Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

film izle

Tag: Cajazeiras

Santos estreará 5 jogadores contra o primeiro campeão brasileiro

O amigo João Neto me ligou para dizer que o Santos não pode perder essa ótima oportunidade de mostrar Neymar para seus fãs baianos. Ele tem razão. Pesquisa feita por uma agência de comunicação de Salvador mostrou que o Santos é o time de fora da Bahia com mais torcedores em Cajazeiras, o bairro mais populoso da cidade. Tudo bem que Neymar não jogue, mas precisa viajar com o grupo e manter sua popularidade em alta por lá. Aliás, não foi para atrair torcedores que o clube o manteve no Brasil?

Outro detalhe que também tem a ver com o jogo deste domingo é que Santos e Bahia decidiram três vezes o título brasileiro: em 1959, com vitória do Bahia, que se tornou o primeiro campeão nacional, e em 1961 e 63, com vitórias santistas. Será que não valeria a pena homenagear o Bahia antes do jogo, lembrando esse feito? Até porque é uma partida da rodada que abre o Campeonato Brasileiro de 2012.

Como nos últimos anos, o Santos começa o Brasileiro com meia força. Mais uma vez fará as primeiras rodadas sem os titulares. Com isso, pelo que já vimos em outros anos, dificilmente terá possibilidades de lutar pelo título. Até porque depois jogará quase metade do campeonato sem Neymar e Ganso, entregues à Seleção Olímpica.

Diante dessa triste realidade do nosso calendário, não seria mais sensato instituir uma fase final do Brasileiro com jogos eliminatórios? Seria mais justo, pois os melhores times do país – envolvidos com a Libertadores e a Copa do Brasil – acabam sendo punidos pelo mérito. Enquanto são obrigados a jogar o Brasileiro com reservas, os times que estão fora da Libertadores e da Copa do Brasil e não tem jogadores na Seleção, acabam sendo beneficiados e tem maiores possibilidades de lutar pelo título, como tem acontecido nos últimos anos.

Santos terá cinco estreias

O técnico Muricy Ramalho decidiu escalar um time reserva contra o primeiro campeão brasileiro, domingo, às 18h30m, em Pituaçu, e promoverá a estréia de cinco recém-contratados: o lateral-direito Rafael Galhardo, os zagueiros David Braz e Ewerton Páscoa, o volante Gérson Magrão e o meia Bernardo.

Assim, o Santos enfrentará o Bahia com Aranha; Galhardo, Bruno Rodrigo, David Braz e Léo; Ewerton Páscoa, Gerson Magrão, Bernardo e Felipe Anderson; Rentería e Borges.

O torcedor santista espera que ao menos estes jogadores já tenham treinado juntos, pois é quase certo que se jogarem mal a desculpa será a falta de entrosamento. De qualquer forma, será uma boa oportunidade para sentir quem tem potencial e vontade de jogar no Alvinegro Praiano.

O Bahia, do técnico Falcão, deverá poupar alguns titulares, mas não terá só reservas. Campeão estadual no domingo passado, o técnico Falcão – que caiu nas graças do torcedor do Bahia a deverá receber o título de cidadão baiano – prevê um jogo difícil, mesmo contra o time B do Santos:

“Enfrentei o time reserva do Santos quando estava no Internacional e foi um jogo extremamente difícil. Certamente é um time que vem aqui fazer um bom jogo. É um time difícil, com história, com tradição e, independentemente de quem jogar, pelo grupo que tem, vai ser um time duríssimo contra a gente”.

O que Falcão não sabe é que este time reserva do Santos é uma grande incógnita. É como revólver na mão de macaco: ninguém sabe para aonde vão os tiros. De qualquer forma, creio que não haja outro jeito. Ou você acha que o Santos deveria começar o Brasileiro com seu time titular?

O amigo João Neto, notável conhecedor da história do Santos, lembra que nos áureos tempos do clube o time só jogava com titulares – e por isso ganhava um título após o outro. Hoje, porém, os jogadores correm mais e o desgaste é maior. Por outro lado, será que o que cansa mais é jogar futebol ou ficar acordado até tarde participando de festas comemorativas?

Placar e Lance não respeitam a história oficial do futebol brasileiro

Comentaristas deste blog me informam que a revista Placar e o jornal Lance estão saindo com edições especiais do Brasileiro nas quais não levam em conta os campeões brasileiros anteriores a 1971, desrespeitando a decisão da CBF, homologada também pela Conmebol e pela Fifa. O que eu posso dizer?

Não leiam quem desrespeita a história do futebol brasileiro, não gastem mais um tostão com publicações tendenciosas que servem a objetivos desconhecidos, menos à causa do jornalismo.

