Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

Tag: Marcel (page 1 of 3)

Relatório dos leitores do Blog do Odir para a direção de futebol do Santos


Dracena, Marquinhos, Brum e Marcel. Para o torcedor, este seria o Quarteto Sarcástico?

Prezados senhores Pedro Nunes da Conceição e Paulo Roberto Jamelli Júnior, diretores de futebol do Santos Futebol Clube,

Com o intuito de contribuir com o novo técnico que assume o time de futebol profissional do Santos, senhor Adilson Batista, trago através deste e-mail a síntese de dezenas de relatórios que recebi de santistas de todas as partes do mundo que freqüentam o Blog do Odir Cunha, apelidado de “O Ombubsman do Santos Futebol Clube”.

Como se sabe, o relacionamento harmonioso entre time a torcida é o primeiro passo para se conseguir grandes vitórias no campo de jogo. A força que vem das arquibancadas faz milagres. Mas ela só é despertada por uma equipe e uma comissão técnica que respeitam a vontade do torcedor.

É um engano imaginar que o torcedor, ao menos o do Santos, vê o futebol apenas com os olhos da paixão. O santista e, particularmente, o freqüentador do Blog do Odir, tem uma visão diferenciada, que coloca os interesses do time e do clube em primeiro lugar.

Tenho orgulho de dizer que entre os leitores do Blog do Odir há profissionais bem-sucedidos em várias áreas, que entendem tanto ou mais de futebol do que eu, que sou jornalista especializado em esportes há quase 34 anos.

São pessoas que acompanham cada notícia, cada treino, cada jogo do Santos. Que pesquisam, perguntam e, principalmente, prestam muita atenção aos jogadores que vestem a sagrada camisa que já foi de Pelé e tantos outros craques.

E o torcedor tem uma vantagem sobre aquele que vive o dia a dia do clube: ele não é influenciado pelo comportamento do jogador, por seu carisma ou simpatia, e o analisa apenas por seu desempenho em campo.

Jogou bem, mostrou empenho, o torcedor apóia. Jogou mal, fugiu da responsabilidade, o torcedor já fica com um pé atrás. Repetiu o mau comportamento vezes seguidas, e esse jogador não terá mais ambiente para continuar em um time ambicioso como o Santos.

Nos muitos relatórios que recebi ontem, não percebi mágoa, rancor, muito menos ameaças. Na verdade, há mais elogios, e esperança de ver um time vencedor em 2011. Porém, o torcedor costuma ser direto e sincero em suas observações, o que se torna bastante produtivo em uma etapa como esta, que é a de definição do elenco santista para a próxima temporada.

Realista, o torcedor sabe que é preciso julgar com frieza, pois o Santos está à beira de uma grande reformulação e não haverá lugar para tantos jogadores. Primeiro, porque virão novos contratados de alto nível; e depois porque muitos atletas do seu elenco de profissionais não terão condições de vestir a camisa do time em um ano em que a equipe estará envolvida em uma disputa de Copa Libertadores, em busca de sua terceira estrela.

Assim, sem mais demora, vamos à análise dos jogadores do Santos segundo os freqüentadores do Blog do Odir.

Jogadores aprovados unanimemente

Paulo Henrique Ganso, Neymar, Arouca e Rafael.
Destes os raros senões recomendam mais seriedade e objetividade a Neymar e desconfiam da juventude de Rafael em uma competição dificílima como a Libertadores. Mas acima de 95% os aprovam com louvor.

Jogadores com bom índice de aprovação, que poderão ser titulares

Durval e Léo.
Durval é considerado o melhor zagueiro do Santos. Seus únicos defeitos, para alguns, são a pequena impulsão e o fato de distrair-se às vezes. Léo, considerado o melhor lateral do time, é ídolo e respeitado pela garra e experiência, mas seu estado físico preocupa. Há quem aconselhe que ele seja preservado apenas para os jogos da Libertadores.

