Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

film izle

Tag: Maranhão (page 1 of 3)

Um empate preocupante

A garotada do Fluminense merecia ganhar do Santos na Vila, esta é a verdade. Se o Santos tinha três desfalques importantes – Neymar, Ganso e Arouca -, o time do Rio também tinha e nem por isso deixou de ser ofensivo e procurar o gol.

O que deve ter deixado o santista chateado é que o Alvinegro Praiano é o clube famoso por revelar jogadores, mas enquanto Muricy apostou em alguns veteranos, Abel Braga escalou um time jovem e rápido, que dominou a partida e criou as melhores chances para marcar.

O incrível é que Muricy Ramalho escalou cinco jogadores no meio-campo e foi a região do campo que parecia ter menos santistas. Léo não encontrou seu lugar, Elano continuou molengão, Adriano deu o gol de empate para o Fluminense, Henrique ao menos lutou e Alan Kardec pouco fez.

Rentería brigou lá na frente sozinho, como gosta, e achou um gol aos 4 minutos de jogo, roubando uma bola no meio e tocando por cima do goleiro. Mas aos 26 Adriano perdeu para Carlinhos e depois perseguiu o jogador do Fluminense e fez pênalti, que Carlinhos, um ex-Menino da Vila, cobrou para empatar.

Está certo que a falta de Adriano foi fora da área, mas a verdade é que depois o Fluminense teve um gol anulado erradamente. Então, ficou elas por elas. Não dá para dizer que a arbitragem influenciou.

Vale a pena continuar insistindo com alguns?

Dizem que jogadores como Maranhão, Juan e Felipe Anderson ficam apavorados com a pressão da torcida santista na Vila, mas hoje tem tinha torcida e mesmo assim a bola parecia queimar nos seus pés.

Bem, mas é bom parar por aqui, pois não dará para elogiar ninguém depois desse Santos 1, Fluminense 1. O time não tem força ofensiva e deverá sofrer muito para ficar em uma posição intermediária no Campeonato Brasileiro, pois passará quase todo o primeiro turno sem Neymar e Ganso.

Ah, o garoto Victor Andrade entrou nos cinco minutos finais e ao menos mostrou vontade. Para resumir, esse pontinho caiu do céu, pois o Santos não mereceu sequer o empate contra os Meninos do Flu.

Reveja os dois gols da partida:

E você, o que achou de Santos 1, Fluminense 1?


Mesmo sem Neymar e Ganso, Santos deve afogar o Sport

Mesmo sem Neymar e Ganso, o Santos é franco favorito contra o Sport, hoje, às 16 horas, na Vila Belmiro. Assim como a ausência dos dois não pode servir de desculpa para um mau resultado contra o time pernambucano, está mais do que na hora de surgirem outros destaques ofensivos no Santos.

Alan Kardec? Pode ser. É um sujeito legal e está jogando melhor a cada dia. Rentería? Tomara que dê a louca no rapaz e que ele perceba que está tendo uma de suas últimas chances em um clube grande do Brasil. Ou joga como se estivesse em uma final de Copa do Mundo, ou logo será esquecido. Dimba? Acho que está machucado, não? Felipe Anderson? Este tem técnica e algum talento, mas precisa usar mais a cabeça, estar sempre mais disposto. Tomara que seja hoje.

O Santos tem bons jogadores de defesa, talvez um pouco acima da média, como Edu Dracena, Juan, Arouca e Adriano. E ainda há Elano, que ainda está devendo, mas tenta se recuperar depois de viver um inferno astral. Porém, não há dúvida de que faltam referências ofensivas quando Ganso e Neymar estão fora. O primeiro ficará um mês parado, devido a outra artroscopia, e o Menino de Ouro vai conviver com o ambiente complicado da Seleção do corintiano Mano Menezes. Que Neymar sobreviva e volte inteiro…

Léo ganhou folga para visitar a família em Campos. O zagueiro David Braz se machucou na estreia. Comos erá o time de hoje? Vamos especular juntos? No gol, não há dúvida. Sem Rafael, que também servirá a Seleção, só pode ser Aranha, que para muitos é até melhor do que o titular.

Na lateral-direita há Maranhão, mas também pode ser Galhardo, um jogador que tem potencial para brigar pela posição. Na zaga, se quiser poupar Edu Dracena e Durval, acho que Muricy Ramalho pode escalar Bruno Rodrigo e Vinicius Simon sem maiores problemas. Talvez até Ewerton Páscoa, que deixou boa impressão no jogo contra o Bahia, possa ser utilizado. Gostei do rapaz. Parece ter personalidade.

No meio, Arouca e Adriano são indiscutíveis. Até porque Henrique sentiu dores musculares e deverá descansar. Porém, se quiser escalar Ewerton Páscoa como volante, creio que Muricy não se arrependerá.

