Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

Tag: Estados Unidos (page 1 of 2)

Licoes de Detroit, a cidade que esta se reerguendo pelo esporte.

TV Globo boicota o Santos descaradamente tambem nos EUA

No domingo, a TV Globo transmite dois jogos do Campeonato Brasileiro para os Estados Unidos: um entre os das 16 horas e outro entre os das 18h30. O das 16 horas, como era previsivel devido ao carater bairrista dessa emissora, so poderia ser o classico do Rio de Janeiro, apesar de os times estarem em pessima fase. Para as 18h30 a emissora carioca tinha tres opcoes: Goias e Criciuma, com interesse zero; Bahia e Ponte Preta, com um interesse pequeno, e Santos e Portuguesa, um classico paulista que reune o time de Pele, o semeador do futebol nos Estados Unidos, o time do Conrado, do Eduardo e de tantos outros santistas que vivem por aqui. Pois bem. Adivinhe que jogo a Globo transmitira logo mais? Bahia e Ponte Preta.

Ate o Eduardo, meu cunhado sao-paulino, acha um absurdo essa escolha da Rede Globo, pois talvez ate mesmo a Portuguesa tenha mais torcedores por aqui do que Ponte ou Bahia. Esse poder incomensuravel que uma emissora de TV possui sobre o nivel de visibilidade dos times precisa ser revisto. Nao ha qualquer explicacao mercadologica plausivel para uma opcao dessas. E por isso que acredito mais em razoes politicas para essas “escolhas” da Globo. O clube que nao come na sua mao, acaba sendo prejudicado. Esta mais do que na hora de nao so o Santos, mas outros clubes brasileiros tomarem alguma atitude contra essa ditadura.

Bem, mas a unica saida para o Santos e os santistas sempre foi enfrentar tudo e todos e vencer os jogos no campo, limpamente. E e isso que o time, com o bom goleiro Vladimir iniciando a escalacao, deve fazer logo mais contra a boa, humilde e perigosa Portuguesa. Mais tres pontos e a classificacao para o G4 estara bem proxima das maos. Volte aqui depois para comentar o jogo.

Eduardo ja esta dirigindo ha alguns minutos nas ruas centrais de Detroit e nao vemos ninguem. A sensacao e estranha. Uma cidade que no auge da industria automobilistica chegou a 1,8 milhao de habitantes, agora so tem 700 mil. A crise das montadoras, os altos impostos que afastaram as grandes empresas, a decadencia dos servicos publicos e a corrupcao resiliente deixaram “a cidade do automnovel” em uma encruzilhada. So se respira vida e emocao quando nos aproximamos, a pe, dos estadios espetaculares do Detroit Lions e do Detroit Tigers. Sentimos que so no esporte palpita a semente que pode fazer Detroit renascer. E impossivel nao pensar na nossa Santos nesse momento…

Com capacidade para 65 mil pessoas, o Ford Field e a casa do Detroit Lions, o grande time de football americano. Patrocinado pela Ford, com um custo aproximado de 550 milhoes de dolares, o Ford Field deixa qualquer estadio brasileiro constrangido. Leoes imponentes guardam a entrada que nos dias de jogos recebe um publico imenso e apaixonado, capaz de gastar 300 dolares por um ingresso – mas um cartaz acima das bilheterias avisa que e proibido revender as entradas, deixando claro que cambistas nao tem vez por aqui. Tudo e moderno, solido, imponente.

De frente para o Lions ha o Detroit Tigers, estadio patrocinado pelo banco Comerica que custou 400 milhoes de dolares e abriga os jogos do time de beisebol estrelado pelo astro Cabrera. Estatuas majestosas dos grandes idolos do clube adornam a praca de esportes, em uma visao magnifica (o outro grande time da cidade, o Detroit Pistons, um grande da NBA, tem o estadio em Auburn Hills, fora do perimetro de Detroit, com capacidade para 22 mil pessoas).

E o esporte, reserva de vida e de esperanca que leva as criancas para as quadras publicas de basquete e para os campos de beisebol e football, que pode renascer no habitante de Detroit a vontade de reerguer a cidade. No lindo e espacoso parque ao lado do rio que separa os Estados Unidos do Canada, alguem escreveu: “Levante-se e mostre o seu amor por Detroit”. Imaginei a mesma frase na praia ou nas ruas de Santos: “Levante-se e mostre seu amor pelo Santos”.

A situacao de Detroit nos revela o extremo a que uma cidade pode chegar se e explorada por seus governantes e empresarios e abandonada por seus habitantes. Esta e uma licao nao so para outras cidades, mas para empreendimentos varios, entre eles clubes de futebol. Percebe-se que depois de um ponto, nao ha volta, ou e quase impossivel que haja. Portanto, enquanto e forte e relevante, que nosso Santos receba o carinho e a atencao que merece dos santistas, a comecar pelos habitantes da cidade que leva o seu nome.