Jogadores com bom índice de aprovação, mas que seriam reservas do time na Libertadores

Zé Eduardo, Maikon Leite, Madson, Bruno Aguiar, Alex Sandro, Alan Patrick e Vinicius Simon.
Zé Eduardo é chamado de “reserva de luxo”. Maikon Leite é o filho pródigo que volta para a casa mais valorizado do que foi. Madson ainda tem muitos fãs, que o querem ver jogar como em 2009. Bruno Aguiar é um reserva que sempre dá conta do recado quando entra. Alex Sandro é considerado muito bom por alguns, mas todos concordam que precisa aprender a marcar. Alan Patrick é visto como jovem de muito potencial, que ainda deve evoluir bastante e será um bom reserva para Paulo Hernrique Ganso. Vinícius Simon se saiu muito bem quando substituiu Edu Dracena (finalmente a defesa não sofreu gols) e muitos acham até que pode ser o titular, formando dupla de zagueiros com Durval.

Jogadores que o torcedor quer observar melhor antes de julgar

Keirrison, Rodrigo Possebon, Felipe Anderson, Danilo, Moisés, Victor Hugo e todos os garotos vindos da base.
Keirrison ainda não justificou o alto valor investido nele, mas muitos santistas esperam que ainda justifique (apesar de já ser significativo o número de torcedores que o quer demitido do Santos ou que no máximo dará um bom reserva). Possebon só fez um jogo, o último, contra o Atlético Mineiro, mas já deixou boa impressão na maioria. Acham até que ele pode ser o companheiro de Arouca, formando uma dupla de volantes. Felipe Anderson é um garoto que vem muito bem credenciado da base e até agora só foi jogado às feras em 20 minutos contra o São Paulo. Danilo veio afamado do América-MG, mas está se mostrando falho em todos os fundamentos. Moisés e Victor Hugo chegaram agora e não tiveram nenhuma chance. Sobre os garotos da base, o leitor César Martins Guimarães dá uma lista de atletas que deveriam ser aproveitados no time principal:

Vladimir (goleiro); Crystian (lateral); Vinicius, Alemão, Renato e Rafael Caldeira (zagueiros); Jefferson, Diego Faria, Alan Santos e Elivelton (volantes); Denis e Felipe Anderson (meias) e Renan Mota e Tiago Alves (atacantes). Destes, Tiago Alves é o mais querido pelos torcedores.

Jogadores reprovados pela grande maioria dos santistas, que não gostariam de vê-los mais no time na próxima temporada

Maranhão, Zezinho, Marcel, Roberto Brum, Rodriguinho, Marquinhos, Tiago Luís, Felipe e Breitner.
Maranhão, inseguro e com falhas em fundamentos básicos, é chamado de “jogador da Série B”. O jovem Zezinho é jogador de times de base. Fraquíssimo. Teve várias chances e não fez uma só partida razoável. Marcel é unanimidade. De todas as análises que fizeram sobre ele, apenas quatro pessoas admitem que no máximo poderia ser reserva, enquanto 50 dizem que ele deve ter demitido. Renovar o seu contrato seria um tapa na cara do torcedor.

Sobre Marcel escreveu Pedro Reino: “Sua manutenção é uma declaração de guerra com a torcida, mas de forma ainda mais dramática do que com Marquinhos. Sua presença no elenco em 2011 seria um insulto à história do Santos Futebol Clube”.

Daniel Peres concorda: “Marcel é péssimo, caneleiro, tem que sair. Prefiro alguém da base. Qualquer um”.

Roberto Brum é considerado limitadíssimo. Sua especialidade deveria ser marcar, mas não sabe. Na armação é errático e inseguro. Rodriguinho pode ser definido como Brum, com o agravante de às vezes ser violento. Não acerta um passe. Marquinhos chegou a jogar até bem no primeiro semestre, quando tinha Paulo Henrique Ganso ao seu lado, mas depois não assumiu o comando do meio-campo, escondeu-se do jogo, cansou fácil e irritou profundamente a torcida, que hoje quer vê-lo bem longe da Vila Belmiro.

Algumas críticas a Marquinhos: “Tentou ganhar a posição no grito”, “tem péssimo preparo físico”, “mantê-lo no time é pedir para brigar com a torcida”.

