Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

Tag: Coréia do Norte

Quem se classifica? Faça as suas contas…

A MÃE DE TODAS AS ZEBRAS
Coréia do Norte 1, Itália (eliminada) 0 – Copa do Mundo de 1966, na Inglaterra

Quem não gosta de números deve estar sofrendo para fazer os cálculos antes desta última rodada da fase de grupos, pois a combinação de resultados pode gerar muitas dúvidas e surpresas quanto às possibilidades de classificação das equipes.

O fato de os jogos do mesmo grupo serem disputados no mesmo horário dará um toque a mais de emoção à última rodada desta fase de grupos. Todo cuidado será pouco e nem os maiores favoritos poderão jogar sossegados, pois um gol aqui ou ali poderá mudar tudo de um instante para o outro.

Estranhei quando ouvi em mais de uma emissora que após a derrota de hoje – 2 a 0 para a Espanha – a equipe de Honduras já estava desclassificada no Grupo H. Ora, matematicamente os hondurenhos ainda têm chances. Vejamos em que situações eles podem se classificar:

1 – Honduras vence a Suíça por três gols de diferença e o Chile derrota a Espanha por dois gols de vantagem. Honduras, Espanha e Suíça empatariam com três pontos ganhos, mas os hondurenhos seriam os únicos a não ter saldo negativo.
2 – Honduras vence a Suíça por dois gols de diferença e o Chile passa pela Espanha com três gols de vantagem. Mesmo com um gol de saldo negativo, Honduras ficaria à frente de Espanha e Suíça, com déficit de dois gols.
3 – Honduras vence a Suíça por três gols de diferença e a Espanha também vence o Chile por três gols de vantagem. Neste caso quem ficaria fora seria o Chile.

Por outro lado, se a Suíça vencer Honduras, que é o resultado mais lógico, a Espanha precisará vencer o Chile, pois com o empate só chegaria a quatro pontos, dois a menos do que a Suíça e três a menos do que o Chile.

França ainda pode conseguir o milagre

Poucos países estão vivendo um inferno astral tão grande nesta Copa como a França, que empatou com o Uruguai (0 a 0) e perdeu do México (2 a 0) no Grupo A. Porém, se juntar os cacos e conseguir uma goleada histórica sobre a África do Sul, os franceses ainda poderão seguir em frente. Vejamos.

1 – Se a França vencer a África do Sul por cinco gols de diferença, o único resultado da partida entre México e Uruguai que a tiraria da Copa seria o empate. E não interessaria a México e Uruguai fazerem um jogo de compadres para empatar, pois o segundo colocado do grupo pegará provavelmente a Argentina (virtual líder do Grupo B) nas oitavas-de-final.
2 – Por outro lado, se for a África do Sul quem golear a França por no mínimo cinco gols de diferença, o time de Parreira se classificará desde que haja um vencedor entre México e Uruguai.

Como a Argentina seria desclassificada

1 – Mesmo com duas vitórias, a Argentina não pode jogar tão despreocupada contra a Grécia, em seu terceiro e último jogo no Grupo B. Se for derrotada por três gols ou mais de diferença, será desclassificada se na outra partida a Coreia do Sul vencer a Nigéria por quatro gols ou mais. Na verdade, os gregos terão mesmo de lutar pela vitória, pois se empatarem com a Argentina só conseguirão o segundo lugar do grupo se a Coreia do Sul perder para a Nigéria.

Eu já tinha escrito que a Nigéria estava desclassificada, quando o leitor Guilherme Costa me alertou que não está não. Ao contrário. Tem muita chance de se classificar. Para isso, precisa vencer a Coreia do Sul e torcer para a Argentina ganhar da Grécia. Interessante que mesmo um time com duas derrotas pode conseguir a vaga vencendo uma única vez, enquanto outros com duas vitórias ainda podem cair fora…

Costa do Marfim, missão quase impossível

Com a goleada de 7 a 0 sobre a Coreia do Norte, hoje, Portugal só não ficará com uma das vagas do Grupo G se perder para o Brasil, Costa do Marfim golear a Coréia do Norte e a soma dos dois jogos der uma diferença de dez gols. Por exemplo: o Brasil venceria Portugal por dois gols de vantagem e os marfinenses imporiam uma goleada de oito gols sobre os norte-coreanos. Isso daria um gol de saldo a mais para a Costa do Marfim (há também a possibilidade de que a soma das diferenças seja nove, mas desde que os perdedores façam gols. Neste caso, Portugal e Costa do marfim ficariam empatados no saldo, mas o número de gols marcados seria favorável aos africanos).

