Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

film izle

Tag: Fox

Ibopismo x Meritocracia

Curiosidade do Campeonato Brasileiro
Quantos pontos os times ganharam em seus últimos 5 jogos

1 – Vitória: 12 pontos (4 vitórias)
2 – Grêmio e Atlético/PR: 10 pontos (3 vitórias)
4 – Corinthians: 9 pontos (3 vitórias)
5 – Cruzeiro, Fluminense e Avaí: 8 pontos (2 vitórias)
8 – Palmeiras, Botafogo, Bahia e Coritiba: 7 pontos (2 vitórias)
12 – Santos: 7 pontos (1 vitória)
13 – Flamengo, Atlético/MG e Atlético/GO: 6 pontos (2 vitórias)
16 – Ponte Preta: 6 pontos (1 vitória)
17 – Vasco: 5 pontos (1 vitória)
18 – Chapecoense e São Paulo: 4 pontos (1 vitória)
20 – Sport: 2 pontos


Essa música resume a carta de intenções da Rede Globo de Televisão

Ibopismo x Meritocracia

O que é mais importante para o futebol brasileiro e o que desperta mais curiosidade no telespectador? As oitavas de final da esvaziada e secundaríssima Copa Sul-americana, ou as quartas de final da Copa Libertadores da América, a versão sul-americana da Champions League? Bem, qualquer um que acompanhe o futebol, mesmo superficialmente, saberá responder a essa questão, mas os experts em programação da Rede Globo não sabem.

Assim, na noite do dia 13 de setembro, em que o único time invicto da Libertadores, e também o único paulista, enfrentará o Barcelona em Guayaquil, a Globo transmitirá para São Paulo um jogo da Copa Sul-americana do alvinegro de Itaquera, um de seus dois times preferidos. Para o santista essa insólita decisão não foi surpresa, mas o fato pede uma análise.

Os pragmáticos alegarão que o motivo é o malfadado ibope. Em qualquer circunstância, o alvinegro de Itaquera daria mais audiência do que o Santos. Mais ibope quer dizer mais dinheiro, e esse é um argumento que, desde programadores de tevê a políticos brasileiros, ninguém discute. É por aí mesmo? Positivamente, não.

Após analisar a audiência de centenas de jogos televisionados, fiz um texto que publiquei no Metro Jornal com o título “O be-a-bá da audiência do futebol”, no qual abordo as circunstâncias que fazem uma partida atrair mais telespectadores. Sugiro que leiam antes de continuarmos a conversa:
Clique aqui para ler o artigo

Pois bem. O confronto do Santos se enquadra no item 3, “Jogo Importante”. É evidente que um título da Libertadores é milhões de vezes mais significativo para o futebol brasileiro do que um da Sul-americana. Há ainda a circunstância de a Libertadores já estar nas quartas de final, um estágio à frente da outra. Some aí o fato de o Santos ser, ao lado do São Paulo, o clube brasileiro que mais vezes ganhou a competição (três) e, como eu disse, mantem-se como o único paulista e único invicto nessa edição de 2017.

Para complementar o interesse, há o detalhe de o Barcelona de Guayaquil ter eliminado o Palmeiras. Ou seja, além de santistas, que torcerão a favor, palmeirenses e outros torcedores provavelmente assistiriam à partida para “secar” o Santos, aumentando a audiência.

Revanchismo da Globo?

Muitos santistas afirmam que a Rede Globo age assim porque o Santos assinou um contrato de canal por assinatura com o Esporte Interativo. Lembram que ex-funcionários da emissora carioca costumam reclamar dos tempos em que ficam na “geladeira”, impedidos de trabalhar. Ou seja, a Globo seria vingativa e usa o seu poder para enaltecer amigos e destruir o que ela considera inimigos. Tudo pelo ibope, ou pelo dinheiro, este último um argumento irrefutável no nosso Brasil.

