Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

Tag: Bolívia

Conmebol, acabe com essa violência. Já!

Uma das armas mais eficientes do Bolívar:

http://youtu.be/_FXOy4Tsazc

Veja por outro ângulo. Note que o gandula entra em campo e tira as laranjas:

http://youtu.be/wTV-uEhmtbs

Já tomou uma laranjada atirada a 40 metros de distância? É como uma pedrada. Não é à toa que inchou os lábios de Neymar. Em campo, o Bolívar se fartou de cometer faltas. No final, ainda ganhou o jogo. Que mensagem este evento de ontem deixou? Que jogar sujo dá resultado. Portanto, que a Conmebol arrume outro lugar pra enfiar aquela faixa pedindo fair play que ela exibiu no começo do jogo.

Amigos e amigas, nem comentarei o jogo de ontem. Como analisar o desempenho de um time que viveu o tempo todo acuado pelo fantasma da altitude? Dores de cabeça, pernas bambas, o ar que pode faltar a qualquer momento, interrompendo um pique, um salto, interferindo nos reflexos…

Não, seria injusto fazer uma análise técnica de uma partida disputada em condições clínicas tão desiguais. Um time voava em campo (há exame anti-doping na Libertadores?), enquanto o outro se arrastava, unicamente tentando sobreviver. Por essas circunstâncias, eu diria que, dos males, ao Santos coube o menor. Uma derrota por 2 a 1 poderá ser revertida no Brasil, com sobras. E será justo que assim ocorra, pois o time que apela não merece ser premiado.

Porém, falarei de outra questão, muito mais relevante do que o jogo. Falarei do comportamento animalesco – e impune – da torcida do Bolívar. Até quando, amigos e amigos, amantes do futebol, os estádios da Conmebol serão campos de batalha? De que adianta aquela faixa hipócrita estendida pelos organizadores antes do jogo, pedindo fair play, se a bola rola e são cometidas toda sorte de violências e grosserias contra os visitantes, sem que o time da casa seja punido?

A cena de Neymar caído e protegido pelos escudos dos policiais, enquanto objetos choviam ao seu redor, é patética. Se presidente da Conmebol, eu interditaria o estádio de La Paz por todo o sempre. Além dos males da altura, por que o Santos, atual campeão da Libertadores, que levou com ele o grande ídolo das Américas, deveria ser obrigado a passar por tal agressão?

Nunca a expressão “pérolas aos porcos” soou de forma tão ajustada. Se não for obrigado, que time estrangeiro quererá jogar em ambiente tão hostil, enfrentando a ira gratuita de uma torcida selvagem, como a boliviana?

Que imagem a Bolívia quer passar para o mundo? A de um país de animais, de seres sem o menor nível de civilização? Ora, não dá mais para aceitar determinadas atitudes. É preciso punir com rigor essas agressões, a exemplo do que se fez na Europa.

Insultos assim ferem ainda mais o santista, acostumado a ganhar na bola, sem a ajuda dos bastidores. Santista que no Campeonato Brasileiro de 2004 viu seu time perder dois mandos de campo porque uma câmera flagrou um copo d’água sendo atirado ao gramado. E hoje se dá por feliz por sair vivo de um jogo da Libertadores em que a torcida só faltou invadir o campo para trucidar os brasileiros. Que piada!

Ontem um objeto – prontamente escondido pelo gandula – atingiu a boca de Neymar, inchando seus lábios. E o que aconteceu? Nada. Parece mentira dizer isso em pleno século XX!, mas nada aconteceu e nada acontecerá. A polícia não descobriu e nem descobrirá o agressor. Fica a dúvida que o mundo quer saber: há polícia na Bolívia? Ou aqueles militares estão ali para defender o direitos dos animais de agredir? Até quando a Conmebol será tão politicamente inerte com relação a esses vândalos?

E, vejam vocês, o site da Conmebol, ao falar do jogo, evita qualquer menção à barbárie da torcida boliviana. Por aí se vê que a entidade continuará de braços cruzados diante do jogo sujo e da total incivilidade que se vê na maioria dos campos da Copa Libertadores.

Há uma cláusula do regulamento da Libertadores que permite punir o time mandante com a perda dos pontos. Por que ela não é aplicada? Medo do quê?

Alô senhor Nicolas Leoz, eterno caudilho da Conmebol; alô José Maria Marin, presidente da CBF… Vão fazer alguma coisa, ou esperarão até que algum jogador visitante morra em campo?

