Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

film izle

Tag: Henrique (page 1 of 3)

A contratação de Montillo e a estreia dos Meninos na Copinha

Para o lugar de Ganso, o Santos trouxe o melhor jogador argentino em atividade no Brasil, o meia Montillo. O negócio acaba de ser fechado e já está confirmado no site oficial do Santos (ver na coluna lateral direita deste blog). Segundo o globo.com o Alvinegro Praiano adquiriu 60% dos direitos econômicos que pertenciam ao Cruzeiro por € 6 milhões (cerca de R$ 16,2 milhões) e mais o passe do volante Henrique, que havia contratado em julho de 2011, deste mesmo Cruzeiro, por pouco mais de R$ 6 milhões.

Pelas circunstâncias, foi um bom negócio, que poderá se transformar em ótimo se o argentino justificar a fama. Na verdade, Montillo não vinha jogando tão bem no Cruzeiro, com altos e baixos preocupantes. Mas tem categoria, é rápido, com boa visão de jogo, e no Santos jogará ao lado de Neymar, o melhor jogador do continente. Craque entende craque, e essa é a esperança do santista de ter novamente um time demolidor para torcer.

Uma boa contratação pode parecer pouco, mas time de futebol é como receita culinária. A falta ou o acréscimo de um ingrediente pode fazer toda a diferença. Com Montillo o ataque terá mais opções e o garoto Felipe Anderson crescerá também. Usar Henrique como moeda de troca também foi inteligente, pois no Cruzeiro ele jogava bem, o que não ocorreu no Santos.

Com 28 anos, nascido em 14/04/1984 em Lanús, na Argentina, Montillo começou no San Lorenzo, passou pelo Monarcas Moelia, do México, voltou ao San Lorenzo, teve uma boa passagem pela Universidad do Chile e em julho de 2010 chegou ao Cruzeiro, pelo qual logo se destacou. Seus títulos mais importantes são a Copa Sul-americana de 2002, pelo San Lorenzo, e o Apertura, do Chile, em 2009. No Cruzeiro foi campeão mineiro em 2011.

No Santos ele já terá a oportunidade, a partir de 19 de janeiro – quando o Santos estreará contra o São Bernardo, fora de casa – de brigar por um inédito tetracampeonato paulista, feito que só foi obtido pelo Paulistano nos tempos do futebol amador.

Veja um pouco de Montillo, nova estrela do Peixe:

Nesta sexta-feira tem Meninos da Vila na Copinha

Nesta sexta, às 16 horas, no Estádio Alfredo Schiavetto, da sacolejante Jaguariúna, terra de rodeios e de muitos torcedores do Santos, o Alvinegro Praiano estréia na 44ªCopa São Paulo de Futebol Junior, que volta a receber jogadores da categoria Sub-20. O adversário é o tradicional Remo, de Belém.

O time deve ser basicamente o mesmo que jogou a Copa do Brasil e o Campeonato Paulista da categoria. Estava previsto que haveria um reforço muito especial: o garoto Gabriel Barbosa, o Gabigol, de apenas 16 anos, mas que já tem uma multa de 50 milhões de euros para um clube estrangeiro que quiser contratá-lo.

Entrevistei o Gabriel para a revista Personalitée e fiquei impressionado com sua seriedade e confiança. Pelas fotos tenho percebido que ele encorpou, ficou mais esguio e forte. Estou certo de que se faria uma ótima Copinha, mas parece que se incorporará aos profissionais sem precisar passar pelo teste.

O Santos está no Grupo % da Copa, que não para de inchar e este ano terá 100 participantes. O Alvinegro voltará a jogar dia 7 contra o São Mateus, do Espírito Santo, e encerrará sua participação nesta fase enfrentando o Corinthians de Alagoas, no dia 10. Todas as partidas serão às 16 horas.

Veja o belo vídeo que a turma da SantosTV fez com os Meninos para atrair os torcedores do Santos da região de Jaguariúna:

E você, o que acha da vinda de Montillo e dos Meninos na Copinha?