É difícil acreditar que uma emissora que opera sob uma concessão do governo agiria de maneira tão sórdida. Porém, sem provas da tamanha injustiça, apenas percebo as evidências e, como todos, fico com a pulga atrás da orelha. Não foi essa mesma empresa a parceira do governo na investigada Copa do Mundo de 2014?

E por falarmos daquela Copa de tão más recordações, não seriam aqueles 7 a 1 impiedosamente assinalados pelos alemães um claro sinal de que, além da nossa badalada e frágil Seleção, havia muito mais coisas erradas no futebol brasileiro?

Bem, se aquele vexame profundo e inesquecível queria dizer que o Brasil teria de voltar a valorizar seus melhores times e jogadores, esquecer o sensacionalismo e dar valor ao que realmente é mais importante, então nada foi aprendido. Querer empurrar goela abaixo da população de São Paulo um jogo sem nenhuma significância, em vez de mostrar um duelo importante pela Copa Libertadores é o fim da picada.

Depois que o Brasil tomar outra traulitada na Copa da Rússia, que os solertes jornalistas ou quetais da emissora não venham criar teorias esotéricas para explicar um desastre que começa nos corredores da própria empresa em que trabalham.

Quer escrever (e falar) melhor sobre esporte? Faça o meu curso!

Curso - alunos alegres
Essa foi a turma de julho. Inscreva-se para o curso de setembro. Últimas vagas.

A cada dia cresce o número de pessoas que escrevem (e falam) sobre esporte. Com a não obrigatoriedade do diploma de jornalista, a atividade está aberta a todos.

Entretanto, essa profissão tão fascinante exige conhecimento técnico e ético para ser bem desempenhada.

Por isso criei o Curso de Especialização Técnica e Ética no Jornalismo Esportivo, que ministrarei nesse mês de setembro na sede da Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo, na avenida Paulista.

Não perca essa oportunidade de conhecer segredos da profissão que só um atento jornalista com 40 anos de experiência pode lhe dar. As inscrições ainda estão abertas, mas as vagas são limitadas.

Inscrições abertas para o II Curso de Especialização Técnica e Ética do Novo Jornalismo Esportivo

Ministrado por Odir Cunha, jornalista profissional há 40 anos – Jornal da Tarde, O Globo, rádios Globo, Excelsior e Record, TV Record, editor de nove revistas esportivas, diretor de comunicação da Secretaria Municipal de Esportes de São Paulo, diretor da Ampla Comunicação, editor das editoras de livros Novo Conceito e Magma Cultural, dono do Blog do Odir, autor de 27 livros, biógrafo de Oscar Schmidt, Pelé e Gustavo Kuerten, ganhador de dois prêmios Esso e três prêmios da Associação Paulista dos Críticos de Arte.

Temas do Curso

Pirâmide Invertida X Novo Jornalismo
As maneiras tradicional e criativa de se escrever uma reportagem

As regras para uma boa entrevista
Da preparação à técnica de colher informações e escrever

As dez qualidades do bom jornalista
Extraídas do livro “Lições de Jornalismo”.

Como escrever para
Jornal – Revista – Rádio – TV – Blog

Mídia Social e Assessoria de Imprensa
Como planejar e divulgar cada cliente

Escrever um livro
Como pesquisar, escrever e publicar

Os limites da polêmica
Como evitar os crimes de opinião:
Difamação, Injúria e Calúnia

Princípios do bom texto
Clareza
Objetividade e ordem direta
Escolha das palavras simples e concretas
Uma ideia por parágrafo
Precisão. Sem ela não há credibilidade.
Isenção. A necessidade de ser neutro.
Empatia. O melhor repórter se apaixona pela matéria.
A importância de reler o texto
Criatividade e os caminhos que levam a ela

Comportamento do repórter
Humildade e Respeito. Qualidades essenciais.
Ousadia e Iniciativa. Quando elas são obrigatórias.