Não entendo como podem ser tão presunçosos a ponto de tentar insistir em uma mentira que já foi desmascarada. Insurgir-se contra a determinação da CBF é desrespeitar não só a entidade maior do futebol brasileiro, como os clubes campeões e suas imensas comunidades, quais sejam as de Bahia, Botafogo, Cruzeiro, Fluminense, Palmeiras e Santos.

E acima de tudo estão sendo incoerentes, pois se consideram oficial o precário título mundial do Corinthians só porque a Fifa assim o quer, por que se insurgem contra 11 anos de competições nacionais exaustivamente comprovadas e chanceladas pela CBD e a CBF?

A propósito, um bom trabalho sobre o Campeonato Brasileiro pode ser lido na Wikipédia. Lá o pessoal vai fundo nas pesquisas e realmente traz a verdade dos fatos. Recomendo a leitura:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Campeonato_Brasileiro_de_Futebol

Para quem se esqueceu, vale a pena lembrar:

Vem aí o Dia do Dossiê! Fique atento e compre com grande desconto!

Conversei ontem com o Vítor e decidimos que na próxima terça-feira faremos uma grande promoção de Dossiês aqui. Mais um Campeonato Brasileiro está começando e percebemos que a luta pela divulgação da verdadeira história dos campeões nacionais não pode esmorecer. Os mesmos de sempre continuam remando contra.

Assim, o livro que unificou os títulos brasileiros a partir de 1959, que neste blog está sendo oferecido por R$ 60,00, na próxima terça-feira, dia 22, – mas apenas nesse dia –, será vendido pela metade do preço. Então, se deu vontade de comprar o Dossiê, espere até terça-feira e faça uma grande economia. Depois, divulgue os conhecimentos do Dossiê entre seus amigos e corrija os jornalistas de sua cidade que não conhecem a verdadeira história dos campeões brasileiros.

Veja como o Bahia se tornou o primeiro campeão brasileiro:

Você concorda que o Santos jogue com reservas contra o Bahia?


Santistas são maioria em Cajazeiras, populoso bairro de Salvador


Um bom começo: em Cajazeiras há mais santistas do que flamenguistas e corintianos

Sempre defendi neste blog que a pesquisa de torcidas de futebol mais abrangente e fidedigna que existe é a Timemania. Continuo com a mesma opinião, pois a cada dia consigo mais evidências que comprovam isso. Mas hoje, só para dar idéia da diversidade de preferências por este Brasil afora, citarei Cajazeiras, conjunto habitacional de Salvador, com 600 mil habitantes, onde, segundo pesquisa publicada pelo jornal Correio da Bahia, o Santos tem a maior torcida entre os times de fora do Estado.

Salvador é a grande cidade do Nordeste, a primeiro capital do Brasil, pólo cultural e turístico que influencia toda a região. Pois nessa metrópole de 2,7 milhões de habitantes Cajazeiras é um centro populoso e de grande comércio. Saber que o Santos é o time de fora com mais torcedores ali é muito relevante.

Segundo a pesquisa, realizada pela Agência Futura, o Santos tem a preferência de 23,1% dos habitantes de Cajazeiras que torcem para times de outros Estados. Em segundo lugar, empatados, estão Flamengo e Corinthians, com 15,5% (30% a menos do que o universo de santistas).

Quando se sabe que 37,9% dos soteropolitanos torcem para um clube de outro Estado, o que os números de Cajazeiras querem dizer? Ora, querem dizer que, se todo mundo gostasse de futebol e tivesse um time, o Santos teria cerca de 30 mil torcedores em Cajazeiras. Porém, como no máximo 40% dos brasileiros acompanham o futebol, digamos que há 12 mil santistas em Cajazeiras.

Isso quer dizer, ainda, que os santistas de Cajazeiras representam mais do que a média de público do Alvinegro Praiano na Vila Belmiro. Isso explica também porque havia mais de dois mil santistas apoiando o time na recente vitória sobre o Bahia, por 2 a 1, em Salvador.

No resultado geral da pesquisa Futura/Correio a torcida do Santos aparece em quinto lugar entre as dos clubes não baianos, mas em vários segmentos está em quarto ou mesmo em terceiro. Na faixa etária de 16 a 19 anos está em quarto, com o triplo da porcentagem do quinto colocado, e de 40 a 49 anos é o terceiro.

Para ser sincero, considerei essa pesquisa insatisfatória, pois não chegaram a ouvir 300 pessoas. Certamente se Futura/Correio fizessem outras, nos mesmos lugares, os resultados seriam diferentes. Talvez o Santos tivesse ainda mais torcedores do que se constatou, talvez menos.

Porém, apesar das ressalvas, percebe-se a cada nova pesquisa o inquestionável crescimento da torcida santista, a ponto de ser dominante em algumas regiões bem populares de Salvador, cidade que é o termômetro do Nordeste.

Imagine se agora o Neymar ficar no Santos até a Copa de 2014. Quem segurará os santistas?


© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