Tiago Luís, para os autores dos relatórios, é um atacante que só corre, mas lhe falta técnica e tranquilidade. Felipe é um goleiro errático, que além do mais caiu em desgraça com a torcida e Breitner é um jogador que cobra bem faltas. Só. Não fez nada mais que justificasse jogar no Santos. Para muitos, ele, Zezinho e Danilo devem ser emprestados a outros clubes para ganhar experiência.

Jogadores com grande índice de rejeição, que não fariam falta alguma se fossem dispensados

Pará, Adriano, Bruno Rodrigo e Edu Dracena.
Pará joga em várias posições, mas não se firma em nenhuma. Não sabe marcar bem, erra nas saídas de bola e tem dificuldades para apoiar o ataque. Adriano só marca, é o tipo “marcador-carrapato”, como dois leitores definiram. Bruno Rodrigo jogou bem quando teve chance, mas só vive machucado. Edu Dracena é tolerado por alguns como reserva, mas menos de 10% dos torcedores o quer como titular. Além de falhar na marcação, desgastou-se com atitudes fora do campo. O fato de ter prometido o título ao presidente Luis Álvaro Ribeiro pegou mal.

Reforços para a Libertadores

O leitor Pedro Reino resume o anseio dos santistas com a seguinte sugestão de contratações:

Contratrações essenciais

1 goleiro experiente (mesmo que para ser reserva)
1 zagueiro rodado (mas não lento)
1 lateral direito (para ser titular)
1 lateral esquerdo (para ser titular se o Léo não pude ser)
1 volante marcador (para ser titular com o Arouca)
1 atacante matador (também para ser titular)

Contratações aconselháveis

+1 volante (já que o ideal é dispensar no mínimo 3 dos 6 que temos hoje)
1 meia experiente (já que inexperientes nós temos até demais)
+1 atacante experiente (pelo mesmo motivo que o item acima)

Este relatório-síntese foi elaborado a partir dos relatórios enviados ao Blog do Odir pelos seguintes leitores:

Maurício Camargo, Vitor Lopes, Pedro Katchborian, Lucas Martinucci, Victor Nassar, Anderson Silva, Samuel Bresolino, Geraldo, Daniel Galvão, Eduardo, Vitor Oliveira, Leandro Campos, Edson Londrina, César Martins Guimarães, Kaco Motta,Daniel Peres, Renato Magrini, Paulo, Juca Bala, Philipe Pimentel, Márcio, Khayat, André, Ricardo, Wagner Garcia, Alexandre, Sidnei, Rodrigo Dacol, Eloísa, Kobano, Bruno Teixeira Alves, Pedro Reino, Eduardo Simas, Tom, Ricardo VH, Ariovaldo, Jorge David, Mozart Sabóia de Araújo, Clayton BH, Ricardo Rodrigues, Luiz Rogério, Stefano, Edílson Lobo, Marina Maranhão, Reginaldo (Telêmaco Borba), Vasco Caldeira, Marcelo Romano, Luis Reis, Bruno, Rafael Mingoranci, Renato Murakawa, Victor Alexandre, Cristina (Paranaíba/MS), Fernando Caputo, Fernando Freitas, Maracajá, Luiz Garri, Guilherme Oliveira, Rafael, Ricardo Pires, Jéferson Lopes, Antonio Barroso, Vinicius, Rafael, Neli e Everton.

Estou certo de que estas opiniões refletem o pensamento da maioria dos santistas. Por isso, espero que sejam lidas e levadas em consideração. Como já foi dito, relacionamento harmonioso entre time e torcida – e a diretoria de futebol do clube – é o primeiro passo para se conseguir grandes vitórias no campo de jogo.

Todos esses comentários, na íntegra, estão no http://blogdoodir.com.br/

Atenciosamente,

Odir Cunha


Diretor do Santos avisa: Esqueçam Zé Roberto. Ele não virá

“Ele está muito bem na Alemanha” (Pedro Luiz Conceição, diretor de futebol do Santos)

Conversei há pouco com Pedro Luiz Conceição, diretor de futebol do Santos, e ele acabou com a minha e as esperanças dos santistas de ter Zé Roberto de volta para a Copa Libertadores. Segundo o diretor, Zé Roberto, que em 2007 fez ótima temporada pelo Santos, está muito bem na Alemanha, onde joga no Hamburgo SV, e não disputará a Libertadores pelo Alvinegro Praiano.

