Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

Tag: Felipão

Futsal do Santos – o avesso do time de Muricy – empata em 5 a 5

O Santos de Falcão, Valdin & Cia fez mais um jogo espetacular de futsal e empatou com o São Paulo por 5 a 5, na Arena Santos, no primeiro confronto pela semifinal do Campeonato Paulita. Detalhe: o Santos perdia por 5 a 3 faltando menos de dois minutos para o final da partida.

Usando a tática temerária do goleiro-linha, o Alvinegro Praiano marcou seus cinco gols e ainda deu de graça outros três para o adversário. Valdin, o melhor em quadra, marcou quatro.

Mas foi o tipo de jogo em que o torcedor santista preferiria que o time de futsal jogasse só um pouquinho parecido com o de Muricy Ramalho. Um pouco mais de cuidado defensivo não seria mau.

O Santos deve ter ficado com a bola pelo menos em 80% do tempo. O domínio foi massacrante. Ao bom time do São Paulo restou se aproveitar de algum descuido dos santistas e chutar de qualquer jeito para o gol vazio. Como bem definiu o narrador da ESPN, vimos um duelo entre gato e rato.

Porém, em que pese toda supremacia, o Santos terá de vencer o jogo de volta, em Marília, na terça-feira às 19h45m, para chegar à final do Campeonato Paulista. Ficou uma pergunta no ar: será que apelar para o goleiro-linha o tempo todo foi a melhor tática a ser empregada pelo técnico Ferretti?

Mesmo não sendo um especialista em futsal, acredito que não. Quando o Santos conseguiu o empate em 2 a 2, logo no início da segunda etapa, ainda tinha muito tempo para buscar a vitória sem precisar se expor tanto e, como tem melhores jogadores do que o São Paulo, fatalmente acabaria obtendo sucesso.

Mas insistir com o goleiro-linha deu ao adversário a chance de fazer 3 a 2. O Santos empatou em seguida, mas continuou com o goleiro-linha e deu mais dois gols ao São Paulo. Só nos dois minutos finais é que o Alvinegro chegou ao empate – resultado sensacional pelas circunstâncias, mas insatisfatório.

Ferretti poderia conversar um pouco com Muricy

Não chegarei ao cúmulo de pedir que o técnico Muricy Ramalho escale um goleiro-linha no lugar de Rafael, mas ao menos manter três atacantes contra o Palmeiras seria obrigatório.

Renteria, Borges e Alan Kardec segurariam o Palmeiras lá atrás e tornariam maiores as chances de uma vitória santista. Com quatro no meio-campo, quase todos de características defensivas – sem Neymar lá na frente -, fico imaginando quem criará as oportunidades de gol do Santos.

Como o Palmeiras de Felipão se fecha bem, não consigo imaginar um gol do Santos em jogada trabalhada, pelo chão. Se vier, será de cruzamento sobre a área, ou em pênalti ou falta.

Enfim, gostaria mesmo é que o técnico do futsal batesse um papo com Muricy e fizesse o professor ser menos retranqueiro. Para aproveitar, Muricy poderia ensinar Ferretti a cuidar um pouco mais da defesa.

Sereias ganham da Francana por 4 a 0

Em Franca, no primeiro jogo da semifinal do Campeonato Paulista, as Sereias da Vila golearam a Francana por 4 a 0, com gols de Karen e Gabi no primeiro tempo, e Erika e Kelly no segundo. O jogo de volta será no próximo domingo, na Vila Belmiro, às 13 horas, na preliminar de Santos e Grêmio.

Sub-20 perde e decepciona muito

Mesmo contando com Tiago Alves e outros jogadores promovidos a profissionais, como o centroavante Dimba, o Santos perdeu de virada, ontem à noite, para o Grêmio Osasco, pelo primeiro jogo das oitavas de final do Campeonato Paulista. O pior não foi perder para um time limitado, mas sim confirmar que esta base do Santos é realmente fraca. Dos que eu vi, nenhum merece ser profissional.

O duro é ver que apesar de gastar tanto com sua base, o Santos não conseguiu formar jogadores melhores do que o time de Osasco. Tiago Alves, Renan Motta e Geovânio tentavam resolver tudo sozinhos e acabavam perdendo a bola; Alan Santos é tão lento que às vezes para em campo, e Dimba é nulo. O goleiro é fraco, o técnico substitui mal. Enfim, a coisa está feia… Mas se ganhar o jogo de volta, na Vila Belmiro, o Santos prossegue na competição. Se não ganhar, a diretoria da base deveria estudar uma forma de fazer grande economia: pedir para metade desses garotos estudar e tentar outra profissão.

Você não achou que o time de futsal do Santos abusa da sorte? Por outro lado, Muricy não deveria ser um pouco mais ousado no clássico deste domingo? E esse Sub-20, que coisa feia…


Confesso que não vi o clássico Santos e Palmeiras. E não me arrependi

Confesso que não vi e nem ouvi o clássico. Estava voltando de viagem com a Suzana e preferimos o CD do brasileiro Emmerson Nogueira cantando, com maestria, sucessos internacionais. Ficamos de ligar o rádio às 18 horas, só para saber o resultado e ouvir algumas entrevistas.

