Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

Tag: Bruno César

Santos é favorito de uma final para ficar na história

A aconchegante e histórica Vila Belmiro jamais teve a honra de decidir um título paulista em um jogo único, como hoje. Em 1964, mesmo que perdesse para a Portuguesa (ganhou por 3 a 2), o Santos disputaria um jogo-extra com o adversário. Hoje, não. Quem ganhar, leva.

Será emocionante e bem disputado. O Santos é superior. Os jogadores mais credenciados em campo serão Neymar e Elano, e hoje eles quererão assumir a responsabilidade de definir a partida. Mas o alvinegro da capital tem jogadores que, dependendo do dia, também podem jogar muito bem, como Jorge Henrique, Bruno César, Dentinho, Liédson.

Os dois técnicos são bons. Muricy Ramalho é melhor, enxerga o jogo com mais propriedade, mas Tite não é ruim. Creio que o técnico corintiano tentará armar um esquema de marcação para anular os principais jogadores santistas. Porém, não tenho dúvidas de que Muricy fará o mesmo.

Será um jogo amarrado? Creio que sim, a não ser que o gol saia rápido e obrigue um dos times a se expor mais. Marcar primeiro poderá ser decisivo, principalmente se o Santos o fizer, pois é muito mais difícil para o time visitante reagir nestas circunstâncias.

Creio que, como os principais jogadores estarão muito marcados, talvez seja o dia em que coadjuvantes poderão decidir a partida, como Alan Patrick fez contra o Once Caldas na Colômbia.

É o tipo de jogo que poderá se tornar fácil para o Santos, se conseguir sair com uma boa vantagem – dois gols, por exemplo – já no primeiro tempo. Também acredito que o Alvinegro Praiano terá mais a posse de bola e, consequentemente, criará mais oportunidades para marcar.

Bruno César pode estar machucado

Quem sai de um treino, a cinco dias para um jogo decisivo, com a mão na virilha, não fica bom a ponto de jogar. Não sou médico, mas já tive esse problema quando jogava. Para ficar bom, mesmo, é preciso duas semanas de recuperação. A mesma situação se aplica a Paulinho, que ficou fora do treino um dia desses também com dores na coxa.

Por isso, não me surpreenderia se Tite começasse a partida com Morais no lugar de Bruno César e se substituísse Paulinho no transcorrer da partida – o que seria uma perda terrível para o time, que só teria Ralf para jogar como volante.

Um bom dia para as avançadas de Jonathan e Léo

Como a marcação pelo meio deverá ser forte, hoje pode ser um bom dia para as avançadas dos laterais Jonathan e Léo, não necessariamente ao mesmo tempo. Jonathan tem a vantagem de bater muito bem a gol, enquanto Léo deverá fazer triangulações com Neymar e Alan Patrick.

Enfim, um bom jogo de futebol, que pode se transformar em complicada partida de xadrez, nos espera esta tarde. Que seja disputado, mas limpo, sem violência e sem interferência do árbitro. E que nas arquibancadas também reine a paz.

Meu palpite? 3 a 1 para o Santos, que também pode ser 2 a 0. Enfim, uma vitória por dois gols de diferença. Mas poderá ser até mais, se o Corinthians perder o controle diante da pressão santista.

Reveja o último Santos e Corinthians pelo Campeonato Paulista disputado na Vila Belmiro, no Paulista de 2010:

http://youtu.be/fRFcQhRy-Ho

E você, que opinião tem sobre a decisão histórica de logo mais?


Ironia do destino: Arouca joga, Bruno César e Paulinho talvez não

Os deuses do futebol não param de trabalhar. Enquanto o Santos voltou da Colômbia nem nenhum desfalque para a final de domingo, no alvinegro da capital, que está só treinando, ontem Bruno César reclamou da virilha e Paulinho não participou do treino, com dores na coxa.

Hoje o treino do Corinthians foi fechado para a imprensa por uma hora. Depois de liberado, Bruno César e Paulinho treinaram um pouco, mas foram poupados em seguida, sinal de que ainda não estão cem por cento.

Mesmo sem Danilo, suspenso, o técnico Muricy Ramalho poderá escalar um meio-campo forte, com Adriano, Arouca, Elano e Alan Patrick. Por outro lado, Tite talvez tenha de improvisar no setor.

Se Bruno César não puder jogar, Morais deve substitui-lo. Quanto a Paulinho, a perda será maior, pois o Corinthians não tem um volante do mesmo nível.

Que ironia! Um time que anda fazendo dois jogos por semana, além de viagens longas e exaustivas, poderá ter menos desfalques do que um outro muito mais descansado, que há meses disputa apenas uma competição, e ainda de importância menor, que é o Campeonato Paulista.

