Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

Tag: Livros sobre o Santos

Santos está chegando…


Três pontos preciosos no Barradão

O Vitória atacou mais, porém os contra-ataques do Santos decidiram a partida. Bruno Henrique e Copete, com o auxílio de Kayke e Vitor Bueno, aproveitaram os buracos deixados pelos avanços do time baiano e construíram os dois gols de Copete, um em cada tempo, que firmam o Alvinegro Praiano no G4 e o permitem sonhar com a briga pelo título.

Deu para perceber uma diferença clara entre o estilo de Dorival Junior e o de Levir Culpi: agora os laterais não avançam tanto, o que atravanca as avenidas antes escancaradas pelos flancos da defesa santista. Com Victor Ferraz e Jean Motta mais preocupados com a marcação, os especialistas Kayke, Copete, Bruno Henrique e Vitor Bueno ficaram com a incumbência de atacar e o fizeram com muito mais perigo e objetividade do que nos tempos do tic-tic do técnico anterior.

O elenco ainda é limitado e algumas falhas podem ser observadas em todos os setores, porém o time está mais seguro, pois confia mais em seu sistema defensivo. Vanderlei tem mantido o nível de suas ótimas atuações e, ao menos como rebatedores, Lucas Veríssimo e David Braz estão muito bem tanto nas bolas altas, como baixas. O que não impediu, entretanto, que o Santos voltasse a sofrer um sufoco no final, com mais um pênalti perdido pelo adversário, dessa vez chutado no travessão.

Como sempre, foi difícil ouvir um comentarista torcendo contra o Santos e vendo pênaltis e mais pênaltis a favor do adversário. Infelizmente isso tem sido comum no Sportv, que tem uma boa quantidade de “especialistas” que jamais chutaram uma bola na vida. Mas a verdade é que o Santos foi mais inteligente, mais objetivo e mereceu a vitória.

Agora o Alvinegro Praiano volta a jogar domingo, às 19 horas, na Vila
Belmiro, contra o Sport, e na rodada seguinte vai a Goiânia enfrentar o Atlético local. Sao jogos que podem colocar o time na briga direta pela liderança. Mesmo sem alguns titulares, a vitória é bem possível e deve ser perseguida a todo custo.

Melhores e piores

Esse trio Kayke, Bruno Henrique e Copete pode não ser um primor de técnica, mas tem força, vontade e velocidade suficientes para incomodar qualquer defesa. Atrás, Vanderlei, Lucas Veríssimo e David Braz também estão se entendendo bem. O meio de campo, porém, está com problemas. Alison, fora de forma, cometeu dois erros crassos na mesma jogada e ainda saiu com cãibras, sobrecarregado por Renato, que só tocou de lado. As entradas de Léo Cittadini e Rafael Longuine pouco ajudaram.

Os que querem ir embora

Descontente com a reserva, Leandro Donizete alegou problemas particulares para não viajar para Salvador. Outros que não atuaram foram Lucas Lima, Ricardo Oliveira, Thiago Maia e Zeca. Não sei ao certo os motivos que afastaram esses quatro da partida, mas percebe-se que se tratam de jogadores que não estão mais fazendo questão de vestir a camisa do Santos. Com a difícil situação financeira do clube, é previsível que sejam trocados por boletos quitados.

Santos FC, o maior espetáculo da Terra

Fiz alguns vídeos em Buenos Aires lembrando passagens importantes da apaixonante história internacional do Santos. Publico o primeiro abaixo, o de La Bombonera, e o convido para participar da campanha que fará o Santos ser o único time de futebol do mundo a ter um grande e belo livro apenas com suas viagens internacionais.


Clique aqui para saber mais detalhes sobre a campanha e, se achar que ela é positiva para o Santos, participar do pré-lançamento do livro “Santos FC, o maior espetáculo da Terra”. Estou certo de que não se arrependerá.