Como meias, há Elano, que deve jogar o mais que puder, para adquitir ritmo. Ele tem melhorado, mas precisa calibrar as cobranças de falta. Quem sabe não é isso que falta para lhe dar moral… Ao seu lado deve jogar Bernardo, contratado para ser o substituto de Paulo Henrique Ganso.

O garoto Felipe Anderson teve as suas chances, mas fez menos do que se espera de um legítimo Menino da Vila. Quem sabe ainda nos prove que um dia poderá ser titular do Santos.

Outro que terá de fazer muito para ser mais aproveitado é Gérson Magrão. O rapaz mostrou que é participativo, tem boa mobilidade, mas teve um desempenho irregular na Bahia.

Bem, mas acho que estou especulando até com jogadores que não deverão ser aproveitados hoje. Na verdade, o time que Muricy deve colocar em campo é: Aranha, Maranhão (ou Galhardo), Edu Dracena, Durval e Juan; Adriano, Arouca, Elano e Bernardo; Rentería e Alan Kardec.

Do Sport não tenho muito a dizer, mas é um time perigoso, com história e personalidade. Porém, não é uma equipe equilibrada, regular. Se aperatr, e precisa faze-lo, o Santos leva os três pontos.

Ouça isto!

Antes do retrospecto de Santos e Sport, ouça essa bela produção do Wesley Miranda, usando a narração de Deva Pascovicci, da Rádio CBN. Quem disse que na imprensa não tem quem respeite o Santos?

http://globoradio.globo.com/hotsites/cbn/noticia-hotsite-santos-cbn/2012/05/24/240512-OUCA-O-CLIPE-ESPECIAL-DA-CLASSIFICACAO-DO-SANTOS-AS-SEMIFINAIS-DA-LIBERTADOR.htm#.T8If6Jg2dg1

Retrospecto de Santos e Sport

Por Wesley Miranda

Santos e Sport Recife já se enfrentaram 32 vezes ao longo da história, sendo 17 vitórias do Peixe, 10 empates e 6 vitórias do Leão. O Santos marcou 54 gols e sofreu 31.

Em Brasileiros, desde o primeiro confronto, válido pela Taça Brasil de 1962, são 28 jogos com 15 vitórias do Santos contra 7 empates e 6 derrotas.

Artilheiros
Há grandes camisas 9 da história santista no topo da tábua de artilheiros do Santos no confronto.
O gênio Coutinho com os 5 gols nas semifinais da Taça Brasil/1962 é o artilheiro isolado do Santos no confronto. O centroavante Guga com 4 gols é o vice artilheiro.
Viola artilheiro do Campeonato Brasileiro de 1998 e Kléber Pereira, artilheiro do Brasileiro de 2008, ambos com 21 gols, figuram bem entre os maiores artilheiros do Santos no confronto com 3 gols cada.

Coutinho é o jogador mais jovem a atuar nos profissionais do Santos, com 14 anos, 11 meses e 6 dias. Pelo Santos, Coutinho também foi artilheiro do Rio-SP de 1961 e 64(campeão), em ambos com 9 gols.
O gênio da área Coutinho atuou no Santos de 1958 a 1967 e 1969 a 1970 em 457 partidas, marcando 370 gols. É o 3º maior artilheiro da história do Santos.

O primeiro encontro
O primeiro confronto aconteceu em um amistoso na Vila Belmiro no dia 30/12/1941 com vitória santista por 4 a 3, com gols de Carabina(2) Antoninho Fernandes e Ruy. O atacante Pirombá, que depois seria contratado pelo Santos, marcou os 3 gols do Sport.

Pelé no Sport Recife? Lenda ou verdade?
Reza a lenda que Pelé ainda promessa foi oferecido ao Sport em 57. Sem saber de quem se tratava, José Rosemblit, diretor do Sport, recusou. Sorte nossa!
Contra o time pernambucano, o rei do futebol jogou 6 vezes, vencendo 3 e empatando 3, tendo anotado 2 gols.

Semifinais da Taça Brasil 62
No primeiro jogo, empate em 1 a 1 na Ilha do Retiro no dia 12/01/1963 o jogo de ida das semifinais. Coutinho empatou para o Santos aos 36′ do segundo tempo.
Na partida da volta, no Pacaembu, em 16/01/1963, vitória santista por 4 a 0, com 4 gols de Coutinho, todos no primeiro tempo: aos 8′, 15′, 23′ e 40′.
O gênio Coutinho terminou como artilheiro do certame com 7 gols.

