Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

film izle

Tag: Juan Aurich

Santos sai ileso da tempestade e dos pontapés e segue firme

Sobraram chuva, lama e pontapés; faltaram luz, gols e decisão do árbitro argentino, mas mesmo assim o Santos fez o suficiente para vencer por 2 a 0 o famossíssimo João Auríquio e seguir em frente como líder do seu grupo na Copa Libertadores.

Agora, um empate em Porto Alegre, frente ao Intrnacional, no jogo mais difícil desta fase, deixaria as coisas bem encaminhadas para garantir o primeiro lugar na última rodada, frente ao The Strongest.

Sobre o jogo de ontem só posso dizer que nunca vi um adversário tão medroso diante do Alvinegro Praiano. O tal de João Auriquio, time que tem origem em um bando de funcionários puxa-sacos que resolveram bajular o chefe (batizando o time com o nome do patrão), não deu um chute a gol, mas distribuiu dezenas nas canelas dos santistas, principalmente do Neymar. Que malas sem alça.

A Conmebol deveria pagar seguro por obrigar um time como o Santos, campeão das Américas, com craques como Neymar e Ganso, além de oputros ótimos jogadores, a enfrentar a sanha assassina de pessoas que não têm a mínima noção do que é futebol.

Bem, mas e você, o que achou de Santos 2, João Auríquio 0?


O campeão volta ao Pacaembu. E mais: palestras e livros do Centenário


Lançamento: Salão de Mármore do Santos, em 9 de abril, com a presença de Pelé.

Com a volta de Juan e Henrique e a confirmação de Neymar, que deu um susto ontem ao torcer o tornozelo no CT Rei Pelé, o Santos terá a chamada força máxima hoje, às 22 horas, contra o peruano Juan Aurich. Por mais que seja de bom alvitre respeitar o adversário, eu não ficaria surpreso se nuestros amigos volvessem a su casa com un saco de goles. E bem que merecem pelos pontapés e por aquele “gramado” ridículo no qual obrigaram o campeão da América jogar.

Só mesmo a pré-histórica Conmebol do pré-histórico Nicolas Leóz para aprovar um gramado sintético na Copa Libertadores. Mas, tudo bem, hoje é noite de festa no estádio em que o Santos conquistou mais títulos. Alguém tem dúvidas de que o velho e belo Pacaembu estará lotado? Sim, lotadaço e empolgado para ver o melhor time das Américas, formado por Rafael, Fucile, Edu Dracena, Durval e Juan; Arouca, Henrique, Ibson e Ganso; Neymar e Borges.

O Juan Aurich, que tem tudo para ser mais um João hoje, jogará com Penny, Guizasola, Fleitas, Contreras e Quina; Rojas, Ortiz, Cueto e Kahn; Zuñiga e Tejada. Esse Tejada, todo mundo sabe, é o único atacante perigoso deles. Portanto, um discreto lembrete ao Muricy: MANDA MARCAR BEM O TEJADA!!!

O trio de arbitragem é argentino. Patricio Loustau apitará, auxiliado Diego Bonfa e Javier Uziga. Se descobrir o que árbitros podem fazer em uma partida, já é uma incógnita, imagine árbitros argentinos atuando em um jogo de time brasileiro. Mas espero que se saiam bem, e caso isso ocorra, pode escrever aí: o time peruano não terminará com 11 homens. E nem com 10!

Se vencer, o Santos assumirá a liderança do grupo – e precisa vencer, pois esse Juan Aurich é o fiel da balança. Quem deixar de ganhar dele, dançará. A lógica é o Alvinegro Praiano golear hoje e golear também o The Strongest, que quando desce de suas montanhas vira o The Weakest. A decisão do primeiro lugar do grupo deverá ficar para Porto Alegre, e o Santos deverá jogar por um empate. Mas vamos por partes. Hoje é dia de fatiar o peru.

Neste sábado, Dalmo Gaspar e pesquisadores no Museu do Futebol

Neste sábado, a partir das 8h30m (da manhã, claro), o grupo Memofut, que se dedica ao estudo e à pesquisa da história do futebol brasileiro, realiza reunião no auditório do Museu do Futebol do Pacaembu em homenagem ao Centenário do Santos. A entrada é gratuita.

O destaque será a presença de Dalmo Gaspar, lateral-esquerdo que marcou, de pênalti, o gol que deu ao Santos o bicampeonato mundial de futebol, em 1963. Na oportunidade, os pesquisadores Celso Unzelte e Odir Cunha palestrarão sobre a história do Santos e apresentarão imagens inéditas do livro “100 anos, 100 jogos, 100 ídolos”, a ser lançado nessas comemorações do Centenário santista.