Torcedor não aprova Elano, Borges e mais três titulares do Santos

É evidente que o Santos tem problemas com o elenco. Há verdadeiros buracos negros em algumas posições. Falta vontade para alguns jogadores, para outros falta categoria. Não é à toa que o time ainda não venceu no Campeonato Brasileiro e ocupa a zona de rebaixamento. Assim, este blog deu aos santistas a oportunidade de dizer quais os jogadores devem permanecer e quais devem sair do Santos.

Cerca de 500 leitores deram suas opiniões e elas foram bem parecidas. Percebeu-se uma tolerância muito grande com os jogadores da base, ainda não devidamente testados pelo técnico Muricy Ramalho, conhecido por não gostar de trabalhar com jovens formados no clube. A única exceção é Felipe Anderson, que já teve várias oportunidades, mas não convenceu. A maioria dos santistas acha que ele precisa ser emprestado para um time de menor expressão a fim de ganhar mais maturidade.

Além de Felipe Anderson, os jogadores que o santista não quer mais ver jogando pelo time são Elano, Juan, Durval, Henrique, Borges, Maranhão e Gérson Magrão. A rejeição a Paulo Henrique Ganso tem aumentado muito desde que ele pediu um milhão de reais por mês para continuar no Santos.

Dentre os que devem continuar, na opinião do torcedor, os mais votados foram Neymar, Arouca, Rafael, Adriano e Edu Dracena. O lateral Léo ficou no meio termo. Quase todos o admiram, mas muitos acham que sua veteranice impede que continue prestando bons serviços ao clube.

Cinco titulares na lista de dispensas do torcedor

O curioso é que cinco titulares estão na lista de dispensas do torcedor. São eles: Elano, Juan, Durval, Henrique e Borges. Quanto a Paulo Henrique Ganso, é considerado um bom jogador, mas sem vontade de continuar no clube, e por isso muitos defendem a sua saída.

Elano em nenhum momento justificou a fama e o salário. Perdeu-se em polêmicas extra-campo e jamais mostrou um futebol digno do prestígio que havia angariado entre os santistas. Tem sido um oneroso peso-morto. Nunca, na história do Santos, um jogador ganhou tanto para jogar tão pouco.

Juan começou bem, mas é considerado muito lento, sem iniciativa. O zagueiro Durval, para os torcedores, é errático e pouco participativo. Henrique marca e apoia mal. É nulo, assim como o atacante Borges, que perdeu a forma física e técnica e hoje nem consegue fazer gols feitos.

Maranhão, por falta de outro, chegou a ser titular na lateral-direita, mas, positivamente, não dá. Estabanado, tirou dois pontos do time ao fazer um pênalti bobo contra o Coritiba.

Outro que segundo os torcedores deve sair é Gérson Magrão, que acaba de chegar para “compor o elenco”. Se a diretoria de futebol tivesse a sensibilidade de consultar o torcedor antes de investir o dinheiro do clube, certamente não teria contratado Gérson Magrão, Rentería e o recém-chegado Bill, jogadores com péssima imagem junto ao torcedor do Santos.

Os casos de Paulo Henrique Ganso e Muricy Ramalho

O meia Paulo Henrique Ganso está pedindo um milhão de reais por mês para renovar com o clube. Pelo que ele vem jogando, 100 mil mensais já seria caro. A esperança do santista é a de que Ganso se saia bem na Seleção Olímpica e receba uma proposta do exterior. Falta a ele a agilidade e a mobilidade que se espera de um armador do Santos.

A diretoria quer renovar o contrato de Muricy Ramalho. Para boa parte dos torcedores será um erro grave. Muricy é totalmente avesso ao DNA santista, que se baseia em valorizar os garotos da base e armar times para marcar gols. Ele prefere veteranos e é um fã do chamado “chuveirinho”. Enfim, apesar de ganhar títulos, para muitos santistas Muricy é um técnico ultrapassado, previsível, que chegou a um ponto perigoso de desgaste com o torcedor. Insistir com ele pode custar caro a essa diretoria e aos cofres do clube.

