Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

Tag: Botafogo (page 1 of 15)

Invencibilidade na Vila


O Santos jogou mal, mas ganhou do Botafogo por 2 a 0, na Vila. Dessa vez Thiago Maia foi o melhor do time. Os piores foram Zeca e Leandro Donizete. Uma curiosidade é que o público foi de 5.208 espectadores, parecido com o do sábado passado, quando o Santos perdeu da Ferroviária, e teve 5.655 pagantes. Porém, o clássico Flamengo e Vasco, em Volta Redonda, só teve 5.484 pagantes. O que esses números significam?
Eles significam que cidades menores, como Santos e Volta Redonda, seguem um padrão e, em determinadas circunstâncias, geram públicos parecidos para o futebol. Detalhes: Volta Redonda tem 263 mil habitantes e está a 137 quilômetros do Rio de Janeiro, enquanto Santos tem pouco mais de 400 mil habitantes e está a 72,9 quilômetros da capital paulista, o maior reduto de santistas. Assim, tudo indica que o número de torcedores de um jogo está mais ligado à quantidade de habitantes da cidade em que este é realizado do que a qualquer outro fator.

Invencibilidade na Vila

Meus amigos e minhas amigas, podemos discutir qualquer aspecto do futebol, entrar até em religião, política e sexo, mas acho que numa coisa todos nós concordamos: a vitória nos aproxima e nos torna seres humanos melhores. Por isso, queremos, e muito, um triunfo neste sábado, às 17 horas, na Vila Belmiro, contra o terrível Pantera que vem de Ribeirão Preto. Perder duas vezes seguidas na Vila, em Campeonato Paulista, já foi algo raro e inominável. Agora, é mais fácil cair um asteroide na Avenida Paulista neste sábado do que o Alvinegro Praiano conhecer novo dissabor em seu alçapão.

O amigo Guilherme Gomez Guarche, responsável pelo Departamento de Memória e Estatística do Santos, me lembra, ou nos lembra, que a última vez que o Glorioso Alvinegro Praiano perdeu dois jogos consecutivos no Urbano Caldeira, pelo Paulista, ocorreu há mais de 24 anos, em novembro de 1992, quando no dia 14 foi derrotado pela Portuguesa de Desportos por 3 a 1 e no dia 28 perdeu para a Ponte Preta por 2 a 1.

No primeiro jogo o técnico santista era Geninho, no segundo, Dé. O Santos que perdeu da Portuguesa jogou com Sérgio, Dinho, Júnior, Luiz Carlos e Flavinho; Axel, Ranielli e Edmar (Serginho Fraldinha); Almir, Guga e Marcelo Passos. O técnico da Lusa era José Poy e o da Ponte, Wanderley Luxemburgo, ainda com dabliu e ipsilon.

O Santos deve entrar em campo neste sábado com Vladimir, Victor Ferraz, Cleber, Yuri e Zeca; Leandro Donizete, Thiago Maia e Vitor Bueno; Thiago Ribeiro, Copete e Ricardo Oliveira.

Sobre essa escalação devo dizer que Dorival Junior tem perdido a oportunidade de experimentar Matheus Ribeiro na lateral direita, colocar um zagueiro mais alto e transferir o Yuri para o meio e começar o jogo com Bruno Henrique e Kayke. Se não der certo, vai tirando, mas os caras foram contratados para jogar.

E você, o que acha disso?

O livro do Muller

muller e olivieri Muller e Olivieri, o seu biógrafo.

O companheiro Anderson Olivieri está lançando uma campanha de crowdfunfing (financiamento coletivo) para editar a biografia de Muller, um jogador que teve ótima passagem no Santos em 1997 e primeiro semestre de 1998. Lembro-me que na época o Muller, mesmo já veterano, jogou tão bem que foi lembrado para a Seleção Brasileira (mais um que o Santos recuperou).

Depois, como comentarista, Muller dizia sempre o que o adversário do Santos tinha de fazer para vencer, o que atrapalhou a boa imagem que eu tinha dele. Porém , o Olivieri é bom e seu livro mergulhará fundo naquele Santos de 1997/98, que saiu da fila, sim.