Guga sai do banco e resolve
Depois de dois empates na Vila, 1 a 1 com o Vasco pelo Brasileiro e 0 a 0 com o Nacional de Medellín pela Supercopa, o Santos entrou sobrecarregado para o jogo contra o Sport Recife no dia 09/10/1993. O clima era tão tenso que o grupo se dividiu. Parte do elenco defendia o técnico Antonio Lopes e a outra parte não. O artilheiro Guga declarou estar jogando isolado no ataque, e talvez por isso o treinador promoveu a entrada do jovem Neizinho em seu lugar.
Com a bola rolando, o time sentiu o clima e não saiu do zero no primeiro tempo. Na segunda etapa o técnico Antonio Lopes colocou Guga no time titular. Em 2 minutos(18′ e 19′) o atacante marcou dois gols, e ainda ampliou aos 32′, de pênalti.
Antonio Lopes caiu depois da eliminação do time na Supercopa e em seu lugar entrou José Macia, o Pepe. Guga terminou como artilheiro do certame com 14 gols. Se o título não veio, ao menos as duas vitórias em cima do Palmeiras no campeonato(3 a 1 e 1 a 0) evitaram o título invicto do time da Parmalat.

Quartas de Finais 1998
Nas quartas de finais do Brasileiro de 1998 foram 3 partidas decisivas. A primeira no dia 15/11/1998 na Ilha do Retiro, vitória do Sport por 3 a 1. O zagueiro Argel anotou o único tento santista. E o jogo foi marcado por uma confusão, quando o arbitro anotou uma penalidade máxima para o time da casa. Viola foi reclamar e acabou brigando com um fotógrafo. Acarretou em uma forte ação policial em que o técnico Leão e Viola foram agredidos. A partida ficou paralisada por mais de 20 minutos!

Na segunda partida, na Vila Belmiro no dia 21/11/1998 o Santos venceu por 2 a 1 com gols dos meias Eduardo Marques e Róbson Luis. Com a vitória santista, devido ao regulamento uma nova partida foi realizada, e pela melhor campanha, novamente na Vila Belmiro.

E na terceira e decisiva partida,em 25/11/1998, nova vitória santista, 3 a 0 com gols de Viola(2) e Alessandro Cambalhota. Na comemoração do 3º gol Viola revidou a provocação do 1º jogo quando os jogadores do Sport em alusão ao mascote do Santos, fisgaram um peixe. Viola, conhecido pelas suas comemorações polêmicas, imitou um Leão sendo caçado.
http://www.youtube.com/watch?v=MH70L_04m2M

Ganso x Durval
Na última partida realizada entre os dois times na Vila Belmiro no dia 04/07/2009 o Santos de Léo, Ganso e Neymar venceu o Sport Recife do zagueiro Durval. O único gol do jogo saiu aos 43 minutos do segundo tempo, após cobrança de Mádson, Neymar acabou servindo para Ganso marcar!

Durval foi autor de um dos gols da última vitória do Sport sobre o Santos. O jogo aconteceu na Ilha do Retiro no dia 13/05/2007 e o placar foi de 4 a 1 para os donos da casa.

Vila Belmiro
O Santos jamais perdeu para o Sport na Vila Belmiro. Foram 12 jogos com 10 vitórias santistas e 2 empates. O Peixe marcou 27 gols e sofreu 8.

E você, o que acha que ocorrerá no jogo Santos x Sport?


Para ser Tri-Tri o Santos pode até perder. Mas também pode golear…

Um problema de última hora talvez tenha ajudado Muricy Ramalho a escalar um time melhor para o jogo deste domingo que pode dar ao Santos um raríssimo Tri-Tri no Campeonato Paulista. Sem Adriano, suspenso, o técnico colocaria Henrique no meio e Maranhão na lateral-direita. Porém, Maranhão ainda sentiu dores na contusão muscular e Henrique terá de continuar na lateral-direita, entrando Ibson no meio-campo. O que pode ser uma vantagem…

Com Arouca, Ibson, Elano e Paulo Henrique Ganso, o Santos perde um pouco do poder de marcação, mas ganha mais força ofensiva. Neymar e Alan Kardec deverão ter um apoio maior no ataque.

Como se sabe, o Santos pode até perder por dois gols de diferença para o Guarani e mesmo assim será campeão. Campeão não, tricampeão. Aliás, tricampeão paulista pela terceira vez, o único a conseguir tal façanha na era profissional do futebol de São Paulo.

Mesmo com o título praticamente assegurado, os santistas lotarão o Morumbi para comemorar com os jogadores mais uma conquista histórica do Alvinegro Praiano.

