Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

film izle

Tag: Botafogo de Ribeirão Preto

Nem Pep Guardiola faria melhor. Santos de interino goleia Botafogo

Santos cai para quarto na Timemania em 2015

Colocação Clube UF TOTAL % Total
1º FLAMENGO RJ 1.327.259 5,25%
2º CORINTHIANS SP 1.186.414 4,69%
3º SAO PAULO SP 866.596 3,42%
4º SANTOS SP 863.958 3,41%
5º PALMEIRAS SP 800.967 3,17%
6º GREMIO RS 759.783 3,00%
7º VASCO DA GAMA RJ 680.377 2,69%
8º INTERNACIONAL RS 678.795 2,68%
9º CRUZEIRO MG 674.141 2,66%
10º BOTAFOGO RJ 615.525 2,43%

Costumo dizer que a única diferença entre os técnicos brasileiros é que uns são caros, outros baratos. Quem é Marcelo Fernandes, que estreou nesse domingo comandando o Santos que venceu o Botafogo de Ribeirão Preto por 3 a 0, fora de casa? É apenas um interino, um técnico do showbol, mas como entende o mínimo de futebol, teve o auxílio de Serginho Chulapa e contou com a colaboração dos jogadores, que não fizeram corpo mole, o Santos ganhou por 3 a 0, sem susto.

Se o rendimento de um time depende da colaboração dos jogadores, então que se mantenha o interino por um período de experiência, ora. Se o time continuar vencendo, que o clube lhe ofereça um contrato bem abaixo do que se paga por aí. E se o interino não quiser, que se promova outro interino. Pois os técnicos são todos iguais.

Sim, os jogadores correram pelo técnico interino Marcelo Fernandes e, mesmo sem Robinho, o Santos venceu o Botafogo de Ribeirão Preto por 3 a 0, em Ribeirão, com indiscutível superioridade. O ataque criou boas chances e a defesa pouco permitiu ao time local, formado por muitos jogadores experientes.

No começo, parecia que seria mais difícil, já que o Botafogo marcava a partir da linha do meio-campo, mas aos poucos o Santos controlou a partida, comandado pela habilidade e mobilidade de Lucas Lima, hoje um dos melhores meias do futebol brasileiro.

Passei dez meses indo toda semana para Ribeirão Preto, onde fui editor do selo jovem da Editora Novo Conceito, uma das que mais vendem romances no Brasil. Peguei carinho pelas pessoas, pela cidade, uma metrópole pulsante do rico Interior Paulista. Pelo censo de 2014 tem 658.059 habitantes e é acidade que mais cresceu entre os municípios paulistas, mais até do que São Paulo. Algo me diz que um dia ela terá um grande time de futebol. Pode ser o Botafogo, ou o Comercial, mas um deles será grande.

O gramado do estádio Santa Cruz estava bonito. Nas arquibancadas, acredito que a torcida do Santos fosse maior. Há muito santista na cidade e região. Quando a partida começou, foi o Santos quem adotou uma postura mais ofensiva. Porém, não havia espaço. O Botafogo marcava a partir da linha de meio-campo.

Time com muitos jogadores rodados, como André Santos, Eli Sabiá e Zé Roberto, entre outros, o Botafogo de Ribeirão merece cuidados. Com dificuldade para penetrar na área, o jeito era arriscar de longe, e foi o que Ricardo Oliveira fez aos 12m55s, mandando a bola por cima do travessão. Aos 14 minutos Gabriel veio driblando e chutou de fora da área, mas a bola saiu fraca e na direção do goleiro.

O jogo prosseguiu morno até que em um escanteio pela esquerda Lucas Lima bateu na cabeça de Ricardo Oliveira, que resvalou para trás e acabou servindo o zagueiro Werley, que acertou potente cabeçada para abrir o marcador aos 22m48s.

Aos 24m35 Gabriel recebeu um belo passe e ficou mano a mano com o último defensor do Botafogo. Com bom arranque, rápido, era o momento do garoto tentar uma jogada individual e, quem sabe, marcar um golaço, mas tentou passar e perdeu a bola.

