Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

Tag: Grêmio (page 1 of 17)

Santos perde pra ele mesmo

O ataque fez dois, mas a defesa afundou novamente o Santos. O Grêmio é um time mediano, mas esforçado. O Santos é um time mais pra bom, mas meio preguiçoso e bem desatento quando joga fora de casa. Resultado: depois de sair perdendo por 2 a 0, conseguiu empatar, mas sofreu um gol aos 44 minutos do segundo tempo quanto tinha seis defensores contra dois atacantes gaúchos. Enfim, a história se repetiu e a vaga no G4 foi perdida pelas profundas deficiências defensivas do Santos.

Todos os gols gaúchos foram obtidos naquela avenida entre Victor Ferraz e Luiz Felipe, ou seja, entre a lateral direita e a zaga central do Santos. Entra jogo, sai jogo, e o buraco por ali continua. Os dois primeiros vieram de rebatidas de Vanderlei para o meio da área.

O Santos melhorou com as entradas de Yuri no lugar de Gustavo Henrique, Jean Mota no de Renato e Copete no de Vitor Bueno. Uma pena que o time tenha sempre de perder um jogo para o técnico Dorival Junior perceber quem ele deveria ter escalado desde o início da partida. A falta de percepção do técnico tem custado pontos preciosos ao Alvinegro Praiano.

Os decantados Lucas Lima, Gabriel e Thiago Maia não jogaram bem, e o Santos, que poderia dormir na liderança do campeonato com uma vitória, amargou mais uma derrota para uma time perfeitamente vencível. Uma pena. Dava pra ganhar com um pé nas costas.

Grêmio: Marcelo Grohe, Edílson, Rafael Thyere (Marcelo Hermes), Fred e Marcelo Oliveira; Walace, Jaílson, Giuliano, Douglas e Everton (Guilherme); Luan (Bobô). Técnico: Roger Machado.
Santos: Vanderlei, Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique (Yuri), Zeca; Thiago Maia, Renato (Jean Mota); Vitor Bueno (Copete), Lucas Lima, Gabriel; Rodrigão. Técnico: Dorival Júnior.
Gols: Giuliano aos 3 e Douglas aos 43 minutos do primeiro tempo; Copete aos 19, Zeca aos 38 e Marcelo Hermes aos 44 minutos do segundo tempo.
Público total: 14.865 pessoas. Renda: R$ 363.345,00.
Arbitragem: Eduardo Tomaz de Aquino Valadão, auxiliado por Alessandro Rocha de Matos e Bruno Raphael Pires.
Cartões amarelos: Lucas Lima, Zeca, Edílson, Douglas e Walace.

E você, o que achou do Santos em Porto Alegre?


Olhe pra cima, Santos!

Desde as priscas eras Santos e Grêmio fazem bons jogos em Porto Alegre, e o Alvinegro Praiano, volta e meia, consegue uma boa vitória contra o tricolor gaúcho. Hoje os dois times voltam a se encontrar, às 19h30, e a vitória pode levar o Santos para a liderança do Campeonato Brasileiro. O time está jogando bem, motivado, e tem condições de conseguir os três pontos. Só não deve se contentar com o empate e ficar tocando a bola de lado. Pode até ser mais defensivo, às vezes, mas com uma mentalidade ofensiva.

O Grêmio vai atacar, correr, entrar decidido nas divididas e tentar encher a área santista de cruzamentos. Esse é o jogo do time do Sul. Não tem criatividade e nem craques, mas se entrega à partida com ardor. Sabendo usar os espaços que surgirão, o Santos pode repetir o que fez o Vitória e voltar de Porto Alegre com um triunfo fundamental para a busca do título. Vale a pena acreditar nisso.

O técnico Dorival Junior poderá repetir o time que fez boa partida contra o São Paulo: Vanderlei, Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Zeca; Renato, Thiago Maia, Vitor Bueno e Lucas Lima; Gabriel e Rodrigão. Trata-se de um bom time, com problemas nas bolas altas cruzadas na área, mas com um ataque perigoso e um meio de campo acima da média, que fica ainda melhor com a entrada de Yuri.

