Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

Tag: Céu

O céu existe. Ele estacionou no Santos ontem

O céu existe e ontem à noite ele se mudou para o salão de mármore da Vila Belmiro, onde ídolos do passado – entre eles o Rei Pelé – torcedores apaixonados, alguns deles bem famosos, e muitos jornalistas acompanharam o lançamento do livro “100 anos de futebol arte”.

O Santos e a editora Magma Cultural estão de parabéns pelo evento, simples, bem organizado, tocante. Sempre me sinto extremamente feliz e sempre sou muito bem recebido quando vou ao Santos. Ontem tive a felicidade de ser contemplado com a fidalguia e a extrema elegância de Odílio Rodrigues, o vice-presidente do clube. Pena não etr podido ver o presidente Luis Álvaro Ribeiro, que teve de permanecer em São Paulo, onde passa por exames clínicos de rotina. Gostaria de lhe dar um abraço também.

O Centenário é um momento de os santistas unirem forças, talentos, entusiasmos, na construção de eventos marcantes e na planificação de um futuro ainda mais sólido e harmonioso para nosso clube.

Quem não pode ir à Vila, ou quem foi e gostou tanto que quer repetir a dose, que vá hoje à livraria Cultura do Shopping Vila Lobos, onde o amigo Celso Unzelte e eu estaremos lançando o livro “100 anos, 100 jogos, 100 ídolos”, com muitas informações inéditas sobre o Alvinegro Praiano.

Nas mesmas 19 horas será aberta a exposição “100 anos de futebol arte”, do artista plástico Paulo Consentino, no Memorial das Conquistas do Santos. Quem for de Santos, vá dar seu apoio à bela exposição do artista que está comandando a pintura do muro do CT Rei Pelé.


Sorrindo com Pelé. Momento inesquecível. Pra mim… (Foto: Ivan Storti/ Divulgação Santos FC)


A mesa da festa. Da esquerda para a direita: José Eduardo Aranha Moura, CEO da Magma Cultural; eu, ELE, Odílio Rodrigues, vice-presidente do Santos Futebol Clube; Carlos Teixeira Filho, vice-prefeito de Santos, e Carlos Henrique da Fonseca Filho, vice-presidente do Conselho do Santos Futebol Clube (Foto: Ivan Storti/ Divulgação Santos FC)

Quer ver mais fotos da festa? Entre no endereço http://www.flickr.com/photos/santosfc/page7/


Tudo sobre o encontro desta manhã entre o Senhor e os deuses do futebol

Na manhã desta sexta-feira, no imaculado refeitório dos deuses, ecoou um aviso celestial com a voz feminina mais bonita que você jamais ouvirá:

“Após o café, os senhores Técnica, Disciplina, Talento e Arte estão sendo esperados no gabinete do Mestre!”.

E depois de seus sucos de laranja, cafés com leite, croissants, pães com manteiga na chapa e brioches, os quatro deuses do futebol, os mais alegres e eternamente jovens do Céu, dirigiram-se à Sala Branca, onde o Todo-Poderoso os aguardava.

“Senhores”, iniciou Deus, “gostaria que me explicassem essas diabruras no futebol brasileiro. Não me venham culpar o acaso, por favor. São Jorge e São Paulo estão preocupados e já fizeram uma reclamação formal contra os senhores”.

Os deuses entreolharam-se e, incapazes de mentir, explicaram.

“Tivemos de intervir para reparar uma injustiça, Senhor”, iniciou Técnica.

“Sim? Qual é ela”, inquiriu Deus.

“Muitos de nossos escolhidos, pessoas simples, que não podem pagar por tevê por assinatura, estão sendo impedidos de acompanhar os jogos do Time dos Céus, pois a rede de tevê do Brasil transmite partidas de todos os outros times, menos os dele”, respondeu Disciplina.

“Essa tevê dos demônios prefere jogos da Copa do Brasil, uma competição nacional secundária, aos confrontos da Libertadores da América, o maior campeonato do continente. E quando passa os da Libertadores, esquece o nosso time”, prosseguiu Talento.

“E os escolhidos pediam, em suas preces, que fizéssemos alguma coisa. Não podíamos ser omissos, Senhor. O nome da instituição estava em jogo”, completou Arte.

Deus pensou. Coçou o queixo. Lisinho, pois não usa barba. Remexeu-se na poltrona grande e macia, toda branca, e quis saber:

“Quer dizer que milhões de escolhidos estão impedidos de ver o jogo divino dos Meninos, de serem tocados por nossa mensagem de arte, beleza e amor através do futebol?”.

“Isso mesmo, Mestre”, respondeu Técnica.

“E o que os senhores fizeram?”, perguntou Deus, fazendo ares sérios.

“Bem… na quarta-feira os outros quatro times brasileiros na Libertadores perderam, Senhor, e o Santos se tornou o único representante do país do futebol nas quartas-de-final…”, balbuciou Disciplina, respeitoso.

“Perderam, perderam, ou…”, interessou-se Deus.

“Alguns perderam mesmo, outros a gente…”, subentendeu Talento.

“E ontem, na quinta, encaminhamos bem as coisas para que os verdes e rubro-negros se afundem na Copa do Brasil”, interrompeu Talento, decidido.

Antes, uma explicação do redator: vermelho é a cor que Deus detesta mesmo, sempre detestou. E começou a pegar bode do verde depois de assistir Exorcista…

“Sei, sei…”, fez o Senhor, escondendo um sorrisinho maroto. “Agora entendo porque o gordinho, ou melhor, o São Paulo, está tão inquieto. Disse foi muito estranha a forma como a bola não entrou no gol do Avaí no primeiro jogo e teme o que possa acontecer em Florianópolis”.

Os quatro deuses colocaram as mãos nas bocas para esconder o riso, enquanto batiam os ombros de contentamento. “E São Jorge, por que se queixou da gente?”, perguntou Disciplina.

“Disse, e estas foram suas palavras, que está ficando muito ‘na cara’ a proteção que vocês dão ao Time dos Céus. Depois de Pelé, Pagão, Coutinho, Edu, Robinho, Diego, agora Neymar e Ganso? Pra ele, ‘é demais’. Então, como compensação, pediu uma ajudazinha na final do Paulistão”.

“Que tipo de ajuda?”, preocupou-se Arte.

“Quer que o Time dos Céus jogue só com reservas e que o árbitro do primeiro jogo seja o Cléber Wellington Abade”, informou Deus.

“Aí tem coisa”, resmungou Talento.

“O Abade a gente dá um jeito no sorteio, mas reservas ou não é com o professor Muricy”, explicou Arte.

“Está bem. Vejam como fazem. Mas não dêem muito na vista. Estes 6 a 0 nos verdes foram demais. O que houve?”, quis saber o Senhor, bem-humorado.

“Problema na tecla, Mestre. Está repetindo o sinal. Era para ser três… Vou pedir para a manutenção consertar”, prometeu Técnica.

“Está bem, está bem…”, concordou Deus, bonachão, e recomendou antes de dar a reunião por terminada: “E depois me digam se aquela tevê começou a transmitir os meus Meninos. Não podemos desamparar os escolhidos”.

Os deuses saíram, formais, mas fora da Sala Branca abraçaram-se efusivamente. Lá no seu sofá branco, imerso em sua imensa sabedoria, o Senhor esfregou as mãos e consultou a tabela da Libertadores.

E você, também percebeu a interferência dos deuses do futebol nesses últimos resultados, ou acha que é tudo coincidência?


© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