Aos 27m25s André Santos acertou um chute forte de fora da área e Vanderlei espalmou para escanteio. O Botafogo continuou buscando o empate e teve sua melhor chance aos 30m41s, quando Werley deu um presente para Rodrigo Andrade, que da marca do pênalti chutou para fora.

Aos 33 minutos, por esperar o time se colocar antes de bater o tiro de meta, Vanderlei recebeu o cartão amarelo. Essa mania irritante dos goleiros do Santos demorarem para repor a bola já vem desde Rafael.

Segundo tempo: dois gols de Oliveira

O Botafogo começou mais ofensivo nos primeiros instantes – a 1m30s teve uma falta perto do gol, mas a bola se chocou contra a barreira –, porém o Santos logo retomou a ofensiva. A 7m48s Gabriel deu bom passe para Geuvânio, livre. Ricardo Oliveira interceptou a bola e a arbitragem marcou impedimento, mas a câmera lenta mostrou que não havia irregularidade.

Aos 8m36s Lucas Lima recebeu de Victor Ferraz e chutou por cima. Aos 19 minutos Cicinho penetrou pela meia direita e foi calçado perto da risca da grande área. A falta foi cobrada na barreira.

Aos 22m15s Lucas Lima recebeu passe do goleiro Vanderlei, penetrou em diagonal da direita para o meio e acertou um chute forte, mas para fora.

Aos 24m33 Ricardo Oliveira marcou o segundo gol do Santos, aproveitando passe perfeito de Lucas Lima pela meia direita e batendo forte e rasteiro na saída do goleiro.

Aos 27m30s saiu Geuvânio e entrou Elano. Desta vez foi mantida a estrutura de marcação no meio-campo e Elano pôde jogar sem tanta responsabilidade de marcação e se deslocar para receber a bola pela meia-direita, onde se sai melhor. Aos 35 minutos saiu Gabriel e entrou Thiago Ribeiro e aos 37m30s saiu Valencia e entrou Lucas Otávio.

Aos 46m20s, no gol mais bonito da noite, Cicinho fez boa jogada pela direita e sofreu falta, que foi cobrada para trás. Lucas Lima foi à linha de fundo e cruzou para trás, Lucas Otávio tocou para a área e Ricardo Oliveira só tocou para fazer 3 a 0 e definir a partida.

Deu para perceber que os jogadores se empenharam. Mesmo sem fazer um jogo bonito, o Santos queria vencer, e venceu. Fiquei com uma dúvida: será que um time com jogadores conscientes e motivados, que sabem o que fazer em campo, precisa mesmo de técnico?

Atuações

Vanderlei – Apesar de levar um cartão bobo por retardar o tiro de meta, fez algumas boas defesas, saiu bem nas bolas altas e soube repor a bola. 7.

Cicinho – Falhou duas vezes ao tentar antecipar o corte, mas cortou alguns cruzamentos na área e apoiou melhor o ataque. 5 (Devido a manifestações de leitores do blog julgando 5 pouco, aumento a nota para 6).

Gustavo Henrique – Discreto, foi bem nas bolas altas, não brincou na marcação e se apresentou bem nas coberturas. 6.

Wesley – Quase deu um gol para o adversário, mas em compensação fez um belo gol de cabeça e no mais se mostrou firme, formando boa dupla com Gustavo Henrique. 6.

Victor Ferraz – Novamente quebrou bem o galho pela lateral-esquerda. 6.

Valencia – Tecnicamente limitado, é o tipo do volante trombador. 5.

Renato – Sua experiência acalma o setor. Não comprometeu e ainda fez bons passes. 6.

Lucas Lima – O craque do time. Deu assistências para os dois primeiros gols, participou do terceiro, criou boas chances e segurou a bola o quanto quis. Melhor jogador em campo. 8.

Geuvânio – Não criou tanto, mas lutou e ajudou na marcação. Tem um potencial enorme, mas precisa saber o que fazer com ele. 5.

Ricardo Oliveira – Mexeu-se bem, fez dois gols e deu o passe, de cabeça, para o primeiro. Pela sua melhor atuação no Santos, merece 8.

Gabriel – Fiquei com uma dúvida: os músculos estão tirando sua habilidade? Em algumas vezes correu mais do que a bola, em outras tropeçou nela. Teve a chance de ir pra dentro do adversário em uma jogada mano a mano e preferiu tocar, perdendo a bola. Não pode fazer beicinho se levar umas duras. 4.