Retrospecto de Santos e Guarani

Por Wesley Miranda

Santos e Guarani já se enfrentaram 178 vezes, e o Santos tem uma grande vantagem com 96 vitórias contra 44 derrotas e 38 empates. O Peixe marcou 369 gols e sofreu 224. Em Campeonatos Paulistas são 114 jogos com 66 vitórias santistas contra 29 vitórias bugrinas e 19 empates. O alvinegro marcou 237 e o alviverde 134.
Brasileiros: 13, 13, 6
C. do Brasil: 1, 0, 1
Rio-SP : 1, 0, 1
Paulistão: 66, 19, 29
Amistosos: 15, 12, 7
e outros

E para variar…
O grande artilheiro do confronto é Pelé com 41 gols. O Rei jogou 33 vezes contra o Guarani, vencendo 23, perdendo 4 e empatando 6! Por três vezes Pelé marcou 4 gols em uma partida, no 8 a 1 de 1957, no 7 a 1 de 1959 e no 7 a 0 de 1965. E esse jogo que destaco para verem, apesar da imagem não estar muito boa!

O vice artilheiro com 16 gols é Feitiço, e ele também merece destaque

Aqui se faz aqui se paga I
Em 1927 na estreia de Luis Matoso, o Feitiço, o Santos jogou um amistoso contra o Guarani na Vila Belmiro. O primeiro tempo terminou com uma sonora goleada santista por 5 a 0, até ai tudo ocorria bem. Na volta do intervalo, o Santos tomou uma de suas maiores viradas na história, perdendo por 6 a 5, e com o time campineiro com 1 a menos. Isso não ficaria barato.
Menos de quatro meses depois as equipes se enfrentaram na mesma Vila Belmiro pela estréia do Paulista, e era a hora da vingança. E com 4 de Araken, 3 do agora entrosado Feitiço, 2 de Camarão e 1 de Omar, o Santos aplicou um espetacular 10 a 1!
Nota especial para o 6º gol do Santos: Depois de driblar dois jogadores e o goleiro, Feitiço parou a bola em cima da linha do gol, levantou a mão mostrando cinco dedos, em seguida levantou a outra mão com um dedo e rolou para dentro do gol, fazendo a torcida delirar! Esse era o polêmico Feitiço, um dos maiores goleadores da história do Santos!

Goleadas do Santos
Ao longo desses 87 anos de confrontos o Santos aplicou muitas goleadas no clube campineiro, sendo duas vezes por 10 gols, essa de 1927, e uma de 10 a 2 em um amistoso na Vila, com gols de Coutinho (3), Mengálvio (3), Pelé (2), Dorval e Sormani. Um dos gols de Coutinho foi o de número .5000 da história do Santos!

Seguem as outras sgoleadas
8 a 1: 1957, 1958 e 2010
7 a 0: 1965
7 a 1: 1958
7 a 2: 1952
6 a 1: 1957 e 1964

A estréia do canhão no time titular
Em um amistoso no dia 30/05/1954 em Campinas, o menino de ouro Pepe estreava no time titular. Ele foi substituido por Carlinhos na partida que terminou 0 a 0.
O título do Santos e a entrega das faixas no Brinco
Com uma goleada no Brinco de Ouro da Princesa por 7 a 1 no dia 14/12/1958, com 4 de Pelé, 1 de Pepe, 1 de Dorval e 1 contra, o Santos se sagrou campeão Paulista daquele ano. Foram 143 gols marcados, 58 de Pelé recorde absoluto no Paulistão até os dias atuais.
Após a vitória por 4 a 0 sobre o Juventus, na Vila Belmiro, que lhe garantiu o título paulista de 65 com 3 rodadas de antecedência ,o Santos foi jogar em Campinas contra o Guarani de Dalmo Gaspar e ganhou por 1 a 0 com gol de Pelé. Além da ótima partida destacada em jornais na época, a nota do jogo foi a entrega das faixas para o Santos!

Os últimos tentos de Pelé com a camisa santista
Em jogo no dia 22/09/1974, Pelé marcava seus últimos tentos com a camisa que o consagrou. Foi no empate em 2 a 2 valido pelo campeonato Paulista. Em 1116 jogos no Santos Pelé marcou 1091 gols, média de 0,98 gols por jogo.

Campeão Brasileiro de 1978 x Meninos da Vila
O futebol campineiro era muito forte no fim dos anos 70, tanto que o Guarani se sagrou campeão Brasileiro em 1978. E foi esse mesmo time que enfrentou os meninos da Vila, na semifinal do Paulistão 78, em jogo realizado no dia 16/06/1979. O Guarani era franco favorito, com Careca, Zenon, Renato pé murcho, contra um Santos desfalcado de Vitor, Neto, Clodoaldo, Nílton Batata e Aílton Lira.
Mas, em bela exibição de João Paulo (1 gol e duas assistências) e Juary (2 gols), o Santos contrariou as expectativas e ganhou de 3 a 1 no Morumbi e carimbou o passaporte para a grande decisão frente ao São Paulo FC.