Veja que cinismo na matéria sobre o jogo no site da Conmebol:

http://www.conmebol.com//copasantanderlibertadores/Bolivar-pudo-con-Santos-y-espera-2-1-20120426-0002.html#Comentarios

E para você, o que deve ser feito para acabar com a selvageria na Libertadores?


Hoje o campeão da América joga contra o Strongest, a altitude, a Globo…

Com as voltas de Borges, Edu Dracena e Durval, o Santos, atual campeão da América, estreia na Copa Libertadores 2012 enfrentando diversos adversários: o mais temido é a altitude de La Paz. A 3.660 metros o ar pode faltar aos pulmões e o adversário – o Strongest – se tornará perigosíssimo, apesar de sua limitação técnica.

Outro adversário do Santos é a tevê brasileira, materializada na Globo, que detém os direitos de transmissão em seu canal aberto e por discutíveis critérios escolherá transmitir o jogo do alvinegro da capital na Venezuela. Outro posto da emissora com repórter ao vivo será na Argentina, onde o Flamengo enfrentará o Lanús.

Como sempre, e como já está acostumado, o Santos enfrentará tudo e todos em sua estreia na Libertadores. A própria construção da chave, pela Conmebol, colocando todos os jogos do alvinegro da capital no horário nobre das quartas-feiras, mostra a influência da Globo na Confederação Sul-americana. Há um conluio descarado para favorecer um time.

Obviamente, se vivêssemos em uma sociedade baseada na ética e no mérito esportivo, o jogo do campeão e do ídolo Neymar estaria em todos os lares brasileiros. Mas a tevê brasileira é tão ética quanto nossos políticos. Resta ao santista acreditar no talento de seus jogadores e no senso de justiça dos deuses do futebol, que não costumam permitir a vitória da sacanagem.

Muricy usará cinto e suspensórios

Diazem que o homem indeciso, além de usar o cinto, usa suspensórios. Pois o técnico Muricy Ramalho é o típico. Escalará os três titulares que voltam de contusão – Dracena, Durval e Borges -, o recém-contratado lateral-direito Fucile, o estreante lateral-esquerdo Juan, manterá o criticado volante Henrique e colocará Íbson no lugar de Elano.

Não há nenhuma ousadia na escalação de Muricy, como já se esperava. O time jogará com apenas dois atacantes, que viverão das tenattivas de passe de Paulo Henrique Ganso. É óbvio ululante que Felipe Anderson substituiria Íbson com a vantagem do passe e do chute, e que o garoto Anderson Carvalho teria, no mínimo, o mesmo rendimento de Henrique.

Mas Muricy quer tentar ganhar outra Copa Libertadores com vitórias magras e corações a sair pela boca. Paciência. Muitos clubes dariam a alma para ganhar uma única LIbertadores assim. Que venham os três pontos, do jeito que for. No Brasil esse Strongest será time para ser goleado, mas no alto de sua montanha, nerece respeito.

Times prováveis

THE STRONGEST: Vaca; Parada, Ojeda, Méndez e Torrico; Soliz, Chumacero, Lima e Cristaldo; Pablo Escobar e Melgar (Sebastian González). Técnico: Mauricio Soria.

SANTOS: Rafael; Fucile, Edu Dracena, Durval e Juan; Henrique, Arouca, Ibson e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Borges. Técnico: Muricy Ramalho.

Árbitragem: Carlos Vera, auxiliado por Christian Lescano e Luis Alvarado, todos do Equador.

Retrospecto de Santos x Strongest

Por Wesley Miranda

Santos e The Strongest se enfrentaram apenas em dois amistosos. O primeiro no dia 26/06/1955. O Santos, ainda sem Pelé, goleou o time boliviano por 4 a 0 jogando em Lima no Peru. O segundo, quase 16 anos depois, agora com o já consagrado rei do futebol, terminou 2 a 0. Apesar do gol de Pelé, a decepçã, foi o grande número de substituições no Santos, que sentia a altitude de 3.660 metros de La Paz. E o não tão jovem Pelé (30 anos) foi substituído e atribuiu também o cansaço à maratona de 35 jogos em menos de 5 meses.

Estreias em Libertadores
Esta 12ª estreia santista em Libertadores, será a 5ª em solo boliviano. A primeira contra o Deportivo Municipal, em 1962, aconteceu no estádio Hernando Siles em La Paz, mesmo palco da partida de hoje, com vitória santista por 4 a 3, gols de Lima, Mengálvio, Pagão e Tite.