Para os que entraram no final da partida não dá para dar nota, mas deu para ver que Lucas Otávio pode ser uma opção mais inteligente para a posição de volante. Elano se esforçou, mas está fora de forma. Thiago Ribeiro mal pegou na bola.

Marcelo Fernandes – Não inventou. Armou o time como Enderson Moreira vinha fazendo, com três atacantes. Os jogadores correram por ele. Substituiu bem e na conta certa. 7.

Botafogo 0 x 3 Santos
Domingo, 09/03/2014, 18h30, estádio Santa Cruz, Ribeirão Preto
Público: 7.328 pagantes. Renda: R$ 270.430,00.
Botafogo: Renan Rocha; Roniery (Henrique), Eli Sabia, Bruno Costa e Dênis; André Rocha, Gimenez, Rodrigo Andrade e André Santos (Zé Roberto); Giancarlo e Wesley (Diogo Campos). Técnico: Mazola Júnior.
Santos: Vanderlei, Cicinho, Werley, Gustavo Henrique e Victor Ferraz; Valencia (Lucas Otávio), Renato e Lucas Lima; Geuvânio (Elano), Ricardo Oliveira e Gabriel (Thiago Ribeiro). Técnico: Marcelo Fernandes.
Gols: Werley, aos 22 minutos do primeiro tempo; Ricardo Oliveira aos 24 e aos 46 do segundo.
Árbitro: Vinícius Gonçalves Dias Araújo.
Cartões Amarelos: Gimenez, Wesley e Dênis (Botafogo); Vanderlei e Valencia (Santos).
O Santos volta a jogar quarta-feira, às 22 horas, contra o Palmeiras na Vila Belmiro. O Botafogo jogará na mesma quarta-feira, mas às 19h30, fora de casa, contra o Capivariano.

E você, o que achou de Botafogo 0 x 3 Santos?


Considerações sobre a demissão de Enderson Moreira

Treino no CT Rei Pelé
O técnico interino Marcelo Fernandes fala com os jogadores que enfrentarão o Botafogo neste domingo (Ricardo Saibun/ SantosFC)

Santos ataca Botafogo com técnico de showbol

Um ex-zagueiro durão, que jogou no time profissional do Santos de 1991 a 1995, atua como técnico do time de showbol da Vila Belmiro e era auxiliar técnico de Enderson Moreira é quem dirigirá o Santos neste domingo, às 18h30, contra o Botafogo de Ribeirão Preto, no estádio Santa Cruz. Marcelo Fernandes, 43 anos, nascido em Santos, terá o auxílio de Serginho Chulapa para comandar o time neste domingo, e manteve a mesma escalação anunciada por Enderson Moreira: Vanderlei, Cicinho, Gustavo Henrique, Werley e Victor Ferraz; Valencia, Renato e Lucas Lima; Geuvânio, Ricardo Oliveira e Gabriel.

O Botafogo também terá técnico novo: Mazola Júnior estreará no lugar de Alexandre Ferreira. O tricolor de Ribeirão Preto, que ainda luta por uma vaga nas quartas-de-final, jogará com Renan Rocha, Roniery, Eli Sabiá, Bruno Costa (Carlos Henrique) e Dênis; Gimenez, André Rocha, André Santos e Rodrigo Andrade; Wesley e Giancarlo. A arbitragem será de Vinicius Gonçalves Dias Araujo, auxiliado por Daniel Luis Marques e Márcio Dias dos Santos.

Leia e comente minha coluna no jornal Metro: “Que despesas diversas são essas, afinal?”

Considerações sobre a demissão de Enderson Moreira

Sem saber exatamente o que conversaram e como foi o ânimo da conversa, fica difícil analisar a justeza ou não da demissão do técnico Enderson Moreira. Há muito boato, mas o que temos de concreto é que Enderson vinha de uma campanha invicta no Campeonato Paulista e o time, apesar das agruras extra-campo, rendia até surpreendentemente bem.