O que eu sei é que a mulher de Zé Roberto se sentiu muito insegura no ano em que o craque passou na Vila Belmiro e decidiu que o casal criará seus filhos na Alemanha.

Apesar dos 36 anos (São Paulo, 6 de julho de 1974), o jogador continua em ótima forma física e comporia um excelente meio-campo no Santos, ao lado de Arouca e Paulo Henrique Ganso.

Além de Zé Roberto, falei da posssibilidade de contratação de outros jogadores, de um técnico e da análise que os leitores deste Blog farão dos jogadores do Santos até o final do campeonato. Confira as respostas de Pedro Luiz Conceição:

Quais seriam as chances de Zé Roberto, ou Renatinho (Sevilha) ou Elano virem para a Copa Libertadores?

São nossos ídolos, mas prefiro não citar nomes, uma vez que isto pode criar uma falsa expectativa na torcida. Mas uma coisa é certa: o Zé Roberto não virá, uma vez que é ídolo na Alemanha, tem jogado todas as partidas, é capitão do time (Hamburgo SV) e não existe nenhuma possibilidade de se apresentar ao Santos no início de janeiro.

O Santos contratará um técnico ainda durante o Campeonato Brasileiro?

É possível contratarmos um técnico a qualquer momento, mas o mesmo só irá assumir a partir de 06/12. Portanto, o Marcelo continuará comandando o time até o final do campeonato.

Falam que é um técnico que está em outro clube. Isso procede?

Pode ser que sim, pode ser que não. Entretanto, se for um técnico que esteja dirigindo um outro clube, falaremos primeiro com este clube.

O contrato do Marcel será renovado? Já lhe adianto que os torcedores detestam o Marcel e que, por eles, ele seria mandado embora ontem.

Sabemos das preferências dos torcedores, mas assim como tratei do assunto contratações sem lhe citar nomes, farei o mesmo com relação à permanência ou dispensa de qualquer jogador do atual elenco.

Pedi aos frequentadores do Blog do Odir que analisem o comportamento dos jogadores do Santos nos jogos que faltam até o final do Campeonato Brasileiro, para depois dizerem quais devem continuar e quais, na opinião deles, devem permanecer do Santos em 2011. Ao final enviarei a opinião deles para você, está bem?

Ótimo, agradeço, sempre é bom este tipo de feedback.

Agora reveja o gol mais bonito de Zé Roberto no Santos

Você também ficou chateado com a não vinda de Zé Roberto? Que jogadores seriam ideais para compor o meio-campo ao lado de Arouca e Paulo Henrique Ganso?


Veja porque Neymar ficou bronqueado com Marcel

Veja no vídeo o que aconteceu hoje no treino do Santos, quando os jogadores passavam um trote em Zé Eduardo, o aniversariante do dia.

Perceba que os que exageram mais na brincadeira são Edu Dracena, Marcel e Marquinhos. Edu chega a pisar no estômago de Zé Eduardo e Marcel começa a brincadeira de dar tapas no atacante, que está amarrado à trave.

Brincadeira de mão a gente está cansado de saber que não termina bem. Até que o Zé Eduardo levou numa bora, mas que alguns exageraram, não há dúvida. Daí veio o estranhamento entre Neymar e Marcel.

Só espero que estes jogadores demonstrem a mesma vontade e energia sábado, no Beira-Rio, contra o Internacional – jogo de vida e morte para o Santos neste Campeonato Brasileiro.

Você acha esse tipo de brincadeira normal? Ou teve jogador que exagerou? Isso é reflexo de indisciplina ou não?