Para quem quiser participar da campanha, o link é esse:
Clique aqui para ver a campanha da biografia do Muller

Promoção de aniversário

Se você está pensando em comprar algum livro na Livraria deste blog, peço que espere até o começo de março. Em homenagem aos 105 anos do nosso Santos farei uma promoção que começará em março e terminará só no final de abril. Só não conhecerá a história do Santos até o título de 2002, lendo Time dos Sonhos, ou não terá o Dossiê unificação dos títulos brasileiros quem não quiser.

Quer ser jornalista? Tem de ler esse:

Convite - Lições de jornalismo


Autor admite gol ilegal

frete-gratis

Sei que às vezes é frustrante querer comprar um livro aqui no blog e perceber que com a taxa do frete o dinheiro não dá.

Bem, acho que resolvi isso. Reduzi o preço e incluí o frete em todos esses cinco livros anunciados abaixo.

As promoções de dois exemplares também incluem o frete pago. Assim dois Dossiês ou dois Time dos Sonhos saem por 79 reais, sem outras despesas, e dois exemplares de Dinheiro, é possível ser feliz sem ele saem por 39 reais.

E para todos eles eu farei uma dedicatória exclusiva, com carinho e gratidão, claro, pois sem leitores não há livros, nem cultura.

Para quem comprar os livros “Time dos Sonhos”, ou “Segundo Tempo, de Ídolo a Mito”, o blog ainda enviará, gratuitamente, as versões eletrônicas dos livros Donos da Terra, Ser Santista e Na Raça!

E se você adquirir o “Dossiê Unificação dos títulos brasileiros a partir de 1959” e também quiser os três livros eletrônicos de presente, é só escrever e-mail para blogdoodir@blogdoodir.com.br que nós lhe enviamos.

Clique aqui para entrar na livraria e escolher os seus livros, em promoção.

dinheiro-e-possiveldossie - livronovo time dos sonhos


Onde estávamos mesmo?


Personalidade e precisão de Zeca decidiram essa partida importantíssima. Novas vitórias como essa tornarão o título possível.


Dorival e jogadores já falam em sequência de vitórias. Ótimo. É só acreditar que dá.

Com apenas 68 reais você já adquire cinco livros e pode montar, ou completar, sua biblioteca sobre o Santos!
Pelé dormindo com os livros Time dos Sonhos
DonosdaTerraA sensação de ser especialPedrinhoEscolheuUmTimedossie - livro
Clique aqui, informe-se e compre apenas um exemplar de Time dos Sonhos, que eu mando os outros livros de presente para você.

Neste setembro, mês do aniversário do blogueiro, você vai ganhar dois exemplares do Time dos Sonhos, ou, se preferir, um Time dos Sonhos e um Dossiê, mais as versões eletrônicas dos livros Donos da Terra, Ser Santista e Pedrinho escolheu um time, tudo isso por apenas 68 reais! E sem despesas de correio!

Conheça os tempos em que o Santos reinava no futebol mundial

Se quiser pode trocar um exemplar de Time dos Sonhos por um do Dossiê da Unificação dos Títulos Brasileiros. É só pedir pelo e-mail blogdoodir@blogdoodir.com.br

Adivinha de quem?
Nas últimas 17 rodadas o Internacional só ganhou uma partida. Adivinha de quem?
Nas últimas 16 rodadas o América Mineiro só ganhou uma partida. Adivinha de quem?
Em todo o campeonato, o Figueirense só ganhou um jogo fora de casa. Adivinha de quem?

ONDE ESTÁVAMOS MESMO?

Passar pelo empolgado Botafogo, no Rio, representou uma vitória no sufoco, com o Santos todo recuado, porém um triunfo importante, que volta a colocar o Alvinegro Praiano na briga pelo título.

Há dez rodadas, depois do empate com o Palmeiras, fora de casa, este blog lançou o repto de sete vitórias consecutivas, o que deixaria o Santos na liderança do Brasileiro. Tudo ia bem até que a direção do clube vendeu o mando de campo da partida contra o Flamengo. Vieram derrotas inesperadas a partir dali e o sonho se distanciou. Mas agora ele parece possível novamente. Que tal lançar outro desafio de sete vitórias?