O jogo do Grêmio é organizado pelo veterano Douglas, um jogador com ótimo passe, mas com pouca mobilidade. Acho que o Santos tem de ser humilde e marcá-lo em cima. Dele saem a maioria das jogadas de ataque do tricolor. O técnico, Roger Machado, deverá escalar seu time com Marcelo Grohe, Edílson, Fred, Rafael Thyere e Marcelo Oliveira; Walace, Jaílson, Giuliano, Douglas e Éverton; Luan.

Não gosto de falar de arbitragem, ainda mais antes da partida, mas em jogos no Sul é preciso tomar cuidado com o excesso de entusiasmo dos gremistas, que costumam chegar forte demais em algumas jogadas. O jogo será arbitrado por Eduardo Tomaz de Aquino Valadão (GO-ASP-FIFA), auxiliado por Alessandro A Rocha de Matos (BA-FIFA) e Bruno Raphael Pires (GO-FIFA). Boa sorte para eles. Que vença o melhor!

As sugestões dadas no post anterior serão selecionadas e enviadas à Auditoria do Santos com a recomendação deste blogueiro. Agradeço a todos que participaram.

Promoção Time dos Sonhos em julho!
Pelé dormindo com os livros Time dos Sonhos
Estou pensando em uma promoção sensacional do livro Time dos Sonhos em julho, mês de aniversário da santista que eu mais amo no mundo, a Suzana, claro. Por isso, se quiser comprar o livro hoje, ou amanhã, aconselho-o a esperar mais dois dias. Na sexta-feira o seu suado dinheirinho valerá mais na compra de um exemplar de Time dos Sonhos, a Bíblia do Santista.

Guarche ensinando os meninos
O amigo Guilherme Gomez Guarche, responsável pelo departamento de memória e estatística do Santos, envia e-mail, com fotos, informando que dá aulas de história do Santos para os meninos das equipes Sub-11 e Sub-13. Ótima iniciativa, que deve ser estendida a todas as categorias e cujas aulas/palestras devem ser ministradas, obrigatoriamente, para todos dos times e das comissões técnicas do clube.
guarche ensinando aos meninos

E você, acha que o Santos pode vencer o Grêmio?


O jogo é domingo!

Seria ótimo se o Santos vencesse o Grêmio em Porto Alegre e se distanciasse no G4, mas desfalcado, fora de casa e diante de um forte adversário, a derrota – por 1 a 0, gol sofrido por meio da indefectível bola parada – era esperada. O jogo que o Alvinegro Praiano não pode perder é domingo, às 17 horas, na Vila Belmiro, diante do Goiás.

Alô, alô santistas de Santos e São Vicente: a bola, nessa reta final de Campeonato Brasileiro, está com vocês. Se 5 por cento dos torcedores do Alvinegro Praiano dessas duas cidades forem ao jogo, o Urbano Caldeira já receberá 15 mil pessoas. Está na hora de esquecer o boteco e o gatonet e apoiar o time ao vivo e em cores.

Quanto ao jogo contra o Grêmio, nada a reclamar, além do previsto. O que mais incomodou foi ver Gabriel ser expulso por reclamação depois do final da partida. Um erro infantil e inadmissível. Agora ficará fora do time por dois jogos. Alguém precisa orientar esse garoto para deixar de mimimi e jogar futebol. Como Neymar e Ganso já mostraram, não adianta passar a mão na cabeça desses garotos. Acho que uma multa no salário cairia bem.

Outra coisa: para alguns jogadores a reserva faz bem, pois se dedicam mais aos treinos e voltam ao time mais motivados. Porém, alguns perdem a motivação. Talvez seja o caso de Chiquinho, um dos piores em campo em Porto Alegre. Werlei também voltou a falhar. Este tenta, mas não consegue jogar melhor.

Bem, mas a vida segue e domingo o jogo, contra o Goiás, é decisivo. Depois de cinco anos o Santos jogará no templo sagrado da Vila Belmiro como invejado integrante do G4. Não há desculpa para ficar em casa. Vamos torcer, santista!

E você, acha que dessa vez a Vila enche?


