Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

Tag: Elano (page 1 of 39)

Ficou fácil ser sócio do Santos

Santos iguais

Reservas do Santos empataram em Macapá, por 1 a 1, com o Santos amapaense. Era de se esperar mais do Alvinegro Praiano. Pelos salários que recebem e pela maior experiência que possuem, os jogadores do Santos da Baixada deveriam ter vencido a partida, e bem. Os melhorzinhos foram Ronaldo Mendes, que entrou no segundo tempo, e Joel, que marcou o gol de empate. Mas o Peixe do Amapá correu e lutou muito. Um temporal transformou o jogo em uma batalha na lama durante quase todo o segundo tempo. No final, o resultado acabou sendo justo. No jogo de volta, o empate em 0 a 0 já classifica o Santos de Santos para a próxima fase da Copa do Brasil.

Meu amigo Ademir Teles, direto de Macapá:

Fala Odir!

Tudo bem?

Que jogo histórico !

Santos AP X Santos SP!

Acabei de chegar do estádio Zerão.

Bobeamos um pouco mas no final arrancamos um empate.

O povo é bem acolhedor. Torcedores de diversos times com seus respectivos mantos. Tinha camisa do “Mengo”, claro. Dos caras da marginal, Porcada, Grêmio , Coritiba, Botafogo, Remo, Paysandu, Sampaio Correia…. Sem contar a molecada com camisas de clubes do exterior.

A banda da torcida do time local animou o jogo. Chegou a ser hilário após o término da tempestade, pois era um cai daqui, escorrega dali, derrapa de lá , que parecia uma apresentação circense ao som das marchinhas. Muito divertido.

Olha quem eu encontrei no estádio.

Acho que você o conhece.

E logo abaixo uma foto tirada com um pé no hemisfério Norte e o outro no Sul.

Ademir Teles

Um abraço !
Ademir Teles
São Bernardo do Campo

no amapáamapa

Artigo sobre a espanholização no site Comunique-se

O site Comunique-se é um dos mais lidos entre os jornalistas brasileiros. Seus artigos são enviados, por e-mail, a um mailing de dezenas de milhares de profissionais. Por isso, resolvi escrever para ele explicando porque a Globo não trata o futebol como jornalismo, mas como produto de marketing.

Clique aqui para ler meu artigo no Comunique-se explicando porque a Globo não trata o futebol como jornalismo.

FICOU FÁCIL SER SÓCIO DO SANTOS

Ufa, finalmente parece que ficou fácil se tornar sócio do Santos. É só entrar no site oficial, clicar sobre o logotipo do sócio-rei e ser encaminhado para o cadastro necessário. O cartão “Oficial” é o menos caro, mas já dá direito a compra de ingressos com desconto e, o mais importante, condição de votar nas próximas eleições para presidente do clube, em dezembro de 2017.

Esse cartão oficial pode ser pago com uma anuidade de R$ 235, o que dá 19 reais por mês. Acho que é a melhor opção. Mas quem preferir pagar mensalmente, arcará com 27 pilas por mês. De qualquer forma, vale a pena, pois um sócio participa mais da vida do clube e pode agir diretamente para levar o Santos ao caminho que todos queremos.

Clique aqui para saber como ficar sócio do Santos. É fácil.

Os Meninos do Sub-17

Caso continuem, humildemente, se aplicando nos treinos, corrigindo os defeitos e aprimorando as qualidades, alguns meninos desse sub-17 do Santos têm tudo para se tornarem bons profissionais. Ainda é cedo para previsões específicas, mas adianto é alguns têm talento. Só é preciso ver se terão caráter, a chamada índole de campeão.

Outros não mostram tanta habilidade, mas são inteligentes e competitivos, o que também pode levar um jovem a ir longe no futebol. Então, esperemos um pouco mais para análises mais detalhadas. No momento, eles não precisam de broncas, mas de incentivo.

Que tal o “Donos da Terra” de presente?

Como se sabe, o blog está fazendo uma promoção do livro “Time dos Sonhos” neste mês de abril em que o Santos comemora 104 anos de vida. O leitor recebe um livro com dedicatória exclusiva e sem custos de correio por 68 reais. Porém, muitos interessados têm pedido também o livro “Donos da Terra”, que conta a história do primeiro título mundial do Santos. Ocorre que essa obra está esgotada e não há previsão de novo lançamento. Então, pensei em algo para presentear os leitores do blog.