O que o torcedor quer

O futebol que o Barcelona e a Espanha apresentam, baseado na solidariedade e na participação de todos os jogadores em busca do gol adversário, é o sonho do torcedor do Santos. E esse modo de jogar também está no seu DNA, pois logo depois de sua primeira vitória no Campeonato Paulista, quando goleou o Corinthians por 6 a 3, em 22 de junho de 1913, o então técnico Urbano Caldeira, em um relatório para a diretoria, escreveu que a vitória se deveu ao “jogo de passes curtos e rápidos”.

Esse sistema de jogo não se baseia tanto nas virtudes individuais dos jogadores, mas em uma filosofia ofensiva coletiva trabalhada exaustivamente nos treinamentos. E para que ela seja implantada com sucesso, é essencial a participação de todos os setores do time.

O torcedor quer ver o Santos jogando com a mesma vontade e determinação que os terceiros reservas mostraram no segundo tempo da partida contra o Flamengo. Por falta dessas qualidades, hoje o Santos tem um elenco caro e acomodado e seu futebol faz jus à zona de rebaixamento do Brasileiro.

O que você achou dessa lista de dispensas do torcedor santista?


Até meia-noite de hoje você pode comprar o Dossiê por apenas 30 reais!!!


“Realizando uma de suas grandes exibições, o Santos conquistou ontem à noite, pela segunda vez, a Taça Brasil, obtendo consequentemente o título de bicampeão brasileiro de futebol” – esta frase inicia a matéria da Folha de São Paulo de 3 de abril de 1963. Há uma maneira mais clara de dizer que o campeão da Taça Brasil era o campeão brasileiro? Pois esta mesma Folha de São Paulo hoje nega o que seus jornalistas escreveram há 49 anos. Quem está certo? Quem cobriu os fatos in loco, ou quem hoje, sem estudar o passado, tenta reescrever a história? Na outra matéria, a capa do jornal A Gazeta Esportiva, maior jornal de esportes do Brasil, destaca o tetracampeonato do Santos, em 1964 – que se transformaria em pentacampeonato no ano seguinte. Estas são apenas duas imagens dos muitos documentos que fazem parte do Dossiê que unificou os títulos brasileiros a partir 1959. Por isso eu lhe peço para aproveitar a promoção desta terça-feira e adquirir e divulgar o Dossiê (Clique nas imagens para ampliá-las).

Hoje é o Dia do Dossiê aqui no Blog. Estamos oferecendo, por apenas 30 reais, o livro que recuperou os títulos brasileiros de 1959 a 1969. É só clicar no banner aí em cima e escolher a forma de pagamento. Seu apoio é muito importante para difundir esse conhecimento pelo Brasil. Se você já tem o Dossiê, por que não comprá-lo e doá-lo a um jornalista esportivo de sua cidade? Encare como um pequeno investimento em nome da verdade histórica do futebol brasileiro.

Reveja agora o momento histórico em que William Bonner, editor do Jornal Nacional, anunciou a Unificação dos Títulos Brasileiros. O furo foi dado no dia 13 de dezembro de 2010:

Nas frases curtas do técnico Muricy Ramalho no programa Bem, Amigos de ontem, deu para perceber muita coisa importante sobre o Santos. Por exemplo? Lá vão:

1 – Muricy é apaixonado por Borges, com quem já trabalhou em três clubes. Ele foi sondado por Felipão, mas não aceitou ceder o jogador ao Palmeiras. Para o técnico do Santos, Borges é um artilheiro e logo que voltar a fazer gols, não vai parar mais. Entretanto, Alan Kardec é o titular.

2 – Rafael continuará titular até a Olimpíada. Durante os Jogos Olímpicos, Aranha será o titular. Depois os dois brigarão pela posição. Quem estiver melhor, jogará.