A coragem de Aranha, jogos caça-níqueis da CBF e um Santos Exportação

Aranha mostrou coragem e personalidade impressionantes contra os racistas, do Grêmio e do Brasil, no jogo de quinta-feira, em Porto Alegre. Se sofresse um gol, ainda mais em uma falha sua, seria ironizado pelos racistas e lembrado por isso. Mas foi tranquilo e firme tanto no jogo, como nas entrevistas. Seu episódio foi importante para desmascarar não só os torcedores do Grêmio, mas também muitos jornalistas que não acreditam e não professam a igualdade racial. Sim, Aranha provou que o Brasil, infelizmente, é um país racista.

Amistosos caça-níqueis da CBF
Se os dirigentes do Santos – e dos outros clubes que cedem jogadores à Seleção – tivessem a mesma coragem do goleiro santista, já teriam impedido a CBF de desfalcar suas equipes com tantos amistosos caça-níqueis que não servem para nada. Se servissem, o Brasil não teria dado o vexame supremo na última Copa. O Santos investir o que não tem e não poder contar com Robinho por tantos jogos é uma piada. Não protestar contra isso, não articular com os outros clubes para que essa palhaçada termine, é uma piada maior ainda. Quem deve controlar o futebol brasileiro, é uma liga de clubes, como ocorre no tênis, organizado pela Associação dos Tenistas Profissionais (ATP). A CBF é uma aberração dispendiosa, amadora, desonesta e inútil.

Santos tipo exportação
Mesmo o jovem Christian, um dos cantantes do assado (churrasco) na varanda de Juan, colega de trabalho de minha filha, em Santiago, sabe que o Santos fez história no Chile ao vencer torneios contra grandes equipes por aqui. Um dessas partidas – a vitória sobre a Seleção da Tchecoslováquia, por 6 a 4, em 16 de janeiro de 1965 – ainda é considerada um dos maiores espetáculos de futebol que os chilenos já presenciaram. Voltariam a ver o Santos jogar, se ele pudesse voltar todos os anos, com seu futebol atrevido e ofensivo.

Por outro lado, sabemos que no Brasil o sistema implantado privilegia duas equipes popularescas e exclui o Santos. Amanhã mesmo, quem quiser ver a partida contra o Figueirense, a partir das 18h30, na Vila Belmiro, terá de apelar para o pay per view ou procurar um site pela Internet. E já que o Santos não é valorizado como deveria em seu país, o correto não seria manter uma equipe mediana para jogar os torneios nacionais e montar outra, com jogadores de maior destaque, para excursionar pelo mundo?

Os cuidados contra o Figueira de Argel
Nem é preciso dizer que amanhã o torcedor Santista deveria lotar a Vila Belmiro para empurrar o time contra o Figueirense, que cresceu muito depois da entrada do técnico Argel, ex-zagueiro do Alvinegro Praiano. Mesmo favorito, o Santos deve ter cuidado, pois o time catarinense, que vem de três empates, costuma jogar melhor fora de casa. Após uma vitória e um empate, o Santos pode completar sete pontos ganhos em três jogos, o que seria motivador para aproximá-lo da turma de cima na tabela. Ofensivo, claro, mas com cuidados, este deve ser o time de Robinho amanhã. Prestigie!

E você, o que acha disso tudo e do jogo de logo mais?


Só a presença de Robinho já muda o Santos

robinho maduro
Um Robinho mais maduro agora comanda o Santos (Foto: Ivan Storti/ Santos FC)

Só a presença de Robinho já dá uma cara e uma personalidade nova para o Santos. Viram o gol dele contra o Grêmio? Pura sorte, dirão. Sim, mas ele estava lá, no lugar certo, deu o toque certo, a bola ricocheteou nele e pegou o goleiro no contra-pé. A gente fica com a impressão de que se fosse qualquer outro jogador do Santos, teria acontecido alguma coisa que faria a bola ir pra fora, ou pra mão do goleiro. Robinho faz as coisas se tornarem mais simples.

“Robinho é importantíssimo para nós, como qualidade técnica, nível extra. Mas tem outra coisa, a identidade dele com a camisa do Santos, a confiança que passa, realmente nos dão a condição de estabilizar a equipe mesmo em um momento de grande pressão”, reconheceu Oswaldo de Oliveira.

