robinho - socio rei
Robinho, o maior chamariz para atrair mais sócios para o Santos.
edu dracena voltadamiao - esquerda
Edu Dracena precisa confirmar que a defesa é mais segura com ele, e Leandro Damião, bom sinal, foi visto treinando chutes de esquerda (Fotos: Ricardo Saibun/ Santos FC).

Hoje é dia de revanche para Oswaldo de Oliveira. Vencido por Doriva na final do Campeonato Paulista, Oliveira pode dar o troco no jovem técnico que trocou de rubro-negro e hoje dirige o ofensivo Atlético Paranaense.

Pode parecer que não, mas o jogo de logo mais, às 19h30m, na Vila Belmiro, sem tevê, é decisivo para as perspectivas do Santos neste Campeonato Brasileiro. O Atlético Paranaense tem três pontos ganhos a mais e é, teoricamente, um rival direto na disputa por um lugar no G4. Hoje qualquer resultado diferente da vitória será muito ruim para o Alvinegro Praiano.

O técnico Oswaldo de Oliveira manterá o mesmo time que jogou domingo, com exceção da entrada de Edu Dracena no lugar de Bruno Uvini. Hoje uma esquema mais ofensivo se justifica, mas o adversário merece cuidados, pois tem feito mais gols do que o Santos.

Segunda melhor defesa do campeonato, o Santos não tinha sofrido tantos gols em uma partida até os 3 a 0 para o Cruzeiro e hoje será um teste importante para checar se a volta do experiente Edu Dracena deixa mesmo o setor mais sólido, ou não.

O time jogará novamente com três atacantes – Thiago Ribeiro, Robinho e Leandro Damião –, apoiados pelo meia Lucas Lima e os laterais Cicinho e Mena. Alison e Arouca serão os únicos do meio com a função precípuo de marcar o bom ataque do Atlético/PR.

Com 23 gols em 11 jogos, o Atlético tem o terceiro melhor ataque do Brasileiro, atrás de Cruzeiro (32) e São Paulo (25). Assim, o Santos enfrentrá os três seguidamente nesta reta final do primeiro turno. Mas o time do Paraná estará desfalcado no jogo de hoje. O jovem artilheiro Douglas Coutinho serve a Seleção Brasileira Sub-21 e na defesa o veterano Cléberson, suspenso, deixará o lugar para Dráusio. Esses desfalques podem ajudar ao Santos.

Outro detalhe favorável ao Alvinegro é que a defesa do Atlético já sofreu 20 gols e é a quinta mais vazada do Brasileiro. E como ainda não terá Cleberson, as possibilidades de gol para os atacantes santistas devem aparecer. Será que desta vez concluirão bem? Esperemos.

O técnico Doriva faz um bom trabalho no Atlético, depois de ter sido campeão paulista com o Ituano, derrotando o Santos na final. Aos 42 anos, esse paulista de Mirassol é uma das revelações da categoria. O jogo é também uma revanche entre ele e Oswaldo de Oliveira. Veremos qual dos professores se sairá melhor desta vez.

Como terá o time completo, ao contrário do adversário, e como só sofreu quatro gols jogando na Vila Belmiro, o Santos pode ser considerado favorito. Mas o Atlético é um visitante que deve ser respeitado, pois quase metade de seus gols foram feitos fora de casa e já venceu Flamengo e Figueirense jogando no campo do adversário.

Falta de tevê no jogo de hoje é reflexo da ditadura da Globo

A Globo comprou os direitos do Campeonato Brasileiro e não quer passar o jogo de hoje no Sportv e muito menos na tevê aberta. Ótimo. Mas se os clubes precisam de visibilidade para atrair patrocinadores e torcedores, por que proibir Santos e Atlético/PR de venderem o jogo para outra emissora, ou mesmo venderem as imagens pela Internet?

Como esses clubes poderão disputar de igual para igual com outros aos quais estão reservados os horários nobres das rodadas de meio e fim de semana? Esse privilégio odioso ainda é fortalecido por uma divisão leonina de cotas, o dinheiro mais importante que entra nos cofres dos clubes.

Santos e Atlético Paranaense poderiam montar rapidamente uma boa estrutura para transmitir seus jogos para seus sócios e assinantes. A SantosTV e TV Cap são embriões de emissoras próprias que no futuro certamente farão isso, com um ganho maior do que hoje é auferido com o contrato da Globo.

No Campeonato Paraense do ano passado o Atlético teve a coragem de recusar a oferta da Globo (cerca de 60 mil reais por partida) e transmitiu seus jogos pela Internet. Nas finais, a Globo teve de negociar a transmissão dos jogos.

Os clubes precisam começar a conversar sobre isso, pois deixar a questão da visibilidade sob a única responsabilidade da Globo é o mesmo, para muitos deles, que assinar o atestado de óbito como clube grande. O Atlético Paranaense, que entre 2001 e 2005 teve um dos times mais destacados do País, já percebeu isso.

Com a segunda menor dívida de tributos entre os clubes da Série A do Brasileiro – “apenas” 9,3 milhões de reais, contra 119,8 milhões do Santos –, o Atlético Paranaense tem usado criatividade e trabalho para escapar do eterno papel de coadjuvante que a Globo quer impor para ele. É um exemplo para o Santos, que tem muito mais torcedores, muito mais prestígio e história no futebol, mas não está sabendo usar isso para o seu crescimento.

Santos x Atlético/PR

Vila Belmiro, 20/08/2014, quarta-feira, às 19h30

Sem televisão aberta ou fechada. Opção é o pay per view

Santos: Aranha; Cicinho, Edu Dracena, David Braz e Mena; Alison, Arouca e Lucas Lima; Thiago Ribeiro, Robinho e Leandro Damião. Técnico: Oswaldo de Oliveira.

Atlético/PR: Wéverton, Sueliton, Dráusio, Léo Pereira e Natanael; Deivid, João Paulo, Bady e Marcos Guilherme; Marcelo e Cleo. Técnico: Doriva.

Árbitragem: Igor Junio Benevenuto, auxiliado por Celso Luiz da Silva e Marcus Vinicius Gomes, todos de Minas Gerais (não conheço esse trio, só espero que atuem bem e vejam tudo. Nos últimos jogos o Santos tem sido prejudicado por “descuidos” da arbitragem).

Saudades de Neymar. Neymar 4 x Atlético/PR 1. Lembra? Veja que quando o Santos e seus jogadores dão motivo, a tevê não tem para onde correr. Sucesso absoluto!

Pior derrota do Santos para o Atlético/PR. Com um jogador a mais, Santos perdeu de 3 a 2, em Curitiba, pelas quartas-de-final da Libertadores, e a derrota foi decisiva para não chegar à semifinal da competição. Também é bom aprender com os erros. Veja

E hoje, como o Santos deve fazer para vencer o Atlético Paranaense?