3 – Pelo que o técnico deixou escapar, a contusão de Fucile é séria e o jogador ficará um bom tempo sem jogar. Pelo jeito, Henrique voltará a ser o lateral-direito no jogo de quinta-feira, com o Vélez.

4 – Muricy gostou de Galhardo, disse que o garoto “sabe jogar” e provavelmente o usará no futuro, tentando fazer uma dobradinha dele com Elano, assim como Juan e Neymar fazem pela direita.

5 – O técnico admitiu que o Santos está capenga, pois só tem um bom ataque pela direita.

6 – Para Muricy, o Vélez marcará tão bem como na Argentina e jogará no mesmo nível do primeiro jogo, mas a diferença de quinta-feira será o Santos, que jogará bem melhor e irá para cima para conseguir o resultado de que precisa (uma vitória por dois gols de diferença).

7 – Muricy deu a entender que o Vélez perdeu ótima oportunidade de garantir a classificação na quinta-feira, pois jogou muito bem e pegou o Santos em um péssimo dia, cansado pelos jogos consecutivos.

8 – Além da jogada óbvia de Neymar pela esquerda, tabelando com Juan e Ganso, o técnico citou as avançadas de surpresa de Arouca como uma das armas do Santos para chegar ao gol do time argentino.

Você concorda com a visão do técnico?


Para ser Tri-Tri o Santos pode até perder. Mas também pode golear…

Um problema de última hora talvez tenha ajudado Muricy Ramalho a escalar um time melhor para o jogo deste domingo que pode dar ao Santos um raríssimo Tri-Tri no Campeonato Paulista. Sem Adriano, suspenso, o técnico colocaria Henrique no meio e Maranhão na lateral-direita. Porém, Maranhão ainda sentiu dores na contusão muscular e Henrique terá de continuar na lateral-direita, entrando Ibson no meio-campo. O que pode ser uma vantagem…

Com Arouca, Ibson, Elano e Paulo Henrique Ganso, o Santos perde um pouco do poder de marcação, mas ganha mais força ofensiva. Neymar e Alan Kardec deverão ter um apoio maior no ataque.

Como se sabe, o Santos pode até perder por dois gols de diferença para o Guarani e mesmo assim será campeão. Campeão não, tricampeão. Aliás, tricampeão paulista pela terceira vez, o único a conseguir tal façanha na era profissional do futebol de São Paulo.

Mesmo com o título praticamente assegurado, os santistas lotarão o Morumbi para comemorar com os jogadores mais uma conquista histórica do Alvinegro Praiano.

Retrospecto de Santos e Guarani

Por Wesley Miranda

Santos e Guarani já se enfrentaram 178 vezes, e o Santos tem uma grande vantagem com 96 vitórias contra 44 derrotas e 38 empates. O Peixe marcou 369 gols e sofreu 224. Em Campeonatos Paulistas são 114 jogos com 66 vitórias santistas contra 29 vitórias bugrinas e 19 empates. O alvinegro marcou 237 e o alviverde 134.
Brasileiros: 13, 13, 6
C. do Brasil: 1, 0, 1
Rio-SP : 1, 0, 1
Paulistão: 66, 19, 29
Amistosos: 15, 12, 7
e outros

E para variar…
O grande artilheiro do confronto é Pelé com 41 gols. O Rei jogou 33 vezes contra o Guarani, vencendo 23, perdendo 4 e empatando 6! Por três vezes Pelé marcou 4 gols em uma partida, no 8 a 1 de 1957, no 7 a 1 de 1959 e no 7 a 0 de 1965. E esse jogo que destaco para verem, apesar da imagem não estar muito boa!

