Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

film izle

Tag: Celso Roth

Santos quer repetir no Beira-Rio o que o Prudente fez na Vila

Hoje é dia do Super Neymar enfrentar as forças do Exército Vermelho

Os dois precisam da vitória, mas no jogo dos campeões do ano, o Santos é a zebra. O Internacional jogará em casa e com todos os titulares que conquistaram a Libertadores. O Santos, mais uma vez, dependerá de Neymar, a maior preocupação de Celso Roth e dos jogadores do Inter. Mas Marcelo Martelotte, precavido, deverá escalar sua equipe no contra-ataque.

Os dois times têm 48 pontos e alguma chance de lutar pelo título, desde que vençam hoje, o que os deixaria a seis pontos do líder Fluminense.

Celso Roth colocará em campo o que tem de melhor. Mas Martelotte resolveu manter Danilo no time, e ainda no meio-campo, fora de sua posição original. O técnico não ouviu o pedido de Alan Patrick, que no meio da semana disse que gostaria de jogar ao lado de Marquinhos, outro meia como ele.

Como o técnico decidiu colocar Keirrison na reserva e voltar à fórmula dos dois atacantes, um meia como Marquinhos daria mais criatividade ao meio-campo e mais opções para Alan Patrick.

Danilo, um dos mais criticados pelos santistas depois do fiasco contra o Grêmio Prudente, continuará sendo prestigiado, apesar de mostrar dificuldades tanto na marcação, como no apoio ao ataque. É o tipo de jogador de quem se espera uma grande atuação a qualquer momento, mas ela nunca vem.

Na defesa, o Santos jogará com Rafael; Pará, Durval, Edu Dracena e Léo. Para a maioria dos torcedores, Dracena deveria ceder seu lugar a Vinicius Simon – ainda mais depois da baixaria de ontem, quando foi um dos mais agressivos contra o aniversariante Zé Eduardo –, e para boa parte dos santistas, Alex Sandro deveria entrar no lugar de Léo.

O Inter só tem um medo: Neymar

O Santos, hoje, pode ser um time limitado, mas tem um jogador excepcional, que causa muita preocupação ao adversário. O técnico Celso Roth não esconde que Neymar pode desequilibrar a partida:

“O Neymar terá uma atenção especial. É um jogador que tem vitória pessoal, que desmancha qualquer esquema tático”, disse Roth.

Ao contrário de outros técnicos e muitos jornalistas, Roth acha que o craque santista “vai se equilibrar” e se destacar no futebol. “É um grande jogador, tem um potencial enorme. Que seja craque dentro e fora do campo. Ele sabe disso. É um menino e certamente vai se equilibrar. Tem tudo para se consagrar. Torcemos por ele, nós, brasileiros”.

Os jogadores do Inter não escondem sua preocupação com oMenino de Ouro da Vila. Para o volante Wilson Matias, Neymar tem de ter “marcação em cima”, pois “é um jogador talentoso. Não podemos dar espaço, se não ele decide”.

De acordo com o lateral-direito Nei, toda linha defensiva do Inter terá atenção redobrada em cima do atacante. Inclusive, com um colorado na sobra.

– Temos que ter um posicionamento muito bom em campo, não só de um jogador, mas sim da defesa toda. Estava conversando sobre isso com Bolívar, Wilson Matias, Kleber e Guiñazu. Como ele é rápido, vai sempre tentar driblar o primeiro. Se tiver outro encostado, fica mais fácil para roubar – afirma Nei.

O lateral Nei, que deverá dar combate direto ao ídolo do Santos, disse que ficará mais preso à defesa para não dar espaço ao atacante. “O Neymar é um excelente jogador. Em termos de inteligência, drible, se não for o melhor, é um dos melhores do Brasil. Vou ficar mais preso por causa dele”, admitiu.

Mas Nei espera que seus outros companheiros de defesa o ajudem na marcação de Neymar. Diz o lateral: “Temos que ter um posicionamento muito bom em campo, não só de um jogador, mas sim da defesa toda. Estava conversando sobre isso com Bolívar, Wilson Matias, Kleber e Guiñazu. Como ele é rápido, vai sempre tentar driblar o primeiro. Se tiver outro encostado, fica mais fácil para roubar”, torce.

A preocupação com Neymar é tanta que antes do início da partida o capitão do Inter, o zagueiro Bolívar, do Internacional, pretende conversar com o árbitro Paulo Henrique Godói Bezerra para “preveni-lo sobre a mania de cai-cai do Neymar”. Bem, considero isso uma coação ao árbitro e acho que o capitão colorado já merecia um cartão amarelo logo de cara pela atitude.

