Neste último dia de 2017, decidi oferecer para a análise de vocês um estudo inicial sobre os Valores do Santos. Baseado na rica e apaixonante história do Glorioso Alvinegro Praiano, com a ajuda de alguns profissionais da área e inspirado também no trabalho similar feito pela Federação Argentina de Tênis, cheguei à conclusão de quais seriam os valores intrínsecos do Santos.

Esses valores exprimem a cultura do nosso clube e sua maneira particular de agir para, ao longo do tempo, alcançar seus objetivos. São baseados nos seus 106 anos de história a serem completados em abril de 2018.

São valores de todos nós, santistas, e pretendemos que sejam respeitados e seguidos por todos que trabalhem e sirvam ao Santos Futebol Clube, independentemente de quaisquer preferências ideológicas. Atletas, funcionários, dirigentes, todos deveremos conhecer e respeitar esses quatro valores fundamentais, que são:

Técnica – Disciplina – Garra – Ousadia

Técnica: para nós, santistas, ela significa aprender a executar nossa atividade com perfeição e desempenhá-la com competência e esmero. Ao mesmo tempo em que um jogador desenvolve seu drible, seu passe e seu chute, lapidando seus fundamentos a cada dia, cada funcionário do Santos fará o melhor que puder e terá a humildade e a vontade de aprender e se aperfeiçoar naquilo que não estiver fazendo com correção. A busca da perfeição no que faz deve ser a meta de cada funcionário santista.

Disciplina: esse valor implica seguir as regras, cumprir as metas, obedecer aos horários, respeitar a hierarquia e os valores do clube. Mas não é só isso. Assim como um jogador prejudica a equipe quando é punido por mau comportamento, um funcionário indisciplinado também afeta a instituição. E essa responsabilidade é ainda maior quando se está representando o Santos. Por isso, em qualquer situação, um santista deve ser educado, ético, disciplinado.

Garra: ao contrário do que se pensa, o Santos só conseguiu e consegue tantas conquistas porque tradicionalmente é um time de guerreiros, de jogadores de muita garra, que não desistem. Atletas como Pelé, Zito, Lima e Mauro são exemplos da perseverança, vontade, destemor e resiliência em busca do sucesso. Enfrentemos as dificuldades com a mesma garra que nossos campeões demonstram em campo, qualidade que deve ser praticada por todos os funcionários do Santos.

Ousadia: time de uma cidade que nem é a capital de seu Estado, o Santos conquistou o mundo. Isso porque não respeitou limites e nem deixou de perseguir seus sonhos e seu destino. Sempre foi atrevido, ousado, impulsionado pela criatividade de seus craques, que sempre encontraram uma saída para as situações mais difíceis. O componente da criatividade deve ser cultivado e incorporado a todas as áreas do clube. Um santista não tem limites para seus sonhos e realizações.

O que você pensa sobre isso?

HOMENAGEM AO GOLEIRO LEONÍDIO FRANÇA

Faleceu, aos 93 anos, o goleiro Leonídio França, que defendeu com ardor a meta do nosso Santos de 1946 a 1952, período em que jogou 64 vezes com a camisa mais apaixonante do futebol. O enterro se dará às 18 horas no Memorial Necrópole Ecumênica, na avenida Nilo Peçanha, 50, bairro do Marapé, Santos. Que Deus guarde o nosso grande arqueiro. Nossos sentimentos aos familiares.