O livro “Donos na Terra” em papel está esgotado, mas consegui sua versão eletrônica, em PDF, e vou enviá-la, por e-mail, a todo aquele que adquirir o livro “Time dos Sonhos” até o dia 30 de abril. Não custará nada. É um brinde do Blog do Odir aos santistas que acompanham este espaço há tanto tempo. Você poderá lê-lo no computador, tablet, laptop…

E para não ser injusto com os que compraram “Time dos Sonhos” este mês e não receberam a versão eletrônica de “Donos da Terra”, peço que solicitem seu exemplar enviando e-mail para blogdoodir@blogdoodir.com.br Vamos conhecer, defender e divulgar a rica história do Glorioso Alvinegro Praiano.

DonosdaTerra Neste mês de aniversário do Santos, presenteie a você mesmo, ou a um(a) santista querido(a), com um exemplar de Time dos Sonhos e ainda ganhe uma versão eletrônica do livro Donos da Terra. Clique aqui para saber como adquirir o seu exemplar de Time dos Sonhos – uma autêntica Bíblia Santista, de 528 páginas – sem nenhuma despesa de correio e com dedicatória do autor, por apenas 68 reais. E ainda ganhe o e-book do livro Donos da Terra. Faltam apenas 10 dias para terminar a promoção!

Um pouco do Santos do Amapá


Um dos títulos do Santos, o grande time do Amapá.


Lembra do uruguaio Acosta? É ídolo por lá, quase aos 40 anos.

Até que ponto a história do Santos é importante para você?


A força da marca Santos


Hora dos reservas mostrarem o que sabem (Foto: Ivan Storti/ Santos FC).

Mesmo com um time reserva orientado por Lucas Silvestre, filho de Dorival Junior, o Santos – desde que jogue com vontade – tem tudo para vencer bem o seu xará do Amapá, na quinta-feira, às 21h30, em Macapá, e passar para a próxima fase da Copa do Brasil. Mas antes de falar do nosso Santos, falarei do Santos do Amapá, que também não deixa de ser nosso.

Tenho uma alegre gratidão por todos que amam o Santos e por isso não consigo sentir nenhuma hostilidade pelo Santos da pujante cidade de Macapá, com seus 370 mil habitantes. Ao contrário. Ele é uma prova viva da força da história, do carisma e da marca Santos.

Fundado em 11 de maio de 1973, 12 dias depois de o nosso Santos enfiar 3 a 0 no alvinegro da capital, no Morumbi (dois de Pelé e um de Brecha), o Santos de Macapá nasceu do amor pelo Alvinegro Praiano cultivado pelo funcionário público Otaviano Nogueira e o professor da rede estadual Delson Furtado, que convidaram amigos e fundaram, no bairro do Trem, um time que pudesse ser uma fábrica de campeões, como o consagrado Santos de Pelé, Pepe e Coutinho.

Após muitos anos como amador, o Santos do Amapá tornou-se profissional em 1998. Seu primeiro título estadual, heróico, veio em 2000, justamente na virada do milênio, quando o clube não tinha patrocinador e nem campo para treinamento. Hoje a equipe é tricampeã do estado, sendo que em 2013 e 2014 chegou ao título invicta.

Amparado pelo empresário Brasil Luciano Marba, seu presidente de honra, hoje o Santos do Amapá se orgulha de ter a melhor infra-estrutura esportiva dos clubes do Estado, com ginásio coberto, piscina, restaurante, quadras de basquete, vôlei, futsal, além de campos de futebol e beach soccer, enfim, um clube de verdade.

Havia também um Santos no Acre, outro no Amazonas e mais um na Paraíba, mas foram desativados. O maior Santos da região Norte do País é este de Amapá. Espero que a nossa delegação santista leve flâmulas e outros mimos aos nossos coirmãos alvinegros.