Como deverá ser o jogo

O Santos deverá jogar no contra-ataque, explorando a mobilidade de Neymar, Zé Eduardo e Alan Patrick. Pará, pela direita, e Léo, pela esquerda, serão as outras opções ofensivas viáveis. A presença de Danilo, de surpresa, e dos zagueiros Edu Dracena e Durval, nas chamadas bolas paradas, também são tentativas válidas para se chegar ao gol do Inter.

O ideal para o time seria chegar à metade do segundo tempo com um placar que obrigasse o Inter a continuar atacando, pois aí Martelotte poderia tirar Léo e colocar o rápido Alex Sandro, que sempre joga bem e é decisivo quando entra nessas condições.

Mas o problema do Santos será garantir-se na defesa por tanto tempo, pois o Inter estuda fazer uma marcação-pressão no início do jogo, buscando a vantagem logo no começo da partida. Celso Roth treinou esta marcação durante a semana e sua única dúvida em empregá-la é que o avanço da defesa poderá abrir espaço para as arrancadas de Neymar.

A análise dos santistas

Como já conversamos em um post, logo após a derrota para o Grêmio Prudente, este blog fará, com a ajuda de seus leitores, uma análise dos jogadores do Santos nestes sete jogos restantes do Brasileiro.

Mesmo que o time perca todas as chances de brigar pelo título, as atuações dos jogadores nestas partidas serão decisivas para que, na nossa opinião, continuem ou saiam do Santos em 2011.

Times prováveis

Internacional: Renan; Nei, Bolívar, Índio e Kleber; Guiñazu, Wilson Matias, Giuliano e D’Alessandro; Rafael Sobis e Alecsandro.

Santos: Rafael, Pará, Edu Dracena, Durval e Léo: Roberto Brum, Arouca, Danilo e Alan Patrick; Zé Eduardo e Neymar.

Os dois times têm 48 pontos ganhos e 14 vitórias, mas o Santos está uma posição à frente, em quarto lugar, porque tem um saldo de gols melhor (11 contra 4).

Reveja a última vitória do Santos sobre o Inter em Porto Alegre

E você, amigo e amiga, o que acha que acontecerá hoje? Martelotte agiu bem em colocar Danilo no meio, ao invés de Marquinhos? E o Inter, conseguirá marcar Neymar?


Hoje é dia do Jogo dos Campeões Santos e Inter

Duelo esperado: o valente Guinãzu contra o verdadeiro monstro da Vila: Arouca

O jogão de hoje, às 22 horas, na Vila Belmiro, reunirá os times mais vitoriosos do Brasil em 2010. O Inter conquistou a Copa Libertadores, mas perdeu o campeonato gaúcho para o Grêmio, enquanto Santos foi campeão da Copa do Brasil e do Campeonato Paulista e é o único do país que pode sonhar com a tríplice coroa.

Ambos estão muito desfalcados, mas o fato de ter Neymar, adotar um esquema de jogo mais ofensivo e de jogar em casa dá ao Santos o favoritismo da partida. Uma vitória hoje e o Alvinegro Praiano roubará a quarta posição do Internacional, ficando a apenas seis pontos do líder Cruzeiro.

Santos mais ofensivo

O técnico Marcelo Martelotte só fará uma alteração no time que venceu Fluminense (3 a 0) e Atlético Paranaense (2 a 0): o zagueiro Edu Dracena, recuperado de um derrame no joelho, voltará ao time, no lugar de Vinícius Simon, que estava muito bem. O Santos entrará em campo com Rafael; Pará, Edu Dracena, Durval e Léo; Arouca, Roberto Brum, Danilo e Alan Patrick; Neymar e Zé Eduardo.

No Inter, mesmo podendo contar com o retorno de Andrezinho, que cumpriu suspensão, o precavido técnico Celso Roth manterá um esquema mais defensivo, com três volantes. Assim, Marquinhos continua no meio-campo. Com a contusão de Sorondo, Índio volta à zaga. O time jogará Renan; Nei, Bolívar, Índio e Kleber; Glaydson, Guiñazu, Derley e Marquinhos; Edu e Ilan.

A preocupação com Neymar

Ao analisar um jogo com o Santos, nenhum técnico deixa de falar sobre Neymar, o Menino de Ouro da Vila Belmiro. Celso Roth não foi diferente. Mesmo repetindo que o Inter tem de se preocupar com todo o time e não só com Neymar, Toth admitiu: “Não podemos negar a qualidade do Neymar, tem potencial enorme”.

O zagueiro Índio, que voltará ao time com a contusão de Sorondo, não escondeu sua preocupação: “É um jogador muito perigoso. Não dá para descuidar um minuto dele. Vamos procurar se posicionar bem para se antecipar nas jogadas”, disse.