Descrição das funções Jornalísticas
Repórter – Copidesque – Chefe de Reportagem
Revisor – Editor – Editor-chefe

Como fazer
Títulos – Subtítulos – Olhos – Intertítulos – Legendas

– Tarefas na classe e em casa
– Matérias sobre eventos escolhidos
– Trabalho Final
– Entrega de Certificado de Conclusão com o número de horas/aula

Curso de Especialização Técnica e Ética do Novo Jornalismo Esportivo

Carga horária: 16 horas

Datas e horários: dias 5, 6, 12, 14, 19, 21, 26 e 28 de setembro, das 19h30 às 21h30.

Local: Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo (ACEESP).

Endereço: Av. Paulista, 807, 9º andar, conjunto 904, São Paulo. Fones: (11) 3251-2420 e 3289-8409.

Investimento: R$ 300,00 (trezentos reais – 50% na matricula, 50% até o dia 15 de setembro.)

Sócios da ACEESP em dia com a anuidade não pagam.

Informações e inscrição até 4 de setembro pelo e-mail blogdoodir@blogdoodir.com.br


8 a 0! E o Bolívar nem precisou pagar pela aula!

Com dribles, muitos gols e um banho de bola – assim o Santos pagou as agressões sofridas em La Paz. Neymar e Ganso brilharam, Elano jogou bem e fez dois gols, Alan Kardec também se movimentou bastante, marcou o seu e se firmou na posição que era de Borges.

Por incrível que pareça, 8 a 0 foi pouco. Torci para o Santos marcar mais três e estabelecer a maior goleada da história da Copa Libertadores. O Bolívar merecia, pela profunda descortesia com que tratou os santistas no primeiro jogo. De qualquer forma, tomaram uma bela lição.

Acho que o Bolívar vai pensar duas vezes antes de tentar ganhar na marra quando joga em casa. E a Conmebol e a Fifa também deveriam chegar à conclusão de que não se deve mesmo permitir jogos de futebol acima de determinada altitude, pois ficou mais uma vez provado que esses times bolivianos, que são leões na montanha, se tornam cordeirinhos ao nível do mar.

Pena que o Santos teve de diminuir o ritmo na última meia hora de jogo, já que domingo é dia de conquistar o histórico Tri-Tri. Queria ver outra goleada de dois dígitos.

Previdente, Muricy Ramalho preferiu substituir alguns jogadores e dar novas oportunidades a Ibson, Felipe Anderson e Borges. Dos três, para ser sincero, nenhum se destacou.

Ibson conseguiu perder algumas bolas bobas e Borges marcou um gol, é verdade, mas desperdiçou outros dois. Com isso, ao menos para mim, Elano e Alan Kardec estão mais do que garantidos no time domingo.

Transmissão pela Fox

Assisti pela Fox. Gostei da narração, da reportagem e sei que o comentarista, o PJ, é bom. Mas ele parecia estar mais preocupado em dizer o que o Bolívar tinha de fazer para se classificar, do que falar das qualidades do Santos. E deu um fora quando disse que Paulo Henrique estava fazendo fita quando levou a mão ao rosto, reclamando de uma cotovelada. PJ nem tinha acabado a frase e a câmera mostrou o nariz de Ganso sangrando. Poderia ao menos ter se desculpado e corrigido a frase.

Veja os gols do jogo:

http://youtu.be/ivBCMkO8Co0

E pra você, qual foi a sensação de ver Santos 8, Bolívar 0?


Logo mais, na Vila Belmiro, vamos ver quem é mais forte

De uniforme novo, azul-turquesa, e com o time completo – única exceção é a entrada de Adriano no lugar de Fucile –, o Santos enfrenta logo mais, às 19h45m, o The Strongest, da Bolívia, que o venceu por 2 a 1 no seu primeiro jogo nesta Libertadores. Uma vitória e o Alvinegro Praiano, que tem 10 pontos ganhos, assegurará a primeira colocação do Grupo 1. No mesmo horário jogarão, no Peru, o Juan Aurich, que tem três pontos, e o Internacional, com sete. A Fox transmitirá o jogo do Santos.