Itália: empate não basta

Já ouvi por aí que a Itália só precisa de mais um empate para se classificar no Grupo F (como em 1982). Mas não é bem assim. Caso empate com a Eslováquia, na última partida, e a Nova Zelândia ganhe do Paraguai, a Nova Zelândia seria a líder do grupo, com cinco pontos, e o Paraguai ficaria em segundo, com quatro.

Uma coisa muito curiosa neste grupo é que se Itália e Nova Zelândia vencerem seus jogos por placares idênticos, será preciso um sorteio para definir o primeiro e o segundo lugar do grupo, já que ficarão empatados em todos os critérios, até mesmo no confronto direto.

Por outro lado, se a Itália vencer a Eslováquia por dois gols de diferença e o Paraguai empatar com a Nova Zelândia, os italianos terminarão em primeiro do grupo desde que marquem dois gols a mais do que os paraguaios (Exemplo: Itália vence por 2 a 0 e Paraguai empata em 0 a 0. O saldo de ambos será de dois gols, mas a Itália terá marcado quatro vezes nos três jogos, uma vez mais que o Paraguai).

Empate pode eliminar Alemanha

A Alemanha, quem diria, que estreou tão bem, goleando a Austrália por 4 a 0, pode ficar de fora da Copa se ao menos empatar com Gana. O empate levaria os alemães a quatro pontos, um a menos do que a seleção africana. E se na outra partida a Sérvia bater a Austrália, então os sérvios iriam a seis pontos e liderariam o grupo.

O curioso é que a Austrália poderá se classificar com uma vitória mínima sobre a Sérvia, desde que na outra partida do Grupo D Gana vença a Alemanha. Mesmo com saldo negativo de três gols, os australianos teriam quatro pontos, um a mais do que alemães e sérvios.

No Grupo C, até a Argélia depende só dela

No Grupo C, como já expliquei em outro post, todos os times se classificam com vitórias. A única diferença é que a Argélia se garante com um triunfo de dois gols de diferença sobre os Estados Unidos. Se os argelinos venceram por apenas um gol, terão de torcer para a Inglaterra perder da Eslovênia.

Quanto aos Estados Unidos, talvez não baste empatar com a Argélia, pois se der este resultado o time será eliminado se a Inglaterra vencer a Eslovênia. Mas se vencer a Argélia pela mesma diferença que a Inglaterra bater a Eslovênia, os norte-americanos serão os primeiros do grupo (na verdade, com exceção da Argélia, as outras três equipes podem alcançar a liderança).

Para finalizar, o Grupo E é o menos complicado. Holanda, já classificada, enfrenta Camarões, eliminado. No outro jogo, Japão e Dinamarca decidem a outra vaga, com a vantagem do empate para os japoneses. A única surpresa que poderia acontecer é a Holanda ser derrotada por Camarões e acabar perdendo as liderança do grupo para Japão ou Dinamarca no saldo de gols.

E você, já fez as suas contas? Acha que teremos surpresas nessa reta final da fase de grupos?


Como se esperava, o Brasil jogou melhor

Quando pulou da Fórmula-3 inglesa para a Fórmula-1, Ayrton Senna me disse que quanto mais rápido o carro, melhor pilotava. Claro que fiquei surpreso, e ele explicou: “Quanto mais veloz, mais se parece com o kart, pois as reações também têm de ser mais rápidas”.

Naquele momento, início de 1982, eu – que acompanhava sua carreira desde os tempos em que corria no Kartódromo de Interlagos – fiquei com a certeza de que nada impediria o seu sucesso na rapidíssima Fórmula-1. A Seleção Brasileira de futebol reage da mesma forma: quanto mais forte o adversário, melhor ela joga.

Mesmo sem fazer uma partida primorosa, o Brasil venceu a perigosa Costa do Marfim por 3 a 1 e poderia fazer mais. Kaká melhorou, Robinho apresentou-se mais para o jogo, Elano continuou discreto e decisivo, o meio-campo marcou melhor e na defesa Lúcio e Juan foram firmes como sempre.

Por que o Brasil melhora contra os mais fortes? Elementar. Quais os pontos fortes do time? A defesa e o contra-ataque, certo?

E quais os pontos fracos? A falta de criatividade no meio-campo e a falta de mais jogadores habilidosos no ataque, certo?

Contra uma equipe que só se defende, a defesa brasileira se torna supérflua, o meio-campo não consegue armar as jogadas ofensivas e os únicos atacantes habilidosos – Robinho e Kaká – dão de cara com a parece formada pelos adversários.

