Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

film izle

Tag: Marco Piovan

Maior espetáculo da Terra

Os 200 primeiros compradores terão o nome no livro e ganharão um exemplar com apenas 90 reais. Clique aqui e garanta o seu! Este livro vale como um título mundial!

MAIOR ESPETÁCULO DA TERRA

O técnico Levir Culpi, que ainda não comandará o Santos neste domingo, em Curitiba, contra o Atlético Paranaense, é um personagem especial do futebol, pois tem no mínimo dois neurônios que se conectam. Como hoje está com a vida mansa e não tem o rabo preso com a CBF ou alguma rede de tevê, falou o que todo mundo já sabe: que o Santos dispensa apresentações, pois é daqueles times que têm um lugar cativo entre os grandes da história. Agora sou eu que digo: que se curtam mais os rappers ou os pagodeiros do momento é compreensível, mas isso não quer dizer que se deva esquecer Tom Jobim e a bossa nova.

Entre os anos 60 e 70 o Santos chegou a um ponto inalcançável por qualquer outro time no mundo. E suas marcas permanecem. Sempre que entra em campo, com a mesma camisa e o mesmo distintivo, remete o futebol aos seus tempos mais belos e apaixonantes. É como disse Pelé: “Hoje o time joga no quintal de sua casa, coloca o vídeo no Youtube e todo mundo vê; no nosso tempo nós tínhamos de jogar no mundo todo para sermos vistos. Só não jogamos na Lua”.

Engraçado que o Santos demorou 42 anos para jogar fora do Brasil, mas foi só sentir o gostinho da aventura e se libertou de vez do rabo da saia da mamãe Belmiro. Time brasileiro que mais jogou e venceu equipes estrangeiras, o Glorioso Alvinegro Praiano escreveu histórias que parecem lenda. Em alguns países paralisou guerras, em outros provocou conflitos. Em todos, a causa era a mesma: testemunhar aqueles mágicos homens de branco levitando pelo gramado verde como santos que eram.

Confesso que já tinha dado por encerrado o meu ciclo de livros sobre a história do Santos. Ainda queria escrever sobre alguns ídolos, mas a respeito apenas do time só um livro me apeteceria: queria contar como foram as viagens por todos os continentes, por dezenas de países, mas não me contentaria com nomes e números. Seria preciso sentir o ambiente local, conhecer as opiniões da imprensa estrangeira, conseguir fotos inéditas, ingressos dos jogos, descobrir detalhes, histórias curiosas…

Não via, porém, como conseguir tempo e recursos para empreender essa pesquisa longa e universal. Até que me surgiu um anjo que há muitos anos já fazia esse trabalho meticuloso de garimpagem dos rastros do Santos pelo mundo afora. Morador em Luxemburgo, na Europa, o santista Marcelo Fernandes já fazia essa garimpagem há muitos anos. Como o seu trabalho, em uma companhia aérea, lhe permite viajar pelo mundo, Marcelo visitou os lugares pelos quais o Santos passou e pesquisou em museus, bibliotecas, exposições, estádios e participou de leilões para adquirir peças importantes da memorabilia das viagens santistas.

Os 200 primeiros compradores terão o nome no livro e ganharão um exemplar com apenas 90 reais. Clique aqui e garanta o seu! Este livro vale como um título mundial!

Começamos os planos para o livro há sete anos, temos falado e completado nossas informações desde então, entramos na reta final no ano passado e agora, finalmente, podemos anunciar, com muito orgulho e enorme prazer, o lançamento do livro “Santos FC, o maior espetáculo da Terra”, próximo lançamento da Editora Onze, de Marco Piovan, outro apaixonado pela história do futebol.

Não conheço nenhum outro livro que fale, exclusivamente, das viagens internacionais de um time. Bem, certamente não há uma equipe que tenha tanto assunto, tantas aventuras a contar que envolvam desde as cidades iluminadas da Europa até as povoações modestas na África. Por isso, não é exagero dizer que jamais haverá um time tão impactante como o Santos de Pelé. Por onde ele passou, deixou sua marca.