O vice artilheiro com 16 gols é Feitiço, e ele também merece destaque

Aqui se faz aqui se paga I
Em 1927 na estreia de Luis Matoso, o Feitiço, o Santos jogou um amistoso contra o Guarani na Vila Belmiro. O primeiro tempo terminou com uma sonora goleada santista por 5 a 0, até ai tudo ocorria bem. Na volta do intervalo, o Santos tomou uma de suas maiores viradas na história, perdendo por 6 a 5, e com o time campineiro com 1 a menos. Isso não ficaria barato.
Menos de quatro meses depois as equipes se enfrentaram na mesma Vila Belmiro pela estréia do Paulista, e era a hora da vingança. E com 4 de Araken, 3 do agora entrosado Feitiço, 2 de Camarão e 1 de Omar, o Santos aplicou um espetacular 10 a 1!
Nota especial para o 6º gol do Santos: Depois de driblar dois jogadores e o goleiro, Feitiço parou a bola em cima da linha do gol, levantou a mão mostrando cinco dedos, em seguida levantou a outra mão com um dedo e rolou para dentro do gol, fazendo a torcida delirar! Esse era o polêmico Feitiço, um dos maiores goleadores da história do Santos!

Goleadas do Santos
Ao longo desses 87 anos de confrontos o Santos aplicou muitas goleadas no clube campineiro, sendo duas vezes por 10 gols, essa de 1927, e uma de 10 a 2 em um amistoso na Vila, com gols de Coutinho (3), Mengálvio (3), Pelé (2), Dorval e Sormani. Um dos gols de Coutinho foi o de número .5000 da história do Santos!

Seguem as outras sgoleadas
8 a 1: 1957, 1958 e 2010
7 a 0: 1965
7 a 1: 1958
7 a 2: 1952
6 a 1: 1957 e 1964

A estréia do canhão no time titular
Em um amistoso no dia 30/05/1954 em Campinas, o menino de ouro Pepe estreava no time titular. Ele foi substituido por Carlinhos na partida que terminou 0 a 0.
O título do Santos e a entrega das faixas no Brinco
Com uma goleada no Brinco de Ouro da Princesa por 7 a 1 no dia 14/12/1958, com 4 de Pelé, 1 de Pepe, 1 de Dorval e 1 contra, o Santos se sagrou campeão Paulista daquele ano. Foram 143 gols marcados, 58 de Pelé recorde absoluto no Paulistão até os dias atuais.
Após a vitória por 4 a 0 sobre o Juventus, na Vila Belmiro, que lhe garantiu o título paulista de 65 com 3 rodadas de antecedência ,o Santos foi jogar em Campinas contra o Guarani de Dalmo Gaspar e ganhou por 1 a 0 com gol de Pelé. Além da ótima partida destacada em jornais na época, a nota do jogo foi a entrega das faixas para o Santos!

Os últimos tentos de Pelé com a camisa santista
Em jogo no dia 22/09/1974, Pelé marcava seus últimos tentos com a camisa que o consagrou. Foi no empate em 2 a 2 valido pelo campeonato Paulista. Em 1116 jogos no Santos Pelé marcou 1091 gols, média de 0,98 gols por jogo.

Campeão Brasileiro de 1978 x Meninos da Vila
O futebol campineiro era muito forte no fim dos anos 70, tanto que o Guarani se sagrou campeão Brasileiro em 1978. E foi esse mesmo time que enfrentou os meninos da Vila, na semifinal do Paulistão 78, em jogo realizado no dia 16/06/1979. O Guarani era franco favorito, com Careca, Zenon, Renato pé murcho, contra um Santos desfalcado de Vitor, Neto, Clodoaldo, Nílton Batata e Aílton Lira.
Mas, em bela exibição de João Paulo (1 gol e duas assistências) e Juary (2 gols), o Santos contrariou as expectativas e ganhou de 3 a 1 no Morumbi e carimbou o passaporte para a grande decisão frente ao São Paulo FC.

Aqui se faz aqui se paga II
Em partida valida pelo Brasileiro de 1994, Santos e Guarani se enfrentaram no Brinco de Ouro. E impiedosamente o surpreendente Guarani goleou o Santos por 4 a 0, com 2 de Luizão e 2 de Amoroso, um deles um golaço, com um pique do meio campo. Isso não ficaria barato.
Menos de sete meses depois, os times se enfrentariam no mesmo Brinco de Ouro, em partida valida pelo Paulista, e com 1 de Marcelo Passos e 2 do Messias G10vanni o Santos ganhou por 3 a 1. Lembra do gol do Amoroso em 94? O G10vanni pagou com a mesma moeda!

