Com a venda de Zé Eduardo para o Genoa, o santista está se perguntando se dá para ser campeão sem centroavante. E isso nos faz tecer várias considerações sobre o assunto:

Ontem o Santos ganhou do Grêmio Prudente por 4 a 2, depois de conseguir uma folgada vantagem de 4 a 0, e continua na liderança do Campeonato Paulista. E chegou à convincente vitória sem centroavante.

Ao ver Elano fuzilando o goleiro com tanta desenvoltura, no primeiro gol, imaginamos se ele não seria um centroavante mais técnico do que a maioria. Sim, seria. Mas Elano não é centroavante e não vai mudar de posição justo nesta fase de sua carreira.

Teoricamente é possível ser campeão sem centroavante, mas, na prática, quase todos os times que conquistam títulos têm um jogador especialista em ficar na área adversária mandando as bolas para dentro do gol. Em 2010 o Santos teve André; o Fluminense, Fred

Em 2002 desabrochou o futebol de Alberto, que antes e depois daquele ano foi um jogador medíocre, mas que naquela temporada foi para os santistas o que Coutinho, Pagão e Toninho Guerreiro tinham sido. Até gol de bicicleta o rapaz fez. Ao sair do Santos, Alberto nunca mais repetiu seu desempenho naquele ano de graça, e o Santos também passou um 2003 difícil – experimentando jogadores como Fabiano e William –, e só resolveu a questão quando trouxe Deivid de volta, e com ele conquistou o título brasileiro de 2004.

A posição de centroavante não exige só técnica, mas temperamento. É preciso estar disposto a brigar pela bola (e pelo espaço) o tempo todo. Protege-la para quem vem de trás, tentar um ou outro drible e sempre estar atento à possibilidade do arremate. Exige experiência, malícia, personalidade, pois lida-se com zagueiros e goleiros nem sempre amistosos. Enfim, ser um bom camisa 9 não é só questão de fundamento, mas de conhecimento.

Zé Eduardo é um centroavante nato? Não. Assim como Diogo também não é. Zé Eduardo é um meia que cai pelos lados, pode tabelar, penetrar e bater com força e precisão ao gol. Não é, mas tem características de um bom centroavante. Se o Santos não puder contar com ele, e não conseguir ninguém à altura para a Libertadores, o time terá uma lacuna tática difícil de preencher.

Mesmo com Zé Eduardo no time, a verdade é que o Santos sentia a falta de um bom centroavante, já que Keirrison não está sendo. Keirrison marcou muitos gols pelo Coritiba, mas vindo de trás, geralmente acompanhando um contra-ataque em velocidade. Nunca foi um jogador de ficar na área.

Depois de uma contusão séria, parece que Keirrison perdeu velocidade e força muscular. E com isso perdeu também a confiança. Talvez o que falte a ele sejam músculos – e disposição para ficar horas preparando melhor seu físico para os embates na chamada zona do agrião. Mesmo jovem, Keirrison está ficando com fama de jogador acabado para o futebol. Só ele pode sair do buraco em que se meteu. Não é com desculpas esfarradas que recuperará o respeito. Tem de voltar a jogar bola, ou logo estará em um time da Série B, ou C.

Enfim, minha opinião é que dá para ser campeão sem um centroavante, mas – a história prova – a possibilidade é bem maior quando se tem um. Pois ele é aquele que pode pegar pouco na bola, mas, quando pega, pode decidir o jogo. É o que não se apavora diante do goleiro, é o que está acostumado com a sensação de ver a bola entrando na meta adversária. Enfim, é o especialista em mandar a gorduchinha pro fundo das redes.

Então, como não dá para confiar em Keirrison, e muito menos no garoto Dimba, que foi promovido não sei por quê, o Santos precisa, sim, contratar um bom centroavante. A não ser que não leve tão a sério a briga pelo título da Libertadores.

Mas esta é apenas a minha opinião. E você, acha que é possível ser campeão sem um centroavante? Dê e explique sua opinião, por favor.