Aqui se faz aqui se paga II
Em partida valida pelo Brasileiro de 1994, Santos e Guarani se enfrentaram no Brinco de Ouro. E impiedosamente o surpreendente Guarani goleou o Santos por 4 a 0, com 2 de Luizão e 2 de Amoroso, um deles um golaço, com um pique do meio campo. Isso não ficaria barato.
Menos de sete meses depois, os times se enfrentariam no mesmo Brinco de Ouro, em partida valida pelo Paulista, e com 1 de Marcelo Passos e 2 do Messias G10vanni o Santos ganhou por 3 a 1. Lembra do gol do Amoroso em 94? O G10vanni pagou com a mesma moeda!

Em 1995, um adversário indigesto
Depois de perder no Barradão por 4 a 0 para o Vitória, o Santos tinha a difícil missão de somar 22 pontos em 24 disputados. Então começou o calvário: Na Vila, Santos 4×1 Grêmio, no Maracanã 3×0 contra o Flamengo, empate 0×0 contra o Paraná fora de casa, 3×0 contra o Corinthians na Vila Belmiro, 1×0 contra o Palmeiras/Parmalat no Pacaembu, 2×1 contra o Paysandu na Vila, 3×1 contra o Botafogo na Vila, e o Santos chegou à ultima rodada precisando de uma vitória simples contra o Guarani. Como o time campineiro não tinha mais chances de título, mandou seu jogo no Pacaembu, mas nem por isso se desinteressou pela partida, já que o “bicho” do Atlético MG, que dependia de pelo menos um empate do Santos, era muito grande.
O jogo foi tenso, amarrado, o goleiro uruguaio Léo, do Guarani, parecia uma muralha. Tudo se encaminhava para a desclassificação santista quando, aos 38 minutos do 2º tempo, Marcelo Passos acertou um de seus belos chutes e levou os 22 mil santistas no Pacaembu ao delírio. Era o gol da classificação! Ainda restou tempo para Giovanni marcar o 2º gol, o seu 13º no certame! O Santos voltava a ser destaque no cenário nacional depois de 12 anos!

A última goleada e um recorde
No dia de aniversário de 98 anos do Santos, nada melhor que comemorar da forma que mais identifica o Peixe; com muitos gols! E o Santos ganhou de 8 a 1, com 2 de Robinho, 1 de Marcel e 5 de Neymar, o que colocou o atual ídolo como o recordista de gols em uma partida contra o Guarani!

Neymarcas
Além de ser o maior artilheiro em uma partida contra o Guarani, o atual ídolo santista corre atrás de outras grande marcas históricas de outros ídolos. No último jogo ao marcar 2 gols contra o Guarani ele passou na tábua de artilheiros contra o Bugre, o excepcional Pagão e o artilheiro Odair Titica que marcaram 6 gols no time campineiro. Também passou o gênio Coutinho e Álvaro que tem 7 gols. Com 8 gols contra o time do interior, Neymar está empatado com Camarão e Juary. E se marcar mais um gol empata com Araken Patusca, Pepe e João Paulo Papinha.
Na lista de artilheiros geral da História, Neymar já é o maior artilheiro da era pós Pelé, e está em 16º lugar com 106 gols, empatado com Álvaro Valente que atuou no Santos de 53 a 59 em 261 partidas.

Títulos no Morumbi
O primeiro clube a conquistar um título no estádio do Morumbi foi o Santos FC, e foi justamente o último Tri do futebol Paulista com a conquista do título estadual de 1969, o 12º título do Peixe!!
Veja todos os títulos oficiais do Peixe.
21/06/1969 Santos 0x0 São Paulo – 12º Título Paulista
26/08/1973 Santos 0x0 Portuguesa – 13º Titulo Paulista
28/06/1979 Santos 0x2 São Paulo (0x0) – 14º Título Paulista
02/12/1984 Santos 1×0 Corinthians – 15º Título Paulista
15/12/2002 Santos 3×2 Corinthians – 7º Titulo Brasileiro
06/05/2007 Santos 2×0 São Caetano – 17º Título Paulista
Além desses títulos, o Santos conquistou o Torneio Inicio de 1984 com show de Rodolfo Rodriguez no Morumbi e fez a primeira partida da final do Rio-SP 97 quando ganhou do Flamengo por 2 a 1 com gols de Alessandro Cambalhota e Macedo.

Santos 23×22 Corinthians
Nenhum time se identifica mais com artilharia do que o que fez mais gols na história do futebol.
E esse ano com a artilharia de Neymar, o Santos FC chega a 23ª edição de Paulistas com o artilheiro do certame e passa o Corinthians que tem 22 artilheiros na História.