Antes de prosseguir no texto, devo dizer que a análise do campeonato é essencial a cada competidor. Tenistas profissionais estudam a chave antes de iniciar um torneio. Sabem que terão de vencer todos os jogos para serem campeões, mas já estarão preparados física e psicologicamente para os prováveis adversários que terão pela frente. Um time de futebol não foge à regra. Sem planejamento não se chega a lugar algum, e se a meta é muito grande, torna-se necessário fracioná-la.

Lembre-se, querida leitora e querido leitor, que após o empate com o Palmeiras, no Allianz Parque (1 a 1), o Santos venceu a Ponte Preta, na Vila Belmiro (3 a 1), o Vitória, em Salvador (3 a 2) e o Cruzeiro, também na Vila (2 a 0). Uma curiosidade: nesses três jogos, Léo Cittadini atuou apenas contra o Vitória, mas o time só venceu quando ele foi substituído por Jean Mota aos 35 minutos do segundo tempo. Mota fez o gol da vitória santista, no apagar das luzes.

A partir do jogo contra o Flamengo, em Cuiabá, o técnico Dorival Junior cismou que Cittadini, jogador ainda em formação, deveria ser um volante titular, na vaga de Thiago Maia, então na Seleção Olímpica. Opções bem mais plausíveis seriam Vecchio, Jean Mota e Yuri, até porque Cittadini também foi improvisado na posição. A insistência de Dorival com um jogador imaturo em função tática tão importante explica, em parte, os fracassos seguidos diante do lanterninha América Mineiro (0 a 1), Coritiba (1 a 2), Figueirense, na Vila (0 a 1) e Internacional (1 a 2).

Ao admitir a falha e sacar Cittadini, Dorival montou um Santos que voltou a vencer, batendo o Corinthians (2 a 1) e, nessa quarta-feira, o Botafogo (1 a 0). Agora, não é hora de inventar mais. Com planejamento, trabalho e dedicação é possível retomar a liderança do Brasileiro nos próximos sete jogos, talvez até antes. O elenco não é galáctico, mas não deve nada aos dos outros times candidatos ao título. Com dedicação e coragem, é bem possível chegar lá.

Análise das próximas partidas

Santa Cruz, nesse domingo, Pacaembu, 18h30: Contra um dos quatro adversários que o Santos venceu fora de casa, o Alvinegro Praiano tem tudo para conquistar os três pontos. Vá ao jogo e leve amigos e familiares. Crianças até 12 anos e adultos com 60 anos ou mais não pagam.

Sport, 24/09, sábado, Ilha do Retiro, 18h30: Jogo fácil não será. O Sport é um time que joga e deixa jogar, a ponto de ter uma das defesas mais vazadas do Campeonato, mas também um dos melhores ataques. É luta franca. O empate seria o resultado mais lógico, mas a vitória não é impossível.

Atlético/PR, 01/10, sábado, Vila Belmiro, 21 horas: Adversário merece respeito, mas na Vila, como seria no Pacaembu, Santos deve vencer.

Fluminense, 05/10, quarta-feira, Vila Belmiro, 21 horas: Outra vitória esperada, apesar da qualidade do adversário.

São Paulo, 13/10, quinta-feira, Morumbi, 21 horas: Clássico. Sem prognóstico. Porém, mesmo no campo do adversário, o Santos pode se impor e vencer, o que, aliás, tem ocorrido nos últimos anos.

Grêmio, 16/10, domingo, Vila Belmiro: Com todo o respeito aos tricolores do Sul, o Santos é franco favorito para angariar mais três pontos.

Chapecoense, 23/10, domingo, Arena Condá: Santos tem mais time. Se demonstrar a mesma garra do adversário, voltará de Santa Catarina vitorioso e líder do Campeonato Brasileiro.

Após esses sete jogos, o Santos terá mais seis antes do final do Campeonato. Desses, jogará em casa diante de Palmeiras, Vitória e América Mineiro e sairá para enfrentar Ponte Preta, Cruzeiro e Flamengo. A última partida será contra o América, na Vila Belmiro, quem sabe um momento de alegria intensa, não vivido desde 2004.


