Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

film izle

Tag: Grand Mistral

Escolha o seu evento e participe do Centenário do Santos!

O Sesc Santos recebe até o final do mês as fotos que serão selecionadas para a exposição em homenagem aos 100 anos da torcida do Santos. É a sua chance de entrar para a história do clube. Faça a sua foto com talento, carinho e amor e envie para o Sesc.

Cruzeiro do Centenário

Amanhã o transatlântico Grand Mistral parte do Porto De Santos levando os sortudos que participarão do Cruzeiro do Centenário. Ginkanas, shows, palestras, bate-papos e o baile do branco e preto esperam os felizes passageiros da viagem histórica. Não sei dizer se ainda há cabines disponíveis, mas se você quiser tentar em cima da hora, ligue para ou passe e-mail para .

Carreata e Romaria

Dia 14 de abril uma romaria partirá, às 10 horas, do lugar em que o Santos foi fundado, e seguirá para a Vila Belmiro. Também às 10 horas uma carreata descerá a serra de São paulo em direção a Santos. O fim de semana de 14 e 15 de abril será recheado de atividades em Santos, para comemorar os 100 anos do maior time do mundo. Anote na sua agenda. Participe, leve os famniliares, convide os amigos.

Em qual desses eventos eu poderei contar com você?


Santos e Ponte Preta, um jogo de muita história, em Barueri

Santos e Ponte Preta já fizeram jogos memoráveis – entre eles a despedida de Pelé do Santos, em 2 de outubro de 1974, na Vila Belmiro, quando o Rei pegou a bola no centro do campo, se ajoelhou e o mundo parou. Houve ainda ume goleada fenomenal no Paulista de 1959 – 12 a 1, também na Vila, sem Pelé em campo e com cinco gols de um garoto de 16 anos chamado Coutinho. Mas a Ponte também aprontou. Em 2002, quase tira o Santos do octogonal decisivo ao vencer o Alvinegro Praiano, na Vila Belmiro, por 3 a 1.

Como a Ponte é um time altivo, que sabe jogar e não se fecha atrás, acredito em um jogo bonito hoje, às 18h30, em Barueri (transmissão do Sportv). E torço para que o Santos siga a sua vocação ofensiva.

Continuo com remotas esperanças de que Muricy Ramalho faça o óbvio e escale Felipe Anderson ao lado de Paulo Henrique Ganso, na meia. Para escolher os dois volantes é só tirar no 2 ou 1 entre Arouca, Henrique, Elano, Íbson e Anderson Carvalho, se bem que eu prefira Arouca e Anderson Carvalho.

Mas entendo a posição do treinador, claro. Na cabeça de Muricy, os garotos Anderson Carvalho e Felipe Anderson podem esperar mais um pouco, enquanto os afamados Elano, Íbson e Arouca precisam jogar, ou a resistência ao técnico nos bastidores começará a incomodar.

Nesta semana, o UOL, que em matéria de Santos costuma estar muito mal informado, disse que o Elano tem chiado com Muricy por ficar na reserva de Íbson. Se há mesmo algo nesse sentido, o que posso dizer é que Elano sempre foi um coadjuvante. Um ótimo jogador, mas nunca o principal. E, se formos ver bem, ele nunca jogou muito mais do que tem mostrado atualmente.

Atuava ali pela lateral e pela meia direita, marcando, tocando pouco na bola, mas aparecendo de surpresa em lances importantes. Com a idade e os maus hábitos extra-campo, perdeu a pouca velocidade e o fôlego que tinha. Não tem justificado o alto salário (R$ 400 mil) e se quiser mudar isso, não adianta pressionar o técnico para jogar, tem mais é de se esforçar para readquirir a forma que perdeu.

A história dos confrontos Santos x Ponte Preta

Por Wesley Miranda

Santos e Ponte Preta já se enfrentaram 114 vezes, e o Santos tem boa vantagem, com 64 vitórias contra 27 derrotas e 23 empates. O Peixe marcou 221 gols e a Macaca, 129.

Em Campeonatos Paulistas são 82 confrontos, com 48 vitórias santistas contra 18 vitórias campineiras e 16 empates. O Santos marcou 149 gols e sofreu 87.

Brasileiros 8, 4, 6
Paulistas 48, 16, 18 51
Rio-SP 0, 0, 1
Amistosos 8, 3, 2
e Pré Paulistão, Laudo Natel…

Pepe, o artilheiro

O artilheiro do confronto é o aniversariante do dia, José Macia, o Pepe, que hoje está completando 77 anos. O Canhão da Vila marcou 15 gols contra a Ponte Preta, três a mais do que Pelé!

As maiores goleadas da história do Santos
Quando pensamos em Santos e suas goleadas, lembramos especialmente do autor de 1.091 gols na história do time, Pelé. Mas, curiosamente, o Alvinegro tem no seu histórico duas goleadas por 12 a 1, uma frente ao Ypiranga, em 1927 com aquele famoso ataque do 100 gols (o Rei, obviamente, não tinha nem nascido) e a outra em cima da Ponte Preta em 1959 com o time de Pelé, ops….Pelé não jogou, então o time de Coutinho, que marcou cinco gols na aprtida, e Pepe!

Com a palavra o artilheiro do confronto e aniversariante do dia:
“Por incrível que pareça, o Pelé não jogou nos 12 a 1. O Coutinho marcou cinco vezes e eu quatro. Porém, pelo juiz, deixei de quebrar meu recorde de gols em uma só partida. No final, tive um gol anulado. Esse time era bom!”

Modesto o senhor José Macia, esse time era excelente! Em 1959 o Santos estabeleceu o ataque mais arrasador de sua história, com 342 gols nos 99 jogos realizados naquele ano!