Confesso que não faço ideia de como joga o Santos amapaense, mas descobri que o time que há um mês perdeu por 4 a 2 para o Nacional, em Manaus, pela Copa Verde, jogou com Rafael, Maicon, Anderson, Diney, Batata; Pretão (Bruno), Lessandro, Willian (Renato) e Raí; Renatinho (Fazendinha) e Acosta. O técnico era Romeu Figueira e esse Acosta é aquele atacante uruguaio que jogou pelo alvinegro da capital e pelo Náutico. A figura já está com 39 anos.

Vila Belmiro, 100 anos de Paixão!

O documentário sobre o Centenário da Vila Belmiro, produzido por Beatriz Plácido, Giovana Pinheiro, Nicolaos Garófalo e Victor Onofre merece o nosso apoio. Visite a página no Facebook.

Clique aqui para entrar na página do documentário “100 anos de Paixão”, tocante homenagem à Vila mais famosa do mundo.

Neste mês de aniversário do Santos, presenteie a você mesmo, ou a um(a) santista querido(a), com um exemplar de Time dos Sonhos.

Clique aqui para saber como adquirir o seu exemplar de Time dos Sonhos – uma autêntica Bíblia Santista, de 528 páginas – sem nenhuma despesa de correio e com dedicatória do autor, por apenas 68 reais.
Faltam apenas 11 dias para terminar a promoção!

Por que não Fernando Medeiros, Ronaldo Mendes e Maxi Rolóm?

O time do Glorioso Alvinegro Praiano que treinou na segunda e deverá treinar todos os dias para se entrosar para o jogo de quinta-feira, foi escalado por Lucas Silvestre com Vladimir, Alison, Lucas Veríssimo, Luiz Felipe e Caju; Leandrinho, Léo Cittadini, Elano e Rafael Longuine; Paulinho e Joel.

Não sei se é este o time que jogará, mas acho que o filho do Dorival deveria experimentar outras formações. Muitos torcedores pedem Fernando Medeiros, Ronaldo Mendes e Maxi Rolóm, por exemplo. E se o povo pede – como pediu Vitor Bueno – é bom ouvir o pedido. Leandrinho e Léo Cittadini ainda precisam convencer, e Elano tem de controlar os nervos.

De qualquer forma, acredito em uma vitória por dois gols de diferença. O xará do Amapá jamais passou da primeira fase da Copa do Brasil e em seis jogos só conseguiu marcar um gol – na derrota por 3 a 1 para a Portuguesa, no ano passado. Por mais que o nosso Santos costume dar moleza quando joga fora de casa, não acredito que será surpreendido pelo valente e simpático xará do Norte.

E você, o que espera do Santos contra o Santos?


Classificação sem brilho

Veja os melhores momentos, pela lente da SantosTV:


Com a entrada de Gabriel, Santos buscou mais o gol (Ivan Storti/ Santos fC).

Classificação sem brilho

Mesmo com o time completo, diante de sua torcida e frente a um limitado Maringá, que ainda jogava com um jogador a menos, o Santos não conseguia marcar e deixava no torcedor o medo de ver, em uma bola centrada para a área, a grande zebra dançar no Urbano Caldeira.

Porém, desta vez as substituições de Marcelo Fernandes tiraram o time da letargia. Com Elano e Gabriel o Santos foi um pouco mais à frente e finalmente foi premiado aos 45m54s, quando Cicinho lançou Ricardo oliveira, que penetrou livre, teve tempo de dominar, trocar de pé e enfiar a bomba com a canhota. 1 a 0 e classificação para a próxima fase da Copa Brasil.

A vitória foi justa principalmente pelo que não fez o Maringá, que sumiu no segundo tempo, mas o Santos não jogou bem. Pouco objetivo, o time tocou, tocou, tocou, mas quase não chutou a gol. No primeiro tempo, o único arremate foi de David Braz, aos 10m57s, depois de cruzamento de Geuvânio.

No segundo, o Santos foi mais à frente, mas a partida continuava indefinida, até que Robinho, em uma jogada inteligente, foi seguro por Eurico e parou a bola, não dando ao árbitro nenhuma outra alternativa a não ser dar o cartão amarelo para o jogador do Maringá que, como já tinha um, acabou expulso. Isso mudou o jogo, pois o time paranaense, com um jogador a menos, ficou sem nenhuma alternativa ofensiva.