Sem Fucile, que torceu o pé, Muricy escalará Henrique na lateral-direita e fará entrar Adriano na cabeça de área. O Santos só não passará para a próxima fase se perder por cinco gols de diferença hoje e se o Internacional vencer o Juan Aurich.

A arbitragem será de Julio Quintana, do Paraguai, auxiliado pelos também paraguaios Rodney Aquino e Hugo Martínez. Os times deverão iniciar a partida com as seguintes formações:

Santos: Rafael, Henrique; Edu Dracena; Durval e Juan; Adriano, Arouca, Elano e PH Ganso; Neymar e Borges; Técnico: Muricy Ramalho. The Strongest: Vaca, Parada; Marchesini; Méndez e Torrico; Lima, Soliz, Chumacero e Cristaldo: Pablo Escobar e González; Técnico: Eduardo Villegas.

Hoje Orlando Duarte lança o livro “Pioneiros” no Museu do Futebol

Hoje, das 19 às 22 horas, no Museu do Futebol, o notável jornalista esportivo Orlando Duarte lança o livro “Pioneiros, a história do futebol através do tempo”. Com um currículo riquíssimo, que inclui a cobertura de 14 Copas do Mundo, Orlando Duarte acompanhou o Santos em várias viagens internacionais.

No livro, Orlando registra, em 165 páginas, a história do futebol através do tempo; a chegada de Charles Miller e a introdução do futebol no Brasil; a fundação dos principais clubes em São Paulo e a criação da Liga Paulista de Futebol; detalhes do primeiro campeonato paulista em 1919; a formação dos tradicionais times do Rio e São Paulo; os clubes mais antigos do Brasil ainda em atividade; os primeiros confrontos entre São Paulo e Rio; e a história de fundação dos principais times de cada estado brasileiro. A obra também mostra a evolução das regras, a história de fundação dos principais clubes de futebol no Brasil e traz imagens históricas e fotografias.

Pena eu não poder ir, pois estou em Ribeirão Preto, mas desejo sucesso ao amigo e grande profissional Orlando Duarte, em quem eu já votei várias vezes como o melhor comentarista do rádio de São Paulo. Sei lá como um profissional como ele não está em uma grande emissora. Mas, fazer o quê. Parece que vivemos uma grande inversão de valores na imprensa esportiva.

Há cem anos um grande naufragava em águas gélidas
e outro maior ainda surgia no litoral do Atlântico Sul

Texto de Carlos Lyra

Em 14 de abril de 1912, três esportistas da cidade convocaram uma assembleia na sede do Clube Concórdia a fim de criar um clube de futebol. Estava fundado o Santos Futebol Clube.

Representado pelas cores preta (nobreza) e branca (paz), o time que hoje se torna centenário, mal sabia a gloriosa história que estava por trilhar.

História que foi contada nos pés de Siriri, Camarão e Evangelista, no ataque dos 100 gols na década de 20. Um time naturalmente ofensivo que já contava em seu elenco, com a magia do atacante Feitiço. Sem esquecer Araken Patusca, que em 1935 faria um dos gols na final do primeiro título paulista.

Como contar a história desse time sem mencionar o ataque mais famoso do mundo. Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe. Linha de frente que de tão citada até poderia virar música.

Anos dourados que começaram antes mesmo da chegada do Rei. Pagão e Pepe já estavam no segundo título paulista vinte anos depois do debute estadual. O futebol arte.

Futebol que encantava multidões, que conquistava o país, a América e o Mundo. Arte que parou guerras. Zito, Clodoaldo, Ramos Delgado, Carlos Alberto, Gilmar, Toninho Guerreiro, Edu, Djalma Dias e Abel artistas que complementavam o espetáculo, viajaram o mundo fascinando os súditos da realeza.

