um dos dois queridinhos? Obviamente, não.

Como o Bahia tem sido parceiro do Esporte Interativo e já anunciou que assinou contrato com a emissora para o período a partir de 2019, não há qualquer dúvida entre a direção do clube, seus sócios e torcedores, de que essa imposição da CBF para que faça duas partidas no mesmo dia – o que, aliás, é proibido pelo Conselho Nacional de Desportos – é uma retaliação pelo fato de o clube estar fugindo da área de influência da Globo.

Ué, mas por que a CBF tomaria as dores da Globo?, perguntariam os incautos. Ora, se a tabela dos campeonatos passa pelo crivo da Globo, que escolhe as datas e horários dos jogos que quer transmitir, e se as áreas comerciais da Globo e da CBF andam de mãos dadas, é óbvio que ambas têm interesses e afinidades comuns.

Como diz o site Torcedores.com, “Em nota oficial divulgada anteriormente, o clube assegurava contar com o aval das emissoras Esporte Interativo e Rede Globo para transferir o seu compromisso pelo Campeonato Baiano para o dia 16 de março. Faltava apenas o aval da CBF, que citou em sua resposta inicial “precedente indesejável” para não realizar a mudança.”

Ainda segundo o site, mesmo com outras datas disponíveis, a CBF confirmou a estreia do time na Copa do Brasil para o mesmo dia 16. Pois bem, agora vem o fecho da história, tão sintomático como tudo o mais que a envolve. Sabe o leitor, ou a leitora, qual o nome do time que enfrentará o Bahia no dia 16 de março, pela primeira rodada da Copa do Brasil, e que poderá levar vantagem nessa confusão envolvendo o Bahia? Não?!

Pois ele é do Rio Grande do Norte, se chama Globo Futebol Clube e foi criado em março de 2013 pelo empresário Marconi Barretto para homenagear o jornalista Roberto Marinho, fundador da decantada rede. Parece brincadeira, mas o Bahia terá de medir forças com a Globo dentro e fora do campo. E, é claro, não contará com nenhuma complacência da CBF. Mas terá a nossa torcida, pois, assim como o Santos, está tendo coragem de lutar contra o nocivo status quo do futebol brasileiro.

Como santistas, creio que devemos demonstrar nossa solidariedade ao Bahia e alertar seus sócios e torcedores para que não assistam a programação da emissora que quer fazê-los de capacho. A única linguagem que respeitam é menos dinheiro no bolso.

Clique aqui para ler matéria do site Torcedores.com sobre o assunto.

Clique aqui para saber que o Bahia já assumiu parceria com o Esporte Interativo e até já oferece ingressos gratuitos para os seus jogos.

Primeiro campeão brasileiro, em 1959, rival do Santos em três finais que definiram o título nacional, o Bahia – companheiro de luta pela Unificação dos Títulos Brasileiros – merece o nosso apoio. Se puder, entre no site do Bahia, cujo link está abaixo, e mande seu apoio aos diretores, sócios e torcedores do clube. Você pode ajudar, e muito, a abortar esse satânico projeto de Espanholização do futebol brasileiro.

Clique aqui para falar e dar um apoio à diretoria do Bahia

E então, o que acha do caso da CBF/Globo contra o Bahia?


Globo deu um tapa na cara de santistas, palmeirenses e muitos outros

Foi a gota d’água. Palmeiras e Santos, um clássico de enorme tradição, que reúne dois dos times mais vitoriosos do futebol brasileiro, foi preterido pela TV Globo por um jogo entre o alvinegro da capital e o Guarani, que ocupa a penúltima posição do campeonato.

Foi como se a TV carioca dissesse: podem espernear à vontade, eu comprei os direitos e passo o que quiser e por isso vou transmitir o jogo do único time que realmente me interessa. Nem o Sportv, braço da Globo nas tevês por assinatura, programou o clássico em um de seus três canais.

Quem quisesse assistir, que pagasse o pay per view. Infâmia… Desrespeito à história do futebol e ao torcedor. Desprezo aos decantados princípios da própria Globo, que inclui a defesa da ética e da justiça.