Trata-se, portanto, de obra única, inigualável, tão valiosa para a história do nosso Santos como mais um título mundial. E outra notícia sensacional é que você poderá ter o seu nome impresso no livro, garantir presença no evento de lançamento, ao lado de grandes craques daquele Santos formidável e ainda obter outras recompensas por preços promocionais de pré-lançamento.

Se esperarmos que os outros reconheçam os méritos inigualáveis do nosso Santos, morreremos sentados. Portanto, nos unamos para que “Santos FC, o maior espetáculo da Terra” seja lançado com o esmero e a divulgação que merece e espalhe essa história singular do time de uma pequena cidade brasileira que colocou o mundo aos seus pés.

Os 200 primeiros compradores terão o nome no livro e ganharão um exemplar com apenas 90 reais. Clique aqui e garanta o seu! Este livro vale como um título mundial!

Curso de Tênis de Férias da Suzana Silva

Sou suspeito para falar, mas se eu tivesse filhos pequenos, eles já estariam inscritos no Curso de Tênis de Férias da Suzana Silva. As crianças passarão quatro dias aprendendo e aprimorando seu jogo de tênis, fazendo novas amizades e convivendo com professores especializados no ensino e no treinamento de crianças.

O lugar é paradisíaco, nem parece que você está em São Paulo. Considero as quadras de saibro do Clube de Campo Castelo as mais bonitas da cidade. As crianças e seus pais adoraram as clínicas anteriores. Um dia todo de tênis, com refeições, transfer direto do Shopping Morumbi. Abaixo segue o cartaz do evento com o telefone e o e-mail para informações e a inscrição.

clinica de tenis do castelo - 2017


Por que a imprensa esportiva brasileira bajula tanto certos times

Nesses dias sem blog estive mergulhado em algumas pesquisas para o Museu Pelé e ao voltar ao passado para checar momentos marcantes do Rei do Futebol, da Seleção Brasileira e do Santos, constatei uma tendência que agora compartilho com você.

Como se sabe, dificilmente a imprensa esportiva brasileira supervalorizou os feitos do Santos – algo que ocorre até hoje, por sinal. Sempre deu a eles no máximo a dimensão que merecem. Não raro os diminuiu de importância. Por outro lado, ao menos nos jornais em que pesquisei, esta mesma imprensa sempre superestimou os feitos dos times considerados mais populares. Quer exemplos?

No mesmo dia em que o Santos, em uma exibição que a imprensa chilena definiu como “o jogo do século”, venceu a Seleção da Tchecoslováquia por 6 a 4, em uma reedição da final da Copa de 1962, o jornal Folha de São Paulo preferiu dar como manchete do caderno de esportes a vitória de um determinado time contra o Náutico, por um torneio em Recife, destacando o fato de que esse time era “líder e invicto”, e isso depois de apenas duas rodadas.

Em outro instante de minhas pesquisas, encontrei o que precisava dos jogos de Pelé e deparei-me com outro título de primeira página que evocava certo time considerado bom vendedor de jornais. O título dizia algo como “Agora vai!”. Li o lead da matéria e falava de uma vitória desse time contra o Noroeste, último colocado do Campeonato Paulista. Naquele ano, a propósito, o tal time não foi e o Santos, novamente, sagrou-se campeão paulista.

Há algum tempo vimos aqui mesmo, neste blog, que no dia em que os jornais anunciavam mais um título do Santos na Taça Brasil, equivalente a mais um Campeonato Brasileiro, no início dos anos 60, A Gazeta Esportiva dava matéria de primeira página para falar de um plano hipotético que envolvia empresários interessados em contratar Pelé e cedê-lo ao mesmo determinado time “de massa”… Como se sabe, Pelé só foi jogar em outro time, o Cosmos de Nova York, em 1975.

Se um time que costuma vender jornais está indo mal das pernas, não está fazendo nada positivo que justifique uma manchete, então invente uma. Como uma contratação bombástica, por exemplo. Obedecendo a esta reprovável técnica sensacionalista, a mídia esportiva brasileira cansou de assoprar balões e tentar mantê-los no ar, às custas de muita mentira, obviamente.

