Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

Tag: Campeonato Brasileiro de 2004

Boa estreia, Levir!

Sereias da Vila a um passo da final
Neste sábado, às 21 horas, com transmissão do Sportv, o Santos enfrenta o Iranduba, na Vila Belmiro, e com um empate já garantirá vaga na final do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino. A outra semifinal reúne Rio Preto e Corinthians. Logo mais informo sobre a partida das Sereias, comento os últimos fatos no Santos, como a bela enquadrada de Levir Culpi, e apresento o clássico de amanhã entre Santos e São Paulo, também na Vila. Até mais…

Menos tic, mais taca!


Desta vez os santistas jogaram com coragem

Um Santos mais objetivo e determinado, que não ficou todo encolhido atrás depois de conseguir alguma vantagem, foi o que se viu em Curitiba, ao contrário da equipe que era orientada por Dorival Junior. Os santistas começam a ter mais esperanças nessa Copa Libertadores.

Matéria anterior

Hoje à noite o curitibano Levir Culpi terá o seu jogo mais importante desde que foi contratado e, provavelmente, o primeiro em que assumirá de fato o comando da equipe. A Copa Libertadores é a grande motivação do Santos neste ano e o confronto com o Atlético Paranaense, a partir das 19h15, na Vila Capanema, com transmissão da Fox, tem um grande significado para Levir, que em 2004, dirigindo o mesmo Atlético, perdeu o título brasileiro para o Santos nas últimas rodadas. Cada vez que ele enfrenta o seu antigo clube, a história do “piloto automático”, vem à tona.

No momento, os dois times não são os melhores do Brasil, como há 13 anos, mas correm atrás da bola e esperam que o imponderável do futebol os premie com vitórias surpreendentes. Sim, qualquer vitória hoje, assim como algum título para um dos dois em 2017, seria uma surpresa. Para esta noite a lógica indica o empate, e na temporada chegar às finais já seria razoável.

Fiquei triste com a séria contusão do garoto Vitor Bueno, que só voltará aos campos em 2018. Espero que sua recuperação não seja tão complicada como as Luiz Felipe e Gustavo Henrique, também com problemas no joelho, mas os antecedentes dizem que é melhor esquecermos de Bueno por um longo tempo. Ricardo Oliveira, Zeca e Caju também estão machucados.

As notícias dizem que Levir armará um Santos ofensivo, mas a verdade é que a escalação provável é a do mesmo time que vinha jogando e marcando poucos gols: Vanderlei, Lucas Ferraz, David Braz, Lucas Veríssimo e Jean Mota; Renato, Thiago Maia e Lucas Lima; Bruno Henrique, Kayke e Copete.

Com uma saída rápida para o ataque, se Lucas Lima girar menos sobre o próprio corpo e der andamento às jogadas com precisão e velocidade, o Santos poderá chegar ao gol de Weverton com perigo. Se voltar ao estilo Dorival Junior de rodar para lá e para cá, certamente terá mais pose de bola, mas correrá o risco de voltar para Santos com mais uma derrota fora de casa.

Do lado do Atlético, Eduardo Baptista não tem muitas opções técnicas. A força do seu time está na disciplina tática e em seu bom retrospecto quando joga em casa. Ele deve enfrentar o Santos com Weverton, Jonathan, Paulo André, Thiago Heleno e Sidcley; Otávio, Matheus Rossetto e Lucho González; Douglas Coutinho, Nikão e Grafite (ou Éderson).

Como disse, acredito mais no empate, se bem que tenha esperanças de uma boa vitória santista, claro. A arbitragem será de Roberto Tobar, auxiliado por Marcelo Barraza e Claudio Rios, todos do Chile. Que não sejam caseiros.

Ticket médio

Domingo fui jantar na casa do Vinicius, meu sobrinho e afilhado, e fiquei sabendo que o ticket médio do supermercado Dia é 25 reais. Sou cliente de uma unidade do Dia perto de casa e comentei sobre uma boa promoção que a loja está fazendo. Especialista em marketing e muito bem informado, Vinicius explicou que o público deste supermercado costuma fazer compras pequenas e por isso o Dia está fazendo essas promoções para estimular as pessoas a gastar mais.