Artilheiros do Santos
APEA 1927 – Araken(31) – Segundo os arquivos do Guilherme Nascimento são 37 gols
APEA – 1929 – Feitiço(12)
1930 – Feitiço(37)
1931 – Feitiço(39)
1955 – Del Vecchio(23)
1957 – Pelé (17)
1958 – Pelé(58)
1959 – Pelé(44)
1960 – Pelé(34)
1961 – Pelé(47)
1962 – Pelé(37)
1963 – Pelé (22)
1964 – Pelé(34)
1965 – Pelé(49)
1966 – Toninho Guerreiro(27)
1969 – Pelé(26)
1973 – Pelé (11)
1978 – Juary(29)
1983 – Chulapa(22)
1984 – Chulapa(16)
1996 – G10vanni(24)
2011 – Elano(11)
2012 – Neymar (?)

Artilheiros do alvinegro da capital
1914 – Neco(12)
1916 – Aparício (7)
1920 – Neco(24)
1922- Gambarotta(19)
1935 – Teleco(9)(LPF)
1936 – Teleco(28) (LPF)
1937 – Teleco(15)
1939 – Teleco (32)
1941 – Teleco(26)
1942 – Milani(24)
1943 – Hércules(19)
1945 – Servílio de Jesus(17)
1946 – Servílio de Jesus (19)
1947 – Servílio de Jesus (19)
1951 – Carbone (30)
1952 – Baltazar (27)
1967 – Flávio(20)
1982 – Casagrande(28)
1987 – Edmar(19)
1993 – Viola(20)
2006- Nilmar(18)
2011 Liédson(11)

E logo mais, como será o jogo do Morumbi?


Neymar desequilibrou como sempre e a defesa marcou como nunca

Como eu estava voltando da festa do Centenário do Santos em Araras – onde estive ao lado do organizador Carlos Alberto, dos amigos Peixe e Claudinei, entre outros, e dos craques Ailton Lira, Pita e Edu – pedi para a Suzana ver e analisar o jogo São Paulo e Santos. Cheguei a São Paulo sem saber o resultado, e o lindo sorriso da Suzana ficou ainda mais bonito ao me contar que o Santos venceu por 3 a 1.

Um grande jogo, com os dois times muito bem, foi sua definição. Disse que só achou que a partida estava definida aos 40 minutos do segundo tempo. O São Paulo de Émerson Leão foi ofensivo e valente. Mas o Santos, além de Neymar em tarde de gênio, teve uma defesa impecável.

Sim, a Suzana adorou a atuação de todos os jogadores de defesa: Rafael, depois Aranha., Maranhão, Edu Dracena, Durval – que ela elogiou muito – e Léo, que nem pareceu estar voltando de cirurgia.

“O meio campo a gente já sabia que era bom, o Neymar a gente já sabe que desequilibra, agora a defesa foi um diferencial. Percebe-se que com o Muricy a defesa amadureceu. O São Paulo tentou de todas as formas, mas o Santos manteve a tranquilidade e marcou bem e na bola”, disse a Suzana.

Como não podia ver o jogo pela tevê, preferi não ouvi-lo também pelo rádio. Jogo importante, ou assisto ao vivo, ou no mínimo pela tevê. Rádio só me estraçalha os nervos. É melhor ficar sem saber o resultado e depois receber a notícia de uma vez só. Sofre-se menos.

Mas ao entrar na cidade e circular pela Marginal Pinheiros, percebi o silêncio no ar. Os carros que voltavam do Morumbi não tinham bandeiras, nem gritos. Se havia são-paulinos, estavam mudos. Perto de casa acho que vislumbrei um bando de santistas comemorando, mas não tive certeza.

A certeza só veio com o sorriso e o beijo da Suzana. Tem jeito melhor de saber que seu time está novamente na final do Paulista e pode ser Tri-Tri? É claro que ainda falta uma montanha a ser escalada. Guarani ou Ponte Preta estão muito bem. Mas o Santos tem Neymar, Ganso, um meio-campo sólido e uma defesa que, segundo a Suzana, está mais firme do que nunca. Por isso, confio no Tri-Tri.

Ah, quanto à arbitragem de Paulo César de Oliveira, a Suzana disse que ficou confirmado que o gol do São Paulo foi irregular. E ainda teve um gol do Santos anulado que merece discussão. No todo, porém, ela acredita que o árbitro não influiu no resultado. “Poderia ter sido mais fácil para o Santos, mas ele marcou as faltas corretamente e expulsou um jogador do São Paulo. Ele foi equilibrado.”

Reveja os gols de São Paulo 1 x 3 Santos:

http://youtu.be/zsRuTiFsq3U

Veja Neymar driblando cinco vezes o seu marcador:

E você, o que achou do jogo? Confia no Tri-Tri?