Expoente máximo do futebol brasileiro, base da Seleção campeã em três Copas do Mundo, se reinventou após a parada do Rei. Continuou formando artistas da bola, craques precoces, Meninos da Vila. Juary, Nilton Batata, Pita e Ailton Lira ganharam o décimo quarto-título paulista para o Glorioso, mostrando que a fonte era inesgotável.

Anos 80 e título em cima do maior rival. O irreverente Serginho Chulapa, o uruguaio Rodolfo Rodriguez, Zé Sérgio e Paulo Isidoro comemoravam o que seria a última conquista em muitos anos.

O gigante adormeceu. Não conseguiu mais se impor perante seus rivais. Hibernou. Quase acordou em 1995 sob a batuta de Giovanni, o Messias. O árbitro não deixou.

Teve leves sorrisos no fim da década de noventa com dois títulos de menor expressão, mas mesmo assim não bastava. Era muito pouco para o time considerado o melhor da América do Sul no século XX.

Precisava do diferente, da alegria, da molecada. Dos Novos Meninos da Vila. Precisava do cerebral Diego, do habilidoso Robinho, do consistente Renato e do vibrante Elano. Da fera Fábio Costa e de muitas pedaladas. O Brasil era novamente Alvinegro Praiano. O gigante acordara. E ganharia o Brasil novamente dois anos mais tarde.

Títulos e jogos internacionais voltaram a fazer parte do cotidiano santista. Bi-campeão paulista, aplausos de pé na Colômbia. Algo grande estava pra acontecer. E aconteceu.

O terceiro raio caiu. Neymar e a terceira geração de meninos brilhantes. Ao lado de Ganso, André, Wesley e Robinho (eterno Menino da Vila) enchiam os torcedores de orgulho e os adversários de gols. Goleadas históricas. 10 a 0, 9 a 1, 6 a 3… Título paulista com jogo dramático e Copa do Brasil com ar de superioridade. Degraus necessários para a reconquista da América. Que chegou no ano seguinte, destacando-se também o seguro Rafael, outra prata da Casa.

Parabéns Santos! Comemore seu centenário da mesma maneira que tem vivido toda sua história. Com alegria, ousadia e arte!

E você, o que espera de Santos e Strongest?


A Globo transmitirá só um jogo do Santos na Libertadores. Pode?

Por mais boa vontade que se tenha, não dá para entender a TV Globo transmitir apenas um jogo do Santos na fase inicial da Copa Libertadores. Atual campeão sul-americano, com Neymar, maior ídolo do futebol brasileiro no momento, além de astros como Paulo Henrique Ganso e Elano, e uma popularidade comprovadamente crescente, o Santos é uma atração bem mais interessante para o telespectador do que as outras equipes brasileiras na competição sul-americana.

Mesmo considerando-se que o discutível critério “torcida” garanta uma reserva de mercado para Flamengo e Corinthians, ainda assim o Santos, por critérios exclusivamente jornalísticos, merecia maior atenção da grande rede de tevê brasileira.

Neymar e Ganso, duas maiores celebridades do futebol.

Os santistas Neymar e Ganso são, hoje, as duas maiores celebridades do futebol brasileiro, segundo o Celeb. Para quem aind anão conhece, o “Celeb é um termômetro de popularidade de celebridades brasileiras na mídia nacional. O ranking é gerado automaticamente a partir de um sistema que monitora centenas de sites de mídia convencional (jornais, revistas, blogs etc.) e social (Orkut, Facebook, Twitter etc.). O endereço do site é
http://www.celeb.com.br/sobreceleb.php

Ainda pelo Celeb descobrimos que Elano (décimo) e Muricy Ramalho (décimo-quarto) estão muito bem colocados entre os famosos que mais aparecem na Internet, somando-se personalidades de todos os times de futebol do País. Esse panorama, que destaca jogadores e técnicos santistas, se mantém inalterado desde o ano passado.