O jogo fica restrito a jogadas de bola parada, que também é um recurso usual contra o Brasil. Ou seja, times que se fecham contra o Brasil geralmente conseguem nivelar o jogo por baixo.

Mas se um time também ataca o Brasil, como a Costa do Marfim, é ele que se vê diante da boa defesa brasileira – que geralmente rouba a bola e a entrega para Kaká, Robinho, Elano ou Maicon, que iniciam o contra-ataque. Então, abrem-se os espaços para a velocidade e a habilidade brasileiras.

Por isso é que este time do Dunga pode ter dificuldades contra uma Coreia do Norte, mas pode vencer com folga a Costa do Marfim – como poderá vencer Portugal, Espanha, Alemanha, Argentina e quem tiver pela frente.

O que pode dar nesta segunda-feira

Portugal x Coreia do Norte – 8h30m
Quase todo mundo está achando que Portugal ganhará com facilidade. Partem do pressuposto que a Coreia do Norte é fraquíssima e só perdeu de pouco do Brasil na estreia porque o Brasil jogou muito mal.
Parece que muitos não querem ver as lições que esta Copa tem escancarado à nossa frente. As defesas estão mais eficientes e um time que corre tanto como a Coreia do Norte pode perder, é claro, mas não será goleado por uma equipe tão pouco criativa como Portugal, que basicamente depende dos lampejos de genialidade de Cristiano Ronaldo.
Outro detalhe é que os norte-coreanos estarão motivados, pois mesmo com um empate manterão suas possibilidades de classificação para a última rodada, quando enfrentarão a Costa do Marfim. Assim, mesmo não sendo favoritos, não me surpreenderia se os orientais segurassem o empate.

Chile x Suíça – 11h30m
Quem vencer dará um passo quase definitivo para a classificação, pois pulará para seis pontos em dois jogos. A Suíça defendeu-se super bem no seu primeiro jogo e por isso surpreendeu a Espanha. Se jogar com o mesmo empenho defensivo, dificilmente perderá dos sul-americanos. Porém, depois de vencer os badalados espanhóis, é provável que desta vez os suíços se atirem um pouco mais ao ataque – naquele que poderá ser um erro fatal. Mesmo sem jogadores tão festejados como o da Espanha, o Chile tem uma equipe forte e experiente, que saberá tirar proveito da empolgação suíça. Mas não dá para cravar outra coisa neste jogo a não ser o empate.

Espanha x Honduras – 15h30m
Se este fosse seu jogo inaugural na Copa, provavelmente a Espanha teria um favoritismo absurdo. Porém, depois de estrear perdendo da Suíça, há quem duvide da força da Fúria. É óbvio que os espanhóis são os mais cotados para alcançar a vitória, mas não se pode descartar a hipótese de um jogo complicado, pois Honduras perdeu só de 1 a 0 do Chile e caso consiga ao menos um empate agora, brigará pela vaga na última rodada, contra a Suíça.

E você, o que acha que acontecerá hoje?


Uma coisa, outra coisa…

Uma coisa é a gente querer Ganso e Neymar na Seleção. Outra, é torcer contra a Seleção porque eles não estão lá.

Uma coisa é o Brasil não jogar um futebol maravilhoso contra a eficiente retranca da Coréia do Norte. Outra, é achar que jogará sempre assim e por isso não ganhará a Copa.

Aqui abro um parêntese para contar o caso dos dois portugueses e do leão. Manoel e Joaquim faziam trilha na África quando deram de cara com um leão. Joaquim tratou de ir tirando as bolas, jogando a mochila de lado e se preparando para correr. Manoel ironizou: “Você está mesmo louco, ó Joaquim. Pensa que pode correr mais rápido do que um leão?”. Joaquim, dando a largada, respondeu: “Não preciso correr mais do que o leão, preciso correr mais do que vocêêêêêêêê…”.
Pois é. Para ganhar esta Copa o Brasil não precisa jogar mais do que jamais jogou e nem praticar um futebol primoroso. Só precisa ser melhor, ou mais eficiente, do que os outros Manoéis, ou melhor, competidores.

Uma coisa é pegar muito na bola, como o Ramires, outra é pegar pouco, mas saber o que faz com ela, como o Elano, que deu o passe para o primeiro gol e fez o segundo.

Uma coisa é dizer que o Robinho só pedala só porque ele pedala, outra é perceber que ele pedala, dribla, tabela, chuta a gol e dá o passe para um companheiro marcar.

Uma coisa é a CBF, dominada por cartolas oportunistas, dos quais ninguém gosta, outra é a Seleção, formada por jogadores que vieram do povo e por isso exprimem a alma e a cultura desse povo.