Quarenta e dois anos depois, o Santos enfrentou o Jorge Wilstermann, e ganhou por 3 a 2, com 2 de Basílio e 1 de Alex. Na estreia de 2005, também no estádio Hernando Siles, o Santos conheceu a primeira derrota para um time boliviano em sua história: Bolívar 4 a 3, com 2 de Deivid e 1 de Robinho. Em 2007, o Santos estreou contra o Blooming na Pré-Libertadores, vitória por 1 a 0 com gol do lateral Pedro.

Retrospecto contra Bolivianos
Foram 16 jogos na história, incluindo a seleção de Cochabamba em 1971 e a seleção Boliviana em 1991, com larga vantagem santista, 14 vitórias contra 2 derrotas. O Peixe marcou 61 gols e sofreu apenas 19.

Uma pintura em La Paz
Apenas 3 dias depois de derrotar a seleção de Cochabamba por 3 a 2, o Santos entrou para jogar com o Bolívar em La Paz no estádio Hernando Síles, e vencer por 4 a 0, com 2 gols de Pelé, sendo 1 um dos mas bonitos de sua carreira. Depois dessa apresentação de gala, o Santos teve que voltar a Bolívia quatro meses depois, e foi anunciado como “El Mayor Espectaculo Del Mundo”.

Veja o gol antológico do REI

Artilheiro do confronto
São dois os artilheiros máximos do confronto: Del Vecchio e Vasconcelos. Del Vecchio é o 17º maior goleador da história do Santos, com 105 gols.
O mineiro Vasconcelos chegou ao Santos em 1953, e foi o grande goleador do time em 1953 e 1954, com 25 gols por ano. Apesar de polêmico e boêmio, era o grande craque do time e o camisa 10 até se contundir gravemente fraturando sua perna em uma entrada do até então são-paulino Mauro Ramos. Em seu lugar, um novo camisa 10 foi lançado por Lula, o menino Pelé. Vasconcelos é o 15º goleador da história do Santos com 111 gols.

Matéria da Veja sobre ganhos do Santos é falsa

Como já dissemos nos comentários do blog, a matéria publicada pela revista Veja sobre os ganhos do Santos com a tevê em 2011 é falsa. Ou incompleta, o que dá no mesmo. Na verdade, o Alvinegro Praiano foi o décimo-segundo em ganhos só no pay per view. Mas, no valor fixo, que é o mais importante, continuou entre os seis maiores do Brasil.

Como em 2011 o Santos chegou às finais do Paulista e da Copa Libertadores – na qual foi o único time brasileiro a partir das quartas-de-finais -, ele teve mais jogos transmitidos pela tevê aberta e por assinatura. Assim, obviamente, o número total de pay per views ficou abaixo dos outros grandes. Porém, o Santos foi o time de futebol mais assistido no País no ano passado.

E você, o que espera de Santos x Strongest?


Não se pode comparar Messi e Neymar, mas sim Messi e Zé Love

Não se espante com o título deste post. Ele apenas se baseia no rendimento do argentino Lionel Messi nesta Copa América. Copa, aliás, que tem sido muito instrutiva para mim…

Depois de ver a atuação do decantado Daniel Alves contra a Venezuela, juro que serei mais tolerante com o Pará.

Depois de ver o gol que o atacante colombiano perdeu ontem, revi os meus conceitos sobre Zé Love. Pode voltar, Zé…

Depois de conhecer o técnico da Argentina, percebi que fui muito exigente com o genial Marcelo Martelotte.

Depois de ver como a zaga da argentina bate cabeca, bate canela, bate tudo, fiquei com a imrpessão de que o santos tem a melhor zaga do mundo.

Depois de ver a Argentina jogar contra Bolívia e Colômbia e só marcar um gol, comecei a achar que Muricy é ofensivo demais.

Depois de ver alguns jogos desta Copa América e da Copa do Mundo de futebol feminino, constatei que a diferença entre homens e mulheres está diminuindo a olhos vistos.

E você, viu e aprendeu algo novo com esta Copa América?


Se Neymar não brilha, o Brasil é uma Bolívia

Hoje Neymar não brilhou. Deu alguns passes ótimos, tentou duas ou três arrancadas, mas não foi o mesmo de sempre. Isso bastou para que o Brasil empatasse com a Bolívia.

