Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

Tag: Crac

Os Novos Meninos da Vila mostram o caminho!

Precisa-se de estagiário que atue como câmera, editor de imagens e faça finalização. Enviar currículo para odircunha@magmacultural.com.br

Com muita personalidade, os Novos Meninos da Vila, enxertados por Aranha, Durval e Mena, foram a Catalão e venceram o Crac por 2 a 0 – gols de Gustavo Henrique e Léo Cittadini – e classificaram o Santos para as oitavas-de-final da Copa do Brasil. Se fossem eliminados, haveria a desculpa de que jogar a Sul-americana seria mais interessante, mas mesmo assim os Meninos demonstraram futebol e muito caráter e fizeram no campo do adversário o que o time titular não conseguiu na Vila Belmiro.

Antes que digam que vencer o Crac é mais fácil do que empurrar bêbado na ladeira, é bom lembrar que este mesmo time foi à Vila Belmiro e arrancou um empate de 1 a 1 contra uma equipe que tinha os experientes Léo, Arouca, Cícero e Montillo (Edu Dracena não tinha jogado a primeira partida).

Em Catalão, movido apenas pela energia dos Meninos, o Alvinegro Praiano foi um time mais motivado. Sua defesa deu menos oportunidades ao ataque goiano, o meio-campo disputou toda bola com vontade e o ataque apareceu em momentos decisivos, fazendo o suficiente para um triunfo indiscutível. E depois, com a vantagem de dois gols assegurada, o time tocou a bola com tranquilidade.

O jogo deixou claro o que os leitores e comentaristas deste blog já perceberam há tempos. Com os Meninos o Santos pode perder maturidade, o que é normal, mas ganha em vitalidade, determinação e técnica, pois apesar do gramado duro, que dificultava o toque de bola, a equipe saiu jogando várias vezes de sua defesa, o que não acontecia antes.

Gustavo, Léo, Alison e Mena, os destaques da partida

O zagueirão Gustavo Henrique é uma realidade. Além de não deixar passar nada lá atrás, o garoto tem calma e categoria para sair jogando e é eficiente quando vai à área adversária para aproveitar os cruzamentos. Com precisão e reflexo enfiou o pé na bola para inaugurar o marcador, após uma venenosa cobrança de falta de Galhardo.

A estreia do lateral-esquerdo Mena foi boa. Não mostrou nada de excepcional, mas não comprometeu. Entendeu-se bem com Neilton e outros jogadores que caíram pelo seu setor. Com a aposentadoria de Léo, finalmente marcada para o final do ano, Mena deverá disputar a posição com Émerson Palmieri.

O volante Alison vinha sendo um dos melhores em campo até sentir fortes cãibras e ser substituído. Forte, ágil, com ótimo timing na hora de dar o bote, o rapaz cansou de roubar a bola ou fazer cortes oportunos, atrapalhando o setor de armação do adversário. Fez boa dupla com o sóbrio Alan Santos, que voltou a jogar bem.

Mas quem entrou no jogo para animar o torcedor santista foi o meia Léo Cittadini. Em pouco tempo ele mostrou que faz jus às expectativas dos torcedores. Esguio e elegante como os grandes meias do nosso futebol, ele tratou a bola com carinho, soube protegê-la quando necessário e ainda foi à frente para completar a jogada de Willian José e marcar, de cabeça, o seu primeiro gol com a camisa sagrada do Alvinegro Praiano.

Gostei de Aranha, Galhardo, Leandrinho e Durval. O veterano zagueiro joga à vontade ao lado do novato Gustavo Henrique. Gostei também de Neilton – ao final do jogo cercado pelas crianças de Catalão -, que teve uma atuação sem jogadas espetaculares, mas muito eficiente para o time. Só não fiquei muito satisfeito com o meia Pedro Castro e o atacante Giva.

Pedro Castro demonstrou dificuldade para dar andamento rápido e limpo para as jogadas. Ele pareceu se enroscar com a bola. Léo Cittadini entrou e em pouco tempo foi possível perceber a grande diferença técnica entre ambos. Creio que não demorará muito para Cittadini ser o titular.

Quanto a Giva, que desta vez iniciou a partida, mostrou-se participativo como sempre, mas lhe faltou categoria e precisão para aproveitar as oportunidades. Desta vez Willian José foi melhor. Creio que esta posição será de Thiago Ribeiro.

O Santos do Futuro

Não digo que já tenham de assumir a titularidade, mas é evidente que com um pouco mais de tempo esses Meninos poderão formar um time jovem e muito interessante, que preserve a tradição santista de jogar bonito e marcar muitos gols. Depois de ver a vitória contra o Crac, eu diria que o Alvinegro caminha para ter um time titular com Aranha, Cicinho (ou Galhardo), Gustavo Henrique, Jubal e Mena; Alison, Alan Santos, Leandrinho e Léo Cittadini; Neilton e Thiago Ribeiro.