A seguir, a programação completa:

8h30 – 9h: Café e Memorabilia Futebolística: Os participantes poderão trazer qualquer livro, artigo ou objeto antigo ligado ao futebol.

9h – 9h15: Comunicações iniciais e apresentações dos novos integrantes.

9h15 – 10h15: Bate-papo Bola com Dalmo Gaspar.

10h15 – 10h30: Intervalo.

10h30 – 11h45: “O Centenário do Santos”, com Celso Unzelte e Odir Cunha.

11h45 – 12h30: “Os Clássicos do Santos contra seus Maiores Rivais”, com Alexandre Andolpho.

Garanta seu lugar no lançamento do livro Santos – 100 Anos de Futebol Arte

Que tal participar de um evento de lançamento de um livro oficial do Centenário do Santos, no Salão de Mármore do clube, com a presença de altas personalidades santistas, entre alas o Rei do Futebol?

Estou me referindo ao lançamento do livro “Santos FC – 100 anos de Futebol Arte”, dia 9 de abril, segunda-feira, a partir das 18 horas, no Salão de Mármore Vasco José Fae, na Vila Belmiro. Produzido pela Editora Magma Cultural e escrito por este humilde blogueiro que vos fala, o livro teve a edição esmerada de Marco Piovan. Sou suspeito, mas acho que é o livro mais bonito já feito sobre o Santos.

Quem realmente estiver interessado em adquirir o livro neste evento, pode responder com um comentário neste post. Seu nome completo será enviado para os organizadores do evento e colocado na lista de convidados. Mas só os primeiros 50 entrarão na lista. Decida-se hombre!

Como é esse livro

A obra faz parte das comemorações dos 100 anos de história do clube e conta com um texto emocionante do Rei Pelé, que declara o seu amor e gratidão ao time que o revelou para o mundo do futebol. Atual presidente do Santos, Luis Alvaro Ribeiro expressa o orgulho de ser santista e continuar o legado de seu avô, que foi um dos fundadores do clube.

O historiador Odir Cunha, autor de diversos livros sobre o Santos FC, assina esta obra e homenageia os 22 maiores ídolos da história do clube praiano. Entre eles, Pelé, Zito, Gylmar, Carlos Alberto Torres, Pepe, Coutinho, Edu, Pagão, Clodoaldo, Giovanni, Robinho, Ganso e Neymar.

Outro destaque de “Santos FC – 100 anos de Futebol Arte” são as fotografias e textos apaixonados de torcedores famosos, como Aloizio Mercadante, Fausto Silva, Marcelo Tas, Eduardo Suplicy, Geraldo Alckmin, Milton Neves, Charlie Brown Jr, Mônica Waldvogel, Paulo Henrique Amorim, Chitãozinho e Xororó, Titãs, Arnaldo Antunes e Zeca Baleiro.

Os torcedores anônimos não foram esquecidos e, dentre os milhões de fanáticos pelo Alvinegro Praiano, 30 foram escolhidos para integrar a obra e contar suas histórias de alegrias, paixão e humor. “Santos FC – 100 Anos de Futebol Arte” retrata a história gloriosa de um dos maiores clubes de futebol do mundo, com destaque para seus ídolos e conquistas.

Serviço
Lançamento do livro “Santos FC – 100 anos de Futebol Arte”
Onde: Salão de Mármore Vasco José Faé
Endereço: Praça Princesa Isabel, s/n – Vila Belmiro – Santos (SP)
Quando: 9 de abril de 2012
Horário: 18 horas

Sobre a Magma Cultural

A Magma Cultural é uma editora especializada na produção de livros de arte sobre arquitetura, design, fotografia, esportes e história. A editora se propõe a explorar as riquezas da arte e da cultura brasileiras, utilizando a brasilidade como principal essência e empregando sofisticação na linguagem dos projetos e produtos, criando propriedades com valores conceituais e patrimoniais.

Fundada em 2003, a editora já publicou diversas obras premiadas por sua estética e design. Em 2008, o livro “As Moedas Contam a História do Brasil” venceu o primeiro lugar do Jabuti, premiação de maior prestígio no setor editorial, na categoria Projeto Gráfico. O mesmo livro levou o terceiro lugar na categoria Capa, enquanto “Johnny – Eles Falam da Alma” e “Marc Ferrez – Santos Panorâmico” ficaram entre os 10 melhores nas categorias Fotografia e Projeto Gráfico, respectivamente. Em 2009, foi a vez de “60 Artistas e Arquitetos” ficar entre os 10 melhores na categoria Projeto Gráfico. Em 2006 e 2007, “Príncipe de Astúrias – O Mistério das Profundezas” e “De Santos a Jundiaí – Nos Trilhos do Café com a São Paulo Railway” ficaram entre os 10 melhores na categoria Capa.

