Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

Tag: Fortaleza

Diga não à espanholização. Não veja Flamengo e Corinthians

Hoje à tarde jogam Flamengo e Corinthians e a Globo transmitirá esse amistoso para todo o Brasil, como se tratasse de um Real Madrid e Barcelona. Mas nem são os dois times mais vitoriosos do Brasil, nem tem os melhores elencos e nem chegam a reunir, juntos, 30% dos torcedores do País. Mas a Globo quer facilitar as coisas para ela e bipolarizar o futebol brasileiro, como já ocorre na Espanha.

E o pior é que se você assistir a este jogo, mesmo que não torça para nenhum dos dois, estará engrossando o ibope e dando subsídios para a Globo, que pretende perpetuar uma cota privilegiada para estes dois clubes, aumentando, gradativamente, a distância econômica entre eles e os demais clubes grandes do Brasil, destruindo a competitividade do futebol brasileiro.

Por isso, para o bem do futebol brasileiro e do seu clube de coração, não assista a esta pelada em Londrina. Não assista e alerte seus amigos e colegas que não torcem para estes dois times, para que também não vejam. O maior ibope que estes dois times conseguem, principalmente o Corinthians, vem dos torcedores rivais, que o assistem só para “secar”. Pare de ajudar o adversário.

Só resta aos torcedores dos outros times grandes tentar fazer alguma coisa, já que nada fizeram os dirigentes dos clubes e das federações, os jornalistas dos grandes veículos e os diretores da Rede Globo. Nenhum deles teve a sensibilidade para perceber que esta divisão de cotas imposta levará o futebol brasileiro para o buraco, a exemplo do que ocorre no futebol espanhol.

O critério, injusto – pois não se baseia no currículo ou no mérito esportivo, e sim em uma relativa popularidade – restringirá, em pouco tempo, os grandes clubes brasileiros a apenas dois. Pois com muito mais dinheiro a cada ano, contratarão melhores jogadores, terão ainda mais exposição na mídia, mais possibilidades de ganhar títulos, venderão mais caro seus espaços publicitários e com isso conquistarão mais e mais torcedores.

Se hoje a soma das torcidas de Flamengo e Corinthians equivale a cerca de 30% da massa dos aficionados de futebol no Brasil, pode estar certo de que esta porcentagem aumentará a cada ano, até que seja a maioria e aí sufoque de vez as vozes contrárias. Por isso, o momento de reagir a esta tentativa de espanholização é agora.

Uma pesquisa feita pelo jornal Marca em 2007 apontou que a soma das torcidas de Real Madrid e Barcelona atingia 58,3% da preferência do torcedor espanhol. Outros três que já foram considerados grandes – Valencia, Athletic Bilbao e Atlético de Madrid – não davam, juntos, 15%. É isso que, rapidamente, irá acontecer no Brasil.

Por mais que as diretoria de clubes sejam criativas e competentes, é a televisão que ditará a popularidade e a riqueza dos clubes. Ela determina os jogos a serem transmitidos, ela distribui o maior dinheiro que os clubes recebem. Imagine esse privilégio se acumulando a cada temporada, e é fácil chegar à conclusão de que toda a empolgante e secular competitividade do futebol brasileiro irá para o espaço em pouco tempo.

Brasil está na contramão de onde o esporte dá certo

Como já falamos neste blog, os campeonatos de futebol mais bem-sucedidos, os nacionais da Inglaterra e Alemanha, dividem uma parte da cota de tevê entre todos os participantes da divisão principal e reservam outro parte a ser distribuída entre os mais bem classificados. O acordo, coletivo, é feito entre a emissora de tevê e uma entidade que representa os clubes. Nada mais justo, mais limpo, mais motivador.

Nos esportes coletivos dos Estados Unidos, como basquete, futebol e futebol americano, os times piores colocados em uma temporada são os que têm a preferência para contratar os melhores atletas universitários. Percebeu bem? Os piores times de um ano contratam as melhores revelações universitárias, o que garante um equilíbrio permanente entre as equipes, assegurando que o público e o mercado continuará contando com bons espetáculos.

De que adiantaria alguns poucos times super poderosos e outros fraquíssimos? Os jogos não teriam graça. O torcedor guardaria seu dinheiro e sua atenção apenas para os clássicos. O esporte perderia sua atratividade. É claro que os norte-americanos perceberam isso, enquanto os espanhóis continuam jogando um campeonato de apenas dois times.

Veja, ainda, a super profissional Fórmula-1, com investimentos bilionários e a participação de algumas das mais poderosas marcas do planeta. Sempre que o poder econômico desequilibra a competição, surgem regras para equilibrá-la novamente, tornando-a mais competitiva. É o óbvio. Se os homens do nosso futebol não sabem como fazer, por que não pedem uma consultoria para Bernie Ecclestone?

Esse movimento não é anti ninguém. É só a favor do futebol

É compreensível que, em um primeiro momento, torcedores de Corinthians e Flamengo se revoltem contra esse boicote aos seus times. Porém, eles também fariam alguma coisa se outros clubes fossem privilegiados por decreto e com isso ganhassem uma poder desproporcional aos seus méritos.

