Nabil, Rollo, Silva, Peres e Modesto: um deles será presidente do Santos no próximo sábado.

Em primeiro lugar, parabenizo a TV Santa Cecília pelo debate e também cumprimento os cinco candidatos pela maneira educada como se portaram. O bom nível foi mantido, apesar de um ou outro arroubo, e o santista ao menos teve a certeza de que cinco pessoas com propostas e comprometimento querem governar o clube a partir do próximo sábado, data das eleições para presidente do Santos.

Na enquete realizada pela TV Santa Cecília logo após o debate, José Carlos Peres, da Chapa Santos Vivo, ficou em primeiro lugar, com 46,01% dos votos. Orlando Rollo teve 33,99% das preferências; Modesto Roma, 10,09%; Fernando Silva, com 6,47%, e Nabil Khaznadar, 3,44%.

Creio que a maioria dos telespectadores já tinha sua opinião formada antes do debate. Acredito, ainda, que essa enquete deve ser creditada ao público de Santos e Baixada Santista, já que poucos sócios da capital e outras praças devem ter acompanhado o programa pela Internet.

É importante destacar que muitos que votam nessas enquetes não são sócios do clube, ou não votarão na eleição deste sábado. Portanto, essas porcentagens podem ser aceitas como uma tendência, mas não como um resultado definitivo. Todas as chapas ainda se empenharão até o último minuto atrás dos votos que poderão levá-las à direção do clube.

Livro sobre Pelé está com preço especial na Livraria da Folha

Vitória do poder conciliador de Peres

O formato do debate não deu tempo suficiente aos candidatos para apresentar suas plataformas. Creio que antes das discussões cada um deveria ter tido uns cinco minutos, no mínimo, para revelar os pontos principais de seus programas: futebol, patrimônio, administração, marketing, comunicação… De qualquer forma, acho que José Carlos Peres foi quem passou a melhor impressão, pois mostrou-se educado, elegante e, mais do que prometer coisas, tratou de ressaltar o momento delicado que o clube atravessa e sugerir uma união das lideranças santistas na hora de administrá-lo.

De todos, Peres é o menos apegado ao poder, e esse detalhe atrai o santista, escaldado de tantos caudilhos que levantam bandeiras revolucionárias antes das eleições, mas depois convidam seus confrades para repartir o bolo. Peres pensa no Santos de hoje e do futuro e por isso, sem vaidade ou revanchismos, já reservou três lugares no Comitê Gestor para integrantes das outras chapas.

Sei muito bem como foi difícil para o Peres desistir de um compromisso que mantém, regularmente, há 40 anos, de jantar com a Lu em todo o dia do aniversário dela, que também é a data de seu casamento. Mas ele sabe que o que está em jogo é o futuro do Santos, e levou sua mulher para o debate, com a promessa de jantar com ela entrando na madrugada.

Creio que o dom para conciliar, que é uma das qualidades inatas do Peres – sem a qual não teria conseguido a Unificação dos Títulos Brasileiros e muito menos a criação do G4 Paulista -, foi o diferencial desse encontro na Santa Cecília. Como não daria mesmo tempo para esmiuçar todos os detalhes de sua proposta de governo, que é transparente e ousada, Peres destacou o que considera mais importante no momento: unir os santistas para o grande desafio de reerguer o clube, que nos espera a partir de sábado. Percebi que, a não ser o candidato da situação, Nabil Khasnadar, todos os outros sentem a gravidade desta etapa que o clube atravessa.

Repito o que tenho dito: em um momento como este, o Santos precisa de um presidente com ideias e cercado de pessoas com ideias e muita capacidade de trabalho, obviamente, mas também precisa saber unir forças, aplacar rivalidades e extrair o melhor de cada grupo, de cada chapa, para fazer o barco alvinegro praiano atravessar a tempestade que se avizinha. Não se quer um líder que jogue mais gasolina na fogueira, nem aquele que adote fórmulas gastas e ineficientes. É preciso saber mesclar ousadia e racionalidade. E isso só se consegue com serenidade e competência.

Mas, no todo, gostei do debate e dos concorrentes. Como o Peres falou, são, em certa parte, heróis que deixaram suas vidas de lado para entrar em uma luta renhida e às vezes dolorosa em busca da liderança no nosso clube do coração. Desejo que ao final da contenda todos saiam mais sábios, mais solidários, mais capazes de se doar para o nosso Santos Futebol Clube.

O exercício da democracia continua. Hoje, quarta-feira, às 15 horas, haverá novo debate, desta vez na Rádio Jovem Pan. Sem as câmeras de tevê, que costumam inibir quem não está acostumado com elas, creio que teremos os convidados mais soltos. Vale a pena acompanhar novamente esse encontro entre os cinco postulantes ao importante cargo de presidente do Santos Futebol Clube. Desejo serenidade e objetividade a todos eles.

Nesta tarde de quarta-feira os candidatos à presidência do Santos estão participando de outro debate, nos estúdios da Rádio Jovem Pan, em São Paulo. Segundo a emissora, “eles serão sabatinados durante uma hora. A transmissão do debate será feita no dia 04/12, através do portal da emissora (www.jp.com.br). Trechos do debate serão apresentados ao longo da programação esportiva da Jovem Pan AM, comandada por Wanderley Nogueira”.

O que você está achando das campanhas para presidente do Santos?