CURSO ABERTO DE ESPECIALIZAÇÃO EM JORNALISMO ESPORTIVO

Castilho de Andrade e eu: ganhadores do Prêmio Esso de 1979

Castilho de Andrade e eu: ganhadores do Prêmio Esso de 1979

Aproveite o mês de julho para se especializar na profissão

Novo Jornalismo Esportivo – Técnica e Ética
Curso de Especialização

Ministrado por Odir Cunha, jornalista profissional há 40 anos – Jornal da Tarde, O Globo, rádios Globo, Excelsior e Record, TV Record, editor de nove revistas esportivas, diretor de comunicação da Secretaria Municipal de Esportes de São Paulo, diretor da Ampla Comunicação, editor das editoras de livros Novo Conceito e Magma Cultural, dono do Blog do Odir, autor de 27 livros, biógrafo de Oscar Schmidt, Pelé e Gustavo Kuerten, ganhador de dois Prêmios Esso e três prêmios da Associação Paulista dos Críticos de Arte.

Curso aberto a jornalistas, estudantes de Jornalismo e interessados

Temas do Curso

Pirâmide Invertida X Novo Jornalismo
As maneiras tradicional e criativa de se escrever uma reportagem.

As regras para uma boa entrevista
Conhecimento – Respeito – Planejamento – Dicas

Os limites da polêmica
Os cuidados com os crimes de opinião: Difamação, Injúria e Calúnia

Princípios do bom texto
Clareza
Escolha das palavras
Uma ideia por parágrafo
Precisão. Sem ela não há credibilidade.
Isenção. A necessidade de ser neutro.
Empatia. O melhor repórter se apaixona pela matéria.
Criatividade. Os caminhos que levam a ela.
Reler é obrigatório
Humildade e Respeito. Qualidades essenciais.
Ousadia e Iniciativa. Quando elas são obrigatórias.

Como escrever para
Jornal diário
Revista
Rádio
Televisão
Blogs e Sites

Funções Jornalísticas
Repórter
Copidesque
Chefe de Reportagem
Editor
Editor Chefe

Fechamento de matérias
Títulos
Subtítulos
Olhos
Intertítulos
Legendas

Lições de casa durante o curso

Matérias sobre eventos escolhidos

Trabalho Final

Certificado de Conclusão

Novo Jornalismo Esportivo – Técnica e Ética
Curso de Especialização

Carga horária: 16 horas
Datas e horários: dias 4, 6, 11, 13, 18, 20, 25 e 17 de julho, das 19h30 às 21h30.
Local: Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo (Aceesp).
Endereço: Av. Paulista, 807, 9º andar, conjunto 904, São Paulo. Fones: (11) 3251-2420 e 3289-8409.
Investimento: R$ 300, 00 (trezentos reais – 50% na matricula, 50% até o dia 15 de julho.
Sócios da Aceesp em dia com a anuidade não pagam.

Informações e inscrição: blogdoodir@blogdoodir.com.br

Livraria do Blog está reaberta

A Livraria do Blog está reaberta, ainda com os preços antigos. Em nenhum outro lugar, nem mesmo em sites de livros usados, você encontrará obras como Time dos Sonhos e Dossiê Unificação dos Títulos Brasileiros por preços tão baixos como aqui. Aproveite.

Clique aqui para entrar na Livraria do Blog, conhecer as promoções e adquirir livros a preços imbatíveis.

clinica de tenis do castelo - 2017


Compre um, leve dois!

No ano passado, mesmo sem Lucas Lima, o Santos deu um show na Chapecoense, jogando na Vila Belmiro. Neste domingo, às 16 horas, eles voltam a se encontrar no mesmo local. Como será dessa vez?

Pelé dormindo com os livros Time dos Sonhos

Compre um, leve dois!

Como prometi, neste julho, mês de aniversário da Suzana, minha mulher, em homenagem a ela e a quem aprecia e divulga a história do nosso querido Santos por esse Brasil afora, ofereço uma promoção imperdível do livro Time dos Sonhos, a Bíblia do Santista: quem comprar um exemplar de Time dos Sonhos, receberá dois, e sem pagar nenhum centavo a mais.

Diante de promoção tão radical, é natural que você tenha algumas dúvidas a respeito. Então, elaborei as respostas a elas, a seguir:

Cliquei no link COMPRAR LIVROS, no alto do blog, fui encaminhado à LIVRARIA DO ODIR, mas lá não existe essa promoção. Como devo proceder?
Na Livraria do Odir compre apenas um exemplar de Time dos Sonhos, pagando R$ 68,00 (já incluída a despesa de correio). Tratarei de enviar os dois exemplares para o mesmo endereço que você indicar.

Posso pedir uma dedicatória para cada livro?
Sim, pode. Para isso, envie e-mail para blogdoodir@blogdoodir.com.br com o segundo nome a receber a dedicatória.