Imagine, por exemplo, que por ter sido o time que mais cedeu jogadores para a conquista da Jules Rimet, por ter tido Pelé, o jogador que mais divulgou o Brasil lá fora, e por ter se sacrificado tanto pela Seleção Brasileira, a ponto de deixar de jogar três Libertadores, mesmo tendo adquirido o direito para isso, o Santos fosse abençoado com um tipo de aposentadoria vitalícia, dessas que muitos de nossos políticos usufruem. E imagine que ela fosse de alguns milhões, todos os meses. Ora, isso provocaria um desequilíbrio no futebol brasileiro. Mesmo santista, eu seria contra. Há muitas formas de se recompensar o mérito, sem ser pela distribuição de dinheiro.

O que se quer com esse MOVIMENTO CONTRA A ESPANHOLIZAÇÃO DO FUTEBOL BRASILEIRO é que os grandes deste País – todos os grandes, e não apenas dois – conservem a sua força competitiva, através de uma cota de tevê e de uma distribuição de visibilidade mais justas, que obedeçam a critérios claros, técnicos e não políticos.

Mais do que dirigentes esportivos, políticos, marqueteiros, empresários do futebol, executivos da comunicação e quetais, é o torcedor que dita as regras e pode fazer o negócio futebol florescer ou definhar no Brasil. Nós acreditamos que sem competitividade, sem os grandes clubes voltarem a ser tratados com igualdade pela tevê e pelos poderes do futebol, não haverá saída para o esporte mais popular do País. Por isso, somos obrigados a boicotar os jogos de Flamengo e Corinthians na tevê, até que uma nova ordem seja estabelecida para a relação entre a tevê e os clubes brasileiros.

O boicote começa hoje à tarde. Posso contar com você?


Timemania confirma que Santos tem a quinta torcida do País. E está subindo…

Torcida feminina do Santos

A única pesquisa confiável de torcidas de futebol no Brasil é a Timemania. Nela não se pede a opinião de meia dúzia de gatos pingados, como nas realizadas pela Data Folha, Ibope e outras por aí. Ela também não chega ao cúmulo de ouvir mais mulheres do que homens, como o Ibope já fez. Na Timemania o torcedor aponta o seu time do coração, que ganhará subsídios do governo se ficar entre os mais apostados. Assim, por mais que um ou outro escolha uma equipe que não é a sua, a grande maioria vota em quem torce, e estamos falando de um contingente de centenas de milhares de pessoas a cada aposta e milhões ao final de um semestre.

Outra vantagem da Timemania é que ela não escolhe nichos específicos para fazer sua pesquisa. Todos sabemos as regiões que têm mais torcedores de um ou outro time. Dependendo do peso de cada uma delas no resultado final, este pode ser bem distorcido. Na Timemania, não, apostam brasileiros de todos os cantos, e por livre e espontânea vontade.

Por isso, os números dos testes da Timemania este ano provam o que todo ser razoavelmente inteligente já está careca de saber: a torcida do Santos é a que mais cresce no País, percentualmente, a ponto de no último teste, o de número 114, de 8 de maio, o Santos aparecer em terceiro lugar, atrás apenas de Flamengo e Corinthians.

Sempre duvidei que times como o Vasco tivessem mais torcedores do que o Santos. A Grande São Paulo tem 14 milhões de habitantes, moro nesta cidade há 57 anos e só conheci dois vascaínos: meu amigo Emanuel Rodrigues, que nem conta, pois é mais santista e remista do que vascaíno, e o português dono de um bar na Rua dos Caetés, em Perdizes. Por outro lado, sei que o Santos tem grande torcida no Rio, cidade que tem a metade da população de São Paulo.

É óbvio que o fator mais importante para um time ganhar torcida, ou perde-la, é o resultado em campo. E nos últimos dez anos, enquanto o Santos foi duas vezes campeão brasileiro, três vezes paulista e chegou a uma final da Libertadores, o que Vasco e Palmeiras, por exemplo, conseguiram?

Assim como, admito, durante muitos anos era difícil ver um menino santista, que criança hoje, em sã consciência e sem ser iludida pelos pais, escolheria de bom grado torcer para Vasco ou Palmeiras?

Alguns alegarão que a Timemania não é reprentativa, pois muitos não apostam. Dirão: “Eu nunca apostei!”. Ótimo. Mas milhões apostam. E quantos foram ouvidos nas pesquisas de torcida da Data Folha ou do Ibope? Quase ninguém (se é que foram). E, convenhamos, se os resultados da Timemania fossem discrepantes, não teríamos nas duas primeiras posições aqueles que, indiscutivelmente, são os mais populares do momento: Flamengo e Corinthians (não, porém, com a porcentagem absurda que outros institutos de pesquisa apregoam. A do Corinthians, por exemplo, não chega a 2% mais do que a santista).