Contra a Portuguesa, um classico

Jamais considerei a Portuguesa um time pequeno. Foi grande sempre e continua sendo. O chocolate, com cobertura, que deu no Corinthians, prova que merece mais do que respeito, merece que se entre em campo com muita disposicao e determinacao. Sera um jogo duro, disputado, um classico. Mas se jogar o que pode e sabe, o Santos podera dar um passo importantissimo para ficar entre os que jogarao a Copa Libertadores em 2014. Torcamos. Com amor.

Voce acha que o santista de Santos demonstra o seu amor pelo time do Santos?


Marta, Neymar e o mérito das(os) adversárias(os)

Marta não merecia perder para os Estados Unidos. Como sempre, ela foi a melhor em campo e marcou os dois gols do Brasil. Mas os Estados Unidos também não mereciam perder para o Brasil. Foram o melhor time, procuraram mais o gol, mesmo jogando a maior parte do tempo (incluindo a prorrogação) com uma jogadora a menos.

E difícil assistir a um jogo das garotas da Seleção com a mesma exigência com que assistimos aos jogos dos homens. Elas pecam em todos os fundamentos e, comparadas com as norte-americanas, são menos rápidas, altas e fortes. A única exceção é Marta.

Outras brasileiras que mostraram qualidades foram Maurine, Érika, Fabiana e Formiga, mas isso foi pouco para impedir a lógica. Talvez o técnico Kleiton Lima tivesse evitado o desastre se percebesse que todas as jogadas de ataque dos Estados Unidos passaram a sair dos pés da ótima Rapinoe, que entrou no lugar de Cheney. Mas ele não viu e foi dos pés de Rapinoe que saiu o cruzamento para Wambach empatar, no finzinho da prorrogação.

Nos pênaltis, deu dó da Daiane. Além de fazer o gol no início da partida e também falhar no gol de empate das norte-americanas, cobrou um pênalti tão previsível que a goleira Hope Solo não teve trabalho algum em defender.

A lição que ficou de mais esta eliminação do Brasil pelos Estados Unidos no futebol feminino é que não dá para pensar em ser campeão enquanto o time só tiver uma grande jogadora e a tática for jogar a bola pra ela e rezar.

Desta vez, nem dá para reclamar da arbitragem, pois a australiana Jacqui Melksham errou em marcar o pênalti a favor do Brasil, em expulsar a zagueira Buehler e em mandar repetir a cobrança de Cristiane. Depois, falhou também em não marcar impedimento de Maurine no segundo gol brasileiro.

Em suma, o Brasil perdeu porque faltou técnica, força, fôlego e coragem às meninas, porque teve um técnico que não soube se aproveitar da superioridade numérica para acertar uma tática que decidisse o jogo, porque só depende uma jogadora e porque, principalmente, enfrentou um adversário superior.

Devolvam o Neymar para o Santos

Positivamente, Neymar não está conseguindo jogar na Seleção o que joga no Santos. Deve estar exausto de ganhar títulos pelo Santos, além de super bem marcado. Também deve estar com a cabeça fervilhando com a pressão dos clubes europeus que querem contrata-lo. E além de tudo isso ainda é cornetado a cada jogo pela dupla Galvão Bueno-Casagrande, como se suas “firulas” fossem o grande mal de um time que está todo ruim.

Daniel Alves, que literalmente pisou na bola no segundo gol paraguaio, está jogando pior do que o Pará nos seus piores dias. Jádson só tinha feito besteiras até acertar um chute e fazer o primeiro gol. Pato só fazia patoacoadas. E o culpado era o Neymar… Ou o Robinho… Brincadeira… Galvão e Casagrande enxergam um outro jogo.

Mano Menezes é, no mínimo, a quarta opção como técnico da Seleção Brasileira. Qualquer um sabe que Muricy Ramalho, Luiz Felipe Scolari e Vanderlei Luxemburgo são melhores, mais experientes, conquistaram mais títulos. Até o Joel Santana é mais gabaritado para dirigir a Seleção do que Mano Menezes. No entanto, o Neymar é o culpado…

De uma hora para outra o técnico tira o Robinho, titular absoluto, e coloca o horrível Jadson; mantém o tempo todo o errático André Santos pela lateral-esquerda (quem consegue tabelar com esse cara?), depois, substitui Neymar por Fred, insistindo, mais uma vez em dois centroavantes ao mesmo tempo… Ou seja, Mano Menezes está perdidinho. E o único culpado é o Neymar…

Pois então, a solução é fácil: como Neymar não pediu para ser convocado, e como sua presença é muito mais bem-recebida no Santos, peço em nome dos santistas que leem este blog que a CBF desconvoque o garoto e o deixe voltar para a Vila Belmiro, para um time que tem jogado muito melhor do que a Seleção e em que há jogadores que acompanham o seu raciocínio.