Alguns afirmam que Enderson estaria desagradando os jovens. Fala-se que episódios com Geuvânio e Gabriel o teriam desgastado com o grupo. Os dois jogadores teriam ficado melindrados com a forma ríspida com que foram tratados por Enderson e os companheiros tomaram suas dores. Desculpem-me, mas esta não engulo.

Futebol não é esporte para freiras e nem para homens, ou mulheres, muito sensíveis. Um grito, um palavrão, são normais. Zito cansou de gritar com Pelé em campo e ambos se amam. Perguntei a Pelé, quem, além dele, foi o melhor jogador do Santos, e ele não precisou de um segundo para dizer o apelido do grande José Ely de Miranda. Assisti a um jogo das Sereias da Vila ao lado de Zito e percebi que nem as garotas ele poupava. Zito jamais gostou de perder e o seu jeito de fazer o jogador se esforçar mais era mexer com seus brios.

Acho que Gustavo Henrique às vezes é meio lento mesmo, ou distraído; Geuvânio tem a mania de segurar demais a bola quando a jogada pede um toque rápido, e Gabriel realmente está se achando sem ainda ter feito nada de importante no futebol. Se o técnico não tiver o direito de dar uma dura nessa garotada, quem poderá?

Concordo que esses Meninos da Vila citados merecem atenção, apoio, mas passar a mão na cabeça nunca deu muito certo. Adianto, porém, que não considero Enderson um grande técnico, assim como não morro de amores por nenhum técnico brasileiro. Os poucos vencedores costumam ser exigentes e retranqueiros. Pedem um monte de contratações e depois colocam meia dúzia de volantes. Assim, até eu.

Quem mais entende de futebol é Vanderlei Luxemburgo, mas às vezes escorrega no relacionamento com os jogadores e também não leva tão a sério seus compromissos profissionais. Se resolvesse trabalhar como nos bons tempos, voltaria a nadar de braçada no meio dos treineiros brasileiros.

Não sou fã de Émerson Leão, que deveria agradecer até hoje pelo título brasileiro de 2002 que os Meninos da Vila lhe deram de presente. Também não admiro Dorival Junior, que substitui muito mal e foi campeão duas vezes com derrotas nos jogos decisivos. Porém, adepto da democracia por princípio, aceito o que a maioria quiser e decidir, pois, repito, no Brasil a única divisão de técnicos que existe é entre os caros e os baratos. No frigir dos ovos, são todos a mesma coisa.

Não sei quem o Santos deve contratar e, sinceramente, não estou convicto de que o time mudará muito o seu comportamento com um novo treinador. De qualquer forma, dá para montar uma equipe bem mais jovem com as entradas de Gustavo Henrique, Caju, Lucas Otávio, Lucas Crispim e Gabriel. A questão é encontrar o equilíbrio entre a experiência e a juventude. Enderson apostava mais na experiência e não se pode dizer que estava indo mal. Vejamos o próximo.

Não me peça para arriscar nomes. Acho que Argel poderia ser um dos cotados, mas é disciplinador e talvez melindre os Meninos. Provavelmente Pepinho, o filho do Canhão da Vila, dirija o time neste domingo. Se for bem, não faltarão aqueles que pedirão sua permanência. Para mim, ainda falta um pouco mais para o Pepinho treinar um time profissional.

O que fica evidente com essa demissão é que o Santos quer valorizar seus jogadores da base, provavelmente para depois vendê-los bem. Sem patrocínio máster, sem a esperada campanha de sócios, sem grandes arrecadações, com uma cota de tevê já adiantada e gasta, talvez a saída procurada por esta diretoria seja a venda dos passes fatiados desses Meninos. Aguardemos.

Reveja agora os melhores momentos de Botafogo 1 x 4 Santos, pelo Campeonato Paulista de 2012:

A despedida ao amigo Luciano

Pode-se dizer que a última grande alegria do amigo José Luciano Carvalho foi ser eleito conselheiro do Santos e comparecer a duas reuniões do Conselho. Era um sonho antigo dele viver de perto o clube que amava e contribuir, como fosse possível, para o seu querido Santos.