O Santos passou a jogar no campo do Maringá. Mas faltava acertar o último passe, ou um chute decisivo. Por isso, as entradas de Elano, no lugar de Valencia, e de Gabriel, no de Lucas Lima, deram resultado. O time passou a ser mais incisivo.

Dos 37 minutos em diante, o Santos teve seis chances, contando com a que resultou em gol. Ficou evidente que os jogadores precisam treinar mais arremates a gol – principalmente Robinho, Lucas Lima e Geuvânio, que sempre estão próximos à área. Acho que uma boa idéia seria suspender os rachões por um tempo e substituí-los por treinamento de chutes a gol.

Atuações dos santistas

Vladimir – Não foi exigido. 5.
Cicinho – Começou estabanado e foi se firmando. Deu o passe para o gol. 6.
Werley – Discreto, mas eficiente. 5.
David Braz – O mesmo que Werley. 5.
Victor Ferraz – Desta vez, apoiou melhor pela direita. 6.
Valencia – Discreto e eficiente. 5.
Leandrinho – Deu conta do recado bem. 6.
Lucas Lima – Prendeu demais a bola e não produziu nada muito útil. 5,5.
Geuvânio – Regular, mas ainda errou lances bobos. 5.
Ricardo Oliveira – Não tinha feito nada, mas fez o gol. 5,5.
Robinho – Cavou a expulsão de Eurico. 6.
Marcelo Fernandes – Desta vez mexeu melhor, apesar de ter demorado para fazê-lo. 6.
Dos jogadores que entraram, tanto Elano como Gabriel merecem a nota 6.

Santos 1 x 0 Maringá
13/05/2015, 19h30, Vila Belmiro, 3ª rodada da Copa do Brasil
Público: 4.068 pagantes. Renda: R$ 108.600.
Santos: Vladimir; Cicinho, David Braz, Werley e Victor Ferraz; Valencia (Elano), Leandrinho e Lucas Lima (Gabriel); Geuvânio, Robinho e Ricardo Oliveira. Técnico: Marcelo Fernandes.
Maringá: Ednaldo; Gerônimo, Fabiano, Marcelo Xavier e Edinho; Ítalo, Eurico, Rhuan e Max (Alex); Rodrigo Dantas (Serginho Paulista) e Gabriel Barcos (Rafael Santiago). Técnico: Claudemir Sturion.
Gol: Ricardo Oliveira, aos 45m54s do segundo tempo.
Arbitragem: Wagner Reway (MT), auxiliado por Eduardo Goncalves da Cruz (MS) e Leandro dos Santos Ruberdo (MS).
Cartões amarelos: Valencia, Werley, Leandrinho (Santos); Eurico (2), Gerônimo, Edinho, Ítalo, Fabiano, Rhuan (Maringá).
Cartão vermelho: Eurico (Maringá).

E você, o que achou de Santos 1 x 0 Maringá?


Auditoria confirma a péssima gestão de Laor/Odílio


Auditores da Bonassa Nuker definiram ações da diretoria santista, comandada por Luis Álvaro Ribeiro e Odílio Rodrigues, como “contratos danosos” ao clube.

O escritório Bonassa Buker, de São Paulo, contratado pelo presidente Modesto Roma para fazer uma auditoria no clube, chegou à esperada conclusão de que alguns negócios assinados pela gestão anterior foram extremamente danosos ao clube. São eles:

– Compra de 100% do passe de Leandro Damião, usando para isso um empréstimo de 13 milhões de euros (cerca de 44 milhões de reais. O valor deve ser pago em cinco anos, com juros de 10% ao ano. Com os acréscimos, o total da dívida já se aproxima dos R$ 50 milhões.

– Venda de todos direitos sobre o passe de Alison. O Santos negociou os 70% que lhe pertenciam com o banco BMG e o restante está com o próprio Alison (10%) e o seu seu agente, Giuliano Bertolucci (20%).

– A Doyen reclama não ter recebido a sua parte na venda do passe Felipe Anderson ao Lazio, em 2013. Diz também que repassou ao Santos o valor da primeira parcela a ser paga ao Internacional pelo passe de Leandro Damião, mas o dinheiro não foi entregue ao Inter.