Conselhos a você, Marcelo Martelotte

Marcelo, parabéns pelos últimos resultados. Você teve o mérito de não inventar e isso se revelou decisivo. Continue assim. Quem sabe, se o Santos fizer um ótimo Brasileiro, você possa continuar no ano que vem. Para isso, entretanto, é importante tomar alguns cuidados. Permita-me, como alguém que acompanha o futebol há mais tempo do que você e tem à disposição uma comissão técnica formada por milhares de especialistas, dar-lhe alguns conselhos:

1 – Em time que está ganhando, não se mexe

Vejo que mal o Edu Dracena se recuperou de contusão e você já o escalou contra o Internacional. Ora, com o Vinicius a defesa não está tomando gols, o que satisfaz a torcida. Sabemos que o Edu Dracena é o capitão do time e tem alguma ascendência sobre o elenco, mas nunca escale um jogador a não ser por critério técnico.

Sei que após a boa vitória sobre o Cruzeiro, o Edu Dracena disse: “O nosso pensamento é de ficar com o Marcelo até o final do ano. Apesar da derrota contra o Corinthians, o time jogou bem e ganhamos confiança para exercermos as funções determinadas em campo. O resultado veio logo diante do Cruzeiro”.

Em primeiro lugar, não é o jogador que decide se vai ficar ou não com o técnico. É a diretoria, a presidência. A verdade é que o Vinicius entrou e jogou melhor do que o Dracena, conquistou a torcida. Ao voltar com o capitão, você pode ficar melhor com o grupo, mas poderá criar um barulho com os torcedores. Se o Dracena falhar e o Santos sofrer gol por causa dele, prepare-se para as críticas.

2 – Por que não voltar com Marquinhos e Marcel

Em primeiro lugar, porque sem eles o time está vencendo, e em segundo, mais importante, é porque eles tornam o Santos mais lento. Marcel é inferior a Zé Eduardo até tecnicamente. A única coisa que, teoricamente, faz melhor, é cabecear. Digo teoricamente porque, na prática, isso nunca funcionou.

Quanto a Marquinhos, é um jogador tecnicamente mais completo do que Alan Patrick, mas, como não tem muito fôlego, acaba cadenciando o jogo e freando a velocidade do contra-ataque santista.

Sei que tanto Marcel como Marquinhos são jogadores rodados, que talvez tenham mais influência no elenco, mas não adianta você ficar bem com eles e o time cair de rendimento. Uma derrota que tire o Santos do caminho do título e eles continuarão recebendo seus salários no clube, mas você será substituído.

Se tiver de substituir o Alan Patrick, experimente o Felipe Anderson. É o que o torcedor quer. Faz parte da cultura do Santos esta ansiedade por jovens valores de futebol ofensivo. Tantos já tiveram tanta oportunidade, por que não dar uma chance ao Felipe, que tem jogado muito bem na base? Tirar o Alan Patrick e voltar com o Marquinhos será uma atitude muito mal recebida pelo torcedor.

3 – Não invente. Danilo é lateral-direito, Alex Sandro é lateral ou ponta

Este conselho poderia entrar no capítulo “não invente”. Danilo, que ainda não convenceu, só joga um pouco melhor na lateral. Percebe-se que fica completamente perdido no meio. O mesmo se pode dizer de Alex Sandro, que mais parece um ponta-esquerda do que um lateral. Escalá-lo no meio não tem dado certo, a não ser que entre para jogar como um ponta que volta para ajudar o meio-campo.

4 – Dos reservas, só Madson manterá a velocidade

Como já disse, não deveria haver nenhuma alteração no time que venceu o Atlético Paranaense. Sei que para a partida contra o Internacional, amanhã, às 22 horas, na Vila Belmiro, você já poderá contar com o zagueiro Bruno Aguiar, recuperado de entorse no tornozelo, Keirrison, Marcel, Madson e Marquinhos.

Porém, não se empolgue. Só os utilize em última instância. Leve em conta que as principais armas do Santos têm sido a velocidade para atacar e também para ocupar os espaços na defesa. Além de uma determinação admirável. Destes que podem entrar, o único que não mudaria essas características é o pequeno, mas valente Madson. Repito: voltar com Marcel e Marquinhos é pedir para dizer adeus ao título.