Sim, esse poder que alguns jogadores têm apenas com a sua presença é que é difícil para alguns analistas compreenderem. O craque não pode ser analisado com os mesmos parâmetros de um jogador normal. Fico imaginando Robinho, em plena forma, jogando a Copa do Mundo. Seria outro peso, outra personalidade para a Seleção Brasileira. Desculpem-me os fãs de Bernard, mas deixar Robinho para levar o assustado velocista foi uma das piores decisões de Felipão – que quinta-feira percebeu como Robinho, mesmo voltando de contusão e sem se expor muito, pode ser decisivo.

Se Robinho puder driblar, ele dribla. Se puder passar, ele passa.Se tiver de voltar para marcar, ele volta e marca. Se tiver de acelerar o jogo, ele acelera. Se tiver de segurar a bola, ele segura. O Menino amadureceu. Hoje é um jogador que, com sua experiência, comanda e dá confiança e tranquilidade ao Santos. Quem não quer jogar no mesmo time de Robinho?

Amanhã, domingo, às 16 horas, no Maracanã, Santos e Botafogo reviverão o grande clássico alvinegro da fase de ouro do futebol brasileiro. Em 1963 saiu um ranking mundial de clubes e o Santos era o líder, seguido pelo coirmão carioca. Um jogo de muita história que, se a televisão obedecesse à meritocracia, seria o transmitido pela tevê aberta. Afinal, quem não quer ver Robinho?

O técnico Wagner Mancini, do Botafogo, disse que seu time precisa emplacar algumas vitórias seguidas. Que coincidência, o Santos também precisa. E uma vitória no Maraca seria excelente, pois na rodada final do turno, não se esqueça, nós temos encontro marcado no Pacaembu, próximo sábado, contra o Vitória, e a chance de novo triunfo. Acreditemos irmão. Como Robinho!

Damião deve jogar no lugar de Gabriel

A bobagem de tirar a camisa ao comemorar o gol de pênalti contra o São paulo, tirou do inexperiente Gabriel a chance de jogar no Maracanã, contra o Botafogo. Se até o horário do jogo não surgir nenhum clube estrangeiro interessado por Leandro Damião, ele deve entrar no lugar do garoto, formando o ataque com Robinho e Thiago Ribeiro.

Logo após venceu o Grêmio por 2 a 0, o Santos viajou de Porto alegre para o Rio de Janeiro e neste sábado pela manhã treinou na Gávea, campo do Flamengo. O time para o clássico alvinegro deve ser o mesmo que jogou no Sul, com exceção de Gabriel, ou seja: Aranha, Cicinho, Edu Dracena, David Braz e Mena; Alison, Arouca e Lucas Lima; Thiago Ribeiro, Leandro Damião e Robinho.

Ingressos pela Internet, até as 17 horas de hoje, sábado

Estão à venda os ingressos para Botafogo e Santos, domingo, às 16 horas, no Maracanã. Os preços vão de R$ 20 a R$ 50. Além dos pontos de venda, os torcedores podem comprar as entradas também pela internet através do site www.maracana.com. Os cariocas estão na 14ª posição, com 19 pontos. Os paulistas estão em 10º, com 23.

Pontos de venda com guichês exclusivos para retirada:
Maracanã – Bilheteria 3 (Rua Professor Manoel de Abreu, s/nº)
Engenhão – Bilheteria Norte (Rua das Oficinas, s/nº, Engenho de Dentro)
Sede General Severiano (Av. Venceslau Brás, nº72, Botafogo)

Pontos de venda e retirada
Cariocas FC – Méier (Rua Dias da Cruz, nº255 – Shopping Méier)
Havaii Sports – Park Shopping Campo Grande (Estrada do Monteiro, nº1.200, Loja 105 G)
Havaii Sports – Via Parque (Av. Ayrton Senna, nº 3.000, Barra da Tijuca)
Estádio Caio Martins (Rua Presidente Backer, s/nº – Icaraí, Niterói)

Venda no dia do jogo

Pontos e venda – das 10 às 13 horas
Sede General Severiano (Av. Venceslau Brás, nº72, Botafogo)