– A Doyen, por sua vez, recebeu partes dos direitos econômicos de três jogadores promissores da base do Santos. São eles Gabriel, Daniel Guedes e Geuvânio. As porcentagens exatas estão sendo investigadas.

– Outro contrato definido como “danoso’ pela auditoria é o que o clube fez com a CSU, empresa que administra o programa de sócios do Santos. A direção santista tem protestado contra a alta inadimplência no seu quadro associativo, que já chegou a cerca de 60 mil sócios, mas hoje tem apenas 20 mil adimplentes.

Ao saber dos resultados da auditoria, o presidente Modesto Roma evitou usar palavras que acusassem seus antecessores de desonestidade – o avalista imobiliário Luis Álvaro Ribeiro, que se licenciou por problemas de saúde, e o médico Odílio Rodrigues, que o sucedeu -, mas destacou a evidente má gestão da qual o Santos foi vítima:

“Acho que foram feitos (os contratos) por falta de conhecimento administrativo. São contratos de má gestão. Em princípio, não há indicações de má-fé, mas má gestão é tão grave quanto. Isso agora é um problema para ser resolvido pelo Conselho Deliberativo e pela Comissão de Inquérito e Sindicância. A gente está abrindo os armários. Agora é a hora de começar a dar respostas”.

Santos não tem porcentagem alguma no passe de Alison

Auditoria revelou que os 70% que o clube tinha sobre o passe de Alison foram negociados com a Doyen para cobrir os empréstimos. 10% é do próprio jogar e 20% do seu empresário.

Enquanto o Campeonato Brasileiro não começa, vamos dar uma pausa e apreciar a festa dos campeões paulistas Ricardo Oliveira, Robinho, Lucas Lima, David Braz, Marcelo Fernandes, Modesto Roma & Cia:

E pra você, o Santos deve renovar com Elano?

Elano
E agora, Elano? Para onde? (Ricardo Saibun/ Santos FC)

Leio matéria do jovem e confiável jornalista Klaus Richmond, no portal Terra, dizendo que Santos e Elano estão apalavrados e o jogador deve renovar contrato com o clube até o final de 2016. Outras fontes garantem que Elano renovará até o final deste ano e, dependendo de suas atuações, aí sim o contrato será prorrogado até 2016. De qualquer forma, o assunto é relevante e merece ser discutido com mais cuidado. A dúvida é: o Santos deve manter o ídolo Elano, em fim de carreira, ou o ideal seria usar esse dinheiro para conservar jogadores jovens de bom potencial?

Sabe-se que Elano recebe 50 mil reais por mês e terá um reajuste com o aumento. Calcula-se que chegará a 70 ou 80 mil mensais, valor suficiente para manter dois ou três jogadores mais jovens, como Diego Cardoso, Paulo Ricardo e Caju, por exemplo.

Por outro lado, a importância da história de Elano no Santos, onde marcou gols nas finais dos títulos brasileiros de 2002 e 2004, e voltou em 2011 para ser artilheiro do Campeonato Paulista e campeão da Libertadores, é inegável. Seu currículo no futebol também é dos melhores.

No auge, titular na Copa de 2010

Pode-se dizer que a carreira de Elano ascendeu até a copa de 2010, na África do Sul, quando não só era titular do meio-campo, como um dos jogadores mais importantes do time, provavelmente abaixo apenas de Kaká. Marcou dois gols naquele Mundial e vinha jogando bem, mas se machucou e ficou fora do jogo contra a Holanda, que eliminou o Brasil.

Com seis anos de experiência na Europa, Elano era um jogador respeitado e valorizado no mercado internacional. A alta soma de suas transferências dá uma boa idéia do seu prestígio. Vejamos:

Em dezembro de 2004 foi vendido pelo Santos ao Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, por 7,6 milhões de euros (cerca de 20 milhões de reais). Lá foi bicampeão nacional e ganhou a Supercopa da Ucrânia.

Despertou o interesse do técnico Sven-Göran Eriksson, do Manchester City, e em 2 de agosto de 2007 foi contratado pelo clube inglês por 8 milhões de libras (cerca de 35 milhões de reais).