Uma coisa é achar que a eleição de Luís Álvaro Ribeiro foi positiva para o Santos, pois sua gestão está sendo melhor do que a de Marcelo Teixeira. Outra é apoiar e justificar tudo o que ele faz.

Uma coisa é fazer campanha para ganhar eleição e falar tudo o que o torcedor quer ouvir. Outra, é ganhar a eleição e cumprir o que prometeu.

Uma coisa é pedir transparência de quem está no poder, outra é ser transparente quando se está no poder.

Uma coisa é chamar alguém de mentiroso, outra é não mentir.

Como prometeu que iria “vender o espetáculo, não os artistas”, e como o garoto André se revelou um dos Meninos mais talentosos deste time, Luís Álvaro deveria estar aqui para explicar a saída do artilheiro e não ter aceitado um convite para assistir a Copa do Mundo, como se o Santos também estivesse de férias (ou o time não está se preparando para as finais da Copa do Brasil?).

Como trouxe o ídolo Giovanni com grande estardalhaço, alegando que ele tinha sido humilhado pela diretoria anterior, a nova gestão nunca poderia ter agido da mesma forma com Giovanni, que não chegou a ter uma despedida digna.

Da mesma forma Fábio Costa não merecia ter sido negociado assim, sem ao menos um jogo de adeus ao clube que ele ajudou a sair da fila, com suas ótimas atuações nas finais do Brasileiro de 2002. Se não tinha ambiente no clube, tudo bem, mas por tudo que já tinha feito, merecia mais respeito.

Porém, uma coisa é ver e apontar erros e contradições desta administração, outra é ser de oposição. Eu não sou de oposição. Sou crítico. Como fui de Marcelo Teixeira e hoje sou de Luis Álvaro Ribeiro.

Bem, por esta segunda-feira fria está bom. E você, o que pensa disso tudo?


Nada de bombas ou sanções. Uma goleada do Brasil é que pode começar a derrubar a ditadura da Coreia do Norte

Kim jong-il, pode esperar. A sua hora vai chegar!

Não, este título não é utopia. Os coreanos do norte vivem uma lavagem cerebral há anos. São obrigados a idolatrar o “líder supremo” Kim Jong-il e levados a acreditar que vivem em um paraíso na Terra. A imprensa do país, controlada pelo estado, foi forçada a convencer o povo de que a Coréia do Norte é o melhor time do mundo e ganhará a Copa. Assim, uma goleada do Brasil, além de nos deixar felizes, poderá fazer mais para estremecer o regime coreano do norte do que sanções econômicas e ações militares.

Kim Jong-il é filho do falecido Kim Il-sung, “presidente eterno” da república, este sim um herói que lutou pela independência da nação. A personalidade do pai já era cultuada e o filho entrou na mesma onda, apesar de não fazer nada relevante pelo desenvolvimento da Coréia do Norte, ao contrário.

Os 24 milhões de habitantes da Coréia do Norte têm uma expectativa de vida de 67, 3 anos e a mortalidade infantil é de 48,2 por mil nascimentos (mesmo o Brasil, ainda com sérios problemas sociais, além de uma população oito vezes maior – 192 milhões –, tem uma expectativa de vida maior, 72,4 anos, e uma mortalidade infantil bem menor, 19,3).

Lá, falar mal do presidente pode dar cadeia ou coisa pior. De 173 nações analisadas pela organização “Repórteres sem Fronteiras”, a Coréia do Norte só não foi considerada pior, como ambiente de mídia, do que a Eritreia, um pequeno país africano de cinco milhões de habitantes.

Há testemunhos de que há campos de concentração no país onde vivem de 150 a 200 mil pessoas. Para lá são enviados presos políticos e suas famílias, que são proibidos de se casar, cultivar o próprio alimento e ter qualquer comunicação externa.

Não admira que a chefia da delegação da Coreia do Norte tenha evitado o contato com a imprensa internacional nesta Copa. Não há qualquer interesse de que o povo coreano descubra como é o mundo real e que inferno é o país em que vivem.

Por tudo isso é que torcerei bastante para uma goleada do Brasil hoje. Ficarei imaginando o abalo que cada gol brasileiro provocará na rede de mentiras montada pelo governo e como um vexame logo na estreia poderá semear a dúvida no iludido e massacrado povo norte-coreano.

10 norte-coreanos correndo como loucos

Que não se espere um jogo normal hoje à tarde. Os norte-coreanos são como 11 soldados obedecendo cegamente às ordens de seu chefe. Dez deles correrão como alucinados o tempo todo, marcarão como formigas que aparecem do nada e se multiplicam em cima do torrão de açúcar.

