Treino Santos FC

Algo me diz que Nilson, que na manhã deste domingo terá sua oportunidade de iniciar a partida contra o Internacional, não decepcionará. O rapaz, que nas poucas vezes em que entrou no lugar de Ricardo Oliveira mostrou que é inteligente e define bem, nem reclamou do horário das 11 horas. Bom sinal. Centroavante que se preze não pode ter mimimi.

Outro que terá nova oportunidade é Paulo Ricardo, dessa vez na zaga, no lugar de David Braz. Se fizer uma boa dupla com Gustavo Henrique, quem sabe PR não permaneça no time, já que o titular tem muitos altos e baixos.

O santista não deve se preocupar com as ausências de Ricardo Oliveira e David Braz, suspensos, porque o Internacional jogará bem mais desfalcado. O técnico Argel já não poderá escalar D’Alessandro, Lisandro López, Rafael Moura, Eduardo Sasha e Nico Freitas. Também Alex e Rodrigo Dourado deverão ficar fora da partida.

Assim, os times mais prováveis são:

Santos: Vanderlei, Victor Ferraz, Paulo Ricardo, Gustavo Henrique e Zeca; Thiago Maia, Renato e Lucas Lima; Gabriel, Nilson e Marquinhos Gabriel.
Internacional: Alisson, Leo, Paulão, Juan e Ernando; Nilton, William, Wellington e Anderson, Valdivia e Vitinho.

Como o time gaúcho está apenas um ponto na frente do Santos, é óbvio que a vitória é imprescindível para manter as esperanças do Alvinegro Praiano de se aproximar do G4.

Arrecadações: o exemplo do Avaí

Quinta-feira, às 21 horas, o Santos enfrenta o Figueirense, no Pacaembu, pelo jogo de volta que definirá uma vaga na semifinal da Copa do Brasil. É aconselhável os santistas, além de comparecerem em massa, divulgarem o dia e o local exatos da partida, porque tem muito canal de tevê especializado em esporte que está anunciando o jogo para quarta-feira, na Vila Belmiro.

Recentemente o Palmeiras jogou no Pacaembu, contra o Grêmio, e gerou uma arrecadação bruta de 971 mil reais e um lucro líquido de 529 mil reais, com uma lista de “despesas diversas” de 137 mil reais. Vamos ver como o Santos se sairá na quinta-feira.

Uma curiosidade é que na partida do Santos contra o São Paulo, na Vila Belmiro – portanto, seu estádio, pelo qual não paga aluguel, ao contrário do Palmeiras quando atua no Pacaembu –, o Santos teve 115 mil de despesas diversas de uma renda bruta de 342 mil reais. Ou seja, teve apenas um terço da renda do Palmeiras, mas chegou a 80% das despesas diversas do alviverde. Como se explica isso?

Outra curiosidade é que o Avaí, quando também recebeu o São Paulo, no fim de semana passado, de uma renda bruta de apenas 214 mil reais, conseguiu extrair uma renda líquida de 163 mil reais; enquanto o Santos, também jogando em casa e contra o mesmo adversário, de uma renda bruta de 342 mil reais só obteve a renda líquida de 91 mil reais. O detalhe final é que no borderô do jogo de Florianópolis não há nenhuma “despesa diversa” – todas estão, transparentemente, discriminadas.

E pra você, como o Santos deve jogar para vencer o Inter?