Você acredita no poder da vida simples? Quer ler uma história que pode mudar sua vida? Clique aqui.

E você, o que acha disso?


Quem quer ser campeão?

Com apenas 68 reais você já adquire cinco livros e começa a montar sua biblioteca sobre o Santos!
Neste setembro, mês de aniversário do blogueiro, você vai ganhar dois exemplares do Time dos Sonhos, ou, se preferir, um Time dos Sonhos e um Dossiê, mais as versões eletrônicas dos livros Donos da Terra, Ser Santista e Pedrinho escolheu um time. Esses cinco livros por apenas 68 reais! E sem despesas de correio!
Isso mesmo! Compre um exemplar de Time dos Sonhos e ganhe outro de presente (este segundo você pode trocar por um Dossiê, se quiser), com dedicatórias, despesa de correio incluída e mais as cópias eletrônicas de Donos da Terra, Ser Santista e Pedrinho escolheu um time. Tudo isso por apenas 68 reais!
Não perca! Promoção vai até 9 de outubro ou o fim do estoque!
Conheça os tempos em que o Santos reinava no futebol mundial

Não se esqueça: se quiser pode trocar um exemplar de Time dos Sonhos por um do Dossiê da Unificação dos Títulos Brasileiros. É só pedir pelo e-mail blogdoodir@blogdoodir.com.br

Pelé dormindo com os livros Time dos Sonhos
DonosdaTerraA sensação de ser especialPedrinhoEscolheuUmTimedossie - livro
Entre aqui e compre apenas um exemplar de Time dos Sonhos, que eu mando os outros livros de presente para você.
Clique aqui para comprar o livro Time dos Sonhos, a Bíblia do Santista, e ganhar mais um exemplar de graça, ou um Dossiê, além das versões eletrônicas dos livros Donos da Terra, Ser Santista e Pedrinho escolheu um time, frete pago e dedicatória exclusiva. Tudo isso só por R$ 68,00 e ainda dá pra parcelar. Clique já!

QUEM QUER SER CAMPEÂO?

O Santos bobeou demais e está a oito pontos do líder, porém ainda faltam 14 rodadas e em metade delas o Alvinegro Praiano jogará em casa. E mesmo nas partidas fora, como não há nenhum esquadrão neste Campeonato Brasileiro, todos os jogos são ganháveis. Desistir agora da luta pelo título será o mesmo que assinar um atestado de preguiça e incompetência. Lutar em cada jogo, como em uma batalha, é a única solução. Não se pode esperar nenhuma outra atitude de uma equipe de atletas profissionais.

Fosse eu o técnico do Santos, escalaria um time para enfrentar o Botafogo, nessa quarta-feira, às 19h30, no estádio Luso-Brasileiro, apenas com jogadores dispostos a correr pela vitória. Levaria em conta a qualidade técnica de cada um, claro, porém daria um peso maior à força de caráter, à vontade de voltar do Rio com três pontos.

O Estádio Luso-Brasileiro fica na Ilha do Governador, Rio de janeiro, e pertence à Portuguesa Carioca. Sua capacidade é de 15 mil pessoas, bem próxima à da Vila Belmiro. Esperamos que os jogadores do Santos não se sintam peixes fora d’água lá.

A escolha pelo time mais motivado pode ser feita simplesmente perguntando aos jogadores quais estão realmente a fim de ralar pela vitória no Rio, mas a seleção dos atletas para o jogo também pode ser feita levando-se em conta, simplesmente, os que têm se empenhado mais nos últimos jogos.

Santistas que somos, temos o hábito de colocar a técnica acima de tudo, mas o passado nos mostra que nem sempre é ela que decide. Não fosse um atacante brigador como Almir Albuquerque, o Almir Pernambuquinho, e o Santos não teria se tornado o primeiro bicampeão mundial da história do futebol, derrotando o poderoso Milan, no Maracanã, sem os titulares Pelé, Zito e Calvet.

Quero dizer com isso que este jogo contra o Botafogo, que pelos antecedentes dificilmente livrará o Santos de outra derrota, é a oportunidade ideal de Dorival Junior fazer algo diferente e corajoso e escalar um time cascudo, com jogadores talvez de menos técnica, mas ansiosos por se firmar no elenco e no futebol.