Luciano era o proprietário da Fator 5, empresa de cosméticos que patrocinou o programa Santos Vivo, apresentado por José Calil, na Rádio Trianon. Com um entusiasmo empolgante, apoiou José Carlos Peres na última eleição do clube. Vítima de câncer, Luciano faleceu na quarta-feira e seu corpo foi velado no dia seguinte, no Cemitério do Carmo, na zona Leste de São Paulo.

Acompanhei os amigos e conselheiros José Carlos Peres e Nilton Ramalho no adeus ao Luciano e no consolo aos seus familiares. Seus filhos, mesmo sem serem santistas, puxaram o coro do hino do Santos, um pedido do eterno menino Luciano. Mais tarde, na reunião do Conselho, em Santos, respeitamos um minuto de silêncio pelas mortes de José Luciano Carvalho e do também conselheiro Leão Vidal Sion.

Permuta do CT Meninos da Vila recusada

Em reunião extraordinária, o Conselho Deliberativo do Santos reprovou a permuta do imóvel onde se localiza o CT Meninos da Vila por uma área a ser cedida pela Leroy Merlin em uma região distante e não urbanizada de Santos. O documento, assinado pelo presidente Odílio Rodrigues no apagar das luzes de seu mandato, estava cheio de buracos e não parecia nada seguro para o clube, que corria o risco de perder um imóvel mais valioso em troca de outro de menor valor e muito mal localizado.

O ideal talvez seja o Santos construir um hotelzinho vertical para os Meninos, a exemplo do hotel dos profissionais, e manter o CT da base no mesmo lugar privilegiado em que está. Já é muito difícil para esses jovens ficarem longe de suas casas, de suas famílias, tentando a sorte no mundo duro e complexo do futebol. Isolá-los no meio do mato aumentaria a sensação de tristeza e lhes diminuiria o ânimo – algo, aliás, que os dirigentes do São Paulo já detectaram nos meninos que treinam em Cotia.

O que você achou da demissão de Enderson Moreira e quem deve ser o novo técnico do Santos?


Visibilidade não se compra. Conquista-se

Dorval merece um belo presente de aniversário. Conto com você!

Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe, quase uma rima poética
Dorval, o primeiro homem do ataque dos sonhos.

Dia 26 de fevereiro o grande Dorval fará 79 anos. Quem se sente grato a ele pelas alegrias que proporcionou e ainda nos proporciona a cada vez que revemos as façanhas daquele Santos, que deposite o que puder na sua conta bancária:

Dorval Rodrigues
Banco: Bradesco
Agência: 0093-0
Conta: 0091840-7
CPF: 130371068-40

Estou combinando com o amigo Wesley Miranda de criarmos o Dia do Dorval em 26 de fevereiro e comemorarmos seu aniversário em São Paulo, com convite livre a todos que quiserem prestigiar a festa. Vamos ver se tudo corre bem e ele se recupera de um problema de saúde que o tem atormentado. Seria um encontro inesquecível.

Visibilidade não se compra. Conquista-se

Veja os gols de mais um 5 a 1. Desta vez sobre o Botafogo/SP:

Chocolate repercutiu na Alemanha de Hitler:

Veja os bastidores da grande goleada:

A goleada acachapante de 5 a 1 sobre o tradicional rival repercute até hoje e, creio, jamais será esquecida. Ver o adversário entregue, todo recuado, com medo de sofrer mais gols, encheu o santista de amor próprio e mostrou que o potencial ofensivo do Alvinegro Praiano, mesclado com a força de sua juventude, continua sendo uma arma letal contra qualquer equipe.

Mas neste sábado, a partir das 19h30m, na Vila Belmiro, frente ao bom Botafogo de Ribeirâo Preto, não seria prudente esperar nova goleada – o que poderia fazer o Santos alcançar a meta de 12 mil gols na história. É que o técnico Oswaldo de Oliveira revolveu poupar vários jogadores e colocar em campo um time com nada menos do que oito Meninos da Vila.

Na defesa, Jubal, Gustavo Henrique e Emerson devem jogar. No meio, Leandrinho, Lucas Otávio e Jorge Eduardo serão acompanhados pelo experiente Cícero; e o ataque provavelmente terá Victor Andrade e Stéfano Yuri.