4 – Não faça todas as substituições antes dos minutos finais

Na partida contra o Atlético Paranaense, o Santos quase ficou com dois jogadores a menos no final, pois você já tinha feito as três substituições quando Neymar e Vinicius se machucaram. Ainda bem que puderam continuar na partida, mas o risco foi grande.

Você já tinha substituído o Danilo pelo Alex Sandro no primeiro tempo e no segundo trocou o Pará pelo Maranhão e o Alan Patrick pelo Breitner. Mas esta última alteração poderia ter esperado mais. O time quase ficou com jogadores a menos nos últimos 15 minutos por você ter se precipitado nas substituições.

5 – Promova logo o Tiago Alves

Esse garoto entrou na decisão de um torneio internacional e decidiu o título para o Santos. Todos o querem ver testado no time profissional. Ninguém se esqueceu dele. Logo começarão as perguntas sobre Tiago Alves. E, não se esqueça: o futebol profissional existe devido ao interesse do torcedor. Não são os jornalistas ou os dirigentes que decidem quem será ídolo ou quem fracassará. É o torcedor que faz as escolhas. E ele quer ver o bendito Tiago Alves. Promova logo o garoto e ganhe um ponto com a torcida do Santos.

6 – Analise bem o seu adversário de amanhã

Isto eu sei que você costuma fazer bem. Em todo o caso, posso lhe adiantar que na manhã desta terça-feira o técnico Celso Roth deu um treino tático no Beira-Rio e formou o ataque com Edu e Ilan.

O técnico gaúcho deu ênfase à cobertura da defesa e treinou uma marcação por zona. Boas notícias são as de que Tinga e D’Alessandro não estavam entre os titulares.

O time provável do Inter que enfrentará o Santos será formado por Renan; Nei, Bolívar, Índio e Kleber; Glaydson, Guiñazu, Derley e Marquinhos; Edu e Ilan. A delegação embarcará para Santos por volta das 14 horas de hoje.

Marcelo, não leve a mal estes conselhos. Não sou um corneteiro qualquer. Modéstia à parte, sei o que costuma dar certo no Santos. Não precisa dizer a ninguém que leu este blog, mas leve a sério estas recomendações. Não se esqueça: quem avisa, amigo é.

E você, tem mais algum conselho ao técnico Marcelo Martelotte?


Vote em quem merece ficar ou deve sair do Santos

Hoje o atacante Marcel sairia e o goleiro Rafael estaria garantido em 2011

Sejamos realistas. Com os últimos resultados e, mais do que isso, com pífio rendimento do time, o Santos só será campeão se ganhar todos os 12 jogos até o final do Campeonato e ainda depender de outros resultados, o que é tão provável como o Plínio Sampaio ser eleito presidente.

Então, que os jogos que faltam sejam aproveitados para se analisar os jogadores e definir quais deve ficar e quais devem sair do Santos. Claro que algumas mudanças são possíveis e devem ser levadas em conta – Wesley, por exemplo, me fez queimar a língua –, mas hoje, se você fosse o diretor de futebol do Santos, quem manteria no elenco e quem dispensaria?

Não quero que se deixe influenciar por minha opinião, mas, como mentor deste blog, sou obrigado a dá-la. Detesto ficar em cima do muro. Não é fácil criticar pessoas das quais nos tornaríamos até amigos se pudéssemos conhece-las melhor, mas, que fique bem claro, aqui estamos julgando apenas o jogador de futebol.

Rafael – Bom goleiro. Na verdade, pela idade, é ótimo. Não tem feito mais algumas defesas milagrosas que já operou em jogos anteriores, mas ainda assim transmite confiança. Precisa melhorar a reposição de bola, mas creio que possa ser o goleiro do Santos em 2011.

Felipe – Não estava bem e acabou prejudicado pelo incidente no twitter. Não tem mais ambiente com a torcida. Deve ir embora.

Pará – No primeiro semestre, cresceu com o time, chegou até a fazer algumas boas partidas, mas agora voltou ao seu padrão habitual, que é abaixo das necessidades do Santos. Marca e apóia mal, dificilmente se decide pela jogada certa. Não deve continuar.