Perdeu a titularidade com a chegada do técnico Mark Hughes e em 2009 foi contratado pelo Galatasaray, da Turquia, por 7 milhões de euros (cerca de 20 milhões de reais). Na sua chegada à Istambul foi recebido por cerca de 1.300 torcedores.

Em meados de 2010, no auge de sua carreira, Elano foi titular do Brasil da Copa de 2014, na África do Sul, e era também um dos jogadores mais importantes no esquema do técnico Dunga. Marcou dois gols naquela Copa (ao todo fez 14 pela Seleção) e saiu com uma imagem bastante positiva daquele Mundial, apesar de ter se machucado.

Em novembro de 2010 o Santos o contratou por cerca de 2,9 milhões de euros (6,5 milhões de reais). No primeiro semestre de 2011 foi artilheiro do Campeonato Paulista (ao lado de Liédson, do Corinthians), com 11 gols. Também foi campeão da Copa Libertadores. No segundo semestre teve um relacionamento polêmico com a atriz Nívea Stelmann e a partir daí seu rendimento como atleta, que já vinha caindo, foi ainda mais prejudicado.

Em 7 de julho de 2012, depois de se tornar um peso-morto no Santos, foi trocado pelo atacante Ezequiel Miralles, que também não vinha sendo aproveitado pelo Grêmio. Elano começou bem no Grêmio no time do Sul, mas aos poucos perdeu o lugar.

Em 7 de janeiro de 2014, convidado pelo técnico Vanderlei Luxemburgo, que também o tinha levado para o Grêmio, transferiu-se para o Flamengo. O Grêmio prosseguiu pagando metade de seu salário.

Nove meses depois, em 19 de setembro de 2014, assinou contrato de três meses com o Chennaiyin FC, da Índia.

Voltou ao Santos, a pedido do amigo Robinho, para jogar o primeiro semestre de 2015, com contrato até 30 deste mês.

As qualidades e os defeitos do jogador Elano

Nenhum jogador teria conseguido tudo o que Elano conseguiu no futebol caso não tivesse muitas qualidades. Poucos batem na bola como ele, um especialista em chutes a gol e passes longos. O ideal para as chamadas “bolas paradas”. Também tem uma técnica perfeita para a cabeçada. Com ótimo domínio da bola, também sabe protegê-la como poucos.

Seu maior problema tem sido o condicionamento físico. Mesmo aparentemente mantendo o corpo de 1,75m e 75 quilos que sempre teve, Elano tem se cansado rapidamente. E quando se cansa, não consegue acompanhar as jogadas de ataque e também chega atrasado na marcação.

A falta de pernas também o impede de jogar bem em várias áreas do campo, como fazia quando começou no Santos, a ponto de ser comparado com Lima, o eterno curinga da Vila.

Na sua passagem anterior pelo Santos, teve de ser trocado porque ganhava muito e pouco fazia. Estava mais preocupado em viver a vida fora do campo do que se dedicar ao trabalho. Não raras vezes foi visto divertindo-se em casas noturnas.

Agora, ao menos nos treinos e nas cenas de vestiário, percebe-se que está mais focado, esforçando-se mais. Porém, se está na reserva de um time que tem Valencia como titular, e se está atrás de Lucas Otávio e Leandrinho como opções para o meio de campo, é sinal de que não está passando confiança ao técnico Marcelo Fernandes.

Próximo dos 34 anos, que completará dia 14 de junho, Elano admite que está no fim de carreira. Quer jogar até o final de 2016 no Santos e depois trabalhar no clube, mas não descarta a possibilidade de parar no ano que vem. Disse que já conversou com o superintendente Dagoberto dos Santos sobre isso.

Em Maringá ele fez sua melhor partida nesta terceira passagem pelo Santos, tanto que sua substituição, por Serginho, desmantelou o meio-campo do time. Saiu muito aplaudido. Ainda é um ídolo. Sua presença também é motivadora para o elenco.

Porém, e já deixo essa questão para os leitores analisarem, se Elano não consegue ser ao menos o primeiro reserva do meio-campo do Santos, valerá a pena mantê-lo por mais um ano e meio no elenco, tirando a possibilidade de se dar espaço a jogadores jovens? E mantê-lo por um salário suficiente para segurar dois ou três destes jovens?