Bilheterias do Maracanã

– das 10h até o término do primeiro tempo
Bilheteria 2 (Maracanãzinho) – venda geral para a torcida do Botafogo
Bilheteria 3 (Célio de Barros) – retirada da compra pela internet
– das 12h até o término do primeiro tempo
Bilheteria 1 (Maracanãzinho) – venda geral para a torcida do Botafogo
Bilheteria 4 (Júlio Delamare) – venda geral para a torcida do Botafogo
Bilheteria Contêiner Mata Machado – venda geral para a torcida do Santos

Reveja o gol de Robinho contra o Grêmio:

E você, acha que Robinho pode fazer a diferença contra o Botafogo?

Timemania – Com 2.149.249 apostas em 80% das cidades brasileiras, Santos foi o quarto time mais citado como “time do coração” no teste do dia 28, quinta-feira. Alvinegro teve 3,21% dos votos, apenas 0,12% menos que o São Paulo.

1º FLAMENGO RJ 104.794 4,91
2º CORINTHIANS SP 85.621 4,01
3º SAO PAULO SP 71.007 3,33
4º SANTOS SP 68.483 3,21
5º PALMEIRAS SP 62.187 2,92
6º GREMIO RS 60.893 2,86
7º VASCO DA GAMA RJ 55.522 2,6
8º CRUZEIRO MG 53.984 2,53
9º INTERNACIONAL RS 53.314 2,5
10º BOTAFOGO RJ 46.920 2,2
11º ATLETICO MG 44.819 2,1

Acorda Santos! – minha coluna de sexta-feira no Metro Jornal

Santos x Grêmio: posturas opostas diante do racismo

santos de 1913, com dois negrossantos campeao de 1935 - 4 negrosTesourinhasantos - time dos sonhos
O Santos de 1913 (no alto, à esquerda), perfilado com três negros; o campeão paulista de 1935, com quatro; Tesourinha, o primeiro negro a ser aceito no Grêmio, em 1952 (depois de ter atuado pelo Internacional) e por fim o Santos bicampeão mundial de 1962/63, com sua elite de ébano.

Aquela garota que xingou o goleiro Aranha de “macaco” e aqueles jovens torcedores do Grêmio que imitaram o som de macacos atrás da meta do goleiro do Santos, não fizeram nada diferente do que sempre fizeram em um estádio de futebol. Isso faz parte de uma cultura que vem de casa e também do clube, já que o Grêmio, fundado em 1903, manteve-se rigorosamente racista até 1952, quando finalmente aceitou um negro no seu time, o ídolo gaúcho Tesourinha.

Por outro lado, o Santos, fundado em 14 de abril de 1912, já nasceu sob a égide do abolicionismo. Entre seus fundadores destacava-se Ricardo Pinto de Oliveira, um dos líderes do movimento abolicionista de Santos. Não foi à toa que na hora de escolher o nome para o novo clube, fosse sugerido “África”, o continente negro de origem de tantos brasileiros.

Primeira cidade de São Paulo a abolir a escravatura, Santos já não tinha escravos em 1887, um ano antes da assinatura da Lei Áurea. A cidade libertária e revolucionária, que se abria para o mundo com o seu enorme porto, tinha sido largamente influenciada pelas ideias de seu filho ilustre José Bonifácio de Andrada e Silva (Santos, 13 de junho de 1763 — Niterói, 6 de abril de 1838), patriarca tanto da Abolição, como da Independência do Brasil.

Em 1913, apenas um ano depois de sua fundação, já se vê uma foto do Santos com três negros perfilados. Em 1935, no time que venceu o Corinthians, no Parque São Jorge e conquistou o primeiro de seus 20 títulos paulistas, lá estavam os negros Ferreira, Janguinho, Marteletti e Neves.Depois, com a chegada de Pelé, Coutinho, Dorval, Lima, Mengálvio, Geraldino, Joel Camargo, Edu, Abel, Cláudio Adão, Robinho… é até covardia lembrar a importância de geniais craques negros para o Santos.