Para começar, Victor Ferraz, Renato, Vitor Bueno, Lucas Lima e Ricardo Oliveira iriam para o banco de reservas. Os cinco têm atributos técnicos inegáveis, porém têm atuado sofrivelmente nas partidas fora de casa. Veja ainda, amiga leitora e amigo leitor deste blog, que nas quatro partidas que o Santos perdeu para times na rabeira do campeonato, esses jogadores estavam presentes.

Com todos eles em campo o Santos foi derrotado pelo lanterninha América Mineiro, para o Coritiba, Figueirense (na Vila Belmiro) e Internacional. E sabe por quê? Por que, ao contrário do que preconizava o genial Johan Cruiff, de que o atacante é o primeiro defensor, esses santistas não se empenham na marcação, não têm a pegada de jogadores menos talentosos, porém com muito mais vontade.

Assim, como Copete não poderá jogar, por suspensão, eu escalaria o Santos, para enfrentar o Botafogo, com Vanderlei, Daniel Guedes, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Zeca; Thiago Maia, Yuri, Vecchio e Jean Mota; Joel e Rodrigão. Se a vitória não viesse, ao menos o torcedor do Santos teria a certeza de que o time lutaria até o final por ela.

Nesse momento do texto você deve estar achando que eu sou maluco e deve estar pedindo ao menos dois ou três desses cinco afastados no time titular. Bem, é possível colocar Renato no lugar de Joel, dando ao veterano a oportunidade de ir mais à frente, como fez domingo. Com a posse de bola, teríamos Jean Mota, Renato, ou Vecchio, e Rodrigão mais avançados e o time ainda teria um meio-campo forte na marcação, com Thiago Maia, Yuri e Vecchio, ou Renato.

Sei que é difícil para o torcedor santista aceitar que jogadores de nível técnico tão elevado, como Lucas Lima e Ricardo Oliveira, tenham de sair do time para o Santos ter mais chances de vitória no Rio de Janeiro, mas não basta saber jogar futebol, é preciso querer. Não basta ser o melhor no papel, como o Santos era nesses quatro jogos que perdeu, é preciso ter jogadores comprometidos com a vitória e a busca pelo título.

Quanto ao Vitor Bueno, é um jogador de enorme potencial, mas some em alguns jogos, principalmente fora de casa, a ponto de ter sido substituído em todas essas quatro derrotas citadas. Mas tanto ele, como os outros que eu colocaria no banco, poderiam entrar no transcorrer da partida.

Uma pesquisa do jornal Lance comparou jogador por jogador de Santos e Botafogo e o Alvinegro Praiano ganhou em todas as posições, com exceção daquela do ex-santista Neilton. Portanto, no papel, a vitória seria certa. Ocorre que, sabemos bem, a teoria não entra em campo, pois, se entrasse, o Santos seria o líder, disparado, deste Brasileiro.

Bem, mas esse post é apenas um exercício de rebeldia e provocação e faz parte daqueles que irão para o limbo, pois sabemos que jamais nosso convencional técnico adotará atitude tão radical. Na verdade, todos os que ele chama de titulares entrarão em campo – talvez até o indefectível Léo Cittadini – e o Santos ficará tocando a bola de lá para cá, daqui para lá, até que o alvinegro carioca acerte um ataque e abra o marcador. Quero muito queimar a língua, mas sem jogadores raçudos, não vejo como o Santos possa mudar a sorte desenhada para essa partida.

santistas pacaembu
Recebi o aviso abaixo da Ouvidoria do Santos, dizendo que o clube disporá de ônibus, “grátis”, para trazer os proprietários de cadeiras e camarotes na Vila Belmiro para o Pacaembu, domingo. Providências para facilitar a vida do santista do planalto? Nenhuma. Os ingressos para o jogo contra o Figueirense, domingo, às 18h30, só começarão a ser vendidos nessa quinta-feira, enquanto o Flamengo, que nem é de São Paulo, já deve ter vendido 15 mil ingressos para o seu jogo das 11 horas no mesmo Pacaembu e no mesmo domingo. Fica evidente a diferença entre uma administração profissional, como a do rubro-negro carioca, e uma amadora, como a do Santos. Os cariocas estão carecas de saber que São Paulo é o mercado mais rico do Brasil e querem fincar sua bandeira na capital paulista, o Santos tem 1,2 milhão de torcedores na metrópole e os trata a pontapés. Mas vamos lá. Os que querem um Pacaembu vazio, para dizer, mais uma vez, que não vale a pena jogar em São Paulo, terão de colocar o rabo entre as pernas.