Em 2011 o Santos foi, de novo, o terceiro em apostas na Timemania

Na Timemania, com mais de três milhões de apostas como o “time do coração”, o Santos voltou a ocupar a terceira posição em 2011, repetindo a colocação de 2010. Este resultado representa cerca de 500 mil apostas mais do que Vasco e Internacional e um milhão a mais do que o Fluminense. É mais do que evidente a preferência dos brasileiros pelo Alvinegro Praiano em comparação aos times citados.

É importante destacar que a Timemania é apostada em 62,8% das cidades brasileiras, enquanto a “pesquisa” de torcida mais abrangente que se fez não chegou a ouvir habitantes de 3% das cidades do País. Outro detalhe é que a Caixa Econômica Federal comprovou que cerca de 99% dos apostadores preenchem apenas um volante, o que cai por terra a teoria de que um bando de velhinhos apaixonados pelo Santos (e milionários, provavelmente), aposta amalucadamente na Timemania, a ponto de fazer o time superar rivais que teoricamente teriam maior torcida.

O que realmente ocorre, e que muitos não querem admitir, é que o Santos é um dos times mais queridos do Brasil, e já tem um universo de admiradores que supera quase todos os outros times brasileiros. A seguir, o resultado da Timemania em 2011 e 2010:

Acumulado da Timemania em 2011

1º FLAMENGO RJ 4.949.692 6,20%

2º CORINTHIANS SP 3.792.418 4,75%

3º SANTOS SP 3.002.491 3,76%

4º SAO PAULO SP 2.934.318 3,67%

5º PALMEIRAS SP 2.829.947 3,54%

6º GREMIO RS 2.751.417 3,44%

7º VASCO DA GAMA RJ 2.535.332 3,17%

8º INTERNACIONAL RS 2.528.407 3,17%

9º BOTAFOGO RJ 2.156.341 2,70%

10º CRUZEIRO MG 2.040.456 2,55%

11º FLUMINENSE RJ 2.038.509 2,55%

Acumulado da Timemania em em 2010

1º FLAMENGO RJ 3.848.273 6,38%

2º CORINTHIANS SP 3.198.431 5,30%

3º SANTOS SP 2.316.061 3,84%

4º SAO PAULO SP 2.259.467 3,75%

5º GREMIO RS 2.246.505 3,72%

6º PALMEIRAS SP 2.238.473 3,71%

7º INTERNACIONAL RS 1.993.735 3,30%

8º VASCO DA GAMA RJ 1.910.772 3,17%

9º BOTAFOGO RJ 1.675.546 2,78%

10º CRUZEIRO MG 1.620.941 2,69%

11º FLUMINENSE RJ 1.571.862 2,61%

Solução é mobilizar a torcida

Se toda a lógica pode ser contrariada por decisões de uma emissora de tevê que age como se fosse deus – apesar de ser uma concessão do Estado –, então é perda de tempo apelar para os fatos e argumentos. A única saída para o torcedor santista é mobilizar-se. Por isso, insisto, a criação das embaixadas, espalhadas por todo o País, é tão importante. As embaixadas tornarão mais eficazes as participações das comunidades santistas e contribuirão para o crescimento e a consolidação da torcida.

Bem, esta é uma ação a médio e longo prazo. Porém, a Libertadores está aí e o que fazer diante da estranha opção da Globo é emergencial. Um leitor, o Luiz, sugere que os santistas assinem o pacote da Fox, que detém os direitos da transmissão da Libertadores e está oferecendo toda a cobertura da Copa por 39,90 ao mês. Vale a pena buscar mais informações sobre este plano da Fox.

E você, acha justo a Globo transmitir apenas um jogo do campeão e cada vez mais popular Santos na Copa Libertadores? É uma boa assinar a Fox?


© 2018 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