Posso pedir para os livros serem entregues em dois endereços diferentes?
Isso não. Os dois livros só podem ser entregues em um endereço. Mudar isso aumentaria os custos e quero manter apenas o preço final de 68 reais.

Essa nova promoção ainda me dá direito a receber, gratuitamente, uma cópia eletrônica do livro Donos da Terra?
Sim. Comprando um exemplar de Time dos Sonhos você receberá dois exemplares do mesmo e também ganhará, de presente, uma cópia eletrônica do livro Donos da Terra, que será enviada pelo seu e-mail.

Do que trata o livro Donos da Terra?
Ele conta a história da primeira conquista mundial do Santos, em 1962. Entrevistei também jogadores do Benfica para fazer esse livro, que recebeu boas críticas. Você voltará no tempo e viverá o auge do futebol-arte.

Se eu pagar e não receber os livros, como devo agir?
Garanto que isso não ocorrerá. Você comprará apenas um e receberá dois exemplares de Time dos Sonhos. Mas se houver algum problema, envie e-mail para blogdoodir@blogdoodir.com.br e relate o ocorrido. Os dois exemplares de Time dos Sonhos chegarão às suas mãos. É minha palavra que está em jogo. Até agora, em seis anos de livraria, o nível de satisfação dos clientes é de 100%. Quero manter a invencibilidade.

Para quem devo dar o segundo exemplar de Time dos Sonhos?
Se não tiver ninguém em especial, como parente ou amigo, sugiro que ofereça a um santista de poucas posses, preferencialmente criança ou adolescente, que não tem como comprar o livro. Vamos espalhar a história mais rica de um time de futebol. Ninguém gosta do que não conhece. Vamos aumentar o número de pessoas conhecedoras e, por que não, especialistas na história do Glorioso Alvinegro Praiano.

Por que devo ler Time dos Sonhos?
O livro Time dos Sonhos, de 528 páginas, traz a história completa do Santos desde sua fundação, em 1912, até o título brasileiro de 2002. Toda a formação e os grandes momentos do melhor time de todos os tempos, que começava com Gylmar (ou Manga, ou Laércio, ou Cláudio) e terminava em Pepe (ou Edu, ou Abel) estão lá, incluindo, obviamente, a incomparável trajetória de Pelé.

Quanto tempo durará a promoção?
A partir de hoje, 1º de julho, até o dia 31 deste mês.

A promoção serve para todos os livros da Livraria do Odir?
Não, apenas para o livro Time dos Sonhos, pois este foi produzido pela minha editora, a Verbo Livre. Os outros são de outras editoras e não obtive autorização para reduzir os preços.

eu e suzana melhor

Quem é Suzana, a sua mulher?
Suzana Gonzaga Silva Cunha foi uma das melhores tenistas brasileiras até os 18 anos. Depois, formou-se em Educação Física na USP e passou a se dedicar ao ensino do tênis, especializando-se em aulas para crianças. Escreveu livros e fez vídeos sobre o assunto e há mais de 20 anos escreve para revistas especializadas do esporte e trabalha para a Confederação Brasileira de Tênis na formação de novos professores. Acredita que a prática esportiva traz valores importantes para as pessoas, principalmente para os mais jovens. É minha companheira na vida e no amor ao Santos.

No filme que você posta no blog, você diz que o comprador terá o seu nome no último capítulo do livro. Isso ainda vale?
Não, esse presente nós demos para quem participou do financiamento desta segunda edição do livro. Sem esses contribuidores, Time dos Sonhos não teria sido relançado. Se quiser também ter o seu nome em um livro sobre o Santos, sugiro que espere um pouco mais, pois até o final do ano uma obra sensacional, de um grande pesquisador santista, deverá ser lançada por outra editora, mas anunciarei neste blog.

Torne-se um conhecedor e um divulgador da rica história do Santos. Mantenha vivo o bem mais precioso do nosso time.