Logo mais, Elano comanda os reservas do Santos contra o Mogi

O leitor desse blog sabe que eu ando pregando que o meio-campo ideal do Santos é Arouca e Anderson Carvalho, Paulo Henrique Ganso e Felipe Anderson. Com a melhora de rendimento dos titulares Henrique e Íbson, muitos podem ter esquecido dos dois Meninos Andersons, mas eu não. Hoje, às 18h30m, contra o Mogi Mirim (com transmissão pelo Sportv), ambos terão ao seu lado o abnegado Adriano, que volta ao time após séria contusão, e o titular Elano, que se tornou mais lento e previsível depois que esqueceu que um jogador de futebol é um atleta e deve levar a vida como tal.

É difícil prever se o meio-campo se sairá bem, pois os quatro jogarão juntos pela primeira vez, mas acho que Elano fará tudo para mostrar que merece ser titular do time e os dois Andersons, se forem devidamente motivados, poderão jogar muito bem, já que têm técnica e disposição para isso. Quanto a Adriano, se voltar a ser o carrapato que sempre foi, estará ótimo.

Porém, o Santos terá improvisações em todos os seus setores, já que Muricy resolveu poupar os titulares para o jogo de quinta-feira, pela Copa Libertadores, contra o Juan Aurich, no Peru. E a defesa tem tudo para ser o setor mais problemático do time, já que o indefectível Maranhão volta à lateral direita, enquanto a lateral esquerda será ocupada pelo Menino Paulo Henrique.

Aranha, Bruno Rodrigo e Vinícius Simon não preocupam muito o torcedor, mas os laterais são uma incógnita. Assim como é uma incógnita o nível de entrosamento que terão os atacantes Dimba e Alan Kardec. Eu já tinha feito o texto baseado na informação de que o companheiro de Alan Kardec seria o individualista Tiago Alves, mas fui alertado para o fato de que Dimba será o companheiro de Kardec.

Fico mais feliz com a escalação de Dimba, pois ele pode não ter a mesma habilidade ou velocidade de Tiago Alves, mas é muito mais inteligente para jogar futebol. Estou certo de que procurará se aproximar de Kardec, fazer tabelas, e isso será bem mais útil do que as arrancadas egoistas de Tiago. Dimba, enfim, já aprendeu que os neurônios devem correr bem mais rápido do que as pernas.

Creio que Felipe Anderson e mesmo Elano e Anderson Carvalho devam, sempre que possível, apoiar o ataque, pois será difícil que Dimba e Alan Kardec possam, sozinhos, vencer a boa defesa do Mogi. Bom Mogi Mirim, aliás, pois se o Santos vem de sete vitórias consecutivas, o time do Interior está invicto há cinco jogos, com quatro vitórias.

Em casa, o time orientado pelo técnico Guto Ferreira só perdeu uma partida no campeonato, para a Ponte Preta. Hoje, Ferreira terá a volta dos volantes Baraka e Val, que cumpriram suspensão. Por outro lado, o Mogi estará desfalcado de uma de suas revelações, o também volante Renê Junior.

Enfim, espero um jogo difícil, em que a vitória, mesmo magrinha, será muito útil para manter o Santos em busca da liderança. Particularmente, torcerei por ótimas atuações de Anderson Carvalho e Felipe Anderson, pois aposto nesses dois Meninos (e também porque sei que se não jogarem bem, muitos leitores do blog pegarão no meu pé).

Times Prováveis

Mogi Mirim: Anderson, Edson Ratinho, Tiago Alves, Lucas Fonseca; Piauí, Val, Baraka, Gil, Felipe; Roni e Hernane. Técnico: Guto Ferreira.

Santos: Aranha, Maranhão, Bruno Rodrigo, Vinicius Simon, Paulo Henrique; Adriano, Anderson Carvalho, Elano, Felipe Anderson; Dimba e Alan Kardec. Técnico: Muricy Ramalho.

Arbitragem: Vinicius Furlan, auxiliado por David Botelho Barbosa e Bruno Salgado Rizo.

Local: Estádio Romildo Ferreira, Mogi Mirim (SP), às 18h30m.

Confrontos entre Santos e Mogi Mirim

Por Wesley Miranda

São poucos os confrontos entre Santos e Mogi Mirim: apenas 33, sendo 32 pelo Campeonato Paulista! O Peixe venceu 17, contra 6 vitórias do Sapo e 10 empates. O time alvinegro marcou 55 gols e o time alvirrubro 28!
O Santos nunca perdeu para o Mogi Mirim jogando na Vila Belmiro. Em 15 jogos foram 11 vitórias.

“Tabelou” com o juiz
O primeiro confronto aconteceu pelo Paulistão de 1986 no estádio Vail Chaves. E o primeiro gol foi da equipe da Vila Belmiro em um lance estranho e polêmico! Lembra do gol do Aragão contra o Santos? Digamos que foi algo parecido! Aos 13 minutos do primeiro tempo, Antonio Carlos, do Mogi, chutou e a bola bateu nas costas do árbitro Ílton José da Costa e sobrou para Serginho tabelar com o seu xará Serginho Carioca, que finalizou fraco para as redes. Apesar do infortúnio, o Mogi virou o jogo com um petardo de Antonio Carlos, que se redimiu e de Roberto de cabeça.