Você, leitor e leitora, deve estar se perguntando o que essa informação tem a ver com o Santos. Eu respondo: tem tudo! Pois lemos novamente que Modesto Roma, mesmo nos estertores de seu mandato, não desistiu de lançar a pedra fundamental de uma arena para 28 mil pessoas em Santos, e para que o negócio dê certo será preciso cobrar um ticket médio superior a 80 reais por 20 anos seguidos.

Ora, o ticket médio suportável em Santos, para jogos de futebol, é bem parecido com o do Dia, e assim tem sido desde que a Vila Belmiro foi fundada, há 101 anos. E olhe que Santos até os anos 50 era a décima cidade brasileira em população, com uma pujança econômica e um poder aquisitivo bem maiores do que hoje, em que se encontra em 48º lugar entre as cidades mais populosas do país. Ou seja, impor ao santista e ao morador das cidades da Baixada um ingresso caro, que vai além de seus hábitos de consumo, será a melhor receita para se criar um elefante branco e, consequentemente, falir o nosso querido Alvinegro Praiano, que mesmo sem o estádio já está quase chegando lá.

“Ah, mas os santistas da capital e do interior descerão a serra para ver o Santos e eles é que garantirão a lotação do estádio…” Ah, é? Quer dizer que trazer o time para jogar no Pacaembu não pode, mas esperar que um santista do planalto gaste 200 reais para ver, da arquibancada, uma partida de futebol, correndo riscos na volta noturna para casa, pode? Sei não, mas essa arena em Santos entrará na turma das arenas do Pantanal, de Manaus e Natal. Elefante, ou melhor, baleia branquíssima.

Minha esperança, assim como a da maioria dos santistas, é a de que Modesto Roma não seja reeleito e não leve adiante essas suas ideias tresloucadas, que podem transformar o Santos, definitivamente, em um time apenas de sua cidade, desperdiçando o incomensurável patrimônio deixado por Pelé & Cia e representado por sua imensa torcida. Esperamos que o Alvinegro que já foi o maior espetáculo da Terra possa ser dirigido por um ser humano racional, que apenas faça o que tem de ser feito, obedecendo às leis da lógica e do marketing.

Participe da campanha de pré-financiamento de “Santos FC, o maior espetáculo da Terra”, um livro único, que vale por um título mundial, e tenha o seu nome impresso nessa edição histórica! Essa oportunidade tem prazo limitado.

Este livro de arte nenhum time tem e nunca terá. Chegou o livro que traz as maravilhosas viagens do Santos pelo mundo. Um livro único, que vale por um título mundial.

Este livro de arte nenhum time tem e nunca terá. Chegou a esperada obra que conta as maravilhosas viagens do Santos pelo mundo. Um livro único, que vale por um título mundial e está sendo oferecido por um preço super acessível e ainda dá ao comprador a honra de ter o seu nome impresso em suas páginas. Não perca essa oportunidade de ter o seu nome em um dos livros mais importantes da literatura futebolística mundial!

Prossegue a campanha de financiamento coletivo para o lançamento do livro “Santos FC, o maior espetáculo da Terra”, uma obra única, que nos encherá de orgulho e consolidará o Santos em outro nível na história do futebol mundial. Os autores são Marcelo Fernandes e eu. Prestigie. Garanto que não vai se arrepender. Há muitas recompensas para quem adquirir o livro nesta fase de pré-lançamento.

Clique aqui para entrar no time que vai lançar o livro das viagens maravilhosas do Santos pelo mundo. Ele está pronto e precisa ser impresso. Vamos transformar este sonho de todo santista em realidade. Participe e não se arrependerá!

Reserve desde já os melhores presentes para o seu pai
pai santista
Aquele que te fez santista jamais pode ser esquecido

Ninguém vende Time dos Sonhos e Dossiê mais baratos

time-dossie ok

Compare os menores preços do mercado e compre o Dossiê e o Time dos Sonhos

Time dos Sonhos
Livraria 2005, RJ, livro usado: R$ 52,89
Sebo do Monge, SP, livro usado: R$ 57,70
Livraria do Blog do Odir, livro novo, com frete pago, dedicatória exclusiva e três PDFs de brinde: R$ 39,00

Dossiê Unificação dos Títulos Brasileiros
Livraria Capítulo Primeiro, livro usado, Santos: R$ 67,89
Travessa da Praia, livro usado, Santos, R$ 87,89
Livraria do Blog do Odir, livro novo, com frete pago, dedicatória exclusiva: R$ 39,00

Faça a conta: Na compra de dois exemplares você só paga R$ 31 reais por exemplar.