Reveja os melhores momentos de Crac 0 x 2 Santos:

http://youtu.be/CiadbSCKeDo

Parabéns ao Galo do Cuca!

Não sei qual foi o ibope, mas garanto que deve ter sido dos maiores. Brasileiro gosta de bom futebol e de jogos importantes. É isso que defendemos neste blog. Não se trata de ser a favor ou contra um ou outro time, mas sim a favor do futebol. O jogo a ser transmitido pela tevê deve ser, sempre, o mais atrativo e relevante, e não privilegiar nenhum clube. Ontem o apaixonado pelo futebol acompanhou o jogo e testemunhou a redenção de um time e de um técnico. Cuca já foi um bom meio-campo do Santos. Como técnico pegou o time em uma fase muito ruim e não foi bem. Mas a vida e o futebol são cíclicos. Ontem viveu a maior alegria de sua vida. Parabéns! O santista sabe como é bom ser campeão da Libertadores.

E pra você, o que representou a vitória dos Meninos contra o Crac?


Claudinei joga os Meninos na fogueira de Catalão. E hoje sou Galo!

Acho que o técnico Claudinei Oliveira está indo bem e deve continuar. Mas o que ele fará hoje contra o Crac, às 21h50m, em Catalão, Goiás, mostra que mais uma vez o torcedor está entendendo bem o comportamento do treinador. Mesmo colocado no cargo porque conhece muito bem os Meninos da base, paa se manter no cargo o técnico tem ouvido demais os veteranos da equipe.

Prova disso é que logo mais os Meninos serão jogados em uma grande fogueira contra o Crac. Sem os experientes Edu Dracena, Léo, Cícero e Montillo, que serão “poupados”, o time também não terá Arouca, que se recupera de contusão. Com isso, o Santos terá um meio-campo totalmente formado por garotos: Alan Santos, Lucas Otávio, Leandrinho e Pedro Castro. Na defesa terá mais um, Gustavo Henrique, no lugar de Arouca, além da estreia de Mena, no lugar de Léo.

Dos veteranos, só o goleiro Aranha e o zagueiro Durval completarão o time, pois o lateral-direito Galhardo e o atacante Willian José, que atuará ao lado de Neilton, também são bem jovens. Enfim, no jogo de maior responsabilidade desse período, pois representa seguir em frente ou ser eliminado na Copa do Brasil, os Meninos tentarão fazer as honras da casa. Por que o técnico dicidiu assim?

A resposta óbvia é a de que o Santos não faz questão de se classificar na Copa do Brasil, pois se for eliminado terá a oportunidade de disputar a Sul-americana, que tem mais status e também dá uma vaga para a Libertadores. Outra explicação é de que os mais maduros estão sendo preservados para o amistoso contra o Barcelona, o que não se justificaria.

Se a ideia fosse poupar os principais titulares, Aranha e Neilton deveriam descansar. E não foi o Léo que disse estar empolgado com a possibilidade de ser campeão da Copa do Brasil de novo? Como poderá ajudar o time se nem ao menos viajará para Catalão? Meus anos de futebol me dizem que o jogo de hoje é fria – o time enfrentará uma guerra em um estádio diminuto e um campo sem condições de receber uma partida profissional -, a competição é descartável, e por isso os Meninos serão jogados às feras nos lugares que deveriam ser ocupados pelos jogadores mais vividos.

Claudinei deve saber muito bem que a melhor situação de se estrear um jogador vindo da base é em uma partida menos difícil e diante de sua torcida. Por que escalar um time de Meninos justo hoje? Será que uma má performance da garotada seria interessante para acabar com a pressão dos torcedores para vê-los como titulares? Difícil dizer, mas que essa escalação está estranha, ah, isso está.

Mas há males que vêm para o bem. A vida deu um limão, faça uma limonada. Este tem sido meu lema particular e acho que os Meninos devem adotá-lo para si na noite de hoje. Se jogarem muito bem, mostrarem personalidade e levarem o Santos para a outra fase, tornarão obrigatória sua escalação também nas próximas partidas, já que teriam conseguido algo que nem os titulares conseguiram na Vila.

Hoje o Santos deverá iniciar a partida com Aranha, Rafael Galhardo, Gustavo Henrique, Durval e Mena; Alan Santos, Lucas Otávio, Leandrinho e Pedro Castro; Neílton e Willian José. O Crac, do técnico Marcelo Rocha, deverá começar com Aleks, Rodinei, Bruno Alves, Ben Hur e Rodrigo Crasso; Coquinho, Washington, Didi e Diogo Medeiros; Danilo e Pantico. A arbitragem será de Wagner Reway (MT), auxiliado por Lincoln Ribeiro Taques e Fábio Rodrigo Rubinho, ambos também de Mato Grosso.