Ouça Elano falando sobre sua provável renovação:

Considerações finais

Há outras considerações a se fazer no caso de Elano, entre elas sua longa amizade com Robinho. Sabe-se que o apoio de Robinho, após cumprir uma ótima primeira temporada no Manchester City, foi fundamental para que o clube inglês contratasse Elano. Agora, Robinho novamente influenciou decisivamente para que Modesto Roma trouxesse o amigo para o Santos.

Será que mantendo Elano, fica mais viável manter Robinho? Essa é uma pergunta que só as pessoas responsáveis pelo futebol do Santos poderiam responder. Enfim, o assunto não é tão simples e permite múltiplas interpretações.

Como digo sempre, sou apenas o dono do blog, mas estou muiiito longe de ser o dono da verdade. Aqui, essa “verdade”, mesmo que momentânea, acaba surgindo da visão da maioria. Por isso, deixo a bomba n sua mão. Analise e diga se prefere que o Santos renove com Elano ou não.

Para você, vale a pena renovar o contrato de Elano? Por quê?


A garotada do Santos foi bem. Mas bobeou no final

Até os 37 minutos do segundo tempo os garotos do Santos iam muito bem diante da grande torcida santista que lotou o estádio de Maringá. Venciam o Maringá por 2 a 0 e evitavam o jogo de volta, pela segunda rodada da Copa do brasil. Mas uma falha do goleiro Vladimir, que espalmou uma bola para a pequena área, e outra falha de marcação aos 46 minutos do segundo tempo, quando Paulo ricardo deixou o baixinho Cicinho saltar com o grandalhão atacante Rodrigo Dantas, proporcionaram o empate ao Maringá, obrigando o jogo de volta.

De qualquer forma, a partida mostrou que o elenco do Santos tem muitos reservas que poderão ser bem aproveitados no Campeonato Brasileiro. Quase todos se saíram bem. Mesmo Elano fez um bom primeiro tempo e marcou, de cabeça, o único gol da primeira etapa. Por paradoxal que seja, o único titular em campo, o goleiro Vladimir, mostrou-se inseguro e falhou bisonhamente ao espalmar uma bola para a sua pequena área, o que gerou o primeiro gol do Maringá.

Outro jogador que pouco mostrou e, irritadiço, ainda levou cartão amarelo, Gabriel jogou mais uma vez o Gabibol, um esporte em que a jogada começa e termina nos seus pés. Se há mesmo a possibilidade de uma troca entre ele e Robinho, não há o que pensar. Tomara que Gabriel ainda seja um grande jogador, mas por enquanto não é e nem parece fazer muita questão de ser.

Por outro lado, jogadores como Paulo Ricardo, Caju, Lucas Otávio, Lucas Crispim e Marquinhos Gabriel mostraram disposição e boa técnica. Cicinho também estava bem, mas foi só o Maringá pressionar um pouco para perder a cabeça e levar outro cartão amarelo bobo. Na verdade, a arbitragem também se perdeu a partir da metade do segundo tempo, quando passou a marcar tudo a favor do time paranaense e fazer vistas grossas a entradas que poderiam até resultar em cartão vermelho direto, como aquela que tirou Serginho do campo.

O certo é que o jogo parecia decidido até dez minutos para o final. Com gols de Elano, de cabeça, no primeiro tempo, e de Marquinhos Gabriel no segundo, concluindo uma jogada bem tramada pelo Santos, o Alvinegro Praiano parecia ter se livrado do jogo de volta.

Porém, com o gol achado aos 37 minutos do segundo tempo, o Maringá, que já parecia conformado com a derrota, pressionou o Santos e aí foi possível observar algum nervosismo dos santistas. As substituições de Marcelo Fernandes não deram resultado. As saídas de Elano e Lucas Crispim, para as entradas de Serginho, Thiago Mathias e Diego Cardoso (Serginho entrou no lugar de Elano, mas logo se machucou e foi substituído por Thiago Mathias) enfraqueceram o meio de campo e o Santos não conseguiu mais segurar a bola no ataque, como fizera até então.