As (novas) armas do Santos

Nos últimos jogos, depois da confusão com Dorival Junior e devido aos desfalques, Neymar e o Santos aprenderam a jogar diferente. O garoto está atuando mais para o time, enquanto as entradas de Alan Patrick no lugar de Marquinhos e de Zé Eduardo no de Marcel tornaram a equipe mais rápida.

A dupla de volantes Roberto Brum e Edu Dracena também se encaixou bem e está dando uma boa proteção ao miolo da defesa. Léo voltou a se firmar na lateral-esquerda e, quando se cansa, geralmente na metade do segundo tempo, dá lugar a Alex Sandro, que está se revelando um ótimo ponta-esquerda, pois aproveita o cansaço dos adversários para chegar velozmente à linha de fundo ou bater a gol.

Apesar de ainda se mostrar irregular, Alan Patrick exige mais cuidados da defesa adversária do que Marquinhos, pois procura mais os dribles, as tabelas e o chute a gol, além de ser mais rápido do que o antigo titular.

Que falta faz a TV Santos…

Hoje é um dia em que uma tevê exclusiva do Santos venderia sua publicidade por um dinheirão. A tevê aberta transmitirá o jogo dos decadentes Vasco e Corinthians, enquanto o confronto dos dois times campeões do ano ficará restrito ao Premiere Esportes, para forçar o pagamento do pay per view.

Assim, dezenas de milhões de pessoas, que prefeririam ver o espetáculo dos times mais vitoriosos da temporada, serão obrigadas, se quiserem ver futebol na tevê não paga, a acompanhar a partida entre o time que só empata e o outro que só anda perdendo.

Jogos históricos

Na primeira vez que se encontraram pelas finais de uma competição nacional, o Torneio Roberto Gomes Pedrosa/ Taça de Prata de 1968, o Santos ganhou do Internacional por 2 a 1, no Beira-Rio. Depois, voltaram a se defrontar no quadrangular decisivo do Campeonato Nacional de 1974.

O jogo, disputado em 24 de julho de 1974, foi no Morumbi, com 30 mil pagantes. O Inter, treinado por Rubens Minelli, já tinha um timaço, com Manga, Figueroa, Falcão, Paulo César Carpeggiani, Lula, Valdomiro e Claudiomiro. Mas o Santos, orientado por Tim, ainda contava com Pelé, além de Cejas, Marinho Perez, Clodoaldo, Brecha e o então garoto Cláudio Adão, entre outros.

Reveja os melhores lances deste jogão agora, com narração de José Carlos Cicarelli, da TV Cultura (no comecinho a imagem está ruim, mas logo melhora)

E você, acha que o jogo desta noite, na Vila Belmiro, também entrará para a história?


Conselhos a você, Marcelo Martelotte

Marcelo, parabéns pelos últimos resultados. Você teve o mérito de não inventar e isso se revelou decisivo. Continue assim. Quem sabe, se o Santos fizer um ótimo Brasileiro, você possa continuar no ano que vem. Para isso, entretanto, é importante tomar alguns cuidados. Permita-me, como alguém que acompanha o futebol há mais tempo do que você e tem à disposição uma comissão técnica formada por milhares de especialistas, dar-lhe alguns conselhos:

1 – Em time que está ganhando, não se mexe

Vejo que mal o Edu Dracena se recuperou de contusão e você já o escalou contra o Internacional. Ora, com o Vinicius a defesa não está tomando gols, o que satisfaz a torcida. Sabemos que o Edu Dracena é o capitão do time e tem alguma ascendência sobre o elenco, mas nunca escale um jogador a não ser por critério técnico.

Sei que após a boa vitória sobre o Cruzeiro, o Edu Dracena disse: “O nosso pensamento é de ficar com o Marcelo até o final do ano. Apesar da derrota contra o Corinthians, o time jogou bem e ganhamos confiança para exercermos as funções determinadas em campo. O resultado veio logo diante do Cruzeiro”.

Em primeiro lugar, não é o jogador que decide se vai ficar ou não com o técnico. É a diretoria, a presidência. A verdade é que o Vinicius entrou e jogou melhor do que o Dracena, conquistou a torcida. Ao voltar com o capitão, você pode ficar melhor com o grupo, mas poderá criar um barulho com os torcedores. Se o Dracena falhar e o Santos sofrer gol por causa dele, prepare-se para as críticas.

2 – Por que não voltar com Marquinhos e Marcel

Em primeiro lugar, porque sem eles o time está vencendo, e em segundo, mais importante, é porque eles tornam o Santos mais lento. Marcel é inferior a Zé Eduardo até tecnicamente. A única coisa que, teoricamente, faz melhor, é cabecear. Digo teoricamente porque, na prática, isso nunca funcionou.