A primeira vitória
Depois do primeiro confronto, o Santos voltou a enfrentar o time do interior, na Vila Belmiro, mas não saiu do 0 a 0. Foi só em 1987 que o Santos conseguiu bater o time do Sapo, por 2 a 1, com duas bombas de Éder Aleixo em sua rápida passagem pelo Santos. Olhem esses chutes:

Carrossel Caipira
Os encontros com o famoso Carrossel Caipira de Vadão aconteceram pelo Paulistão de 1993. No primeiro, jogando na Vila Belmiro, o Santos, na condição de líder, mas com quatro desfalques, enfrentou o vice-líder, o famoso Mogi de Rivaldo, Válber e Leto! O lateral Marcelo Silva abriu o marcador aos 6 minutos da etapa inicial. No segundo tempo, o Mogi voltou com mais forças e fez uma virada relâmpago, com Sandro aos 21 e Válber aos 23. A derrota só não veio porque Zé Renato marcou aos 33, fazendo 2 a 2.
No segundo turno, no estádio Wilson José de Barros, as equipes ainda duelavam pelas primeiras posições. E o Santos saiu na frente depois de bela jogada de Neizinho que centrou para o ponta Almir. Mas o árbitro da partida, o mineiro Marcio Resende de Freitas, anulou o tento. Não seria a última vez que ele faria isso. O gol que valeu mesmo foi do Mogi Mirim. Depois de uma saída errada do goleiro Mauricio Assolini, Rivaldo não perdoou e marcou aos 33 minutos do segundo tempo,dando a vitória ao Mogi por 1 a 0.

Pescaram um peixe e engoliram sapos
Na dura disputa do Paulistão 96, as duas equipes protagonizaram um jogo de gols e provocações! Se o primeiro tempo passou em branco, o segundo guardou boas emoções! Marcos Adriano fez falta dura e foi expulso e o juiz deu um pênalti para o time visitante aos 19 minutos. Aí Dirceu marcou e teve a ousadia de comemorar frente às sociais da Vila Belmiro fisgando um peixe. Dentro da Vila! O finado Orlando Lelê mexeu no time, trocou Robert por Camanducaia. E aquele que poderia ter sido o autor do gol do título Brasileiro de 1995, entrou bem e aos 31 minutos colocou G10vanni na cara do gol para empatar! Na comemoração, G10vanni desabafou, mostrou a camisa e a beijou.
Aos 38 minutos, Marcelo Passos bateu falta frontal e virou para o Santos. Na comemoração foi a vez do Santos provocar o time do Sapo! Ainda sobrou tempo para o grande nome da partida, o mineiro Camanducaia, marcar o terceiro aos 44. Na comemoração, mais sapo! Santos 3×1 Mogi Mirim. Veja:

O primeiro dos 90
O jogo em que marcou Neymar marcou seu primeiro gol como profissional teve outro grande atrativo: o primeiro jogo do ídolo G10vanni contra o Santos. O Messias atendeu a um pedido de Rivaldo, amigo e presidente do Mogi. Mas a gratidão da torcida santista com o Messias foi tão grande que até a vaia, normal em casos de ex-jogadores em times rivais, não aconteceu. Ao contrário, o torcedor ovacionou Giovanni mais do que qualquer outro jogador santista!
Com a bola rolando, o Santos não deu chances. Ganso, que foi trazido pelo ídolo do Pará, abriu o marcador aos 12 minutos do segundo tempo. Aos 23, Roni ampliou. Aos 27 minutos surgiu o gol que fez o jogo entrar definitivamente para a História Peixeira: Roni cruzou da esquerda e Neymar mergulhou para marcar o primeiro dos seus 90 gols com a camisa do Santos! Com o resultado, o Alvinegro Praiano chegou à quarta colocação e o Mogi amargou a lanterna, mas não caiu.
Vale a pena ver, todos já sentiam que Neymar seria o que é:

Ganshow na Vila
No último confronto, pelo Paulistão de 2011, existia uma grande expectativa da torcida comparecer em peso para vaiar o camisa 10 santista, tudo por conta de um “disacordo” com a diretoria. Mas a torcida, que chegou a protestar nas redes sociais, não compareceu em bom número (pouco menos de 4 mil pessoas). Perderam uma grande oportunidade de ver o “vilão” virar herói e jogar o fino da bola, participando diretamente e indiretamente dos três gols santistas(Zé Eduardo, Keirrison e Edu Dracena). Cristiano fez o único gol do Mogi. Reveja o dia do Ganshow:

E você, o que espera de Santos e Mogi, hoje? Dá pra vencer?


Older posts

© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