Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

Tag: Francisco Cembranelli

Diretoria merece todas as críticas, mas jogadores e técnico não

185,5
Esta é a média de comentários dos últimos 20 posts deste blog (sem contar o que está no ar).

Caos administrativo-financeiro, assim se pode definir a situação atual do Santos. Por onde se olhe há buracos, há negócios inexplicáveis, há questões não respondidas. Como um clube que faturou tanto, vendendo todas as suas estrelas, pode estar tão no vermelho a ponto de pedir o adiantamento de cotas que só deveria receber da Rede Globo em 2014? E por que aumentar sua dependência da Globo, uma emissora que parece interessada em esconder, em diminuir o Santos?

Do dinheiro da venda de Neymar nem se fala, pois é tão grande a diferença entre o que o Barcelona diz que pagou e o que a direção do Santos diz que recebeu, que só mesmo a intervenção da Receita e da Polícia Federal para esclarecer a questão. Estranho muito que nenhuma providência tenha sido tomada nesse sentido. O caso é tão tenebroso que nem pessoas muito bem informadas, que conviviam estreitamente com os dirigentes envolvidos na negociação, sabem adiantar qualquer novidade sobre o assunto. A Justiça deveria ser acionada e os dirigentes do Santos obrigados a esclarecer o negócio (Leia: http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-10-16/senadores-querem-que-ex-dirigentes-esportivos-respondam-por-contratos-irregulares).

Um dos astros dos futebol mundial, de valor incalculável, maior esperança do Brasil na Copa de 2014, foi vendido para a Espanha oficialmente por uma bagatela e ficou por isso mesmo? Como assim? Espero que ao menos o procurador Francisco Cembranelli, em quem confio e espero continuar confiando, tome uma posição a favor dos verdadeiros santistas e inicie uma investigação interna para tratar do assunto.

É evidente que poio as críticas e a desconfiança dos santistas com relação a esta direção que está aí, que foi eleita prometendo transparência, competência e profissionalismo, e acabou se mostrando mais obscura, incompetente e amadora do que as últimas que passaram pela Vila Belmiro.

Foram e estão sendo desonestos? O Santos vive uma versão moderna da mala que caiu da janela do avião? Isso só uma auditoria ou uma investigação rigorosa poderá provar. Mas é bastante suspeito que, diante da enorme inquietação da comunidade alvinegra, os dirigentes do clube, licenciados inclusive, não tratem de explicar as ações que levaram o Santos a este estado crítico, altamente preocupante.

Pelas circunstâncias, rendimento do time não é ruim

Entendo a revolta do torcedor, pois já fui muito mais inconformado antes de me tornar jornalista e ser obrigado a analisar vários ângulos de uma questão. Hoje, conto até dez e analiso a situação antes de sair atirando para todos os lados. Concordo que o elenco e o time do Santos poderiam ser melhores, assim como o técnico. Porém, diante das circunstâncias, creio que mereçam mais apoio do que críticas. Contra a previsão de muitos estão mantendo o time à frente dos outros paulistas, longe da zona de rebaixamento e ainda com esperanças de chegar à Libertadores de 2014.

Não estou dizendo que está bom. Entenda bem: estou dizendo que diante das circunstâncias, está bom. Ainda faltam sete rodadas para o fim do Brasileiro e o momento não é o de cornetar, mas sim de empurrar o time para os melhores resultados que puder. Após o fim do campeonato faremos uma análise minuciosa do elenco e diremos quem, na nossa opinião, deve permanecer ou sair do Santos.

Essa análise deve e será feita, sem paternalismos, é um compromisso deste blog. Mas agora a enxurrada de críticas a um ou outro jogador, ou ao técnico Claudinei Oliveira, não trará nada de bom. Até porque, mesmo com jogadores e técnicos mais gabaritados, o Santos tem realizado Campeonatos Brasileiros medíocres desde 2008. Por que seria obrigado a ficar entre os primeiros com um time formado por veteranos, garotos e renegados de outros times, dirigido por um técnico interino?

O último ano em que o Santos se classificou para a Copa Libertadores por meio do Campeonato Brasileiro foi 2007, quando terminou em segundo lugar. De lá para cá suas campanhas no Brasileiro foram pífias. Vejamos desde 2007:

2007 – segundo – 19 vitórias – 54,30%
2008 – décimo-quinto – 11 vitórias – 39,47%
2009 – décimo-segundo – 12 vitórias – 42,98%
2010 – oitavo – 15 vitórias – 49,12%
2011 – décimo – 15 vitórias – 46,49%
2012 – oitavo – 13 vitórias – 46,00

Em 2013, com 31 rodadas, o Santos tem 44 pontos e 10 vitórias, com aproveitamento de 47% e ocupa a oitava posição do campeonato. Se o rendimento continuar o mesmo, o time terminará a competição com 12 vitórias e o mesmo aproveitamento de 47%, o que será maior do que em 2008, 2009, 2011 e 2012.

Então, que as críticas se voltem à direção do clube e que o torcedor e o sócio exijam explicações pelos atos financeiro-administrativos que levaram o Santos à situação atual. Mas que, ao menos até o final do Brasileiro, os jogadores e o técnico tenham o apoio necessário para concluir a dura missão de terminar esse Brasileiro com a cabeça erguida.

E pra você, quem merece críticas, ou elogios, no Santos?


O herói santista do dia

Não, não é Neymar, Paulo Henrique Ganso, André, Madson, Marquinhos, Zé Eduardo, Arouca ou Wesley… O santista consagrado do dia é o promotor Francisco Cembranelli, que nesta madrugada conseguiu, finalmente, condenar Alexandre Nardoni e sua mulher Anna Jatobá pelo assassinato da pequena Isabela, de apenas cinco anos, filha de Alexandre.

Havia advogado que defendia a inocência dos réus sob a alegação de falta de provas. Ora, se o pai e a madrasta estiveram o tempo todo ao lado da criança e ela foi assassinada, quem teria cometido o crime? Um ET?

Este risco, de que assassinos frios e mentirosos saiam impunes – algo comum em nosso país – é que faz o povo comemorar uma condenação como se fosse vitória em jogo final de campeonato e transformar o promotor público em herói. Apesar dos graves problemas sociais que envolvem boa parte da população, felizmente ainda não é comum matar-se crianças em momentos de descontrole.

Que o ser humano é passível de atos escabrosos, todos sabemos. Mas o que mais chocou, no caso, foi o não arrependimento dos assassinos, a tentativa de se livrar da justiça, as mentiras, o jogo jurídico para burlar a decência e a ética.

Coincidentemente, Cembranelli é santista roxo. Sei disso porque José Carlos Peres o conhece e já tinha me falado sobre ele há dois anos, quando o crime da pequena Isabella aconteceu. Como todo santista, Cembranelli é um apreciador do talento, da beleza e da verdade. Além de prezar, como poucos, a justiça, está acostumado a ser provocado e desafiado pelos idiotas da subjetividade.  E, invariavelmente, consegue colocá-los em seu devido lugar.


© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