Que os brasileiros não prendam a bola, desloquem-se rapidamente e não entrem de perna mole nas divididas, pois os adversários foram convencidos de que estão ungidos por Deus e ganharão a partida, custe o que custar.

Assim como o Santos, espero que o Brasil não pare depois de marcar dois ou três gols, pois os norte-coreanos não pararão, a não ser que caiam extenuados, ou sejam substituídos.

Por falar em substituições, conta a lenda que em 1966 eles eram trocados do primeiro para o segundo tempo e ninguém percebia, pois eram todos iguais. Bem, acho que isso já é maldade.

Os jogadores e o povo norte-coreano não são culpados dos líderes que têm. Mas, um dia em que entenderem melhor as coisas e perceberem que o centro do universo não fica em Pyongyang, talvez agradeçam a goleada reveladora que sofrerão logo mais para Robinho, Kaká, Luís Fabiano & Cia.

Nem os portugueses acreditam, mas eu sim

No mês passado estive no Porto, segunda maior cidade de Portugal, e lá pude perceber que boa parte dos portugueses não acredita que sua seleção se classificará neste grupo que ainda tem Brasil e o adversário de logo mais, a Costa do Marfim. Porém, não creio que haja tantos motivos para desânimo.

Gostariam que Mourinho ou Luís Felipe Scolari dirigissem o time e não o pragmático Carlos Queiroz, que adora reforçar a defesa e obriga os jogadores a assistir horas de vídeo dos adversários. Também sentem inveja do elenco da Costa do Marfim, que tem Didier Drogba, Yaya Toure, Eboue e Salomon Kalou.

Porém, mesmo unanimemente criticado (muito mais do que o nosso Dunga), Queiroz levou o time a uma reação histórica nas eliminatórias, ganhando seis dos últimos sete jogos. E, mesmo sem ter conseguido fazer Portugal jogar bonito, ao menos montou um time sólido na defesa e no meio-campo, cuja tática é se defender primeiro e depois esperar por ao menos um golzinho de seus bons atacantes.

Quanto aos jogadores, a Costa do Marfim perde muito sem Drogba, que não deve começar a partida, enquanto Portugal tem jogadores criativos, como Deco, Liedson e, principalmente, Cristiano Ronaldo, aquele que pode explodir a qualquer momento.

Deverá ser um grande jogo, talvez o melhor da Copa até aqui. Não tenho visto a Costa do Marfim, mas acredito que apesar de seus bons jogadores, não deve ter um conjunto superior ao português. Algo me diz que a boa defesa de Portugal, onde se sobressaem os zagueiros Ricardo Carvalho e Bruno Alves, impedirá o sucesso do adversário, enquanto o ataque português fará o suficiente para conquistar a vitória.

No primeiro jogo de hoje, de nível técnico mais baixo do que muito jogo de times pequenos do Brasil, Eslováquia e Nova Zelândia emparam em 1 a 1, o que deixou tudo igual no grupo que ainda tem Itália e Paraguai. Ou seja: a primeira rodada fica zerada, como se não existisse, e os quatro times decidirão tudo nos dois jogos que lhes faltam. Ao menos a coisa ficou emocionante.


Se der a lógica, a Copa será assim…

Vejam só que lindo! Camarões ganhando da Argentina na primeira rodada da Copa de 1990. E na África do Sul os argentinos estrearão contra a Nigéria…

Baseado na história das Copas do Mundo até aqui, faço minhas duas previsões sobre a Copa do Mundo:

1 – Uma seleção sul-americana será a campeã – pois sempre que a Copa foi disputada fora da Europa, ganhou um time sul-americano.

2 – Uma seleção da África chegará, no mínimo, às quartas-de-final, e a equipe da África do Sul se classificará para as oitavas, pois todos os times mandantes passaram de fase até agora.

Para a revista FourFourTwo que está para ir às bancas com o guia completo da Copa, e que traz o Brasil na capa, outros fatos previsíveis na África do Sul são:

O argentino Gonzalo Higuain, do Real Madrid, será o artilheiro do Mundial.

A Nigéria fará a melhor campanha dentre os times africanos.

A Alemanha, mais uma vez, alcançará as semifinais.

A Holanda terá a defesa menos vazada.

A Coréia do Norte será o time que levará mais gols (enfrentará os ataques de Brasil, Portugal e Costa do Marfim).

O temperamental Maradona será expulso ao menos em uma das partidas.

E você, querido leitor e leitora, tem algum palpite quente para esta Copa? Queremos saber…


© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