Santos 12 x 1 Ponte Preta – Resumo
Dalmo, Pagão e Mourão não tiveram preocupação na parte defensiva, e até o defensor Formiga foi mais ao ataque. Zito e Jair, mesmo sem muitas condições físicas, fizeram valer a técnica que tinham. No ataque, Dorval destoou um pouco de seus companheiros e chegou a perder algumas chances. Mas Agnaldo, que teve a enorme responsabilidade de substituir Pelé, foi bem, marcando dois!

Pelé e o recorde de público
Apesar de saber que o Pepe é um grande monstro na história do Santos, você deve estar se perguntando porque o Pelé não é o recordista de gols contra a Ponte Preta, se marcou 50 contra o Corinthians, 43 contra a Portuguesa, 42 contra o Juventus, 40 contra o Guarani e Botafogo-SP, 32 contra São Paulo e Palmeiras… Mas é bom saber que a Ponte Preta ficou ausente da divisão especial de 1961 a 1970. Então, como diria os mais engraçados: Malandra é a Macaca, que ficou na segunda divisão pra não enfrentar o Santos de Ouro!

Com ausência de uma década de duelos, o primeiro confronto no Moisés Lucarelli do Santos de Pelé depois do longo jejum, fez o estádio receber um público oficial de 33.500 torcedores. Porém, mais de 40 mil torcedores estavam presente na vitória do Santos por 1 a 0, com gol de Douglas, em 16 de agosto de 1970. E esse é o recorde de público do Majestoso.

A despedida do Rei
E na partida do Paulistão do dia 02/10/1974 justamente contra a Ponte Preta que Pelé decidiu até então encerrar a carreira. No estádio que foi palco de muitas alegrias, a Vila Belmiro, lotou para ver pela última vez o Pelé em ação. O Rei que jogou contundido, aguentou só até aos 23 minutos da primeira etapa. Pelé se ajoelhou no centro do gramado, abriu os braços em uma forma de agradecimento, se despediu emocionado e emocionando.

De lá para cá arrumaram e arrumam inúmeros sucessores para o seu reinado, mas quem é rei nunca perde a majestade, e Pelé, que decidiu encerrar a carreira jovem, aos 34 anos, para parar no auge, poderia, sim, jogar no Santos no mínimo por mais uns quatro, cinco anos.
Reveja esse jogo contra a Ponte Preta no dia 20/05/1973 e tire suas conclusões (o número 9 é Eusébio):

Os Meninos da Vila e a maior Ponte da história
A Ponte era um timaço em 1978, tinha Dicá e três jogadores que foram para a Copa de 78, na Argentina: o goleiro Carlos e os zagueiros Oscar e Polozzi. Um excelente time, um dos maiores do Brasil no fim dos anos 70. E esse time fez alguns grandes duelos decisivos com os meninos da Vila de Chico Formiga, no longo Campeonato Paulista de 1978.

Semifinal do 1º turno: Com um golaço de falta de Ailton Lira o Santos venceu por 1 a 0 e foi para a final do turno contra o Corinthians.
Semifinal do 2º turno: A Ponte venceu por 2 a 1 com gols de Lúcio e Jorge Campos. Claudinho fez o gol santista.
Na penúltima rodada do terceiro turno, o Santos bateu a Ponte por 2 a 0 com gols de Juary e, de novo, de falta Ailton Lira. E o Santos contou com uma vitória da Ponte sobre o Juventus para se classificar para a semifinal como o segundo do grupo.

Kléber Pereira em dia de Pepe
Em 5 de abril de 2009, no Majestoso, o Santos precisava vencer a Ponte, vice do Paulista de 2008, para se classificar para as semifinais. Kléber Pereira marcou primeiro aos 38º minutos de jogo, colocando o Santos em vantagem no primeiro tempo. Na volta do intervalo, a Ponte Preta do goleiro Aranha, fez mais que só cumprir tabela ao fazer dois gols relâmpagos e virar o jogo. O resultado eliminava o Santos e classificava a Portuguesa. Mas aos 37 minutos do segundo tempo, Kléber Pereira iniciou a reação com o gol de empate e consolidou a classificação ao converter um pênalti aos 43 minutos! Um jogo histórico do time das viradas.

A última decisão
Apesar de dividindo a atenção com a Libertadores, o Santos era o grande favorito das quartas de final do Paulista de 2011. Mas a Ponte, invicta contra os grandes, vendeu caro a derrota, mesmo jogando na Vila Belmiro. O gol da classificação saiu aos 20 minutos, dos pés do iluminado Neymar.

Cruzeiro: maior conhecedor da história do Santos ganhará moto Kazinski


Moto Kazinski, o prêmio ao maior conhecedor da história do Santos a bordo do Grand Mistral

Você que vai participar do Cruzeiro do Centenário, comece a estudar a história do Santos. Durante a viagem de quatro dias todos poderão participar do concurso sobre a história do Santos. Aquele que der mais respostas certas ganhará uma moto elétrica Kazinski.

Desculpe, mas santista que não conhece a história do clube, é meio santista. Por falar nisso, no Cruzeiro teremos palestras e debates sobre eventos marcantes da história do Santos, com a participação de ídolos do clube, pesquisadores e do apresentador Milton Neves.

O transatlântico Grand Mistral larga do porto de Santos dia 4 de março, domingo. Soube que ainda há cabines vagas. Se quiser nos dar a honra e o prazer de sua companhia, ligue na segunda-feira para (11) 3038-5301 ou envie e-mail para reservas@navio100sfc.com.br

Despedida de Pelé, em 1974:

Robinho, Diego & Cia, no Brasileiro de 2003:

E hoje, o que esperar do Santos contra a respeitável Ponte Preta?


© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