Importância reconhecida por jornalistas de todo o mundo, como Briam Ames, do Daily Mail, de Londres, que em 1962, após ver o Santos derrotar o Sheffield por 4 a 2, escreveu: “Vejo e não acredito. A elite de ébano do futebol mundial nos transportou ontem para uma nova dimensão do esporte… As testemunhas do que ocorreu em Sheffield dirão a seus filhos e netos que o futebol dos brasileiros chega ao sobrenatural”.

Se formos ver bem, 80% dos grandes craques brasileiros foram negros ou tiveram ascendência negra. Se o racismo já demonstra uma ignorância profunda da condição humana, o racismo no futebol brasileiro é atestado com firma reconhecida de imbecilidade absoluta. Sem o negro, como já disse Mário Filho, não haveria futebol no Brasil.

Mas, infelizmente, o racismo dos gremistas é praga antiga que passa de pai pra filho. Ela vem em um pacote que também inclui tendências separatistas, como se o Rio Grande do Sul fosse outro país, o “Sul”. Hoje o clube está divulgando uma nota contra essas demonstrações racistas de sua torcida. Ótimo. Mas há anos a torcida gremista entoa cânticos racistas no estádio e mantém um site, da torcida “Geral do Grêmio” com dezenas de “cantos de guerra” em que aparece a palavra “macaco”. Por que a diretoria do clube não agiu antes para extirpar esse mal?

Confira o racismo nas letras da torcida do Grêmio

Por outro lado, há também uma ala mais consciente da torcida do Grêmio que tenta lutar contra esses extremismos e criou até um movimento para que se tire a palavra “macaco” dos cantos de guerra da torcida tricolor.

Movimento de gremistas para tirar a palavra “macaco” dos cantos de guerra

Sei que é muito difícil escapar do padrão de uma cultura arraigada há tanto tempo em uma comunidade, ainda mais quando ela é composta de jovens, naturalmente ousados e politicamente incorretos. Não acredito que a maioria desses gremistas que ofendiam Aranha e os jogadores santistas acreditem mesmo que a cor da pele faz uma pessoa melhor ou pior do que outra. Agem assim porque são condicionados pelo meio. Porém, condicionados pelo meio ou não, está na hora de parar com isso. E a CBF e o Poder Público têm recursos para evitar que essa doença se propague.

Milhares de gremistas cantando “Chora macaco imundo” (desculpe por postar isso, mas é pra ver que esse comportamento já está arraigado na torcida do Grêmio há muito tempo e a diretoria do clube não fez nada para impedi-lo).

E você, o que pensa sobre o racismo no futebol brasileiro?

Grêmio 0 x 2 Santos. A melhor vitória do ano!

Grêmio 0 x Santos 2

O Santos jogou bem o primeiro tempo e teve sorte. Isso foi o suficiente para marcar dois gols, não sofrer nenhum, segurar o resultado na segunda etapa e dar um passo importante para passar pelo Grêmio, em Porto Alegre, nas oitavas-de-final da Copa do Brasil.

Mesmo com três atacantes – Gabriel, Thiago Ribeiro e Robinho –, o Santos soube fechar melhor o meio-de-campo. Mas o Grêmio ainda assim conseguiu boas oportunidades, uma delas claríssima, salva em cima da linha por Mena.

Porém, o Alvinegro Praiano também atacava. Numa dessas vezes, aos 37 minutos, David Braz surgiu livre em um escanteio para abrir o marcador, de cabeça. Cinco minutos depois e foi a vez de Robinho contar com a sorte e fazer o segundo, em uma bola que ricocheteou no zagueiro.

No segundo tempo o time abdicou de atacar e permitiu o domínio total do Grêmio, mas o time gaúcho se mostrou impotente para ao menos fazer um golzinho. No contra-ataque, Rildo ainda perdeu gol feito.

Agora a situação do Santos está bem encaminhada. O time até pode perder o jogo de volta, na Vila Belmiro, desde que por um gol de diferença, e ainda assim estará classificado para as quartas-de-final da Copa do Brasil.

A vitória veio do meio

Desta vez, Arouca, Alison e Lucas Lima foram muito bem e equilibraram as ações no meio-campo. Robinho, Thiago Ribeiro e Gabriel recuavam para ajudar o setor e partiam para o ataque com a bola dominada. A ausência de Leandro Damião tornou o time mais ágil.

