Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

Tag: Diego Ribas da Cunha

Atraso de salários pode explicar o mau futebol do Santos

Oswaldo Oliveira e o elenco
Por mais que Oswaldo de Oliveira tente motivar o grupo, a verdade é que “em casa que falta pão, irmão briga com irmão” (Foto: Ricardo Saibun/ Divulgação Santos FC).

Os jogadores do Santos estão entrando em campo com suas remunerações – salários e direitos de imagem – atrasadas. Isso não deveria, mas pode explicar o futebol sem vontade que o time tem mostrado, como neste empate de 0 a 0 com o Grêmio, na Vila Belmiro.

Dirão que um jogador não pode jogar menos do que sabe só porque seu salário está atrasado, mas já passei por isso, como jornalista, e sei como é difícil manter a concentração e a motivação quando as contas se avolumam e a remuneração acordada não vem. O profissional se sente desrespeitado e, mesmo que lute contra, acaba perdendo boa parte do entusiasmo.

O empréstimo da Doyen Sports já foi gasto, e a cada mês o Santos tem mais contas para saldar do que dinheiro a receber. A situação é crítica. O ideal seria dar um choque de gestão agora, reduzindo drasticamente a folha de pagamentos e fazendo acordos com os funcionários. Do jeito que vai, o Santos correrá um sério risco de falência em pouco tempo.

O futebol em campo tem sido um reflexo dessa falta total de planejamento, dessa ganância irresponsável que coloca o jogador e o torcedor em segundo plano. Por isso, mesmo tendo motivos para criticar a atuação de vários jogadores do Santos, não farei isso hoje. Creio que, diante de toda a dificuldade que estão passando, conseguir um empate contra o Grêmio não foi de todo ruim.

Não farei análises individuais também porque o leitor deste blog já sabe muito bem o que penso dos jogadores santistas e neste sábado não ocorreu nada diferente do que temos explanado aqui. Pelo clima de apreensão que envolve seus futuros, até que os jogadores não foram tão mal.

Há 33 meses este blog já previa o estouro dessa bomba relógio

A situação pela qual o Santos passa hoje era previsível há cerca de três anos. Este mesmo blog preveniu o que poderia acontecer com as finanças do clube em 6 de agosto de 2011. Naquele dia, fiz um texto em que analisava a situação de Paulo Henrique Ganso no Santos e, no mesmo post, alertava para o que poderia ocorrer com o caixa do clube em futuro próximo.

É evidente que alertar para tal problema me desgastou com a diretoria de Luis Álvaro Ribeiro. Porém, não poderia deixar de tocar nesse assunto que já me afligia. Com o subtítulo Finanças, um campeonato que o Santos continua perdendo, escrevi o seguinte:

O clube, que já tinha antecipado suas cotas do Campeonato Paulista até 2015, agora pediu também a antecipação de 30 milhões de reais, o que tem para receber nos próximos dois anos da Rede Globo. Provavelmente este valor será usado para pagar a dívida com o ex-presidente Marcelo Teixeira.

A questão financeira tem sido o calcanhar de Aquiles da administração Luís Álvaro Ribeiro. O Santos aumentou a receita, porém aumentou muito mais as despesas. Um dos motivos é a onerosa folha de pagamentos, com salários acima do padrão da cidade de Santos, e com funcionários registrados pela CLT, o que provocará uma bomba-relógio a explodir nas próximas administrações.

A diretoria vive o dilema entre aumentar mais as dívidas e montar um time para ser campeão mundial, ou começar a colocar a casa em ordem e perder Ganso e talvez outros jogadores importantes para a esperada decisão contra o Barcelona, no Japão.

Particularmente, acho que os esforços para se tentar o terceiro título mundial valem a pena, mas também é preciso prever o que virá depois dele. São Paulo e Internacional foram campeões mundiais recentemente e isso não mudou substancialmente o status de ambos no cenário internacional.