Em 1995, um adversário indigesto
Depois de perder no Barradão por 4 a 0 para o Vitória, o Santos tinha a difícil missão de somar 22 pontos em 24 disputados. Então começou o calvário: Na Vila, Santos 4×1 Grêmio, no Maracanã 3×0 contra o Flamengo, empate 0×0 contra o Paraná fora de casa, 3×0 contra o Corinthians na Vila Belmiro, 1×0 contra o Palmeiras/Parmalat no Pacaembu, 2×1 contra o Paysandu na Vila, 3×1 contra o Botafogo na Vila, e o Santos chegou à ultima rodada precisando de uma vitória simples contra o Guarani. Como o time campineiro não tinha mais chances de título, mandou seu jogo no Pacaembu, mas nem por isso se desinteressou pela partida, já que o “bicho” do Atlético MG, que dependia de pelo menos um empate do Santos, era muito grande.
O jogo foi tenso, amarrado, o goleiro uruguaio Léo, do Guarani, parecia uma muralha. Tudo se encaminhava para a desclassificação santista quando, aos 38 minutos do 2º tempo, Marcelo Passos acertou um de seus belos chutes e levou os 22 mil santistas no Pacaembu ao delírio. Era o gol da classificação! Ainda restou tempo para Giovanni marcar o 2º gol, o seu 13º no certame! O Santos voltava a ser destaque no cenário nacional depois de 12 anos!

A última goleada e um recorde
No dia de aniversário de 98 anos do Santos, nada melhor que comemorar da forma que mais identifica o Peixe; com muitos gols! E o Santos ganhou de 8 a 1, com 2 de Robinho, 1 de Marcel e 5 de Neymar, o que colocou o atual ídolo como o recordista de gols em uma partida contra o Guarani!

Neymarcas
Além de ser o maior artilheiro em uma partida contra o Guarani, o atual ídolo santista corre atrás de outras grande marcas históricas de outros ídolos. No último jogo ao marcar 2 gols contra o Guarani ele passou na tábua de artilheiros contra o Bugre, o excepcional Pagão e o artilheiro Odair Titica que marcaram 6 gols no time campineiro. Também passou o gênio Coutinho e Álvaro que tem 7 gols. Com 8 gols contra o time do interior, Neymar está empatado com Camarão e Juary. E se marcar mais um gol empata com Araken Patusca, Pepe e João Paulo Papinha.
Na lista de artilheiros geral da História, Neymar já é o maior artilheiro da era pós Pelé, e está em 16º lugar com 106 gols, empatado com Álvaro Valente que atuou no Santos de 53 a 59 em 261 partidas.

Títulos no Morumbi
O primeiro clube a conquistar um título no estádio do Morumbi foi o Santos FC, e foi justamente o último Tri do futebol Paulista com a conquista do título estadual de 1969, o 12º título do Peixe!!
Veja todos os títulos oficiais do Peixe.
21/06/1969 Santos 0x0 São Paulo – 12º Título Paulista
26/08/1973 Santos 0x0 Portuguesa – 13º Titulo Paulista
28/06/1979 Santos 0x2 São Paulo (0x0) – 14º Título Paulista
02/12/1984 Santos 1×0 Corinthians – 15º Título Paulista
15/12/2002 Santos 3×2 Corinthians – 7º Titulo Brasileiro
06/05/2007 Santos 2×0 São Caetano – 17º Título Paulista
Além desses títulos, o Santos conquistou o Torneio Inicio de 1984 com show de Rodolfo Rodriguez no Morumbi e fez a primeira partida da final do Rio-SP 97 quando ganhou do Flamengo por 2 a 1 com gols de Alessandro Cambalhota e Macedo.