O técnico Paulo César Carpeggiani esta semana pediu que os jogadores do São Paulo que servem a Seleçãozinha deixassem Neymar de lado e tratassem de jogar bola. Entendi isso como um incentivo a não passarem a bola para o Neymar, suspeita que eu já tive no jogo contra o Paraguai.

Hoje a coisa melhorou um pouco, até que o atacante santista recebeu alguns passes, mas o enceradeira Lucas, aquele que gira, gira, até perder a bola, evitou lançar o santista em boas condições. Aliás, se Neymar não saísse da ponta-esquerda, estaria esperando um passe em profundidade até agora.

Pois bem. Os pupilos de Carpeggiani hoje puderam mostrar todo o seu futebol, já que além de pegar menos na bola, Neymar não brilhou. E o que fizeram Lucas, Casemiro, Bruno Uvini e Willian?

Os dois primeiros pouca coisa, pois acabaram se enrolando com a marcação contrária. O zagueiro Bruno vacilou na frente do limitadíssimo atacante boliviano e cedeu o gol de empate ao adversário. Ela já tinha cometido um pênalti bobo contra o Paraguai, depois de levar um drible também bobo. E Willian chuta a gol sempre que pode e também quando não pode.

Gostaria de perguntar ao Carpeggiani se ele também orienta seus jogadores a não passarem bola para o melhor jogador do seu time, que é o… o… o… Bem, está certo que hoje o São Paulo não tem um melhor jogador, mas vamos que tivesse. Não seria lógico passar mais vezes a bola para ele? Se é melhor, se dribla e arremata melhor, tem mais condição de definir o jogo.

Hoje o Brasil provou que sem Neymar, sem o brilho de Neymar, é um time que se equipara à Bolívia. Se a ciumeira continuar, se Lucas, Casemiro, Willian e Oscar continuarem passando a bola só do lado contrário onde Neymar está, o Brasil não irá para a Olímpiada.


Hoje tem Neymar, Zé Eduardo (?), Maikon Leite… Ontem teve Tiago Luís

Este domingo é mais um dia cheio para o santista. Às 14h30m, em Monquegua, Peru, tem Brasil e Bolívia pelo Sul-americano sub-20. Além do show esperado de Neymar, os torcedores do Alvinegro poderão apreciar os laterais Alex Sandro e Danilo, além do meia Alan Patrick, que poderá substituir o fominha Lucas, machucado. Enfim, os Meninos da Vila têm tudo para levar o Brasil a uma vitória que garantirá a classificação no seu grupo. E tudo será mais fácil, claro, se passarem a bola para o craque do campeonato, o Menino de Ouro Neymar.

Às 17 horas, em Presidente Prudente, o Santos enfrenta o Grêmio Prudente para manter a liderença do Campeonato Paulista. Enquanto o Alvinegro venceu seus dois jogos, e de goleada, o Prudente perdeu os dois que disputou. Mas, apesar da expectativa de novo show santista, todo cuidado é pouco. Ontem, no Morumbi, o São Paulo, com duas vitórias, enfrentou a Ponte Preta, que também tinha perdido seus dois jogos, e acabou sendo derrotado por 1 a 0.

Se Zé Eduardo não for escalado hoje, é porque realmente já foi negociado com o Genoa. Sem ele no time, provavelmente o ataque não terá a mesma desenvoltura, já que Keirrison continua inoperante e Dimba, promovido dos juvenis, está no esporte errado. Maikon Leite poderá decidir tudo sozinho? Difícil.

Ontem, no Morumbi, o Menino da Vila Tiago Luís fez um dos gols mais importantes de sua carreira. Emprestado pelo Santos à Ponte Preta, entrou no jogo no segundo tempo, no lugar de Márcio Diogo, e pouco depois, aos 31 minutos, aproveitou um rebote de Rogério Ceni e marcou, de cabeça, o único gol do jogo. A derrota do tricolor ajuda o Santos, pois o time da capital também tinha duas vitórias e só perdia a liderança por saldo de gols.

O detalhe é que Ceni comemorou seu 38º aniversário ontem. Aliás, mesmo idade de Rivaldo, tirado da aposentadoria pelo clube do Morumbi. Com ambos, mais Alex Silva, Miranda, Rodrigo “Visibilidade” Souto e Cléber Santana, o São Paulo prepara um time imbatível para o Mundial. De Masters.

O que você espera dos jogos de hoje, do quarteto do Santos na Seleção e do Alvinegro Praiano contra o Grêmio Prudente?


© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