Maranhão – Reserva de Pará. Coincidências posicionais, regionais, técnicas e psicológicas. Chegou a mostrar alguma capacidade ofensiva interessante no começo, mas logo caiu muito. Não deve continuar.

Danilo – Usado tanto no meio, como na lateral-direita, está mais ou menos nas duas posições. Eu diria mais para menos. É participativo, mas cruza mal, tem dificuldades na troca rápida de passes e marca no desespero. Terá 12 jogos para provar que merece continuar no time. Se eu fosse ele, depois do treino ficaria treinando chutes e cruzamentos. Vive um momento crucial de sua carreira. Assim como pode ser titular de um time que disputará a Libertadores, pode ir para clubes menores e ter uma carreira de coadjuvante.

Durval e Edu Dracena – Apesar de algumas falhas pontuais, deram uma segurança ao miolo de zaga do santos, principalmente em bolas altas, que o time não tinha há muito tempo. Mesmo sem serem craques, são dedicados e têm a característica de irem ao ataque e fazerem gols em momentos importantes. Devem permanecer.

Bruno Aguiar – Quanto entrou, substituiu bem tanto a Durval como a Edu Dracena. É firme e seguro. Deve continuar e provavelmente será o titular do Santos no futuro.

Rafael Caldeira – Muito jovem ainda. Entrou como o Corinthians e se mostrou lento e inseguro. Mas é bem jovem, 19 anos, e por isso tem até o final do ano para caprichar nos treinos, no condicionamento físico e técnico. Se tivesse de decidir agora, ele estaria fora.

Léo – Não é o mesmo, claro, mas ainda se garante pela experiência. Não se sabe se terá físico para aguentar a dura temporada de 2011. É outro que ficará em observação.

Alex Sandro – Já mostrou muito potencial. Já marcou muito bem em alguns jogos e já apoiou bem em outros. Precisa fazer com que isso se torne uma constante na maioria dos jogos. Talvez seja um problema de falta de maturidade, já que é bastante jovem. Precisa melhorar, mas ficará em 2011.

Arouca – Claro que fica. Marca bem, está em toda a defesa e, mesmo sem ser perfeito no passe, sabe sair jogando. Titular absoluto.

Roberto Brum – Limitado na marcação e na entrega de bola, tem jogado por exclusão. Mas na montagem de um elenco vencedor, deve sair.

Rodrigo Possebon – É um jogador comum, mas tem potencial para ser umbom volante. Precisa se ligar mais no jogo, ser sempre uma opção para o passe e nunca virar de costas para a bola. Ainda parece trazer vícios do futebol amador. A passagem pela sub-23 pode ser importante para definir o seu futuro. Em observação até o final do ano.

Marquinhos – Fez grandes partidas no primeiro semestre, mas se apagou sem Paulo Henrique Ganso e Robinho ao seu lado. Não assumiu o papel de líder e maestro do time quando Ganso saiu. Tem habilidade e passa bem, mas sua falta de empenho e sua fadiga crônica fizeram com que caísse na antipatia da torcida. Se não se empenhar mais na preparação física e se tornar um jogador mais participativo, corre o risco de ir embora.

Breitner – Sua qualidade é a cobrança de faltas. Parece lento e sem muita força física, mas ainda é jovem. Pode melhorar muito. Também está em observação na sub-23.

Alan Patrick – É jovem, habilidoso. Ainda não é tão firme na entrega de bola e chuta fraco, mas está se soltando e ontem foi o diferencial que impediu o Santos de perder para o Palmeiras. Ficará.

Neymar e Paulo Henrique Ganso – Precisa comentar? Mas terão de aprender a conviver com um time menos criativo do que tiveram no primeiro semestre. Mais do que jogarem bem, terão de ter muita maturidade.

Zé Eduardo – Tem sido muito pedido pela torcida porque é um atacante menos ruim do que Marcel. Só que está correndo muito e produzindo pouco. Não faz as melhores opções. Precisa usar menos os músculos e mais o cérebro. Será observado no restante do campeonato.