E o que você espera de Santos e Aurich, logo mais?


Santos vira e encaminha a classificação na Libertadores

O Santos obteve uma virada até certo ponto tranquila, ontem à noite, contra o Juan Aurich, no Peru, e encaminhou bem a sua classificação para a próxima fase da Libertadores. O marcador de 3 a 1 foi pouco para definir a diferença técnica entre os times. No Brasil esse Juan Aurich vai sambar.

Nos jogos de volta, o Santos enfrentará o The Strongest e o Juan Aurich em casa. Conto como duas vitórias certas, apesar de todo o respeito que todo adversário deve ter e blá, blá, blá… Mesmo que perca do Inter, em Porto Alegre, ainda assim o Alvinegro Praiano terá boas chances de sair como primeiro do grupo, já que o Inter irá à Bolívia enfrentar o The Strongest e a altitude.

O melhor em campo, escolhido também pela Fox, foi o meia Paulo Henrique Ganso. Além de dominar o meio de campo, o craque fez um gol de falta e deu passe para o terceiro, de Borges (o uruguaio Fucile, outro destaque da partida, fez o gol de empate do Santos).

Como a tevê aberta brasileira está jogando todas as fichas no futebol trash, recorri à profissional e independente tv peruana para trazer os melhores momentos do jogo. Veja:

http://youtu.be/NG7nzS9tOWg

O que você achou do jogo? Agora a classificação está garantida?


Hoje tem futebol de verdade na Libertadores. O Santos de Neymar joga

As imagens do jogaço contra o Internacional ainda estão na memória e o Santos já volta a campo esta noite para enfrentar o Juan
Aurich, do Peru. É o jogo do campeão da Libertadores e do jogador que foi escolhido o melhor das Américas em 2011 e que acaba de fazer dois golaços contra o Internacional. Em qualquer país minimamente civilizado, com uma tevê menos promíscua, este seria o grande jogo no canal aberto. Mas aqui, em que tudo é feito com segundas intenções, ainda bem que restou a Fox…

Embrulho no estômago

Estava jantando em um lugar em que havia uma tevê ligada no jogo do Cruz Azul contra um time brasileiro e tive de engolir. Cruz Azul? Achei que fosse algum jogo beneficente em homenagem a uma entidade similar à Cruz Vermelha. Mas deixa pra lá… O que queria dizer é que me senti constrangido pela postura do narrador Cléber Machado e do comentarista Caio Ribeiro. Quanta puxação de saco ao time brasileiro, quanta distorção da verdade… Pela primeira vez vi dois beques salvarem gols feitos em cima da linha enquando o comentarista insistia que o resultado justo era a vitória do time que estava tomando o maior sufoco. Meu Deus! Quanta média pelo ibope. Tive vontade de pedir para desligar a tevê. Olha, só a entrada já me embrulhou o estômago. Cancelei o prato, paguei e fui embora. Pensando bem, é bem melhor torcer para um time que não é bajulado, que para ser reconhecido tem de jogar muita bola e que jamais comemora empates sem gols. O falso e interesseiro entusiasmo da imprensa só pode iludir os incautos.

Confrontos do Santos contra equipes do Peru

Por Wesley Miranda

O Santos não tem confronto contra o Juan Aurich, mas temos alguns confrontos contra equipes peruana. E algumas boas histórias…
São 31 jogos ao longo da história contra 9 equipes diferentes. E a vantagem é santista com 21 vitórias contra 4 derrotas e 6 empates. O Peixe marcou 92 gols e sofreu 40.

Só em solo peruano são 27 partidas com 21 vitórias, 4 derrotas e 5 empates.

Universitário – 5, 2, 3
Alianza Lima – 7, 0, 0
D. Municipal – 3, 0, 0
Cienciano – 1, 1, 1
S. Cristal – 2, 1, 0
Sport Boys 2, 0, 0
Pierola 1, 0, 0
Melgar – 0, 1, 0
Peru – 0, 1, 0

O 1º confronto
Era apenas a 2ª excursão internacional do Santos FC (a primeira aconteceu 1 ano antes na Argentina) e o Peixe já desembarcava em solo peruano para uma série de 6 jogos em praticamente 1 mês. O primeiro confronto aconteceu com o Alianza Lima, vitória por 4 a 2 com gols de Vasconcelos(2) Pepe e Álvaro!
O Peixe jogou também duas vezes com o Universitário, o Deportivo Municipal, Pierola, Cienciano. Foram 5 vitórias e apenas 1 derrota!