Pois bem: o que se apreende desse comportamento repetitivo da imprensa esportiva brasileira? Que ela sempre quis vender jornais, ou revistas, e para isso usou recursos questionáveis, como a adaptação da realidade à preferência da camada de leitores que queria conquistar. Hoje, com a desimportância econômica dos veículos impressos, certamente essa imprensa quer mais ibope, mais acessos, mais alguma coisa qualquer que, no entanto, está longe da ética jornalística que deveria cultivar.

Ao colocar o aspecto comercial à frente do jornalístico por tantos anos seguidos, essa imprensa criou um comportamento típico nos torcedores dos times considerados mais populares. Acostumados a verem os feitos de suas equipes, mesmo os mais modestos, serem tratados como extraordinários, esses torcedores passaram a ter uma visão distorcida da realidade do futebol e a se julgarem especiais.

“Todas as histórias são iguais, todos os clubes têm torcedores apaixonados da mesma forma”, me disse ainda ontem Marco Piovan, editor da Magma Cultural que prepara, com carinho, o livro do Centenário do Palmeiras. Piovan também editou os livros dos centenários de Santos e Corinthians e se deparou com casos idênticos de amor ao clube.

Nunca tive dúvidas de que entre os aficionados de equipes consideradas menores – como Ponte Preta, Guarani, Juventus, XV de Piracicaba, Ituano, e tantos outras – também há alguns mais malucos por sua agremiação do que torcedores de times considerados grandes. Acho até que seguir um clube menor exige mais fidelidade e personalidade do que ser mais um a adorar um grande.

Outra convicção que tenho: a divisão de torcidas no Brasil é muito mais fragmentada do que alguns gerentes de marketing querem nos fazer acreditar. Se somarmos os números de torcedores que cada clube diz que tem, o Brasil teria mais habitantes do que a China. Quer ter uma ideia real das divisões de torcida no País? Consulte as porcentagens de apostas no “time do coração” da Timemania e constatará que nenhum time chega a 5% (cinco por cento) de preferência no País.

Não podemos culpar, entretanto, os torcedores desses times bajulados por tanto tempo. Foram e são vítimas de uma longa e constante lavagem cerebral. Se uma mulher, ou um homem, feios, ouvem o tempo todo que são lindos, vão acabar acreditando. A mídia os seduziu e os continua seduzindo porque, simplesmente, quer tirar deles o engordamento de seus ganhos. Puro interesse.

Creio que se os santistas também fossem vítimas de tal estratégia, fatalmente teriam a mesma tendência para a arrogância. A propaganda sistemática consegue tudo, principalmente quando é dirigida a pessoas sugestionáveis, de baixa instrução, como é a maioria do povo brasileiro.

Felizmente, porém, as conquistas do Santos foram, repito, tratadas na dimensão exata que mereceram. Isso deu ao santista um senso crítico maior do que aquele que se vê em outros torcedores. O santista sabe diferenciar o que realmente é importante do que é pintado de cor de rosa para vender jornal, ou dar ibope.

Um título estadual é um título estadual. Não pode se tornar maior porque um determinado clube o conquistou, e nem menor se o vencedor for outro. Essa imparcialidade, essa orientação pelo mérito esportivo, é que acabaria com as diferenças entre as posturas dos torcedores e tornaria a visão que se tem do futebol brasileiro mais realista, menos passional. Mas para que esta visão prevaleça seria preciso que a imprensa esportiva brasileira fosse essencialmente ética, forte, independente, e não dependesse, ainda, de bajular certos clubes para sobreviver.

E você, acha que a imprensa esportiva ainda será pautada pelo mérito?


Hoje será lançado o Almanaque do Santos! Compareça à Vila Belmiro!


Professor Guilherme Nascimento, mais de 40 anos de pesquisa para fazer o Almanaque do Santos.