Devido ao desgaste de alguns jogadores, dores musculares e contusões de outros, Oswaldo de Oliveira resolveu dar oportunidade a garotos como Lucas Otávio, Jorge Eduardo e Stéfano Yuri, que nunca iniciaram uma partida no time profissional.

Pode parecer temeridade, até porque o Botafogo está indo bem e vem de boa vitória sobre a Portuguesa, no Canindé, mas nós sempre pedimos que o Campeonato Paulista fosse usado para dar mais chances aos Meninos, e o técnico está fazendo isso.

Aprovo essa medida, pois quando mais cedo a hora da verdade chegar, menos tempo se perde com jogadores que não vão virar, e mais se pode valorizar os que realmente tem potencial. Que os Meninos aproveitem essa oportunidade.

O Santos deverá jogar com Aranha, Bruno Peres, Jubal, Gustavo Henrique (ou David Braz) e Emerson; Leandrinho, Lucas Otávio, Jorge Eduardo e Cícero; Victor Andrade (ou Thiago Ribeiro) e Stéfano Yuri.

O Botafogo provavelmente será escalado pelo técnico Wagner Lopes com Gilvan; Daniel, César Gaúcho, Henrique Mattos e Augusto Ramos; Gilmar, Hudson, Wellington Bruno e Camilo; Mike (Giovanni) e Marcelo Macedo. A arbitragem será de Flávio Rodrigues Guerra, auxiliado por Herman Brumel Vani e Miguel Cataneo Ribeiro da Costa.

Com estas escalações, não creio que o Santos possa fazer quatro gols e chegar ao fantástico número de 12 mil gols marcados em sua história. E só gols do time profissional, claro, como pode ser comprovado nos estudos dos historiadores do Santos, principalmente no Almanaque escrito pelo professor Guilherme Nascimento (tem babaca por aí tentando confundir ao dizer que o Santos conta gols de suas categorias sub-20, não acredite nessas sandices).

Santos é o terceiro da Timemania em 2014

O time não ganhou nenhum título em 2013 e ainda ficou sem seu maior ídolo, Neymar. No entanto, centenas de milhares de pessoas, de todos os cantos do Brasil, apostaram na Timemania em janeiro de 2014, e de um total de 1.099.638 cartões, nada menos do que 39.004, ou 3,55% do total, escolheram o Santos como o seu “time do coração”, colocando o Alvinegro Praiano na terceira posição dentre todos os times do País, à frente de São Paulo, Palmeiras, Grêmio, Vasco e muitos outros.

Como explicar que pelo quinto ano consecutivo o Santos esteja entre os quatro mais votados da Timemania? Eu definiria como peso na história e carisma. Mesmo quando passa por fases difíceis, o Santos desperta a curiosidade pelos seus Meninos, pela perspectiva de revelar garotos bons de bola e surpreender os times mais bajulados pela mídia, como provou mais uma vez na quarta-feira, achocolatando o grande rival. Por representar algo novo, jovem, impulsivo, imprevisível, o Santos atrai mais do que times burocráticos, que parecem ter parado no tempo.

Rildo chegou. Fará 25 anos dia 20 de março. Jovem, mas entrando em uma etapa mais experiente da carreira. Boa sorte, garoto! Entra e arrebenta!

Veja como foi o primeiro mês da Timemania em 2014:

Time UF Apostas Percentual
1º FLAMENGO RJ 54.762 4,98 %
2º CORINTHIANS SP 47.858 4,35 %
3º SANTOS SP 39.004 3,55 %
4º SAO PAULO SP 37.158 3,38 %
5º PALMEIRAS SP 35.285 3,21 %
6º GREMIO RS 32.477 2,95 %
7º VASCO DA GAMA RJ 28.232 2,57 %
8º INTERNACIONAL RS 27.987 2,54 %
9º BOTAFOGO RJ 27.600 2,51 %
10º CRUZEIRO MG 27.293 2,48 %
11º ATLETICO MG 26.767 2,43 %
12º FLUMINENSE RJ 24.763 2,25 %
13º BAHIA BA 22.161 2,01 %
14º FORTALEZA CE 20.117 1,83 %
15º GOIAS GO 18.979 1,73 %
16º VITORIA BA 16.619 1,51 %
17º CEARA CE 15.654 1,42 %
18º ATLETICO PR 15.413 1,4 %
19º ABC RN 15.177 1,38 %
20º SANTA CRUZ PE 14.202 1,29 %

Assim, fica mais uma vez evidente que por mais que haja interesse, de boa parte da mídia, de enaltecer desmesuradamente um clube e tentar dar a ele predicados que na verdade não tem, a sabedoria do povo consegue distinguir o que é autêntico do que é forçado no futebol. Por que a visibilidade, por mais que se tente, não é algo que se compre. É um prêmio que deve ser conquistado.