Santos 23×22 Corinthians
Nenhum time se identifica mais com artilharia do que o que fez mais gols na história do futebol.
E esse ano com a artilharia de Neymar, o Santos FC chega a 23ª edição de Paulistas com o artilheiro do certame e passa o Corinthians que tem 22 artilheiros na História.

Artilheiros do Santos
APEA 1927 – Araken(31) – Segundo os arquivos do Guilherme Nascimento são 37 gols
APEA – 1929 – Feitiço(12)
1930 – Feitiço(37)
1931 – Feitiço(39)
1955 – Del Vecchio(23)
1957 – Pelé (17)
1958 – Pelé(58)
1959 – Pelé(44)
1960 – Pelé(34)
1961 – Pelé(47)
1962 – Pelé(37)
1963 – Pelé (22)
1964 – Pelé(34)
1965 – Pelé(49)
1966 – Toninho Guerreiro(27)
1969 – Pelé(26)
1973 – Pelé (11)
1978 – Juary(29)
1983 – Chulapa(22)
1984 – Chulapa(16)
1996 – G10vanni(24)
2011 – Elano(11)
2012 – Neymar (?)

Artilheiros do alvinegro da capital
1914 – Neco(12)
1916 – Aparício (7)
1920 – Neco(24)
1922- Gambarotta(19)
1935 – Teleco(9)(LPF)
1936 – Teleco(28) (LPF)
1937 – Teleco(15)
1939 – Teleco (32)
1941 – Teleco(26)
1942 – Milani(24)
1943 – Hércules(19)
1945 – Servílio de Jesus(17)
1946 – Servílio de Jesus (19)
1947 – Servílio de Jesus (19)
1951 – Carbone (30)
1952 – Baltazar (27)
1967 – Flávio(20)
1982 – Casagrande(28)
1987 – Edmar(19)
1993 – Viola(20)
2006- Nilmar(18)
2011 Liédson(11)

E logo mais, como será o jogo do Morumbi?


1 a 0 foi pouco. Mas alegrou o pessoal do cruzeiro do centenário

O adversário provoca, lança camisa comemorando uma vitória que já tem sete anos, mas na hora de jogar futebol se encolhe lá atrás como um time inferior que é e fica rezando para achar um golzinho no contra-ataque. Como dizem os santistas, na Vila não tem pra onde correr, nem dentro, nem fora do campo. Há 100 anos é assim.

Hoje, Neymar nem precisou brilhar. Paulo Henrique Ganso jogou pelos dois. Que passe para o Íbson! Sem contar a meia-lua desmoralizante que deu em Adriano. O time todo está jogando melhor. Henrique, Arouca e Íbson subiram um pouco mais de nível. Fucile conquistou a torcida com sua raça e até apoiou bem.

Borges ainda parece fora de forma e Rafael deu alguns sustos, mas nada que comprometesse. A arbitragem foi razoavelmente bem, apesar de ter marcado um impedimento que tinha tudo para dar o primeiro gol ao Santos.

Como já dissemos, o Santos é, disparado, o melhor time de São Paulo, e hoje provou isso mais uma vez. Imagino que o rival, sem assunto e sem futebol, agora deve anunciar a contratação de algum esquimó, ou tupi-guarani. É, o marketing pode atingir níveis patéticos…

Escrevo do elegante Grand Mistral, que está zarpando de Santos para o feliz Cruzeiro do Centenário. Eu e a Suzana nos sentimos no céu, em um ambiente incrível, rodeados de santistas. Almoçamos com Edu, Pepe, Lima, Negreiros, Manoel Maria, Serginho Chulapa… Já falamos com Chorão, que veio para um show exclusivo. Ah, no dia em que a maioria dos brasileiros forem santistas, o País estará definitivamente encravado no primeiro mundo e a paz e o bom gosto reinarão no planeta.

E você, o que achou de Santos x o outro alvinegro?


Older posts

© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