Clique aqui para comprar os livros Time dos Sonhos e Dossiê Unificação dos Títulos Brasileiros pelo menor preço do mercado.

E você, como acha que o Santos de Levir se sairá em Curitiba?


Jogos que faltam para completar 7 vitórias seguidas, como em 2004

No Brasileiro de 2004 o Santos, dirigido por Vanderley Luxemburgo, estava quase na zona de rebaixamento, mas empreendeu uma arrancada com sete vitórias consecutivas e acabou chegando ao título. Desta vez também há santistas que acreditam nos sete triunfos seguidos como o antídoto para anular todos os percalços e a má sorte que a equipe teve até agora na competição.

Como venceu ontem ao Cruzeiro, na Vila, apesar de tremendamente desfalcado, não é exagero imaginar que, com a volta de alguns titulares, possa continuar vencendo os próximos jogos. Sim, mas quais são os adversários que o Alvinegro Praiano terá pela frente?

Bem, os seis a seguir, pela ordem, são: Corinthians (Pacaembu), América/MG (Minas), Figueirense (Vila Belmiro), Fluminense (Engenhão), Palmeiras (Vila Belmiro) e Atlético/MG (Minas). E aí, o que você acha? Dá para vencer todos?

Se o Santos se sair bem nesses jogos, poderá realmente brigar pelo título, pois terá uma tabela favorável até o final da competição. Nas suas nove partidas restantes, terá o mando de jogo em cinco delas: Grêmio, Atlético/PR, Vasco, Atlético/GO e Bahia. Os quatro jogos que fará no campo do adversário serão contra Flamengo, Ceará, Coritiba e São Paulo.

Um detalhe: sete era o número de sorte do ex-presidente Marcelo Teixeira. Espero que o número de sorte de Luis Álvaro Ribeiro seja oito, nove, dez, onze, doze, treze, quatorze…

Jogos que faltam ao Santos

Analise os jogos do Santos até o final do Campeonato Brasileiro. Além destes citados abaixo, haverá os dois atrasados, contra o Grêmio, no Estádio Olímpico, e contra o Botafogo, na Vila Belmiro, a serem jogados em outubro.

18/09 – Corinthians, às 16 horas, no Pacaembu
21/09 – América/MG, às 20h30m, em Minas Gerais
24/09 – Figueirense, às 18 horas, no Pacaembu (ou será na Vila?)
01/10 – Fluminense, às 18 horas, no Engenhão
09/10 – Palmeiras, às 16 horas, na Vila Belmiro
12/10 – Atlético/MG, às 21h50, na Arena do Jacaré
15/10 – Grêmio, às 16 horas, na Vila Belmiro
22/10 – Flamengo, às 16 horas, no Engenhão
29/10 – Atlético/PR, às 16 horas, na Vila Belmiro
05/11 – Vasco, às 16 horas, na Vila Belmiro
12/11 – Ceará, às 16 horas, no Presidente Vargas
16/11 – Atlético/GO, às 21h50m, na Vila Belmiro
19/11 – Coritiba, às 16 horas, no Couto Pereira
26/11 – Bahia, às 16 horas, na Vila Belmiro
03/12 – São Paulo, às 16 horas, no Morumbi

As sete vitórias de 2004

No Brasileiro de 2004 as sete vitórias consecutivas ocorreram da nona à décima-quinta rodada. Começou com a partida contra o Vitória, em Salvador, em 16 de junho, vencida por 2 a 1, e terminou com o triunfo sobre o Flamengo, em 13 de julho, na Vila Belmiro, por 2 a 0.

Confira os sete jogos: Vitória/BA, Salvador, em 16/06, 2 a 1; Internacional, Vila Belmiro, 20/06, 3 a 0; Guarani, Pacaembu, 26/06, 2 a 1; Corinthians, 04/07, Pacaembu, 3 a 2; Ponte Preta, Campinas, 07/07, 4 a 0; São Paulo, Vila Belmiro, 10/07, 2 a 1, e Flamengo, Vila Belmiro, 13/07, 2 a 0.