Quanto a Marquinhos, é um jogador tecnicamente mais completo do que Alan Patrick, mas, como não tem muito fôlego, acaba cadenciando o jogo e freando a velocidade do contra-ataque santista.

Sei que tanto Marcel como Marquinhos são jogadores rodados, que talvez tenham mais influência no elenco, mas não adianta você ficar bem com eles e o time cair de rendimento. Uma derrota que tire o Santos do caminho do título e eles continuarão recebendo seus salários no clube, mas você será substituído.

Se tiver de substituir o Alan Patrick, experimente o Felipe Anderson. É o que o torcedor quer. Faz parte da cultura do Santos esta ansiedade por jovens valores de futebol ofensivo. Tantos já tiveram tanta oportunidade, por que não dar uma chance ao Felipe, que tem jogado muito bem na base? Tirar o Alan Patrick e voltar com o Marquinhos será uma atitude muito mal recebida pelo torcedor.

3 – Não invente. Danilo é lateral-direito, Alex Sandro é lateral ou ponta

Este conselho poderia entrar no capítulo “não invente”. Danilo, que ainda não convenceu, só joga um pouco melhor na lateral. Percebe-se que fica completamente perdido no meio. O mesmo se pode dizer de Alex Sandro, que mais parece um ponta-esquerda do que um lateral. Escalá-lo no meio não tem dado certo, a não ser que entre para jogar como um ponta que volta para ajudar o meio-campo.

4 – Dos reservas, só Madson manterá a velocidade

Como já disse, não deveria haver nenhuma alteração no time que venceu o Atlético Paranaense. Sei que para a partida contra o Internacional, amanhã, às 22 horas, na Vila Belmiro, você já poderá contar com o zagueiro Bruno Aguiar, recuperado de entorse no tornozelo, Keirrison, Marcel, Madson e Marquinhos.

Porém, não se empolgue. Só os utilize em última instância. Leve em conta que as principais armas do Santos têm sido a velocidade para atacar e também para ocupar os espaços na defesa. Além de uma determinação admirável. Destes que podem entrar, o único que não mudaria essas características é o pequeno, mas valente Madson. Repito: voltar com Marcel e Marquinhos é pedir para dizer adeus ao título.

4 – Não faça todas as substituições antes dos minutos finais

Na partida contra o Atlético Paranaense, o Santos quase ficou com dois jogadores a menos no final, pois você já tinha feito as três substituições quando Neymar e Vinicius se machucaram. Ainda bem que puderam continuar na partida, mas o risco foi grande.

Você já tinha substituído o Danilo pelo Alex Sandro no primeiro tempo e no segundo trocou o Pará pelo Maranhão e o Alan Patrick pelo Breitner. Mas esta última alteração poderia ter esperado mais. O time quase ficou com jogadores a menos nos últimos 15 minutos por você ter se precipitado nas substituições.

5 – Promova logo o Tiago Alves

Esse garoto entrou na decisão de um torneio internacional e decidiu o título para o Santos. Todos o querem ver testado no time profissional. Ninguém se esqueceu dele. Logo começarão as perguntas sobre Tiago Alves. E, não se esqueça: o futebol profissional existe devido ao interesse do torcedor. Não são os jornalistas ou os dirigentes que decidem quem será ídolo ou quem fracassará. É o torcedor que faz as escolhas. E ele quer ver o bendito Tiago Alves. Promova logo o garoto e ganhe um ponto com a torcida do Santos.

6 – Analise bem o seu adversário de amanhã

Isto eu sei que você costuma fazer bem. Em todo o caso, posso lhe adiantar que na manhã desta terça-feira o técnico Celso Roth deu um treino tático no Beira-Rio e formou o ataque com Edu e Ilan.

O técnico gaúcho deu ênfase à cobertura da defesa e treinou uma marcação por zona. Boas notícias são as de que Tinga e D’Alessandro não estavam entre os titulares.

O time provável do Inter que enfrentará o Santos será formado por Renan; Nei, Bolívar, Índio e Kleber; Glaydson, Guiñazu, Derley e Marquinhos; Edu e Ilan. A delegação embarcará para Santos por volta das 14 horas de hoje.

Marcelo, não leve a mal estes conselhos. Não sou um corneteiro qualquer. Modéstia à parte, sei o que costuma dar certo no Santos. Não precisa dizer a ninguém que leu este blog, mas leve a sério estas recomendações. Não se esqueça: quem avisa, amigo é.

E você, tem mais algum conselho ao técnico Marcelo Martelotte?


© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