Que justiça pode haver em ignorar um jogo entre duas equipes que, somadas, têm 42 títulos Paulistas, mais de 20 nacionais, quatro Libertadores e dois Mundiais (sem contar a Copa Rio), para transmitir uma partida que nem em Campinas despertou interesse, já que levou apenas 6.379 pagantes ao estádio?

No Pacaembu, apesar das ausências de Neymar, Valdívia, Montillo e muitos outros, o clássico atraiu 11.912 pagantes, 13 mil no total. Só pela sua tradição e rivalidade – que os burocratas da Globo devem ignorar – na tevê aberta o jogo atrairia mais audiência do que a partida de Campinas.

Alguns marquetólogos de escritório podem argumentar que nas pesquisas a torcida do alvinegro de Itaquera é maior do que a soma das de Palmeiras e Santos. Esta é uma falácia. Primeiro, porque essas pesquisas são discutíveis e depois porque clássico é clássico e sempre desperta mais interesse do que o jogo de um grande com um pequeno. Ou alguém, que não seja flamenguista, preferiria ver Flamengo versus Quissamã a um Fluminense e Botafogo?

A propósito, parece que quanto mais abrangente é a pesquisa de torcidas, mais se aproxima do que diz a Timemania. Neste ano de 2013 a Timemania já teve 19 milhões e 180 mil apostas, e a soma das torcidas de Santos e Palmeiras dá 6,87%, contra 5,12% dos corintianos. Portanto, se forem levados em conta os milhões de apostadores que cravam o seu time do coração, Santos e Palmeiras somam 1,75% a mais do que o rival alvinegro.

Não há outro remédio a não ser o Boicote Total!

Parece que a progressiva queda de audiência ainda não fez os responsáveis pela programação esportiva da Globo perceberem que o caminho que escolheram para privilegiar um determinado time levará a um resultado ruim para o futebol, para este time e para ela mesma.

Não acredito que o motivo desta escolha seja estritamente comercial, e sim político. Porém, isso agora não interessa. Qualquer que seja a razão, é evidente que se pretende levar a todo custo o futebol brasileiro a uma situação hegemônica de uma equipe sobre as outras, o que acabará com o que é mais precioso no nosso futebol, que é a competitividade.

Assim sendo, não resta nenhuma opção a mim ou a qualquer torcedor que não concorde com esta situação infame, a não ser deixar de assistir futebol na TV Globo. Eu diria mais: o ideal é deixar de assistir qualquer programa na Globo. Só sentindo no bolso, com a perda de audiência – e, conseqüentemente, de patrocinadores – a emissora pensará em rever a sua forma draconiana de divisão de cotas entre os clubes e toda a campanha a favor de um único clube que isso acarreta.

O que se percebe é que em toda a sua programação a Globo e seu filhote Sportv espalharam propagandas subliminares do time a ser favorecido. Até na Fórmula 1 deram um jeito de entrevistar um cara com a camisa das duas âncoras. É um porre. Não dá mais pra ver nada naquele canal sem se deparar com uma cena nauseante.

Acho inacreditável que os presidentes, diretores, conselheiros de Santos e Palmeiras não tenham se sentido envergonhados por ver um jogo de tanta tradição ser tratado como lixo pela Globo. Como representantes de comunidades com milhões de aficionados, o mínimo que se podia esperar deles é que protestassem contra esse odioso favoritismo.

Não sei você, mas aqui em casa há meses não assisto à Globo. Na verdade, sei que não estou perdendo nada, pois a programação dessa emissora virou uma apelação e uma pobreza total e o faturamento só se salva pelas novelas imbecis que lavam as ideias das cabeças das pobres mulheres brasileiras. Por isso esse boicote tem de se espalhar a todas as torcidas dos clubes grandes do Brasil. Só o torcedor pode começar essa mudança. Mãos à obra.

Em tempo: um pensamento piedoso para Boris Berezovsky, o coitado que descobriu nos bastidores do futebol brasileiro um meio tão ou mais sujo do que a máfia russa.

E então, vamos acabar com esse privilégio? Exclua a Globo do seu controle remoto.


© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