Hoje sou Galo

Este blog é de santistas, mas defende também o mérito esportivo e a maior visibilidade ao time que está jogando melhor. Hoje, no Brasil, o Atlético Mineiro é este time. Depois de amargar a Série B, o Galo se aprumou, investiu, tem sido o melhor da Copa Libertadores e hoje finalmente poderá dar a seus torcedores a alegria que os santistas sabem que é especial, pois já sentiram três vezes. Força Galo!

O que você achou da decisão de Claudinei de jogar os Meninos na fogueira?


Que os Meninos mostrem hoje que eles é que são os craques

Preferências da Timemania este ano (32 milhões de votos)

Posição Time UF Nº de apostas Percentual
1º FLAMENGO RJ 3.862.939 5,22%
2º CORINTHIANS SP 3.560.182 4,81%
3º SAO PAULO SP 2.670.254 3,61%
4º SANTOS SP 2.542.544 3,43%
5º GREMIO RS 2.364.543 3,19%
6º PALMEIRAS SP 2.298.137 3,10%
7º INTERNACIONAL RS 2.051.393 2,77%
8º VASCO DA GAMA RJ 2.041.807 2,76%
9º BOTAFOGO RJ 1.975.147 2,67%
10º FLUMINENSE RJ 1.861.975 2,51%

Ranking de torcidas no Facebook

1° Corinthians
2° Flamengo
3° São Paulo
4° Santos
5° Palmeiras
6° Vasco
7° Cruzeiro
8° Fluminense
9° Botafogo
10° Atlético MG

Clubes com mais sócios-torcedores do Brasil

1 Internacional 100.433
2 Grêmio 72.240
3 Santos 52.737
4 Corinthians 50.200
5 Cruzeiro 28.943
6 Flamengo 27.228
7 Palmeiras 25.072
8 São Paulo 22.189
9 Fluminense 16.786
10 Atlético 16.342

giva & cia
Tudo bem, mas por que não escalar o Giva desde o início? (Foto: Ivan Storti/ Divulgação Santos FC)

Todo cuidado é pouco. Este Clube Recreativo Atlético Catalano, apelidado sugestivamente de Crac, que enfrenta o Santos hoje, às 21h50m, na Vila Belmiro, merece tanto respeito como qualquer outro adversário. Enfatizo isso porque em 2006, nas quartas-de-final da Copa do Brasil, o Santos de Vanderlei Luxemburgo foi eliminado na disputa de pênaltis pelo então desconhecido Ipatinga do também desconhecido Ney Franco depois de dois empates de 1 a 1.

Nas recentes vitórias contra Atlético Mineiro e São Paulo os Meninos da Vila eram a zebra e tiveram a postura humilde e competitiva que se espera de um time que não é o favorito. Mas hoje são o leão da história. Como se sairão?

Em 2006, quando empatou por 1 a 1 com o Ipatinga, em Minas Gerais, e foi eliminado nos pênaltis, o Santos jogou com Fábio Costa; Luiz Alberto (Domingos), Manzur e Ronaldo (Heleno); Neto, Maldonado, Cléber Santana, Léo Lima e Kléber; Magnum e Geílson (Wellington Paulista).

Hoje o técnico Claudinei Oliveira provavelmente repetirá o time que começou a partida contra o São Paulo: Aranha, Galhardo, Gustavo Henrique, Durval e Léo; Arouca, Cícero, Leandrinho e Montillo; Neílton e Willian José (ou Giva).

Quais seriam as diferenças do Santos de 2006 para este de hoje? Olha, analisando posição por posição considero o atual mais talentoso, criativo, além de, naturalmente, mais jovem. Mas o resultado não depende só de um lado.

Não tenho uma opinião formada sobre o Crac, orientado pelo técnico Marcelo Rocha. Mas se já passou algumas etapas da Copa do Brasil, não deve ser nenhuma galinha morta. Hoje o time deverá atuar com Aleks; Rodnei, Bruno Alves, Ben Hur e Rodrigo Crasso; Coquinho, Washington, Heber e Diogo Medeiros; Johnathan (Marcelo Quilder) e Pantico (alô diretoria de futebol santista, atenção nos jogadores visitantes. Quem sabe algum mereça uma proposta).

Meu palpite: time vibrante e vitória por dois gols de diferença

Acredito em um jogo bem agradável de se assistir hoje, com o Santos vibrante e ofensivo, sem se descuidar da defesa. Mas, confesso, não sei exatamente o que esperar desse Crac. De qualquer forma, meu feeling de décadas vendo variados Santos jogarem contra os mais variados adversários, me diz que teremos uma vitória por dois – ou três – gols de diferença. 2 a 0? 3 a 0? 3 a 1? Sim, fico com um desses resultados. Se eu pudesse, estaria na Vila esta noite.

E você, o que espera dos meninos-craques contra o Crac?


© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