Enfim, mesmo com dois títulos este ano, o Santos vive um momento delicado, que tanto poderá levar o time a uma situação de equilíbrio e prosperidade, como jogá-lo em uma crise financeira com sérios reflexos na equipe de futebol. Esperemos os próximos passos…

Fui chamado ao clube por causa deste post e o diretor da área veio me explicar que as pessoas contratadas pela nova direção do Santos estavam recebendo salários que normalmente receberiam em suas profissões. Não era verdade. Quase todos ganhavam salários bem menores antes e alguns estavam subempregados. Lembrei ainda que o clube estava pagando o teto salarial de cada atividade e perguntei se as pessoas da Resgate eram os melhores para cada uma dessas atividades.

Quanto ao registro pela CLT, disseram que era o correto. Respondi que não é assim que funciona nos clubes de futebol e não deveria ser assim no Santos. A carga trabalhista se torna insuportável. Por ser, essencialmente, deficitário, um clube precisa optar por terceirizar boa parte dos serviços que contrata. E nem é ético registrar um monte de gente pela CLT sem dar às próximas gestões a possibilidade de também montar as suas equipes de confiança.

Além de registrados pela CLT, o número de funcionários cresceu demasiadamente. Era evidente que o Santos passava a ser administrado irresponsavelmente, como uma ação entre amigos.

Diego é um sonho desesperado

A tevê anunciou que o Santos tentará trazer Diego Ribas da Cunha, atualmente no Atlético de Madrid. Endividado, sem dinheiro nem para pagar os salários, como essa administração pretende tirar um jogador que não é nada barato de um time que está na final da Champions League?

Se for uma troca por Leandro Damião, ainda poderia ser. Ou Leandro Damião e Thiago Ribeiro, que seja. Mas como pensar em fazer mais dívidas sem dispensar jogadores, ou sem um patrocinador máster?

Veja os poucos momentos interessantes de Santos 0 x 0 Grêmio

E você, acha que o atraso de salários pode explicar o mau futebol do Santos?


Reflexões sobre o Santos de Leandro Damião e, talvez, de Vargas

Força aí, Schummy!
Como jornalista, tive a sorte de conviver com Ayrton Senna. Quando ele morreu, perdi o interesse pela Fórmula-1. Pouco posso falar desses novos grandes pilotos, pois o último dos gênios do volante que acompanhei foi o alemão Michael Schumacher. Simpatizei-me ainda mais com Schummy quando ele fez questão de visitar a Vila Belmiro e jogar uma partida beneficente ao lado de Diego e Robinho. Agora, como todos sabem, ele sofreu um acidente de esqui, ao tentar ajudar uma criança, e está em coma. Torço demais pela sua recuperação. Schumacher, assim como Senna, é exemplo de campeão sem substituto. Relembre o dia em que ele foi mais um Menino da Vila:

Segunda-feira o Santos deverá pagar os € 13 milhões (cerca de R$ 41,6 milhões) ao Internacional, pelo passe de Leandro Damião. Para esta transação, que representa a maior da história entre times brasileiros, a diretoria do Alvinegro Praiano diz estar recebendo o dinheiro da Doyen Sports, que terá todos os direitos sobre o jogador. Se for assim, o negócio pode ser considerado bom para o clube.

Mas há versões de que a Doyen estaria apenas emprestando o dinheiro ao Santos, a juros de 1% ao mês, o que poderá tornar essa transação uma grande dor de cabeça, principalmente para as futuras administrações do Alvinegro. De qualquer forma, espero que tudo isso seja esclarecido quando o jogador for apresentado à imprensa.

Outro reforço pretendido é o chileno Vargas, atacante do Napoli que na última temporada defendeu, por empréstimo, o Grêmio de Porto Alegre. Como o Napoli ainda deve ao Santos R$ 11 milhões relativos ao passe do goleiro Rafael, o Alvinegro está usando isso para abater no valor de Vargas, que viria por empréstimo de um ano e meio, com salário de US$ 120 mil, ou R$ 270 mil. Mas há um complicador: o clube italiano quer empurrar o zagueiro Bruno Uvini no negócio. Com 22 anos, revelado pelo São Paulo, Uvini é reserva no Napoli.