De nada adiantam grandes vitórias, títulos memoráveis, ídolos insubstituíveis, se tudo isso não é eternizado nos livros. O autor, não importa se um jogador de futebol frustrado, ou um apaixonado pela história do seu time, acaba, sim, entrando para a história do clube pelo seu paciente, minucioso e exaustivo trabalho de pesquisa e texto. Hoje, com prazer, anuncio o nome desse campeão das letras Guilherme Nascimento, que a partir das 18 horas desta segunda-feira estará autografando o esperado “Almanaque do Santos FC” na Loja da Vila, no estádio Urbano Caldeira.

Estarei lá para abraçar o professor Guilherme e – faço questão – adquirir o meu exemplar autografado. Abraçar também ao Marco Piovan, ao Zé Eduardo e aos amigos da Magma Cultural, editora que tem apoiado e divulgado, com extremo carinho e profissionalismo, a rica história do Santos.

Foram mais de 40 anos de pesquisa para que o professor Guilherme Nascimento, de Mongaguá, concluisse esse trabalho magnífico, que nos dá ainda mais orgulho de sermos santistas.

Este Almanaque, que colocaremos à venda também neste blog (visite a livraria) já é a fonte em que todos nós que apreciamos a história do Glorioro Alvinegro Praiano devemos beber. Com 5.500 fichas completas (escalação do Santos e do adversário, arbitragem, local, renda, público…), este é não apenas o mais completo, mas o melhor Almanaque de um time de futebol já produzido no planeta.

Em uma conversa recente que tive com o professor Guilherme, ele me adiantou que o tamanho do livro “permitirá uma leitura agradável, saindo do padrão dos tamanhos dos almanaques dos outros clubes (Flamengo, Palmeiras, Corinthians, São Paulo)”. Disse também que as fichas serão entremeadas por textos curiosos e que algumas histórias inéditas, entre elas de Pelé, estarão lá.

Almanaque revela que Santos fez mais gols do que se imagina

Algo muito interessante revelado pelo Guilherme é que em sua pesquisa descobriu que “novos jogos foram encontrados, alguns com goleadas estrondosas”. Portanto, o Santos tem ainda mais gols do que imaginamos e esses gols deverão ser incorporados às estatísticas do Santos, tornando a meta de 12 mil gols mais próxima.

Para checar todos os jogos do Santos Guilherme Nascimento consultou, além das coleções dos grandes jornais brasileiros, acervos de jornais de Espanha, Itália, Áustria, México, Chile, Costa Rica, Colômbia; jornais das cidades de Aracajú, Manaus, Curitiba, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Sorocaba, Santa Bárbara D’Oeste, Santo André…

Livros sobre a história de diversos clubes também foram checados. Entre eles de XV de Jaú, Grêmio Maringá, Internacional de Bebedouro, Londrina, Payssandu, Ponte Preta, Botucatuense… Até sites sobre o futebol norte-americano e australiano foram consultados.

O contato com diversos outros pesquisadores da história do Santos – entre eles Guilherme Guarche, responsável pelo departamento de mermória do Santos – também foi importante para as checagens e correções necessárias.

A partir de hoje essa obra-prima estará à sua disposição. Compre-a, estude-a, você é um retransmissor da história santista. Além do prazer de conhecr a fundo os muitos passos que o Santos deu até a posição invejável na qual se encontra, ao adquirirmos o Almanaque estamos premiando o esforço de Guilherme Nascimento, a atenção que a Magma Cultural dá à história do Santos e ao próprio clube, que recebe royalties da venda de cada livro.


Este é o seu convite. Te aguardo lá!

Forte abraço e até mais tarde, na Loja da Vila. Você vai, né?


Santistas lideram o “Movimento por um futebol melhor”

Com 47.962 sócios filiados, cerca de dois mil a mais do que os corintianos e 32 mil a mais do que os cruzeirenses, os santistas lideram o “Movimento por um futebol melhor”, que promete contribuir para melhorar a infraestrutura do futebol brasileiro e oferecer descontos aos sócios dos clubes filiados.

A superioridade dos santistas é tamanha, que somando-se o número de sócios de São Paulo e Palmeiras não se chega à metade do contingente de torcedores do time de Neymar, Montillo, Marcos Assunção & Cia.

