Mesmo sem muitos titulares importantes, o técnico Adilson Batista deverá escalar um time com três atacantes, logo mais, às 19h30m, contra o Linense, em Lins, na estréia do Santos no Campeonato Paulista. Isso é bom. Técnico retranqueiro não dá certo no Alvinegro Praiano, o recordista de gols no futebol.

Maikon Leite, Kerrison e Zé Eduardo devem repetir o ataque que venceu o amistoso contra o Taboão da Serra por 4 a 0. Essa coragem do técnico é uma das coisas boas dessa estréia santista. Mas também há lados ruins a ponderar.

A defesa foi o setor do time que mais falhou em 2010, e percebe-se que ela segue inalterada em 2011, pois o time de hoje deverá jogar com os mesmos Rafael, Pará, Edu Dracena, Durval e Léo. Se não forem bem, é óbvio que provocarão as primeiras críticas ao trabalho do técnico e da diretoria de futebol.

O único contratado para o setor que pode ser titular é o lateral-direito Jonathan, mas já veio machucado. Outro que foi contratado machucado, e gravemente, é o volante Charles, que só poderá jogar a partir do final de fevereiro.

Charles veio para o meio-campo, um setor completamente desfalcado neste início de Campeonato Paulista, pois Arouca também se recupera de contusão; Elano não pôde ser inscrito na primeira rodada porque a janela de transferências internacionais só abre neste sábado; Paulo Henrique Ganso volta de cirurgia e ainda ficará mais um mês e meio fora do time e Alan Patrick e Danilo servem a Seleção Brasileira sub-20.

Assim, o meio-campo que Adilson deverá escalar para hoje será formado por Adriano, Rodrigo Possebon e Róbson (o “Robinho”, que estava emprestado ao Avaí). Nem é preciso dizer que, no papel, é o setor mais temerário do time. Até porque Robinho marca pouco e a função de roubar a bola do adversário ficará restrita a Adriano e Possebon.

Há um ano, time estreou mais forte

Há um ano, quando estreou no Campeonato Paulista de 2010, contra o Rio Branco, no Pacaembu, o técnico Dorival Junior avisou que o time estava em um estágio inferior aos outros três grandes e preveniu que deveria ter dificuldades no começo da competição.

Naquele domingo, 17 de janeiro, Dorival escalou o time com Felipe; George Lucas, Bruno Rodrigo, Bruno Aguiar e Pará (depois Madson); Roberto Brum (depois Breitner), Rodrigo Mancha, Wesley e Paulo Henrique; Neymar e André (depois Giovanni).

O Santos ganhou por 4 a 0, com dois gols de Ganso, que ainda era chamado de Paulo Henrique, e dois de Neymar. Giovanni reestrou no Pacaembu e participou de um lance que gerou um gol de Paulo Henrique. Comparecerem ao estádio 13.448 pessoas.

Linense, o retorno após 54 anos

Após 54 anos, o Linense voltará a fazer uma partida pela divisão principal do futebol paulista. Sua última participação entre os grandes de São Paulo ocorreu em 1957. O forte do time, segundo o experiente técnico Vilson Tadei, é o entrosamento, já que a equipe mantém a mesma base há mais de um ano.

Com a volta do artilheiro Fausto e a contratação do atacante Pedrão, o Linense, campeão da Série A2, terá uma dupla ofensiva perigosa hoje à noite. Outro reforço é André Turatto, contratado para liderar a defesa. No mais, Tadei prefere não inventar: o goleiro Paulo Musse segue como titular e o meio-campo é exatamente o mesmo de 2010.

Na verdade, a personagem mais marcante do time é o técnico. Como jogador, o paulista Vilton Tadei, 56 anos, defendeu grandes clubes, como Grêmio, Internacional, São Paulo e Vasco. Ele detém a primazia de ser o autor do primeiro gol no estádio da Ressacada, do Avaí, em Florianópolis. O primeiro da goleada de 6 a 1 que o Vasco impôs ao Avaí em 15 de novembro de 1983.

Situada a 450 km de São Paulo, Lins tem 71 mil habitantes. O Estádio Municipal Gilberto Siqueira Lopes, onde será realizada a partida, em 2009 teve capacidade ampliada para 20 mil pessoas.

Times prováveis

Linense
Paulo Musse; Eric, Samuel, André Turatto e Tarracha; André Bilinha, Vagner, Gilsinho e Rodrigo Guarú; Fausto e Pedrão.
Técnico: Vilton tadei.

Santos
Rafael, Pará, Edu Dracena, Durval e Léo; Adriano, Rodrigo Possebon e Róbson; Maikon Leite, Keirrison e Zé Eduardo.
Técnico: Adilson Batista.

Arbitragem: Rodrigo Braghetto, auxiliado por Mário Nogueira da Cruz e Carlos Augusto Nogueira Junior.

Reveja os melhores momentos da estréia do Santos no Campeonato Paulista do ano passado, contra o Rio Branco:

O que você acha que dará no jogo de hoje? Adilson Batista faz bem de colocar três atacantes, mesmo com o time desfalcado e fora de casa?