Confira os resultados da última aposta – número 114 – de sábado passado

1º FLAMENGO RJ 56.463 torcedores, 7,14% do total
2º CORINTHIANS SP 42.009 torcedores, 5,31% do total
3º SANTOS SP 33.319 torcedores, 4,21% do total
4º GREMIO RS 31.648 4,00
5º SAO PAULO SP 29.723 3,75
6º PALMEIRAS SP 28.981 3,66
7º VASCO DA GAMA RJ 26.621 3,36
8º INTERNACIONAL RJ 25.491 3,22
9º BOTAFOGO RJ 22.824 2,83
10º CRUZEIRO MG 22.381 2,83
11º ATLETICO MG 19.768 2,49
12º FLUMINENSE RJ 19.073 2,41
13º BAHIA BA 17.021 2,15
14º FORTALEZA CE 13.927 1,76
15º VITORIA BA 13.368 1,69
16º GOIAS GO 12.008 1,51
17º CEARA CE 10.902 1,37
18º ABC RN 9.370 1,18
19º ATLETICO PR 9.131 1,15
20º CORITIBA PR 9.111 1,15

Agora veja o total acumulado deste ano

1º FLAMENGO RJ 964.745 7,31%
2º CORINTHIANS SP 743.027 5,63%
3º PALMEIRAS SP 525.292 3,98%
4º SAO PAULO SP 524.045 3,97%
5º SANTOS SP 508.978 3,86%
6º GREMIO RS 508.103 3,85%
7º VASCO DA GAMA RJ 452.370 3,43%
8º INTERNACIONAL RS 434.879 3,30%
9º BOTAFOGO RJ 390.665 2,96%
10º CRUZEIRO MG 373.893 2,83%
11º FLUMINENSE RJ 329.686 2,50%
12º ATLETICO MG 318.357 2,41%
13º BAHIA BA 292.354 2,22%
14º FORTALEZA CE 229.869 1,74%
15º VITORIA BA 205.173 1,56%
16º GOIAS GO 203.436 1,54%
17º CEARA CE 184.545 1,40%
18º ABC RN 163.121 1,24%
19º ATLETICO PR 159.504 1,21%
20º CORITIBA PR 152.770 1,16%
21º SANTA CRUZ PE 149.390 1,13%
22º SPORT PE 147.667 1,12%
23º AVAI SC 146.864 1,11%
24º JUVENTUDE RS 140.826 1,07%
25º TREZE PB 132.170 1,00%
26º GUARANI SP 132.009 1,00%
27º LONDRINA PR 120.027 0,91%
28º JOINVILLE SC 118.367 0,90%
29º REMO PA 117.277 0,89%
30º PORT DESPORT SP 116.482 0,88%
31º NAUTICO PE 114.760 0,87%
32º UBERLANDIA MG 111.841 0,85%
33º PONTE PRETA SP 110.389 0,84%
34º ATLETICO GO 110.233 0,84%
35º GAMA DF 109.894 0,83%
36º IPATINGA MG 109.302 0,83%
37º ITUANO SP 105.792 0,80%
38º BOTAFOGO PB 105.749 0,80%
39º PAYSANDU PA 101.160 0,77%
40º BANGU RJ 100.708 0,76%
41º AMERICA RJ 99.421 0,75%
42º MARILIA SP 98.553 0,75%
43º JI-PARANA RO 96.959 0,73%
44º INTER LIMEIRA SP 96.014 0,73%
45º AMERICA MG 95.747 0,73%
46º MIXTO MT 95.575 0,72%
47º RIVER PI 94.920 0,72%
48º FIGUEIRENSE SC 94.382 0,72%
49º SANTO ANDRE SP 94.219 0,71%
50º JUVENTUS SP 90.612 0,69%
51º VILA NOVA GO 89.488 0,68%
52º MOTO CLUBE MA 89.358 0,68%
53º PALMAS TO 87.429 0,66%
54º SAO CAETANO SP 87.230 0,66%
55º PARANA PR 85.162 0,65%
56º SERGIPE SE 83.614 0,63%
57º AMERICA RN 82.622 0,63%
58º OLARIA RJ 81.202 0,62%
59º BARUERI SP 80.529 0,61%
60º BRASILIENSE DF 80.282 0,61%
61º S RAIMUNDO AM 80.017 0,61%
62º CRICIUMA SC 79.679 0,60%
63º CRB AL 77.033 0,58%
64º BRAGANTINO SP 75.869 0,58%
65º SAMP CORREA MA 73.343 0,56%
66º YPIRANGA AP 72.982 0,55%
67º NACIONAL AM 72.836 0,55%
68º AMERICANO RJ 69.929 0,53%
69º OPERARIO MS 69.687 0,53%
70º CSA AL 68.720 0,52%
71º RIO BRANCO ES 67.641 0,51%
72º TUNA LUSO PA 64.519 0,49%
73º RIO BRANCO AC 60.680 0,46%
74º RORAIMA RR 59.996 0,45%
75º XV PIRACICABA RR 59.721 0,45%
76º PAULISTA SP 59.408 0,45%
77º DESPORTIVA ES 57.362 0,43%
78º UNIAO S JOAO SP 53.829 0,41%
79º VILLA NOVA MG 51.085 0,39%
80º U BARBARENSE SP 50.402 0,38%


© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