O Brasil não está tendo adversários?

É engraçado como os comentaristas analisam os jogos da Seleção Brasileira nesta Copa América. Parece que não há adversário. Ninguém falou nada sobre o Paraguai, uma equipe de alguma tradição, que se entregou ao jogo de corpo e alma e marcou muito bem a Neymar, colocando até três jogadores no encalço do santista. Portanto, já que ninguém disse, eu digo: Parabéns, Paraguai! Jogou bem!

E você, o que tem a dizer sobre Marta, a Seleção feminina e Neymar?


Reveja Leonardo, mentor do Ganso, no momento marcante de sua carreira


O norte-americano Tab Ramos está no chão, com o maxilar fraturado. Leonardo está sendo expulso e deixará o Brasil com um a menos em um jogo eliminatório da Copa. Este é o conselheiro do Ganso.

Copa de 1994. O Brasil enfrenta os Estados Unidos, os anfitriões, em um jogo eliminatório pelas oitavas-de-final. Os norte-americanos estão especialmente motivados porque a partida é realizada justamente no dia da independência do país.

O jogo está 0 a 0 quando, em jogada sem maiores consequências, pela lateral, o brasileiro Leonardo dá tremenda cotovelada no norte-americano Tab Ramos, fraturando-lhe o maxilar, e é expulso imediatamente, colocando em risco a vitória do Brasil e sua permanência na Copa – que só foram obtidas graças a um gol chorado de Bebeto.

Pela irresponsabilidade, Leonardo, mesmo ainda sendo convocado para a Seleção Brasileira (eu tinha dito neste post que ele nunca fora convocado, mas me enganei, tanto que puxou o tapete de Giovanni na Copa de 1998), mas nunca mais se destacou, nunca mais teve a confiança do torcedor brasileiro.

Do Milan ele passou para o rival Inter sem a menor cerimônia. Mesmo amado pela torcida do Flamengo, em recente visita ao Brasil disse que a dívida do clube carioca era “impagável”. Ou seja, Leonardo não demonstra empatia por clubes ou pela Seleção Brasileira. Segue a cartilha Leonardo Futebol Clube, a mesma que deve estar ensinando ao Ganso.

Hoje técnico da Inter de Milão, elegante e falador, seduziu Paulo Henrique Ganso para sair do Santos e jogar na Itália – onde o futebol é violento e o risco de contusões graves é maior do que no Brasil. Se estivesse mesmo preocupado com o futuro do jovem maestro brasileiro, saberia que o melhor para ele seria levar seu talento para um país que valoriza mais o futebol bem jogado e não prima por uma marcação dura, como a Espanha.

Mas Leonardo quer Ganso na sua Inter e por isso usa o jogador para reduzir a multa e facilitar a negociação. É claro, porém, que a culpa maior pelo desentendimento entre Santos e Ganso é do próprio jogador, mas ele está se baseando em conselhos de algumas pessoas para tomar suas decisões, e estas pessoas são, principalmente, Leonardo e os homens da DIS.

Reveja a inesquecível “atuação” do mentor de Ganso na Copa de 1994:


Nós já sabíamos…

Dunga, por que você não me escutou?

Eu sempre disse que o futebol é uma prova de que a voz do povo é a voz de Deus. Assim, o que aconteceu ontem em Nova Jersey, com o show da Nova Seleção Brasileira sobre os Estados Unidos, não me surpreendeu nem um pouco. As ótimas exibições dos Meninos da Vila Paulo Henrique Ganso, Robinho e Neymar apenas repetiram o que eles têm jogado no Santos.

Dunga disse que não levou Ganso e Neymar para a Copa porque eles nunca tinham sido testados antes na Seleção Brasileira principal. Pois espero que ele tenha visto o jogo de ontem e percebido a burrada que fez. Não acho que ele seja o tipo de sujeito que irá admitir um erro, pois é preciso ser muito sábio e ter muita personalidade para reconhecer isso. Uma pena. Como eu disse no sambinha “Dunga me escuta”, que compus e está no Youtube, “Dunga, a Seleção Brasileira não é só sua, meu irmão”.

Ouvi de alguns companheiros de imprensa a crítica de que apoiei com tanto entusiasmo as convocações de Ganso e Neymar para a Copa apenas porque sou santista. Ora, é uma maneira terrivelmente simplista de ver as coisas. Até porque já acompanho Copas do Mundo, como jornalista, desde 1978, e jamais fiz campanha para ninguém ser convocado. Fiz desta vez, ao lado dos amigos do twitter, porque realmente vi nos dois garotos, principalmente em Ganso, uma clarividência aguda para o futebol, um talento extraordinário.

