Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

film izle

Tag: endomarketing

Ideias simples para o Santos

Veja agora o que a tevê não mostrou sobre o show do Santos e dos santistas no Pacaembu. Atenção especial para as crianças em mais essa obra preciosa do conselheiro Rachid:

santos 3 sp 0 016
Vaga-lumes. Gol de Lucas Lima visto da arquibancada verde. Antes, nervosos, os torcedores acendiam cigarros, hoje ligam o celular para gravar um lance do jogo. Olha como o tobogã do Pacaembu ficou iluminado. O santista previa o gol.

Ideias simples para o Santos

O colega Efigenio se oferece para trabalhar nos guichês do Pacaembu, se não houver nenhum funcionário disponível, a fim de facilitar a vida dos santistas. Estou com ele. Douglas, o nosso Bozo, ressalta, mais uma vez, o gasto enorme com a confecção de ingressos – quase 70 mil reais só para o jogo contra o São Paulo. Essas questões não são difíceis de se resolver. Talvez falte boa vontade, talvez falte competência, o certo é que problemas simples não são resolvidos e o Santos prossegue como um clube amador em plena era do profissionalismo selvagem. Que tal se abríssemos aqui no blog uma caixa virtual de ideias praticáveis para o clube que seriam discutidas e depois enviadas à Curadoria do Santos?

E como fiz a sugestão, já inicio o processo com algumas ideias que tenho há tempos. A primeira delas é uma pesquisa com os torcedores do Santos que vão aos jogos. Umas pranchetinhas, perguntas curtas e grossas – nome, idade, cidade e bairro onde mora – já seriam suficientes para termos uma boa ideia do santista que vai aos jogos do time. Se o marketing não faz, nós mesmos poderíamos realizar essa pesquisa.

Sobre a equipe de marketing do Santos, confesso que não entendo porque ela trabalha no horário comercial normal, já que os eventos vitais para o clube são os jogos de futebol, realizados nas noites dos dias de semana, aos sábados e domingos. O expediente da equipe de marketing, ou de boa parte dela, deveria ser parecido com o do jornalista esportivo, que no máximo folga um domingo por mês, às vezes nenhum.

Por outro lado, o Santos tem funcionários suficientes para se revezarem nessas ações, já que hoje a folha de pagamentos tem 526 contratados, sendo 308 pela CLT e 218 autônomos, ou PJs. Ou seja, o clube tem 200 funcionários a mais do que deveria ter se fosse minimamente eficiente. Acho que seria conveniente arrumar trabalhão para alguns, antes que a situação piore e tenham de ser demitidos.

Bem, voltando às ideias, uma enquete com os santistas é mais do que importante, é imprescindível. Se o marketing do clube não pode fazê-lo e não há dinheiro para contratar uma empresa especializada, acho que só aqui no blog conseguiríamos juntar uma boa equipe para empreender a tarefa.

Ainda sobre como aproveitar os jogos, o momento de maior aglomeração de santistas, eu sugiro que uma equipe comandada pelo marketing faça um corpo a corpo com os torcedores. Não é preciso fechar o negócio na hora, mas conversar, distribuir folders e marcar para entrar em contato depois. Estou certo de que muitos novos associados seriam conseguidos assim.

Ainda sobre pesquisas, como ex-pesquisador do IBGE devo dizer que me fascina empreender uma pesquisa de torcidas localizada em alguns lugares específicos, como as cidades de Santos e São Vicente e bairros da região da Capela do Socorro, em São Paulo. Algo me diz que o número de santistas será muito mais do que outras pesquisas divulgam. Mas é fazer para ver e crer.

Internet, como se manter na ponta

Quanto à área de comunicação/ divulgação, creio que o Santos tenha de usar ao máximo os espaços disponíveis na Internet e, para começar, estreitar seus laços com os jornalistas e blogueiros que escrevem sobre o time. Não imagine que estou pensando em mim. Sei que como sou visto como “um cara da oposição”, não serei convidado para nenhuma ação do clube, já que essa direção do Santos é essencialmente política. Mas não importa. O importante é o clube ter uma rede de formadores de opinião que espalhe rapidamente suas notícias, mantendo o torcedor santista bem informado. A Internet é o grande meio de comunicação com o jovem e, logo, logo, também o será com pessoas de todas as idades. O Santos tem de se manter na ponta dessa tecnologia.

A Santostv vai muito bem, mas pode melhorar. É possível transmitir os jogos da base, ao vivo, pela Internet, além de jogos do time feminino e outros eventos. É bem barato e seria possível vender publicidade, o que daria até lucro ao clube. Nessas transmissões também seria possível atrair associados e divulgar outros aspectos do clube e do time.

Ensinar a história, o endomarketing essencial

Os meninos da base, as garotas do time feminino e mesmo os jogadores profissionais precisam conhecer melhor a história do Santos. Eles são ou serão porta-vozes e formadores de opinião do clube. Quanto mais bem estiverem informados, mais positivas e enriquecedoras serão suas entrevistas, valorizadoras da rica história santista.

Nós, da Assophis, a Associação dos Pesquisadores e Historiadores do Santos, já nos oferecemos para dar aulas, palestras ou cursos aos atletas santistas. Sei que Guilherme Gomez Guarche, responsável pelo departamento de memória e estatística do Santos, já fez algumas palestras aos jogadores infanto-juvenis. Ótimo, mas isso não pode ser esporádico, tem de ter continuidade. E não é problema de verbas, pois faríamos isso de graça. E não entraríamos em política, se é isso que temem.

O ideal seria que todos os funcionários do clube passassem por essas aulas, pois o endomarketing estaria perfeito. Em um clube de futebol, que depende essencialmente da mídia para se promover, conhecer a história e os valores da instituição é peça fundamental de todo plano de endomarketing.

Camisa especial e outros brindes aos sócios

Como o sócio do Santos recebe muito pouco pela taxa que paga, sugiro que a cada ano o sócio adimplente recebe uma camisa oficial e especial confeccionada especialmente para ele. É óbvio que será uma camisa mais econômica, produzida a preço de custo e enviada a todos os sócios, que assim poderão, orgulhosamente, exibir por todos os cantos do Brasil a sua condição especial de colaborador do Glorioso Alvinegro Praiano.

Outros brindes, como pins, chaveiros, cartões postais, livros, CDs, revistas, poderão ser distribuídos regularmente aos sócios, que assim terão uma compensação pelo fato de se associarem a um clube que não tem instalações poliesportivas, ou sociais, e nada lhes pode oferecer no momento.

“Mas isso custará ao clube”, argumentarão alguns que já imagino quais são. Claro que custará, mas deverá ser menos do que o valor de contribuição anual do associado. Não dá para querer apenas que o torcedor santista ajude o clube sem lhes oferecer nada em troca.

Em alguns clubes, como o Sevilha, da Espanha, o número de associados está diretamente ligado à capacidade do estádio. Lá, eles só aceitam 30 mil sócios, pois estes são os lugares reservados a eles no estádio do clube, que comporta 45.500 pessoas. E quase todos recebem seus carnês no começo do ano e podem ir a todos os jogos. O preço, com desconto, dos ingressos, já está acoplado ao valor da anuidade. Essa é uma fórmula, mas no Santos não precisa ser assim.

O torcedor santista que mora longe de Santos e de São Paulo sabe que dificilmente poderá acompanhar todos os jogos do time, então ele se associa mais para ajudar o clube. Caso seja contemplado com brindes e vantagens, ele continuará fiel. Por isso, ao contrário do Sevilha, o Santos pode ter metas muito mais ousadas para o seu quadro associativo, ultrapassando 100 mil pessoas. Basta desenvolver esse departamento com planejamento e eficácia.

Começou Wimbledon. Deu vontade de jogar tênis? Não sabe? Que pena. Mas dê ao seu filho a oportunidade de aprender esse esporte tão legal. Inscreva-o na Clínica de Férias do Clube de Campo Castelo, com os professores Suzana Silva e Marcos Vasconcelos. Esses eu garanto!
Cartaz não sócios

Bem, vou parando por aqui. Tenho outras ideias, mas creio que as que expus já são suficientes. Agora quero saber que ideia simples e barata você tem para o Santos.


A frase que Neymar deveria ter dito

Neste 2012 o Santos comemora o seu Centenário e fico muito feliz de começar o ano dando essa alegria aos torcedores do time que mais gols fez na história do futebol e já teve craques como Araken, Feitiço, Pagão, Coutinho, Pepe, Edu e o Rei Pelé, que está aqui presente. Obrigado e boa festa!

A frase acima levaria o mesmo tempo que Neymar gastou para fazer o seu agradecimento pelo prêmio de gol mais bonito de 2011, entregue ontem pela Fifa, em rede mundial. Porém, ele parece ter improvisado, dito que era fã dos “outros dois” e não aproveitado a oportunidade para passar uma mensagem com mais informações, que destacasse o Santos.

Se tivesse dito o que sugeri acima, Neymar teria informado ao mundo que o Santos comemora seu Centenário neste ano, que é o time que fez mais gols na história do futebol e ao mesmo tempo citaria outros nomes de notáveis atacantes santistas, indicando que ele é apenas o último de uma linguagem nobre de craques artilheiros gerados na Vila Belmiro.

Sei que não se pode obrigar um jogador a dizer o que o clube quer, mas, pelo que conheço Neymar, creio que não se importaria de dizer algo que seria extremamente positivo para o plano do clube de consolidar sua imagem internacional.

Um exemplo do que estou dizendo foi dado pelo técnico do Barcelona, Pep Guardiola, que teve tempo de ser elegante com os outros dois finalistas, mas se concentrou em enaltecer o seu clube, elogiar-lhe a invejável estrutura e colocá-lo em uma posição de destaque em comparação aos demais grandes clubes do planeta. Uma aula de como usar 30 segundos em prol de sua instituição.

Portanto, quando digo que falta um trabalho de endomarketing não só no Santos, mas nos clubes brasileiros, estou me referindo a situações como a de ontem, em que uma frase bem colocada pode fazer mais pelo time do que centenas de comerciais na tevê.

Quanto não valeria o mundo saber que 2012 é o ano do Centenário do Santos e o Alvinegro Praiano é o time que mais gols fez na história do futebol? E os jornalistas que duvidassem, que fossem atrás das informações, o que daria ainda mais espaço ao Santos na imprensa internacional.

Se nas questões táticas e técnica do futebol sou pouco mais do que um curioso, na comunicação tenho lá o meu know how. Prêmios à parte, dez anos dirigindo a Ampla Comunicação, cinco anos escrevendo para Osmar Santos, biógrafo de Oscar Schmidt, além de tantos outros trabalhos na área me dão, sim, o direito de questionar o mau uso que profissionais de futebol têm feito de importantes espaços que a mídia lhes concede. Como coordenador do Centenário do Santos, incomodou-me o fato de Neymar não citar esta importante data em seu breve discurso.

Qual é sua opinião sobre o assunto?


© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