Time dos Sonhos + Time dos Sonhos + Dedicatórias + Frete Pago + Donos da Terra (versão eletrônica) por apenas 68 reais! Promoção só neste mês de julho! Aproveite!
DonosdaTerra Aproveite a promoção deste mês de julho. Compre um exemplar do livro Time dos Sonhos, ganhe mais um e ainda receba, gratuitamente, uma versão eletrônica do livro Donos da Terra. No caso de querer uma dedicatória a outra pessoa, logo após adquirir o livro envie e-mail para blogdoodir@blogdoodir.com.br com o nome de quem será presenteado.
Clique aqui para saber como adquirir o seu exemplar de Time dos Sonhos – uma autêntica Bíblia Santista, de 528 páginas – sem nenhuma despesa de correio e com dedicatória do autor, por apenas 68 reais. E ainda receber, gratuitamente, um segundo exemplar de Time dos Sonhos e a versão eletrônica do livro Donos da Terra.

Se quiser adquirir apenas o e-book do livro Donos da Terra, por uma taxa simbólica de R$ 3,00 (três reais), envie e-mail para blogdoodir@blogdoodir.com.br para ser orientado a respeito.

Ensina o Gustavo, Alex:

Veja que belo gesto do Ricardo Oliveira e do David Braz:

E então, me ajuda a divulgar a história do Santos?


A verdade, só a verdade, sobre os Neymares e eu

Fiquei abismado sobre a nota que saiu no site oficial de Neymar sobre mim. Sei que não foi Neymar quem escreveu, e sim o seu assessor Eduardo Musa, mas fiquei preocupado por perceber que Neymar está avalizando declarações inverídicas de um funcionário de sua equipe que distorce os fatos e usa de todos os recursos – até a deselegância de divulgar e-mails que trocamos confidencialmente – para me jogar contra os Neymares, pai e filho.

Na verdade, o texto está assinado por Neymar da Silva Santos, que é seu pai. O nome completo de Neymar tem um “Junior” no fim. Portanto, como eu previa, Neymar, o craque do Santos que amamos, não tem nada a ver com esse texto, que o pai pediu e o assessor Eduardo Musa escreveu.

Em primeiro lugar, e os leitores do meu blog sabem, não tenho absolutamente nada a esconder e costumo usar desses, digamos, mal entendidos, para esclarecer os fatos.

Todos sabem que quando escrevo que adoro Neymar, adoro mesmo. Adoro seu talento, seu coração e seu caráter. Declaro isso desde a primeira vez que o vi jogar, pelo Paulista de 2009. E quero, quero mesmo, nunca escondi isso, que ele permaneça a vida inteira no Santos e no Brasil. Quem tiver paciência, pesquise o primeiro texto que escrevi sobre o garoto quando estreou no Santos, e procure depois por todos os posts nos quais comprei e compro briga com colegas jornalistas que preferem vê-lo longe de nós.

Já disse pessoalmente a Neymar que ele é mais importante para o Brasil do que para a Europa, que aqui ele fará a diferença, influenciando os jovens e chacoalhando esse complexo de vira-latas que faz com que nossa imprensa esportiva considere abandonar o futebol brasileiro como o caminho mais viável para ele.

Lancei no blog e no twitter a campanha para que Neymar e Ganso fossem convocados por Dunga para a Copa de 2010, lancei a campanha pelo “Dia do Fico” quando da primeira proposta séria, do Chelsea, em 2010. Pressionei até rudemente a direção do Santos para dar tudo que Neymar e seu pai pedissem, a fim de que o garoto não fosse embora. Acho até que extrapolei a condição de jornalista para defender Neymar dos abutres que o menosprezam e, no fundo, querem ver o seu mal.

Já cheguei a sugerir a Eduardo Musa que consultasse Neymar sobre a possibilidade de nós, santistas, criarmos uma campanha para arrecadar dinheiro a fim de mantê-lo no Brasil. Neymar foi consultado por seu assessor e não concordou. Segundo Musa, o menino disse que não se sentiria bem sendo pago pelos torcedores, o que para mim foi mais uma prova de seu enorme caráter.

E já que não tenho dinheiro e nem parentes importantes, uso de argumentos para convencer a ele e a quem cuida de sua carreira de que ainda é cedo para ir embora em busca de um destino incerto. E se meus artigos incomodam tanto, a ponto deste último provocar uma resposta no site oficial de Neymar, é porque calam fundo na consciência de quem se sente tocado por eles.