Reveja os gols da vitória sobre o Flamengo, a sétima consecutiva em 2004. Perceba como o time era ofensivo. Nos dois gols havia pelo menos quatro santistas na área do adversário. Não foi à toa que em 2004 o Santos bateu o recorde de gols em um Brasileiro, com 103.

Fez as contas? Analisou as possibilidades? Ainda dá para ser campeão?


O maior adversário do Santos tem sido o olho gordo

Era julho. Estávamos jantando no Shopping Pátio Iporanga, em Santos, esperando a abertura da exposição 100 anos de futebol arte, do artista Paulo Consentino, quando a Suzana sorriu ao ver um daqueles vídeos com os Meninos da Vila brincando na concentração e disse: “Eles nunca vão esquecer desse momento de suas vidas”.

Na verdade, as pessoas que amam o futebol e têm o coração puro, jamais esquecerão o primeiro semestre de 2010, quando o esporte se misturou com a arte e um grupo de rapazes reverteu a ordem das coisas e provou que os bons tempos sempre podem voltar, que é possível trabalhar com alegria e ser muito bem recompensado por isso, que a amizade pode prevalecer mesmo entre competitivos jogadores de futebol.

Mas nem todos ficaram felizes com as exibições espetaculares do Santosno Campeonato Paulista e na Copa do Brasil. É que os seres humanos, ao menos a maioria, têm uma atração irresistível para a mediocridade. O novo incomoda, pois traz parâmetros desconhecidos, tira as pessoas de uma zona de segurança. Por isso, só os jovens, ou de espírito jovem apoiaram os Meninos, quanto os tradicionalistas e hipócritas implicaram tanto com as “dancinhas” dos garotos, com o cabelo do Neymar, com o que faziam fora do campo…

Uma parte da imprensa, a boa, ressaltava o futebol, os gols, as grandes jogadas e o ambiente alegre do Santos. Aí vocêr pode incluir Tiago Leifet, Jô Soares, Cléber Machado… Outra parte, a invejosa, fuçava e divulgava os “problemas” fora de campo, chamava o Neymar de cai-cai e batizava o futebol santista de “bailarino”.

É claro que esta ala negra da imprensa era apoiada com entusiasmo por boa parte da população. Infelizmente o sentimento mais comum no ser humano é a inveja. E o pior é que as pessoas que a sentem são conscientes disso. E como a piedade é um sentimento mais nobre, o invejoso primeiro torce pela desgraça alheia, para depois ter o prazer de ficar com dó.

Muitos do que agora se dizem pesarosos com a situação do Ganso, passaram a maior parte do tempo torcendo para que o Quarteto Santástico se desmanchasse. Vibraram com a volta de Robinho para a o medíocre Manchester City, ficaram aliviados com a ida de André para o obscuro Dínamo de Kiev, com a de Wesley para o gelado Werder Bremen e agora, no fundo, estão felizes com a longa ausência de Ganso dos campos.

Bem que eu escrevi, há cerca de um mês, que a o Santos deveria vencer camisas com um raminho de arruda, pois o olho gordo dos adversários há estava pesando sobre o ombro dos santistas. Sair com a camisa do satos na rua passou a ser olhado como mania de grandeza.

Céticos, lembrem-se de 2004

As saídas de Robinho, André e Wesley e a contusão de Ganso não podem ter sido por acaso. Os deuses do futebol não podem permitir que a arte e a beleza sejam punidas. Alguma coisa muito boa deve vir por aí para compensar tanta tristeza.

Lembro que em 2004 o Santos teve de superar obstáculos magníficos para chegar ao título. Só de gols legítimos anulados teve 11, além de várias perdas de mandos de campo e, para culminar, o seqüestro da mãe de Robinho, que obrigou o craque a ficar várias partidas fora do time.

Naquele ano, aliás, o Santos viveu um momento crítico. Já se estava na reta final do segundo turno e o time, tentando perseguir o líder Atlético Paranaense, teve de jogar contra o Goiás no interior paulista e ainda com muitos reservas.

O pior é que o Goiás vencia por 1 a 0 até os 38 minutos do segundo tempo, quando os reservas Basílio e William fizeram os gols de uma vitória dramática que mantiveram o Santos na briga pelo título – que, finalmente, veio em São José do Rio Preto.

Reveja agora os gols de uma das vitórias mais importantes do Santos em 2004. Com reservas e contra o mesmo Goiás que enfrentará amanhã no Pacaembu.


© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