Além de jogar bem, o que mais o Santos deve fazer para aumentar sua visibilidade?


Um Santos bem melhor do que o do ano passado

Ainda é apenas começo do ano, mas já deu para perceber que o Santos -que ontem, na Vila, fez 3 a 0 no Botafogo de Ribeirão Preto – é um time melhor do que aquele que jogou no ano do Centenário.

Com os recém-chegados Neto na zaga e Guilherme Santos na lateral-esquerda o time está dando menos bobeira e deixando menos buracos na defesa. Aqueles cochilos que víamos antes, escassearam.

Com Renê Junior e Cícero o meio-campo está bem mais forte. A negligência de Elano e Paulo Henrique Ganso (e de Ibson, quando jogava) foi substituida peloa aplicação de Cícero e Montillo.

Na proteção da área, o corre-corre desenfreado de Adriano – que roubava boas bolas, é verdade, mas cometia um número exagerado de faltas, além de errar o passe logo em seguida – perdeu lugar para a seriedade de Renê Junior, que ontem o torcedor consagrou com uma aclamação emocionante.

Não há mais dúvida de quem é o titular. Adriano terá de se contentar com o banco de reservas. Da mesma forma, aliás, que para o torcedor não há o que pensar entre o lento e pouco produtivo André e o esperto Miralles, que tem marcado gols em todos os jogos, apesar de ser escalado apenas para os últimos 15 minutos de partida. Essa insistência com André tem sido o único erro de Muricy Ramalho.

Deixando erros de lado e falando de acertos, o que comentar mais sobre Neymar? Ontem aplicou dribles inusitados, deu assistência para o terceiro gol, de Miralles, e marcou o seu, aproveitando passe milimétrico de Cícero. O Menino de Ouro deverá prosseguir como o grande show man do futebol em 2013. A Fifa pode dar o prêmio de melhor do mundo para quem quiser, mas ninguém se compara a Neymar no quesito dar espetáculo.

Quanto à tentativa de contratar Dentinho, eu também a aprovo. Trata-se de um jogador ágil, rápido, que faria ótima dupla com Neymar. Mas parece que ela já acertou com um time da Turquia.

O jogador Nunes, agora no Botafogo de Ribeirão, já criticou os Meninos do Santos, dizendo que fazem “firulas”. Ontem ele sentiu na pele os resultados do talento de Neymar. Reveja:

http://youtu.be/SPt3pHu_LQE

Amanhã, juntos no Pacaembu para empurrar os Meninos

O título da Copa São paulo, que o Santos só conquistou em 1984, com uma vitória na final sobre o alvinegro paulistano, pode ser o que falta para o técnico Muricy Ramalho se convencer de alguns desses garotos merecem uma chance entre os profissionais já nesta temporada. Só por isso vale a pena lotar o Pacaembu e empurrar os Meninos para uma vitória sobre a forte equipe do Goiás.

Segunda-feira tem lançamento do Almanaque na Vila Belmiro

Tão importante quanto o título da Copinha ou as exibições do renovado time profissional, será o lançamento, na segunda-feira, às 18 horas, na Loja da Vila, do esperado Almanaque do Santos, obra-prima do professor Guilherme Nascimento, confeccionado pela editora Magma Cultural.

Há jogos no Almanaque que nem o Santos sabia (entre eles uma goleada de 10 a 0). Demorou 40 anos para ficar pronto, mas é o tipo de livro realmente indispensável na prateleira de todo santista.

Estarei lá, com a Suzana, e espero reencontrar os amigos em mais um desses momentos inesquecíveis, em que temos a certeza de que a história do Santos jamais será esquecida.

Você não acha que este Santos é melhor do que o de 2012?


© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