Arrisco dizer que Paulo Henrique Ganso caminha para se tornar o maior jogador de meio-campo na história do futebol brasileiro – pela visão, pela habilidade, pela inteligência e pela personalidade. Talvez, só mesmo Gérson, Falcão e Ademir da Guia – dos que eu vi jogar – poderão ser comparados a ele no futuro, mas Ganso tem apenas 20 anos e ainda está em evolução. Se bem que, sinceramente, eu não consiga ver o que mais ele precise aprimorar.

Para não dizer que não me surpreendi com nada, farei apenas uma ressalva quanto a Neymar. Não imaginei que o garoto já estreasse tão à vontade com a amarelinha. Mas, como eu também imaginava, confirmou-se que é menos difícil enfrentar uma equipe anglo-saxônica que marca duro, mas sem maldade, do que encarar os beques brasileiros que batem por trás, dão carrinho, cotovelada, ameaçam e depois pedem cartão para o atacante dizendo que este simula faltas.

Sobre isso, abro um parêntese para lembrar uma frase de Mano Menezes na entrevista após a partida: “Personalidade não se dá a ninguém. Ou se tem, ou não se tem”. E Ganso e Neymar provaram que têm de sobra.

Neymar jogou como um craque maduro e foi premiado com o gol, em um ótimo cruzamento de André Santos – outro que deveria estar na Copa, pois é o lateral-esquerdo brasileiro com mais habilidade e o que melhor bate na bola.

Robinho voltou a jogar como nos bons tempos, e o ataque com ele, Neymar e Pato está perfeito. Claro que torci muito para André, mas admito que Pato está um pouco à frente do ex-santista como centroavante desta Nova Seleção.

2 a 0 foi pouco. Robinho merecia um gol, assim como Ganso, que acertaram o mesmo pé esquerdo da trave norte-americana. O Brasil colocou a emergente Seleção dos Estados Unidos na roda. Um show. A melhor exibição da Seleção Brasileira dos últimos cinco, seis anos.

Reconheço que Mano Menezes foi muito feliz na convocação, na escalação do time e na decisão de dar aos titulares tempo suficiente para mostrar seu futebol. O ex-técnico corintiano deve ter aprendido hoje que contra-ataque, sua tática preferida, só é a melhor opção quando não se tem jogadores tão habilidosos, que mantêm a posse de bola o tempo todo.

O Brasil tocou a bola no campo dos Estados Unidos e mesmo assim ficou com ela cerca de 80% do tempo. Após os 10 minutos iniciais, os norte-americanos não conseguiram nada no ataque. Mal passaram do meio-campo, aliás.

Este estilo de jogo já é uma clara influência da Copa, em que os dois finalistas – Espanha e Holanda – jogavam assim, priorizando a posse de bola. A diferença é que o Brasil parece tocar tão bem como os espanhóis, mas tem mais opções para chegar ao gol adversário.

Enfim, ontem se viveu mais uma noite de sonho para o futebol brasileiro no geral e para os santistas em particular. Uma noite tão boa que há torcedor alvinegro certo de que Wesley e Arouca serão os novos convocados de Mano Menezes. Ouvi até quem, diante das inseguranças de Daniel Alves, tenha pedido Pará na lateral-direita. Bem, não duvido mais de nada…

O único lado preocupante é que com Neymar e Ganso jogando assim, as ofertas pelos garotos chegarão à Vila Belmiro na mesma proporção das cartas dos fãs. Que grande clube do mundo não gostaria de ter dois craques como eles? Bem, que fiquem querendo. Os dois Meninos são da Vila.

O que você achou das estreias de Ganso e Neymar na Seleção Brasileira? Acha que o Santos conseguirá resistir às propostas dos clubes europeus que querem contrata-los? Tem mais algum Menino da Vila que merece ser chamado para a Nova Seleção Brasileira?


Eles não gostam de futebol. Tá bom…

Este foi, para mim, o momento mais importante da Copa até aqui. O gol de Donovan, nos acréscimos, que classificou os Estados Unidos para as oitavas-de-final, conquistou para o futebol o país mais poderoso do mundo. Um gol que fez mais para acabar com as convicções norte-americanas do que cinco séculos de intrigas, guerras e imperialismo. Agora que sentiram na pele – e no coração – a emoção de um jogo que mistura luta, esporte e arte, os norte-americanos nunca serão os mesmos. Veja e se emocione de novo! (vídeo postado por sugestão de Emilio Baraçal, a quem agradeço).


Older posts

© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