Imagine todos esses caras vestindo pijamas listrados.

Lembra daqueles tempos românticos em que você podia descontar, em um estádio de futebol, as frustrações da vida? Problemas em casa ou no trabalho, o time mal das pernas e você esquecia de tudo soltando sonoros palavrões contra o árbitro, os jogadores e os torcedores adversários. Ah, e se um inimigo estivesse por perto, indefeso e desacompanhado, você podia ir até lá, dar uns cascudos nele e ficava tudo por isso mesmo. Que delícia de tempos, não?! Pois nunca mais faça isso, ou pegará três anos de cadeia!

Não sei se você já sabe, mas leis mais rigorosas contra a violência nas praças esportivas foram aprovadas no Senado na quarta-feira passada. Agora, um estádio de futebol deixou de ser um território sem lei. Todos com capacidade superior a 10 mil espectadores terão de ter câmeras de vigilância para captar e gravar o comportamento dos torcedores.

Cânticos ofensivos, discriminatórios e racistas também serão punidos com detenção e proibição de assistir aos jogos por até três anos. As punições se estenderão a torcedores que praticarem ou incentivarem a violência não só no interior dos estádios, mas nas suas proximidades e em pontos de ônibus, trem ou estações de metrô que levem passageiros para os jogos.

As torcidas organizadas serão obrigadas a manter um cadastro de seus associados, com fotos e endereços, e serão responsabilizadas caso algum deles cometa infrações. As autoridades e os administradores de estádios e ginásios deverão colocar nas entradas e na internet a relação dos torcedores infratores.

Acabou também a mamata dos cambistas. Passou a ser ilegal vender ingressos por preço superior ao estampado no bilhete. A pena é de um a dois anos de prisão, além de multa. Se o cambista for servidor público, dirigente ou funcionário de entidade de prática desportiva, a pena será aumentada em 50%.

Mas jogadores, técnicos, árbitros e dirigentes do futebol não foram esquecidos. Caso se envolvam em suborno ou façam acordos para a fabricação de resultados, serão punidos com multa e pena de dois a seis anos de prisão.

A medida é providencial, pois mesmo nos países mais desenvolvidos o povo só assimilou as regras da boa conduta social depois de leis severas. Não seria o brasileiro que se transformaria em um ser humano melhor naturalmente.

Por outro lado, a ênfase à ordem e disciplina nos estádios já é uma conseqüência das necessidades da próxima Copa do Mundo, a ser disputada no país. Chegou, finalmente, o momento em que um estádio de futebol no Brasil deixou de ser o meio ambiente propício paras marginais e arruaceiros de toda espécie.