O árbitro sorteado para a partida será Luiz Flávio de Oliveira, irmão do mais conhecido Paulo César de Oliveira. Minha impressão de Luiz Flávio é de é um bom árbitro, discreto, que pode comandar a final sem maiores problemas.

Acha que Bruno César e Paulinho podem fazer muito falta ao alvinegro paulistano, ou com eles ou sem eles o Santos deve ser campeão domingo?


Santos melhora sem Ganso e leva a decisão para a Vila Belmiro

Como se esperava Muricy Ramalho não perdeu para Tite. Mesmo sem Arouca, Léo e também sem Paulo Henrique Ganso – que sentiu a coxa no fim do primeiro tempo –, o Santos pouco permitiu ao Corinthians e poderia até ter vencido esta primeira partida da decisão do Paulista caso tivesse aproveitado duas ótimas oportunidades no início do segundo tempo, com Danilo e Neymar.

Como nos últimos jogos do Santos, Neymar foi o craque da partida. Criou as melhores jogadas, driblou, tabelou, arrematou e só não marcou por acaso. Pena ter como companheiro de ataque um jogador limitado e pouco inteligente como Zé Eduardo, que não consegue participar de uma só jogada com final feliz (a não ser quando sofre falta ou cava um lateral ou escanteio, o que tem sido raro).

Bem mais discreto, Ganso participou pouco da partida e acabou saindo ao final do primeiro tempo, ao sentir fortes dores na coxa. Pelo jeito, ele desfalcará o Santos na partida de quarta-feira, na Colômbia, contra o Once Caldas. Exames de ressonância magnética devem apontar o nível da lesão.

A saída de Ganso melhorou o time

A entrada de Alan Patrick, por incrível que pareça, melhorou o Santos, pois este se dedicou também à marcação – coisa que Ganso não estava fazendo – e isso complicou as coisas para o meio-campo do adversário.

Paulo Henrique Ganso estava apático e indolente até sentir a coxa, no final da primeira etapa. Apesar de sua indiscutível categoria, tive a impressão de que o time melhoraria com a entrada de Alan Patrick ou Felipe Anderson – enfim, de alguém que realmente quisesse jogar.

Mesmo errático, Alan Patrick participou mais do jogo e teve boas oportunidades de se infiltrar pela esquerda. Em uma delas, aos 11 minutos do segundo tempo, tabelou com Neymar e deixou o Menino de Ouro da Vila na cara do gol, em lance que terminou no travessão.

Rafael voltou a pegar tudo. Adriano e Jonathan foram seguros

Dos substitutos de Arouca e Léo, Adriano não comprometeu, e Alex Sandro, se pouco ajudou no ataque, ao menos não permitiu muita coisa pelo seu lado (apesar de não inspirar confiança como marcador).

O miolo da zaga até que foi bem, a não ser em uma joga infantil de Edu Dracena, que aos quatro minutos do segundo tempo, sozinho, cabeceou uma bola para a entrada da área do Santos e permitiu a Bruno César, livre, chutar para uma defesa segura de Rafael.

O jovem goleiro santista continuou no mesmo nível de atuação que vem tendo: excelente. Hoje não deu nenhum susto. Destaco também as atuações de Jonathan e Adriano. Outros que se saíram bem, apesar de discretos, foram Danilo e Durval.

Elano voltou bem. Cleber Abade se despediu com louvor

Elano não se destacou muito, mas foi importante. Sua experiência de cadenciar o ritmo e distribuir o jogo se fez sentir várias vezes. Cobrou uma falta com perigo.

Quando ao árbitro Cléber Wellington Abade, apesar de não ter marcado algumas faltas, foi muito bem. Atuou como todo bom árbitro deve atuar sempre: com precisão e sem estardalhaço. Despediu-se da carreira em grande estilo.

Agora, na Vila, a chance de um título histórico

Agora, é claro que a decisão continua em aberto, que clássico é clássico e blá, blá, blá, mas na Vila Belmiro mão há quem não acredite que o título irá para o Memorial do Alvinegro Praiano. Até os corintianos que eu conheço já estão conformados.

O maior risco é o Santos entrar com salto alto no próximo domingo. Mas isso eu sei que Muricy Ramalho não deixará acontecer. Comemorar um título no Urbano Caldeira sobre o maior rival é algo que não tem preço e estou certo de que o Santos se empenhará por dar essa alegria ao torcedor.

E você, o que achou do jogo? E o que espera da decisão na Vila Belmiro?


© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