Camisa igual do Barcelona
Em 1960, o Santos fez sua terceira turnê em solo peruano. Mas acabou criando um leve confusão ao só levar o seu tradicional uniforme nº 2, todo branco.
No primeiro confronto frente ao Universitário no dia 26/02/1960 foi obrigado pelos anfitriões a jogar com um uniforme de um time amador local com o nome de River Plate. As cores do incomum uniforme santista, eram azul e vermelho, semelhante ao atual uniforme do Barcelona.

Cadê o Pelé?
No dia 17/01/1962 o Santos enfrentou o Alianza Lima. Nos vestiários, o técnico Luis Alonso Perez, o LUla, resolveu poupar Pelé para a entrada de Pagão. Na volta para o segundo tempo, o torcedor peruano que havia pago para ver Pelé, começou a protestar contra a substituição, gritando e chegando a arremessar objetos dentro de campo. Lula não esperou pelo pior e resolveu chamar Pelé de volta que entrou no lugar de Coutinho! O Peixe venceu por 5 a 1 com gols de Coutinho (2), Dorval, Tite e Pepe. Apesar da dilatada derrota, o torcedor peruano saiu satisfeito por ver o rei atuando. Isso é Pelé!

Alianza x Santos
O que foi o time de Pelé e Cia? Por aqui, quem não viu ou não procura saber a veracidade, se questiona com ar de duvida. Mas não é que longas quatro décadas depois, essa história é contada mundo afora com orgulho! Em 1964 o Santos bateu o Alianza Lima em seus domínios por 3 a 2. E um programa de tv Peruano reviveu esse momento. Reparem como o narrador se refere ao time visitante: “Ao poderoso Santos, do Brasil, do Rei Pelé” Ele ainda enaltece o poderio ofensivo de seu time local, mas deixa claro, sem patriotismo ou clubismo que o Santos era o time mais poderoso de todo continente.Neymar e Cia terão a oportunidade de escrever mais capítulos. Isso é Santos!!

Em Libertadores
Nos únicos confrontos valido por Libertadores, aconteceram na primeira fase de 1965 contra o Universitário. Em Lima o Santos bateu os anfitriões por 2 a 1 com 2 gols de Peixinho. No jogo do Brasil, realizado no Pacaembu, outro 2 a 1 com gols de Fernandez contra e Pelé!!

Gylmar em dia de fúria?
A grande lenda do gol do Santos Gylmar dos Santos Neves, frio, sereno, sempre controlado, com 100 partidas disputadas só pela Seleção Brasileira, muitos títulos e vencedor do exigente prêmio Belford Duarte, teve seu dia de fúria. Foi em um Santos e Alianza no estádio Nacional de Lima. Tudo corria bem, até o árbtiro Henrique Montes marcar um pênalti contra o Santos FC. O consagrado goleiro perdeu a cabeça, deferindo três socos no homem de preto. Gylmar saiu detido, em seu lugar entrou outra lenda santista, Cláudio Muniz. O Peixe venceu por 4 a 1 com três gols do grande Del Vecchio, de volta a Vila e um do gigante Pelé! Gylmar foi liberado depois da partida!

Santos x Seleção do Peru
Já nos anos 80, sob a presidência de Milton Teixeira, o endividado Santos aceitou o convite para a despedida do zagueiro Chumpitaz, grande destaque na Copa 70. O jogo no dia 10/10/1985 terminou em 0 a 0!
Ao longo da história, o Santos já enfrentou 67 seleções e 21 combinados regionais internacionais. O embaixador no mundo ganhou 66 partidas, perdeu 6 e empatou 16.

Peruano no Santos
Pelé estava se despedindo do Santos, e a preocupação era um sucessor que não sentisse o peso de substituir o maior jogador de futebol de todos os tempos. O Santos contratou junto ao Racing Club da Argentina, o experiente Ramón Mifflin de 27 anos. El Cabezón tinha sido destaque na campanha do surpreendente Peru na Copa de 70. Mas no Santos, não brilhou, em 34 partidas balançou a rede apenas uma vez. Não justificou a contratação, e o Santos esperaria mais algum tempo para Ailton Lira e posteriormente Pita honrar essa sagrada camisa 10.
Mas sabe aquela velha história de jogador que sai do Santos, provavelmente magoado e no primeiro encontro se vinga. Então, na despedida do Pelé no Cosmos, além do belo gol de falta do REI, Mifflin fechou o placar com o seu tento, 2 a 1. No 2º tempo, Pelé jogou pelo Santos.
Além desses dois ex santistas, o Cosmos ainda tinha Nelsi, Carlos Alberto e Rildo.

E para você, como o Santos deverá jogar hoje para vencer no Peru?


© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