De qualquer forma, a partida foi muito importante para se fazer algumas observações, tais como:

1 – O goleiro titular ainda é Vanderlei. Vladimir tem o grave defeito de espalmar para dentro do campo e fica muito indeciso nas bolas altas cruzadas na área.
2 – Mesmo quando jogar melhor, Cicinho é uma temeridade. Quer driblar na defesa e leva cartão amarelo em toda partida.
3 – Gabriel tem jogado muito mal. Não se sabe se é porque tem ficado isolado na frente e o seu forte não é brigar pela bola, ou se porque não busca tabelar com ninguém e tenta resolver tudo sozinho. O certo é que assim não dá. Se há mesmo interesse do Milan, em uma troca por Robinho, é pra ontem.
4 – Elano melhorou. Se continuar assim, brigará por uma posição no meio de campo.
5 – Lucas Otávio e Lucas Crispim jogaram bem. Só caíram a partir da metade do segundo tempo.
6 – Paulo Ricardo será um grande zagueiro. Falta mais experiência no quesito “posicionamento”.
7 – Caju voltou bem. Parece recuperado do púbis.
8 – Marquinhos Gabriel é o Basílio deste time (lembra do time de 2004?).
9 – Leandrinho não é craque, mas é regular.

O jogo de volta será na próxima quinta-feira, não sei em que estádio. Para essa partida, é bom Marcelo Fernandes escalar os titulares, pois uma vitória mínima do Maringá eliminará o Santos da Copa do Brasil.

MARINGÁ 2 X 2 SANTOS

Estádio Willie Davids, Maringá, 06/05/2015, 22 horas

Público: 16.142 pagantes. Renda: R$ 677.255,00

Maringá: Ednaldo; D. Gerônimo, Fabiano, Marcelo Xavier e E. Edinho; Ítalo, Eurico, Serginho Paulista (Rhuan) e Max (Alex); Rodrigo Dantas e Gabriel Barcos (Rafael Santiago). Técnico: Claudemir Sturion.
Santos: Vladimir, Cicinho, Gustavo Henrique, Paulo Ricardo e Caju; Lucas Otávio, Leandrinho, Elano (Serginho) (Thiago Maia) e Marquinhos Gabriel; Lucas Crispim (Diego Cardoso) e Gabriel. Técnico: Marcelo Fernandes.
Gols: Elano, aos 24 minutos do primeiro tempo; Marquinhos Gabriel aos 10, Fabiano aos 37 e Rodrigo Dantas aos 46 minutos do segundo.
Arbitragem: Thiago de Alencar Gonzaga, auxiliado por Leandro dos Santos Ruberdo e Claysson Vieira de Morais, todos do Mato Grosso do Sul (auxiliares foram bem, mas o árbitro, descontrolado, deu faltas e cartões demais e quando deveria dar, não deu).
Cartões amarelos: Ítalo, Rafael Santiago, Rhuan (Maringá); Gabriel, Elano, Paulo Ricardo, Gustavo Henrique (Santos).

Tinha o mesmo número de santistas para ver os reservas do Santos em Maringá do que os que foram assistir à decisão do Campeonato Paulista na Vila Belmiro

Veja só que curioso e perceba como a torcida do Santos é imensa por este Brasil afora, e não apenas nos arredores da Vila Belmiro: o público da final do Paulista foi de 14.662 pessoas, das quais 90% eram torcedores do Santos, portando 13.195.

O público que assistiu ao empate entre Santos e Maringá, em Maringá, foi de 16.142 pessoas, das quais, segundo o repórter da TV Bandeirantes, 80% eram santistas, o que resulta em 12.913 pessoas.

Assim, conclui-se que a quantidade de santistas na Vila Belmiro, apesar da importância do evento e de o time jogar no sagrado Urbano Caldeira, era de apenas 282 torcedores a mais do que na distante Maringá, em que a equipe atuou sem 10 titulares.

Por aí é que se percebe como uma campanha nacional de associação e como um programa de jogos que contemple as várias comunidades de santistas espalhadas pelo Brasil são fundamentais para que o Santos atinja a dimensão que ele realmente tem.

E você, o que achou dos reservas do Santos em Maringá?


Older posts

© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