Damião e Vargas têm sido bastante comentados na mídia, mas do que o Santos precisa mesmo é de um meia, para dar ao meio-campo e ao ataque a precisão e a fluidez necessárias. Por isso, o retorno de Diego, no Wolfsburg, seria providencial. Na falta do Menino da Vila, quem sabe este Lucas Lima, que está vindo do Internacional de Porto Alegre, possa se firmar na meiúca da Vila.

Aos 23 anos, 1,74m, este jovem que começou na Internacional de Limeira parece ter habilidade e visão de jogo. A seguir, trago alguns bons momentos do rapaz que fucei no Youtube:
http://youtu.be/PO_VJC-MQpE

Um papo com o Léo Citadini

Diante dessa premência do Santos por meias, ou ao menos por um meia com “M” maiúsculo, toda tentativa é válida. Não digo que seria a solução, mas por que não fazer o máximo para dar ao garoto Léo Cittadini amplas possibilidades de lutar por esta vaga? Como? Ora, pra começar, com um bom papo. Como seria ele? Vamos lá:

Fosse eu um diretor de futebol do Santos, chamaria o garoto para conversar antes das férias e diria: “Léo, você saber que o Santos precisa de um bom meia. Você pode ser o cara, mas ainda está faltando muita coisa para se candidatar a ser titular do time. O que? Ora, fundamentos, como o passe, o chute, o domínio da bola, a visão de jogo e a determinação. Sei que um mês é pouco tempo, mas você está vivendo um momento crucial de sua carreira, garoto. Agora, ou vai, ou racha. Não gostaria de abrir mão das férias e passar este mês treinando diariamente aqui no clube? Colocarei alguém para lhe orientar este tempo todo e também virei de ter. Essa pode ser a diferença que vai lhe tornar um jogador mais completo. Está a fim? Vamos encarar esse desafio juntos?”.

Não sei o que o garoto diria, mas acho que se tivesse essa atenção da diretoria de futebol do clube e lhe fosse colocado um profissional especializado em um treinamento de fundamentos, ele sairia mais preparado e fortalecido para a próxima temporada. Leio que o Santos já pensa em emprestá-lo para um time pequeno, a fim de que ganhe experiência. Mas se essa experiência, esse refinamento, pode ser dado no CT Rei Pelé, por que passar essa responsabilidade para um clube menos aparelhado do que o Santos?

Por falar em Cittadini, domingo, às 17 horas, na Vila Belmiro, o Santos estreia na Copa São Paulo de Futebol Junior enfrentando o Alecrim, do Rio Grande do Norte. Neilton, que brigou com o empresário e agora quer ficar no Santos, é uma das atrações do Alvinegro Praiano na Copinha. A defesa do título está em jogo. Vamos prestigiar.

Você não acha que o Santos precisa mesmo é de um super meia?


Neymar e Ganso devem ficar. E Diego pode vir…


Dá para imaginar esse trio jogando pelo Santos?

Em poucos momentos de sua história o Santos deu a seus torcedores tantos motivos para ser feliz. Ter um time vencedor, que ganhou quatro títulos em um ano e meio, e contar com os dois melhores jogadores brasileiros do momento, entre eles o ídolo do País, não é para qualquer um. Mas é um momento que também exige cuidados. Qualquer decisão pode levar o clube e o time a um patamar acima, como rebaixa-los. Minha opinião sobre algumas questões cruciais:

Vender Ganso seria um grande erro. Vender Neymar seria um erro colossal

Sei que não depende só do clube, mas, no que depender, deve fazer das tripas coração para manter os dois no elenco. Eles são a esperança de elevar o Santos ao mesmo nível dos grandes times do mundo e de quebrar um paradigma que poderá mudar a expectativa do futebol sul-americano. Onde está escrito que todo craque surgido no nosso continente tem de ir para a Europa para se consagrar? A consagração e a fortuna podem, sim, ser encontradas aqui mesmo no Brasil.