Eu sabia que Luiz Felipe Scolari tentaria amarrar o jogo e ganhar com um gol de oportunismo de Kléber, ou em cobrança de falta com Marcos Assunção. O Santos teria a bola a maior parte do tempo, mas seria eficaz e teria vontade suficiente para ganhar o jogo? Eu previa que não. “Empate”, arrisquei.

Ligamos na Estadão/ESPN e o comentarista Paulo Calçade estava dizendo que tecnicamente o Santos é infinitamente superior ao Palmeiras, mas que hoje a tática de Felipão deu certinho. Quando parecia que daria empate, pelas chances desperdiçadas pelo Santos e pela incapacidade do Palmeiras de chegar ao gol, Patrick fez ótima jogada e serviu o indefectível Kléber, que definiu.

Acabo de ver os melhores momentos e, por eles, tenho de concordar que o Santos teve mais chances e ainda um pênalti claro a favor, em bola que o Danilo alvinegro chutou e o esmeraldino espalmou como um goleiro. O mesmo Danilo fez em gol em que estava na mesma linha. Ambos os lances, porém, foram anulados pelo árbitro Vinícius Furlan.

Outros comentaristas disseram que o árbitro deixou o jogo correr solto e não deu cartões, nem mesmo em carrinhos perigosos. Ora, esse estilo de apitar favoreceria qual time hoje? Obviamente não era quem tem jogadores habilidosos, como Neymar e Ganso. Como eu previ, o trio oriundi escalado para o jogo apitou à moda italiana, para felicidade do Palestra.

Quanto realmente valeu este jogo?

É claro que clássico é clássico e torcedor não quer ver o time perder nenhum. Mas, se analisarmos friamente, veremos que este jogo teve pouca importância. O que valerá, mesmo, serão os confrontos a partir das quartas-de-finais. Uma vitória santista no mata-mata será bem mais relevante do que os seis jogos que o time está sem vencer o Palmeiras.

Por outro lado, devo admitir que Felipão tira leite de pedra desse esforçado líder do campeonato, mas mesmo assim é um técnico que se preocupa mais com a defesa e por isso nunca serviria para o Santos. Não podemos nos esquecer que mesmo dirigindo a melhor seleção do mundo, só conseguiu ganhar da Turquia por 1 a 0 na semifinal da Copa de 2002.

Portanto, parabéns ao Palmeiras por viver mais um dia de armeiration, mas nenhum santista que se preze pode querer trocar a situação de seu time pela do rival. Não podemos nos esquecer de que o clássico de hoje, para o Santos, era apenas uma refeição, enquanto para o adversário era questão de vida ou morte.

O que valerá, mesmo, é o jogo de quarta-feira contra o Colo Colo, na mesma Vila Belmiro. Será noite de se esquecer tudo, passar uma régua nos dissabores recentes e jogar como um verdadeiro campeão. Esse jogo assistirei desde o começo, claro. É daqueles jogos que separam os Meninos dos Homens.

E você, confia que contra o Colo Colo a história será diferente?


Corinthians vence com ajuda da arbitragem. Fluminense, nem assim…

Um pênalti não marcado sobre Junior, do Vitória, foi decisivo para que o Corinthians vencesse no Pacaembu, assim como o pênalti mal marcado para o Fluminense, em uma clara bola na mão, poderia ter permitido ao time carioca manter sua vantagem na liderança do campeonato.

Mas Rogério Ceni, inspirado, impediu a injustiça. Ele que já havia marcado um gol de falta, pegou o pênalti cobrado por Washington e garantiu ao menos o empate para o São Paulo, que continua perto da zona de rebaixamento.

Em Minas, Luxemburgo reabilitou Felipão e ficou perto de um recorde. Seu time já sofreu 11 derrotas neste turno. Parece que o projeto do professor não está dando certo. No Palmeiras, Kléber e Marcos Assunção fizeram a diferença.

O Grêmio se salvou da derrota contra o Atlético Paranaense, que abriu o marcador com Maikon Leite.

O Avaí também garantiu ao menos um pontinho contra o Atlético Goianiense, em Goiás.

O curioso é que os três jogos das 16 horas terminaram com o mesmo placar: 2 a 1. E os três das 18h30m foram empates.

O jogo que deixou meu amigo Godô mais feliz foi a vitória do Guarani, de virada, sobre o Flamengo.

Resultados de hoje

Corinthians 2, Vitória 1
Guarani 2, Flamengo 1
Atlético/MG 1, Palmeiras 2
Fluminense 2, São Paulo 2
Atlético/GO 2, Avaí 2
Atlético/PR 1, Grêmio 1

O que você achou desta rodada?


© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