PARA CONHECIMENTO

O Santos disponibilizará ônibus grátis para associados proprietários de Cadeiras / Camarotes.

Saída: Domingo – 18.09.16

Horário: 14h30

Local: Em frente ao Portão 7/8

Reservas: Na Ouvidoria até sexta-feira – 16 horas

– Venceslau – 3257 4123 / venceslau.neto@santosfc.com.br

– Batalha – 3257 4142 / jorge.batalha@santosfc.com.br

* Demais associados – 40 reais a serem pagos até sexta-feira (16) as 16 horas.

Atenciosamente.

E você, quem escalaria para enfrentar o Botafogo?


3 a 0, com ressalvas

Vencer o Botafogo, no emblemático Pacaembu, é sempre bom, ainda mais por 3 a 0, o que dá uma melhoradinha no saldo de gols. Mas o santista não pode se empolgar muito com esse resultado, pois o alvinegro carioca nunca esteve tão fraco em sua história.

O destaque do Santos foi o garoto Vitor Bueno, que mesmo sem ter pé esquerdo e titubear em algumas jogadas, provavelmente por falta de experiência, mostrou-se combativo, criativo e fez um belo gol, abrindo o marcador.

Outros que merecem menção honrosa são Thiago Maia, Renato, o goleiro Vanderlei e os laterais Victor Ferraz e Zeca. Léo Cittadini melhorou um pouco, mas ainda parece um juvenil entre adultos. Um meia precisa ter mais presença e personalidade.

O camaronês Joel, mesmo querido pelo público, nada fez além do passe de calcanhar no segundo gol do Santos, marcado por Paulinho. No entanto, um defeito dividido igualmente por todos os santistas é a falta de reflexos, a falta de uma resposta rápida à iniciativa adversária. Isso se percebe tanto nas jogadas de ataque, como de defesa.

A lentidão dos zagueiros Gustavo Henrique e de David Braz – que cometeu um pênalti por chegar atrasado no lance – é a mesma do atacante Joel e do meia Cittadini. Parece que o Santos todo precisa ser ligado em uma tomada de 220 volts, pois o time continua perdendo quase todas as divididas, dá espaço para o adversário dominar a bola e, no ataque, se confunde na hora de escolher a melhor jogada.

De qualquer forma, a vitória deve ser comemorada. Não só porque deixa o Santos dois pontos acima da zona de rebaixamento, mas também porque mesmo com chuva, com o time desfalcado e em má fase e diante de um adversário mediano, atraiu 17.033 pessoas ao Pacaembu, das quais 16.536 pagantes, mais do que a capacidade total da Vila Belmiro, que é de 16.068 pessoas.

Outro grande motivo de comemoração foi o pênalti perdido por Neilton. A torcida resolveu pegar no pé do rapaz bem antes da cobrança e parece que isso o abalou, pois mandou a bola para fora, para delírio dos torcedores.

Agora o Santos volta a jogar pelo Brasileiro no próximo domingo, contra o Santa Cruz, em Recife. Lá, sim, poderemos checar se esses 3 a 0 no Botafogo indicaram alguma melhoria na equipe, ou foram resultado da ruindade do adversário.

Com ajuda da arbitragem, Brasil empata com Equador

Em sua estreia na Copa América, com os santistas Lucas Lima e Gabriel começando a partida no banco de reservas, o Brasil empatou em 0 a 0 com o Equador e foi favorecido por um erro da arbitragem, que apontou saída de bola em um cruzamento que o goleiro Alisson jogou para dentro de seu gol, em um frangaço. Veja os melhores lances da partida.

E você, o que acha disso?


Older posts

© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