Bem, mas o objetivo deste post é esclarecer as acusações escritas por Eduardo Musa no site oficial de nosso Menino de Ouro. Vamos, então, ao seu texto e as verdades sobre cada um dos fatos relatados. Principia ele:

Há algum tempo fomos procurados insistentemente pelo jornalista Odir Cunha, um profissional bastante identificado com o Santos FC e autor de vários livros dedicados a contar a história do clube pelo qual declaradamente torce. Ele mostrava disposição em escrever um livro sobre o Neymar Jr a quem, palavras dele, “simplesmente adorava”!!

Seguiu-se a troca de e-mails tradicional em toda negociação comercial. Claro está que não se trata de uma publicação escrita por um fã que deseja apenas elevar a imagem de um clube e de um atleta. Há toda uma preocupação comercial neste tipo de ação e não foi diferente com o Sr. Odir Cunha. O que não é nenhum pecado, deixo claro.

Em primeiro lugar, reproduzir os e-mails comerciais foi um gesto extremamente amador e comprometedor do sr. Musa. Com que confiança outras pessoas tratarão de negócios com ele, sabendo que de uma hora para outra todas as condições confidenciais de uma negociação virão a público?

Mas, aspectos éticos à parte, vamos aos fatos. A história do livro começou bem antes. Em meados de 2011 fui procurado por Marcia Batista, editora-chefe da editora Universo dos Livros, com a proposta de escrever um livro sobre Neymar. Ela sabia de minha afinidade com o Santos e dos livros que eu já tinha escrito sobre o clube. É claro que gostei da idéia. O projeto foi encaminhado ao sr. Musa, mas não andou.

Em 2012 eu era editor do Selo Jovem da Novo Conceito, editora de grande prestígio, sediada em Ribeirão Preto, e surgiu a ideia de lançarmos um livro sobre Neymar, aproveitando sua grande penetração entre os adolescentes. Depois de troca de e-mails pelos quais informei o currículo invejável da Novo Conceito, editora que ficou entre as que mais venderam livros em 2011 e 2012, marquei reunião com o sr. Musa e fui ao seu escritório, em Santos.

Na reunião, fiquei sabendo que Neymar preferiria que seu livro fosse escrito por um amigo dele, a quem já havia prometido a tarefa. Concordei prontamente. O essencial, para mim, era editar e lançar o livro. Como alguém que já escreveu tantos livros de esporte, entre eles a biografia de Oscar Schmidt, é óbvio que eu gostaria de ter a honra de contar a história de Neymar, mas na mesma reunião me convenci de que um autor mais próximo e mais familiarizado com o estilo de vida de Neymar, poderia se sair melhor.

Voltei para Ribeirão Preto e passei a responder, por e-mail, todas as informações pedidas pelo escritório do sr. Musa. Ofereci a ele o máximo que a editora podia, com relação a royalties, marketing, divulgação. Até que recebi o pedido do escritório do sr. Musa de que, além do livro de Neymar, a editora teria de fazer uma outra obra, sobre o pai de Neymar. Aí não pude concordar. Expliquei que como o pai era importante para a vida e a carreira do filho, dedicaríamos um bom capítulo sobre ele, mas não havia interesse comercial de fazer um livro apenas sobre o pai de Neymar. A partir daí os contatos cessaram e o projeto foi abortado.

No post no site oficial de Neymar ainda está escrito: Apenas estranho que alguém que defenda tanto o Santos FC em seus textos não pense, em momento algum, em participar o clube nas receitas provenientes da venda do produto. Afinal, mesmo que indiretamente, o livro que seria desenvolvido usaria a imagem do clube. Digo isso com tranqüilidade baseado no primeiro e no terceiro dos e-mails reproduzidos abaixo onde são discutidos percentuais sobre as venda.

Aqui há uma confusão muito grande e, provavelmente, Eduardo Musa tenha se valido de outras fontes para produzir esse parágrafo. Esse tema já foi motivo de uma discussão minha com o Arnaldo Hase, assessor de comunicação do Santos, e com Armênio Neto e Luciana Xavier, do departamento de marketing do clube.

Respeito as opinião deles, claro, mas acho que um livro, uma obra cultural, não deveria pagar royalties aos clubes. Se obras artísticas e culturais dessem dinheiro neste País, não haveria tantas leis de incentivo à cultura. Quando se coloca 10%, ou mesmo 8% de royalties de um livro para o clube, as contas não fecham. Vamos checar?