Clubes europeus já não estão tão ricos

Mesmo precisando muito de um jogador que dispute a coroa com Messi, o Real Madrid não tem como pagar mais do que 50 milhões de euros por Neymar, ou oferecer-lhe um salário tão maior aos rendimentos que terá no Brasil. É só analisar a economia espanhola e a brasileira para perceber que o dinheiro está saindo de lá e vindo pra cá.

Com a Copa, a visibilidade maior estará aqui

Com a Copa no Brasil, a visibilidade do futebol brasileiro voltará a estar em alta e, talvez continue depois de 2014. Hoje, Ganso e Neymar deixarem o Santos, que lhes dá títulos e lhes deram a titularidade da Seleção Brasileira, para se mudarem para a Europa, seria trocar o certo pelo duvidoso.

A maturidade de Neymar

Com classe e educação elogiáveis, Neymar tirou de letra quando quiseram saber, em sua primeira entrevista em Buenos Aires, o que achou da declaração de Maradona chamando-o de mal educado. Disse que era fã de Maradona e deu o assunto por encerrado. Vi na atitude de Neymar a influência positiva de Eduardo Musa, do marketing do Santos, que tem dado assessoria ao Menino de Ouro e evitado que ele se perca pela boca. Neymar é outro cara depois que Musa foi escalado para lhe fazer marcação homem a homem.

Obrigado e adeus Alan Patrick, Zé Eduardo…

Ouvi ou li em algum lugar que Zé Eduardo pediu para o presidente Luis Álvaro conseguir que ele fique no Santos até o final do ano e que o presidente ficou de tentar. Seria um erro enorme. O Santos foi campeão da Libertadores apesar de Zé Eduardo, que colocou em risco a conquista com sua extrema falta de habilidade. Que vá com Deus! Foi uma dádiva dos céus encontrar um clube que pagasse tanto por ele. Em menores proporções o conceito se aplica a Alan Patrick, um bom jogador, mas que nem é melhor do que Felipe Anderson, outro que poderá explodir nesse segundo semestre.

Bem-vindo Diego!

O Santos precisará de mais um ou dois jogadores de meio-campo e mais um atacante de bom nível. Estou certo de que o clube quer trazer Diego e Zé Roberto. Resta saber se eles também querem e se haverá parceiros interessados em dividir esse investimento. Outra questão é a tática: como Muricy prefere apenas um meia ofensivo, Diego só viria se Ganso ou mesmo Elano saíssem do time. Por isso, Zé Roberto se encaixaria melhor no time. Acho viável se fazer apostas baratas, como as de Roger e Richely, mas não se pode esperar que resolvam o problema.

É hora de depurar o elenco

Espero que Fernando Silva, Pedro Nunes da Conceição, enfim, a diretoria de futebol, se reúna com Muricy Ramalho, Tata, e analisem com calma quem deve continuar e quem deve sair do Santos. Há jogadores, como o simpático “sem medalha” Rodrigo Possebon, que não podem jogar em um clube de ponta, mas podem se dar bem em agremiações menores.

Desde 2002, média de um título por ano!

Só se passaram oito anos e meio desde que o Santos conquistou o título Brasileiro de 2002 e nesse período o clube já levantou oito taças importantes, em uma média admirável de uma por ano. Vejamos: 1 Libertadores, 2 Brasileiros, 1 Copa do Brasil e 4 Paulistas.

Logo mais, o grande jogo no futsal

Hoje, às 13h30m, Santos e Corinthians se enfrentarão pelo Campeonato Paulista de Futsal, com transmissão da ESPN Brasil. Vale a pena ver o clássico dos alvinegros. O Santos precisa da vitória para subir na tabela.

E você, o que pensa deste momento especial do Santos?


© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