Madson – Mesmo caso de Zé Eduardo. A torcida o pede pela falta de opções no elenco, mas não está correspondendo. Parece um tanto desanimado e engordou uns quilinhos. Tem de caprichar no restante da temporada para garantir o seu lugar no Santos em 2011.

Marcel – Em raras partidas foi o homem de área que o Santos esperava dele. Tem dificuldades técnicas que parecem irreversíveis, pois já não é nenhum garoto. Deve ir embora.

Zezinho – Ou é muito tímido dentro de campo, ou não joga nada mesmo. Mas, como atuou em uma seleção brasileira sub alguma coisa, deve ter qualidades que ainda não afloraram. No momento está no sub-23 e ainda não se firmou. Não deverá ser profissional do Santos em 2011.

Felipe Anderson – Calmo, técnico, chamado pelos colegas de base de “o homem de gelo”, Felipe faz lembrar o estilo de Pita. Habilidoso e inteligente, deverá sofrer no início co, sua aparente timidez, mas, com paciência e carinho, deverá se tornar um grande jogador do Santos. Estará em 2011.

Tiago Alves – É decidido, vai pra cima mesmo, e tem facilidade para driblar em linha reta e chutar a gol. Está tão pronto para ser promovido como Felipe Anderson.

Marcelo Martelotte – Já perdeu boas oportunidades de mostrar a sua marca. Ontem mesmo deveria ter tirado Marcel e colocado Felipe Anderson, deslocando Zé Eduardo para centroavante. Um técnico que vem da base, como foram o lendário Lula e o seu Chico Formiga, deve privilegiar a base. Somente a ousadia bem-sucedida poderia manter Martelotte no Santos. Estará novamente na base em 2011.

É possível reverter

Deficiências técnicas, táticas e psicológicas podem ser revertidas, mesmo em se tratando de jogadores profissionais maduros. Telê Santana ensinou a jogadores, como Jorginho, do Palmeiras, a bater na bola com curva. E digo isso porque vi e porque os próprios jogadores me disseram.

Então, se um jogador tem consciência de suas falhas e se esforça por corrigi-las, sempre obterá algum sucesso. Cobrar bem faltas ou pênaltis, por exemplo, depende menos da posição do goleiro do que do lugar e da força com que a bola é arremessada. Então, mesmo após o treino com os colegas, o atleta pode continuar treinando sozinho, se tiver força de vontade.

O mesmo se dá com os passes e os cruzamentos. O bom passador bate na bola como se fosse um mestre do bilhar: com a força, a direção e o efeito corretos. Jogadores que enchem as pernas de músculos, geralmente perdem a sensibilidade para toques refinados.

Quer ver uma coisa que me irrita profundamente? O companheiro passa do lado e o jogador que está com a bola só precisa empurrá-la, mansamente, em um ponto futuro em que jogador e bola se encontrarão. Mas acaba dando um verdadeiro chute, desproporcional, que sai pela linha lateral ou de fundo. Vi isso ontem contra o Palmeiras…

Esse toque, essa sensibilidade pode ser treinada. O profissional que quer fazer jus a este título deve ter todos os fundamentos do futebol, deve sempre dar 100% do que pode e ter uma atitude madura e motivadora em campo. As derrotas devem servir de estímulo para treinar mais e mais.

Quem sabe que tem pecado em fundamentos, em postura tática e psicológica, deve trabalhar isso e não decorar as desculpas. Os grandes jogadores se aprimoram, não se desculpam. Os grandes jogadores, antes de enxergarem os erros dos companheiros, analisam os seus.

Se este texto for lido para estes jogadores do Santos analisados aqui, que o encarem como uma visão crítica construtiva. Mesmo que o time não tenha maiores objetivos neste campeonato, cada um de vocês têm o seu, que é crescer na carreira, chegar à Seleção ou coisas assim. Cada partida dá esta oportunidade, desde que estejam preparados para ela e prontos para pagar o preço que o sucesso exige. Boa sorte!

E pra você, quem deve ficar e quem deve sair do Santos? Vote consciente!


Older posts

© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