Do preço de capa de um livro, 55% metade ficam com a distribuidora e a livraria. Coloque mais 8%, que seja, para o clube, e terá 63%. Coloque mais 8% para o autor, e chegará a 71%. Ou seja, apenas 29% irá para a editora, que investiu em profissionais qualificados, papel, impressão, escritório, depósito e ainda paga imposto sobre as vendas.

Então, é necessário que um livro venda no mínimo 10 mil exemplares para começar a dar lucro para uma editora no Brasil. E menos de 1% (um por cento) dos livros lançados sobre futebol vende isso. Portanto, a não ser em datas específicas – como a comemoração de um grande feito –, livros sobre futebol são deficitários. Sempre disse isso e sempre defendi que ao menos o Santos não cobrasse royalties, pois isso estimularia mais editoras e mais autores a escreverem sobre a história do nosso glorioso Alvinegro Praiano.

Para concluir o assunto, lembro de uma conversa que tive com um gerente de marketing do Santos de uma gestão anterior: “Um dos maiores argumentos de marketing do Santos não é a sua história?”. “Sim”, ele respondeu. “Se ninguém fizesse um livro sobre a história do Santos, o próprio clube não teria de fazê-lo?”. “Sim”, ele concordou novamente. “Pois então”, concluí, “se há uma boa editora interessada em editar o livro por sua conta e risco, e se esse livro poderá ser usado pelo marketing do clube, por que inibir essa editora cobrando-lhe royalties?”.

Enfim, ajudo o Santos como posso, divulgando-lhe a história, resgatando suas conquistas, pagando minha anuidade de sócio (mesmo sendo jornalista e podendo entrar de graça nos jogos), argumentando e até mesmo brigando contra os que querem diminuí-lo. Também incentivo, ajudo e apoio quem pesquisa e escreve sobre o Santos, mas não posso concordar com o tratamento que coloca livros no mesmo nível de latinhas de cerveja e pacotinhos de biscoito. Quem preserva a história, a cultura do Santos, deve ser incentivado, e não taxado. Essa ao menos é minha opinião e creio que tenha o direito de tê-la.

O post no site do nosso ídolo prossegue: Chegamos em determinado momento a receber o jornalista no escritório da NR Sports, em Santos. Eu não estava presente. Todas as conversas foram conduzidas pelo Sr. Eduardo Musa. Eu e minha família não o conhecemos pessoalmente e não fazemos questão de conhecer. As negociações foram interrompidas a meu pedido em razão de termos sido informados sobre o caráter do jornalista, informação que viria a se confirmar com os fatos de hoje.

Este parágrafo obviamente não poderia ser escrito por Neymar. E acredito que nem por Musa. Mostra uma arrogância que Neymar ou seu assessor jamais demonstrariam. Dizer que não faz questão de me conhecer e julgar o meu caráter mesmo sem me conhecer é profundamente desrespeitoso.

Tive pouco contato com o Neymar craque – entre eles a participação em um programa de fim de ano na TV Gazeta –, mas sempre deixei claro que o admirava e o respeitava. Sem contar os muitos artigos que escrevi ressaltando suas qualidades e fechando os olhos para suas idiossincrasias de menino. Na verdade, as negociações sobre o livro não foram interrompidas por Neymar pai ou mesmo por Eduardo Musa. Cessaram quando não concordei em publicar um livro sobre o pai de Neymar.

O lamentável post do qual Neymar nem deve ter tomado conhecimento, apesar de ser publicado em seu site oficial, termina assim:

A negociação não avançou. O livro não foi escrito pelo Sr. Odir Cunha e publicado pela Editora a qual ele está(va) ligado. Hoje, 19/04, ele publicou um texto em seu blog – http://blogdoodir.com.br/2013/04/o-pai-de-neymar-e-a-vida-apos-a-morte/ – com graves acusações pessoais sobre a minha família. Os constantes elogios foram trocados por palavras que expõem certa mágoa com o fracasso da negociação, com a perda da receita esperada, mostrando o quanto interesses comerciais podem mover a “caneta” de um jornalista.
Lamentavelmente Sr. Odir Cunha, após recebermos você em nossa “casa”, descobrimos quem é a “mídia do mal” a quem você se referiu no e-mail encaminhado em 10/09/2012.
Você !!
Neymar da Silva Santos

É óbvio, também, que este final piegas e apelativo, foi escrito pela dupla pai de Neymar/Eduardo Musa. Ficou evidente que a negociação não avançou porque não concordei em lançar um livro sobre o sr. Neymar. Com todo o respeito por ele, de quem só tinha ouvido boas referências, acho que o livro não teria grande interesse. Não foi uma decisão pessoal, mas estritamente profissional.