Mena foi bem e salvou gol certo do Grêmio, o que abriria a contagem e mudaria o panorama tático da partida. Como marcou primeiro, o Santos pôde esperar a oportunidade de contra-ataques, e justo em um deles saiu o gol de Robinho, de pura sorte. Ele chutou, a bola bateu em um zagueiro do Grêmio, rebateu em Robinho e pegou o goleiro no contra-pé.

Querem que eu fale que no segundo gol do Santos Lucas Lima matou a bola com o braço. Na velocidade normal do jogo, eu não vi. Só na câmera lenta deu pra ver. O que posso dizer? santista não gosta de ser roubado, mas também não gosta de ser ajudado pela arbitragem. Porém, se o árbitro quisesse ajudar o Santos, no minimo teria expulsado aquele jogador que pisou no Aranha, e depois paralisado o jogo por racismo, o que interditaria o estádio gremista por um bom tempo.

No segundo tempo o Santos recuou demais e permitiu ao Grêmio o domínio completo da partida. Poderia ser um erro fatal, mas o time do Sul se mostrou pouco competente, o gol não saiu e a vantagem santista para o jogo de volta se tornou muito grande.

Destaques e decepções

Lucas lima, Arouca, Alison e Mena foram destaques positivos do Santos. Aranha também se mostrou muito seguro. A zaga, formada por Edu Dracena e David Braz, começou insegura, mas se entrosou depois e pouco permitiu a Barcos e outros atacantes que tentaram penetrar pelo meio.

Cicinho participou do gol de Robinho, mas sempre foi um elo fraco da defesa. Tomou um drible de costas que nem a minha avó tomaria. Incrível como Cicinho é ruim para dar o bote na hora certa (isso é questão de reflexo e pode ser treinado). Thiago Ribeiro e Gabriel se mexeram, mas pouco fizeram de útil. Só pelo jogo de ontem, Gabriel jamais poderia pedir aumento de salário.

Racismo contra Aranha

Aranha foi vítima de insultos racistas e de xingamentos de “Macaco” feitos por uma torcedora gremista identificada por várias câmeras. Para dar exemplo, a moça deveria ser proibida de voltar a um estádio de futebol.

Infelizmente, não é a primeira vez que a torcida do Grêmio, que abriga uma ala neonazista entre seus seguidores, promove atos racistas em um estádio de futebol. É uma minoria que ainda não entendeu que não adianta ter um estádio moderno e continuar agindo como troglodita.

Por essas e outras é que o Grêmio é um clube regional. Em um país multirracial, como o Brasil, essa tendência racista de sua torcida torna o tricolor gaúcho bastante antipatizado em outros Estados do País, principalmente no Norte e no Nordeste, onde negros e mestiços predominam.

Aranha fala sobre o racismo

Robinho também comenta o racismo dos gremistas
http://youtu.be/ZO7e0IYpPdE

Grêmio 0 x 2 Santos
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Data: 28 de agosto de 2014, quarta-feira
Horário: 20h (de Brasília)
Renda: R$ 814.899,00
Público: 30.294 (28.091 pagantes)
Grêmio: Marcelo Grohe, Pará, Werley, Rhodolfo e Zé Roberto (Matías Rodríguez); Walace (Matheus Biteco), Ramiro e Giuliano; Luan (Alán Ruiz), Barcos e Dudu. Técnico: Luiz Felipe Scolari.
Santos: Aranha; Cicinho, Edu Dracena, David Braz e Mena; Alison, Arouca e Lucas Lima; Thiago Ribeiro (Alan Santos), Gabriel (Leandro Damião) e Robinho (Rildo). Técnico: Oswaldo de Oliveira
Gols: David Braz aos 37 e Robinho aos 42 minutos do primeiro tempo.
Arbitragem: Wilton Pereira Sampaio (Fifa-GO), auxiliado por Kleber Lúcio Gil (Fifa-SC) e Carlos Berkenbrock (SC).
Cartões amarelos: Ramiro e Pará (Grêmio); Edu Dracena, Alison e David Braz (Santos)

E você, o que achou da vitória e do racismo contra Aranha?


Older posts

© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