Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

Tag: Célio

Há 45 anos o Santos se tornava o primeiro e único pentacampeão brasileiro de futebol


Revista Placar confirma: “Melhor time do país pela quinta vez consecutiva”. Pentacampeão!

Há exatos 45 anos o Santos vencia o Vasco por 1a 0, no Maracanã, e se tornava o primeiro e único pentacampeão brasileiro de futebol, já que todas as conquistas foram seguidas: 1961, 62, 63, 64 e 65.

VII Taça Brasil – 1965

Campeão: Santos
Vice: Vasco
Período: 18 de julho a 8 de dezembro de 1965
Jogos: 48
Gols: 154 (média de 3,21 por jogo)
Artilheiro: Bita (Náutico), nove gols
Estados representados: 21

Semifinais

03/11/1965
Náutico 2, Vasco 2, Estádio dos Aflitos, Recife
10/11/1965
Vasco 1, Náutico 0, Maracanã, Rio de Janeiro

03/11/1965
Santos 4, Palmeiras 2, Pacaembu, São Paulo
10/11/1965
Palmeiras 1, Santos 1, Pacaembu, São Paulo

Finais

Primeiro jogo

01/12/1965
Santos 5, Vasco 1, Pacaembu, São Paulo
Santos: Gylmar; Carlos Alberto, Mauro e Geraldino; Lima e Orlando; Dorval, Mengálvio, Coutinho (Toninho), Pelé e Pepe. Técnico: Lula.
Vasco: Gainete; Ari, Caxias, Ananias e Oldair; Maranhão e Lorico (Luizinho); Zezinho, Saul, Célio e Danilo Menezez. Técnico: Zezé Moreira.
Gols: Coutinho, aos 6 minutos do primeiro tempo; Dorval aos 17 e 19; Toninho aos 26, Célio (pênalti) aos 38 e Toninho aos 42 do segundo.
Árbitro: Romualdo Arpi Filho, auxiliado por Armando Marques e Eunápio de Queiroz.
Renda: Cr$ 27.462.000,00.
Público: 16.764.

Segundo jogo

08/12/1965
Vasco 0, Santos 1, Maracanã, Rio de Janeiro
Santos: Gylmar; Carlos Alberto, Mauro, Orlando e Geraldino; Lima e Mengálvio; Dorval, Coutinho, Pelé e Pepe (Abel). Técnico: Lula.
Vasco: Gainete; Joel, Caxias, Ananias e Oldair; Maranhão e Danilo; Mário,
Nivaldo (Luizinho), Célio e Zezinho. Técnico: Zezé Moreira.
Gol: Pelé, aos 21 minutos do segundo tempo.
Árbitro: Armando Marques.
Expulsões: Lima, Zezinho, Ananias, Pelé e Geraldino aos 34; Luizinho e Orlando aos 48 minutos do segundo tempo.
Renda: Cr$ 45.826.280,00.
Público: 38.788.

Santos, campeão, e Vasco, vice, se classificaram para a Taça Libertadores da América do ano seguinte. Mas depois a CBD resolveu que os times brasileiros não participariam da competição sul-americana em 1966, pois a prioridade era a preparação para a Copa do Mundo da Inglaterra.

Reveja lances dos dois jogos da final contra o Vasco que tornaram o Santos o primeiro e único pentacampeão brasileiro de futebol

Você já tinha nascido em 1965? Conhecia a história da Taça Brasil de 1965, que deu ao Santos o pentacampeonato brasileiro?


Relembre o Futebol Discoteca dos Meninos da Vila campeões de 1978

Como vocês sabem, por problemas do provedor, este blog ficou fora do ar na maior parte desta terça-feira. Curta o post que já estava pronto para entrar ao meio-dia. Logo mais, antes da uma da manhã, outro artigo será postado. Grato pela participação.
Odir Cunha

De pé: Gilberto Sorriso, Victor, Joãozinho, Neto, Clodoaldo e Nelsinho Batista. Agachados: Nilton Batata, Ailton Lira, Juary, Pita e João Paulo. Técnico: Francisco Formiga.

Acabei de receber este vídeo produzido pelo Wesley Miranda, que iniciou o blog Santistas Loucos e escreve para uma grande comunidade de santistas no orkut. Este vídeo, que trata da conquista do título paulista de 1978, vai para a página de Artes deste Blog do Odir, mas antes ficará um pouco na home para quem quiser relembrar o time que originou a marca Meninos da Vila.

Na verdade, o Santos já foi fundado por uma geração de Meninos da Vila, mas este nome foi criado pelo técnico Francisco Formiga, que dirigiu o time – quase todo saído das divisões de base do Santos – no título paulista de 1978, jogado em meados de 1979.

O amigo Wesley Miranda fez um trabalho muito interessante, ligando o ritmo frenético do time, realmente muito rápido, com a moda musical da época. Juary, João Paulo, Rubens Feijão, alimentados pelos passes medidos de Pita e Ailton Lira formavam o ataque mais velos Brasil na época, o que batizou seu estilo de “futebol discoteca”.

Quando Clodoaldo se machucou, surgiu o garoto Zé Carlos. Outro volante acima da média era o então menino Toninho Vieira. Nas finais, mesmo sem cinco titulares e obrigado a entrar em campo com vários reservas, como o goleiro Flávio e os atacantes Célio e Claudinho, o Santos superou o São Paulo, campeão brasileiro de 1977, em três partidas, todas no Morumbi.

Além da garotada, havia a experiência e a categoria de um zagueiro como Joãozinho e um meia maravilhoso, que punha a bola onde queria, como Ailton Lira. Havia ainda o capitão Clodoaldo, os laterais Nelsinho Batista (esse mesmo que hoje é técnico) e Gilberto Sorriso.

Acabei de assistir novamente a cenas que tive a felicidade de ver pessoalmente, e hoje fica ainda mais claro que se tratava de um time excelente, que em 2010 não teria adversários no Brasil.

Sei que muitos santistas – como o cantor e compositor Zeca Baleiro, um dos expoentes da nova geração da música popular brasileira – ficaram santistas nessa época. Então, este vídeo é também uma homenagem a eles, que vibravam na conquista de um título estadual como se o Santos estivesse sendo campeão do mundo de novo.

Você conhece alguém que ficou santista no tempo do futebol discoteca dos Meninos da Vila?


© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