Outro detalhe é que não fui recebido na casa de Neymar, mas sim no escritório de seu empresário, interessado, mui justamente, em fazer um bom negócio para o seu atleta.

Também não tenho mágoa alguma por deixar de escrever o livro. Não sou e nunca fui dinheirista. Não sou de ir à missa ou ao culto, mas não jogo meus princípios para escanteio por causa do dinheiro, nunca servi a dois senhores ao mesmo tempo. O livro era uma oportunidade de consolidar a imagem de Neymar junto aos jovens e com isso conquistar mais torcedores e simpatizantes para o meu Santos. Sou santista acima de tudo e vejo em Neymar alguém que já fez, tem feito e ainda pode fazer muito mais pelo time que amamos.

Não me lembrava de ter usado essa expressão “midia do mal”, mas todo santista sabe a quem estou me referindo. São as pessoas que usam dos veículos de comunicação pretensamente neutros para expulsar Neymar do Brasil (já pensou se tudo que é dito nos bastidores do futebol fosse revelado?).

Não faço nenhuma acusação contra família alguma. Ao contrário. Sei que o instinto familiar de Neymar, que o atrai para junto de seu filho, sua irmã e seus pais, é que o mantém no Brasil. Apenas apelo para a consciência cristã do pai de Neymar, que cuida da carreira do filho. E para não ser mal interpretado mais uma vez, lembrarei uma frase que o pai de Neymar deve conhecer de cor, pois está na Bíblia. Ela diz: “Muitos são os chamados, poucos os escolhidos” (Mateus, 22:14).

Meu desejo, enfim, é que apesar dos muitos chamados para ir embora, Neymar seja o escolhido para ficar no Brasil e iniciar a redenção do futebol brasileiro. Quanto a mim, esse episódio não diminuiu uma gota no imenso mar de simpatia, carinho e gratidão que sinto por Neymar, nosso eterno Menino de Ouro.

E você, o que achou disso tudo?


Notícias do Centenário: Cruzeiro, Festival Curta Santos, Benfica…

Estão sendo definidos os detalhes do Cruzeiro do Centenário. Será realizado em um navio com capacidade para 1.800 pessoas, que levará a bordo ídolos do clube, personalidades e terá muitos eventos – shows musicais, ginkanas, bate-papos, filmes, palestras – todos, obviamente, ligados ao Santos e sua história.

Logo os pacotes para o Cruzeiro serão anunciados. Posso adiantar que os preços são acessíveis. Uma cabine individual poderá ser paga em dez vezes de pouco mais de 100 reais por pagamento. Estou certo de que será um sucesso.

Imagine-se convivendo três dias com seus ídolos, falando e aprendendo sobre o Santos, ouvindo shows de músicos santistas, tomando as refeições ao lado de irmãos alvinegros e ainda, para quem quiser, jogando uma partida em estádio oficial. Fique atento para o lançamento do pacote.

Será fantástico e faço um convite às famílias santistas. As crianças não serão esquecidas, claro. Vamos tratar nossos peixinhos com o carinho que merecem. Queremos que o Cruzeiro seja exemplar. Temos certeza de que superará, em todos os sentidos, todos os outros já realizados por clubes de futebol.

Festival Curta Santos

O Santos será o tema do 10º Festival Curta Santos, a ser realizado no ano que vem. Sei que há muitos santistas candidatos a Steven Spielberg. Preparem seus filmes. Prometi aos organizadores que vamos bater recordes neste festival que é um dos conceituados do país.

Em 2012 os filmes do festival estarão disponíveis para serem exibidos por todo o País. Cinemas e entidades interessadas em transmitir curtas metragens participantes do festival, podem entrar em contato comigo.

Na abertura do festival de 2011, em 13 de setembro, será anunciado o festival de 2012 e por isso estarão presentes autoridades e jogadores do Santos – incluindo o futebol feminino e o futsal.

Jogo contra o Benfica

Já há duas possibilidades para um jogo contra o Benfica, a fim de celebrar a primeira conquista mundial do Santos. É claro que o problema de datas existe, mas as tratativas estão bem encaminhadas. Há a possibilidade de o jogo ser realizado no Kwait. Um empresário internacional se oferecer para bancar o evento. A bolsa é tentadora. Falta só a resposta do Benfica.

Há ainda a possibilidade da partida ser jogada na mesma data em que o Santos foi campeão mundial, no Estádio da Luz, em 11 de outubro do ano que vem. Personagens do jogo histórico estariam presentes e a festa selaria o congraçamento entre essas duas grandes equipes do futebol mundial que reinaram nos anos 60, estrelas por Eusébio e Pelé.

O selo dos Correios

Agradeço a todos que enviaram mensagens aos Correios sugerindo que o Santos tenha um selo comemorativo de seu Centenário em abril de 2012. Esta iniciativa, mais os esforços de autoridades filatélicas, como Frederico Guerra, presidente da Sociedade Filatélica de Americana, e Miguel Rodrigues de Magalhães, presidente da Sociedade Philatélica Paulista, entre outros, farão com que o Alvinegro Praiano seja lembrado com um bloco de selos no mês de seu aniversário. Produto precioso para os colecionadores do mundo inteiro.

Concurso logo e slogan

O ganhador já foi escolhido, mas o caso está sendo estudado por uma comissão, pois algumas alterações no logo serão sugeridas ao vencedor. Não tenho autorização para divulgar o nome do felizardo ainda. Peço desculpas pela demora deste anúncio. Há coisas que não dependem da coordenação do Centenário.

Pintura do Muro do CT

Continua firma a pintura do muro do CT do Santos, que se transformará no maior mural ao ar livre do mundo. O artista plástico Paulo Consentino e sua equipe prosseguem na labuta da obra histórica.

Livros

Chega ao fim o trabalho de texto do livro “100 jogos, 100 ídolos”, que faço com o amigo Celso Unzelte e que retratará as 100 partidas mais significativas e os 100 ídolos mais importantes do Santos Futebol Clube. É impossível ser totalmente justo em uma escolha como esta, mas estamos certos de que se fará justiça à maioria dos jogos e jogadores importantes do Alvinegro Praiano.

Prossegue também a produção do livro da editora Magma Editorial com a história oficial do Santos. A novidade é que ele trará as melhores histórias de torcedores e as duas seleções – ouro e prata – dos melhores jogadores do Santos. Quer saber qual é a Seleção Ouro do Santos?

Gylmar dos Santos Neves, Carlos Alberto Torres, Mauro Ramos de Oliveira, Ramos Delgado e Léo; Zito e Paulo Henrique Ganso; Neymar, Coutinho, Pelé e Pepe. E agora, quer saber a Prata?

Rodolfo Rodrigues, Lima, Formiga, Joel Camargo e Dalmo; Clodoaldo e Antoninho; Robinho, Pagão, Giovanni e Edu. O técnico só pode ser Luis Alonso Peres, o Lula.

Filmes

A produtora Canal Azul produz dois longas-metragens para o Centenário. Um deles, “Meninos da Vila”, está sendo dirigido pela premiada Kátia Lund. O outro conta toda a história do clube, desde o início – e já tem imagens incríveis da conquista do terceiro título da Libertadores.

O que falta

Dentre as propostas originais do Centenário há algumas a serem viabilizadas, que são o Festival de Música e de Cânticos, a peça de teatro contando a história do clube, os shows musicais, a romaria e a carreata. Se você ou sua empresa podem colaborar, fale comigo.

Que tal? E que novas ideias você tem para o Centenário Santista?


Livros sobre o Santos

Dos 17 livros que escrevi, sete falam do Santos. Quando comecei a pesquisar para fazer o Time dos Sonhos, só havia um livro sobre o Alvinegro Praiano, o Álbum de Ouro, escrito pelo saudoso Adriano Neiva, o De Vamey.

O amigo Jarbas Duarte, da JD Sports, fez questão de me ouvir sobre os meus livros do Santos. Foi à minha casa, gravou esta entrevista e colocou no Youtube. Quer ver como ficou? Está aí:

Além de mim, José Roberto Torero, Guilherme Gomes Guarche, Vladir Lemos e o grande Pepe lançaram recentemente livros sobre o Santos. Isso é ótimo para manter viva e divulgar a memória do melhor time de todos os tempos.

E você, o que faz para preservar a história do Santos?


© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