Com o cadastramento, gratuito, quem é sócio de um clube poderá gozar de descontos nos estabelecimentos parceiros do Movimento. Bastará dar o número de seu CPF à caixa antes do registro das compras. A economia estimula o torcedor a se associar ao seu clube.

Somando-se todos os descontos que o sócio terá durante o ano, calcula-se que o valor será até maior do que o que ele desembolsará para se filiar ao seu clube do coração.

Os grandes clubes de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais estão incluídos no Movimento, que tem servido como uma pesquisa fidedigna do número real de sócios que cada clube tem. E o que está se revelando é que o Santos tem mais associados do que os outros clubes participantes.

Os dez clubes com mais sócios filiados ao programa são:

1 – Santos, 47.962 sócios
2 – Corinthians, 45.992
3 – Cruzeiro – 15.345
4 – Fluminense, 12.794
5 – São Paulo, 11.975
6 – Palmeiras, 9.723
7 – Vasco – 6.705
8 – Atlético Mineiro, 5.403
9 – Vitória, 4.514
10 – Botafogo, 4.201

Para conhecer o Movimento, vá para:
http://www.porumfutebolmelhor.com.br/home#

Para fazer o cadastro:
http://www.porumfutebolmelhor.com.br/cadastro

Enfim, o melhor Almanaque do Mundo

Durante muitos anos ouvi dos santistas a mesma indignação pelo fato de o clube não ter um almanaque completo de seus jogos, como outros clubes têm. Hoje eu posso dizer que valeu a pena esperar, pois está para ser lançado o melhor e mais completo almanaque já escrito sobre um time de futebol.

Confeccionado por mais de 40 anos com o carinho de um apaixonado pelo Santos e pela história do futebol, o “Almanaque do Santos FC” será lançado dia 28 deste mês, uma segunda-feira, a partir das 18 horas, na loja Vila do Santos, no estádio da Vila Belmiro. O autor desta obra-prima de precisão e paciência é o professor Guilherme Nascimento, de Mongaguá, uma dessas pessoas que nos fazem sentir orgulho de sermos santistas.

O Almanaque, que será oferecido também neste blog, traz mais de 5.600 fichas técnicas com escalações do Santos e do adversário, quem fez gol, quando e onde foi realizada a partida, assim como observações e curiosidades sobre os jogos e as competições.

Preciso dizer que é um livro obrigatório? Não, e espero, sinceramente, que todo santista adulto tenha um em casa. É uma daquelas obras que se tornarão a fonte onde todos nós beberemos. Por enquanto, divulgo o convite. Depois falarei mais sobre esse magnífico Almanaque do Santos, mais um livro editado por Marco Piovan e lançado pela Magma Cultural, a editora que tem preservado com esmero e profissionalismo a rica história do Alvinegro Praiano.

E você, o que acha dessas boas novidades?


Mande sua história para o livro do Centenário do Santos

A editora Magma Cultural está produzindo um belo livro sobre o Santos Futebol Clube, como parte das comemorações do Centenário do Alvinegro Praiano.

Além de o livro contar a história oficial do Santos, o editor Marco Piovan teve uma idéia genial, que é abrir espaço para as melhores histórias dos torcedores.

Qual o caso mais bonito ou mais emocionante que você tem para nos contar sobre a sua paixão pelo Santos? Como começou a torcer pelo time? Qual foi a maior loucura que já fez pelo Peixe?

Bem, tudo vale, desde que seja verdade e que seja gostoso de ler. Podem ser casos dramáticos, engraçados, exagerados, sutis… A Magma quer saber.

O e-mail para o envio das histórias é

santosfc@magmacultural.com.br

Aos cuidados de Marco Piovan

Não é obrigatório ter boas fotos que ilustrem sua história, mas, se tiver, pode enviar também. Não há cachê, mas há o orgulho de fazer parte do livro do Centenário do Santos.

Não se esqueça de enviar seu nome completo e endereço de e-mail.

Desperte o escritor que há em você. Mande sua história para o livro do Centenário do Santos.


© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