Chegou a hora. O Santos não chegou até aqui para dar um Mundial de bandeja para os catalães. Querem? Venham buscar! Só que aqui é Santos, pô!

Diziam do campeoníssimo tenista Jimmy Connors que a coisa da qual ele mais gostava era ganhar. E a segunda coisa que ele mais gostava era competir. Sim, para ganhar é preciso gostar da competição, da entrega, da luta, da disputa ferrenha, palmo a palmo, pela vitória. E este Santos gosta muito disso, ou não teria conquistado quatro títulos em um ano e meio.

Estava agora mesmo falando com a Suzana e divagamos sobre a grandiosidade desse momento. Impossível dizer quantos times de futebol há no mundo, e apenas dois, entre eles o nosso querido Alvinegro Praiano, estará em campo logo mais, às 8h30m da manhã brasileira, para um confronto que não é só do século, mas do milênio. Só isso já é magnífico, qualquer que seja o resultado.

Mesmo adversários, Santos e Barcelona – como Benfica e Santos, há 49 anos – parecem compreender o capítulo sublime que estão para escrever na história do futebol. É como se dissessem: que seja um jogo lindo e que nunca mais seja esquecido, ou melhor, que sejamos lembrados, barcelonistas e santistas, por um espetáculo inesquecível de arte e fair play.

Acredito que o Santos jogará solto, alegre, sem qualquer receio. Lembro que meu amigo Nuno Cobra dizia a seus atletas que só deviam ter medo de sentir medo, pois o medo trava as pernas e não deixa o atleta render o máximo. Não existe a palavra medo no dicionário de um ariano, como o Santos.

Nesta noite de sábado ouvi o garoto Danilo em uma entrevista na qual ele dizia que “se eles foram campeões da Liga dos Campeões, nós também fomos campeões da Libertadores. E daí? Agora vamos ver quem é o melhor”.

É esta atitude de Danilo que leva um time a grandes conquistas. Sei que Neymar, Borges, Paulo Henrique Ganso, Elano, Arouca, Léo, Durval, Bruno Rodrigo, Henrique, Edu Dracena, são todos jogadores atrevidos no bom sentido, pois se acham no direito de vencer e erguer taças.

Da mesma forma é o técnico Muricy Ramalho, que nem tem dormido devido à ansiedade do grande jogo. Se nem ligasse para o resultado, Muricy estaria dormindo de rabo solto, como diria minha avó. Mas ele vive matutando maneiras de derrotar o melhor time do mundo.

Não consigo conceber o Santos à mercê deste Barcelona. Por mais que os espanhóis joguem bem e por mais que tenham ótimos jogadores, não conseguirão evitar que o Santos tome a bola e crie jogadas. Pois mesmo sem a bola a maior parte do tempo, sei que os santistas estarão alertas para aproveitar qualquer chance para chegar ao gol adversário. E o encanto do jogo estará aí.

Será difícil para o Santos? Sim, claro. Mas também será difícil para o time catalão e o técnico Pep Guardiola deixou isso claro em sua última entrevista. Ele sabe que o Alvinegro Praiano, como bem definiu um cronista de Barcelona, é “um mestre do contra-ataque”, e a Guardiola não resta outra saída a não ser atacar, pois é esse estilo que tem trazido vitórias e títulos à sua equipe.

Enfim, é muito bom dormir e acordar sabendo que no mínimo outras duas bilhões de pessoas estarão apreciando o nosso time jogar. Um time brasileiro, o mesmo do Rei Pelé, o primeiro bicampeão mundial, que volta a exigir o seu espaço no mundo do futebol. Nada é por acaso. O Santos de Neymar, Ganso, Borges, Arouca, Danilo, Muricy, mereceu chegar até aqui. E agora merece ser campeão do mundo!

http://youtu.be/er2UX0do7Rw
Fé, Fé, Fé, vamos com Fé, com muita Fé, minha gente. Que a Fé não costuma falhar…

E você, não está se sentindo próximo(a) de um momento especial?