Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

film izle

Tag: Ong Santos Vivo

Faça sua voz ser ouvida. Torne-se conselheiro do Santos!

Atenção santistas de Curitiba e região

O associado Adriano Riesemberg, um dos grandes santistas deste país fora do Estado de São Paulo, pede que os sócios do Santos de Curitiba e região entrem em contato com ele pelo e-mail ten.riesemberg@yahoo.com.br
O tema é o Santos e as eleições presidenciais do clube.

Santos vence e está na semifinal da Copa do Brasil Sub-20

Clique aqui para ver os melhores momentos de Santos 1 x Vasco 0, pelas quartas de final da Copa do Brasil Sub-20

Com um gol e Matheus Augusto, aproveitando ótimo passe de Daniel Guedes, o Santos bateu o Vasco por 1 a 0, na Vila Belmiro, e se classificou para a semifinal da Copa do Brasil Sub-20 (no Rio o Alvinegro Praiano tinha perdido por 2 a 1). Dos jogadores que já atuaram entre os profissionais, o melhor foi Daniel Guedes, que se continuar assim poderá disputar a posição com Cicinho. Léo Citadini, substituído por Matheus Augusto, e Stefano Yuri, decepcionaram. Zeca, lateral-esquerdo, foi regular. Dos mais jovens, destaque para Caio, um meia canhoto que lembra Lucas Lima. Caio foi o melhor do time no primeiro tempo, mas no segundo passou boa parte do tempo sumido. O atacante Matheus Augusto entrou muito bem. O Santos contou com a sorte para se classificar, pois o miolo de sua defesa bateu cabeça e o Vasco perdeu várias oportunidades na boca do gol. Ainda é cedo para se empolgar com qualquer um desses jogadores, mas pelo jogo de hoje, Daniel Guedes merecia mais oportunidades entre os profissionais.

Ser conselheiro do Santos, um sonho possível
O que angustia o santista é ver o time e o clube caminhando para um futuro que leva à decadência e ao apequenamento sem poder fazer nada. Mas isso tem cura. No dia 6 de dezembro o Santos terá eleições presidenciais e poderá também renovar o seu Conselho Deliberativo. Imagine um Conselho composto por gente crítica, atuante, preocupada em ver o Santos cada vez maior. Isso é bem possível, mas depende de que pessoas com essas características, e com o mínimo de cinco anos como associadas ao Santos, tomem a iniciativa de se candidatar a uma vaga no Conselho Deliberativo. E a chapa de José Carlos Peres, apoiada pela Ong Santos Vivo, ainda tem vagas para o Conselho. Se você, um parente, ou um amigo de confiança, pretendem atuar mais diretamente na vida do Santos e sempre sonharam em ser conselheiros do clube, a oportunidade chegou. Enviem e-mail a mim – odir.cunha@uol.com.br – e iniciem o processo para se tornarem conselheiros do Santos Futebol Clube, com a possibilidade de entender e discutir as grandes questões que envolvem o nosso clube.

Decisões incompreensíveis diminuem o Santos

Somando-se os lucros líquidos dos jogos, na Vila Belmiro, contra Fluminense e Internacional, dois times que estão no G4 do Campeonato Brasileiro, o Santos arrecadou cerca de 50 mil reais. Esse valor representa 10% do salário mensal de Robinho. Aí eu pergunto: dá para manter um time profissional entre os melhores do País com faturamentos tão irrisórios?

E não pergunto isso para nenhum Phd em economia ou administração de empresas. Pergunto para o senhor que tem um carrinho de pipoca, ou para a senhora, dona de casa, que sabe que é preciso gastar apenas o que se ganha, ou a vaca vai pro brejo. Estou quase sugerindo que um pipoqueiro, ou uma dona de casa, vá dar uma palestra lá na Vila, pois as pessoas que dirigem o Santos não sabem essa regra elementar da subsistência.

Não sei se é porque o Santos é cercado por muita gente interessada em seguir carreira política na cidade, como o sr. Odílio, que já foi secretário de saúde, ou o s. Rolando Rollo, candidato a vereador, só sei que é mais fácil o filhote de canguru sair da bolsa da mãe, do que o Santos mandar jogos fora do seu velho e supersticioso “Alçapão”.

1 – Domingo não havia jogo na capital. 2 – Robinho ainda não jogou no Pacaembu com mando do Santos. Agora ligue 1 + 2. Qual é a conclusão lógica? Santos x Internacional no Pacaembu, com público de, no mínimo, 15 mil pessoas. Mas não…

Bem, o problema de onde jogar é apenas um desta diretoria, que montou um elenco caríssimo e medíocre; não aumentou em 1% o patrimônio do clube, nem mesmo construiu o CT da base; não conseguiu aumentar a cota de tevê; não obteve patrocínio máster; não manteve nem os 50 mil sócios, pois já caíram pela metade; não melhorou a média de público nos estádios, ao contrário, tornou-a a pior da Série A e, finalmente, fez crescer, e muito, a dúvida do clube, a ponto de atrasar salários de jogadores e funcionários.

Você ainda pode ser conselheiro. Não fique em cima do muro

Apesar disso tudo, há candidatos à presidência do Santos que parecem usar óculos cor de rosa e defendem que o problema estará solucionado com a ampliação da Vila Belmiro. Ora, se o estádio comporta 16 mil pessoas e a média de comparecimento é de sete mil, por que investir tempo e dinheiro na ampliação do Urbano Caldeira, se há um estádio pronto, com capacidade para 38 mil pessoas, na cidade mais rica e com mais santistas do Brasil?

Para você ver, amigo leitor e amiga leitora, como é difícil para algumas pessoas enxergar o óbvio. E o perigo é que essas pessoas, que não conhecem e nem conseguem enxergar a verdadeira dimensão do Santos, querem assumir o comando do clube nas eleições de 6 de dezembro. Não podemos permitir que isso aconteça.

Dos outros quatro, há três candidatos da situação – Rollo, Nabil e Fernando Silva – e apenas um da oposição, Modesto Roma, apoiado por Marcelo Teixeira, que dominou o clube por mais de uma década. Na verdade, o único que não tem rabo preso com ninguém e nem propôs ou quis coligação com outras chapas, é José Carlos Peres. Quando não se está disposto a conchavos, tudo fica mais difícil. Mas a luta vale mais a pena.

Recebo uma mensagem do leitor Sérgio Pacheco Santos, dizendo que “em Santos, os adversários contam a nossa dificuldade em reunir fichas. Eles observam como abutres”. Ele quer dizer que algumas pessoas, ligadas a chapas adversárias, torcem para que a Ong Santos Vivo, que apoia José Carlos Peres, não alcance o número de 238 conselheiros e, com isso, não possa concorrer às eleições.

Ora, primeiro, querer ganhar por wo é covardia. E, segundo, caso se preocupassem realmente com o Santos, jamais torceriam contra uma pessoa como José Carlos Peres, que não é carreirista político, não é falador, oportunista e nunca se envolveu em falcatruas. Um homem digno para liderar o Santos com dignidade e eficiência. Não sei porque alguns podem torcer contra isso, a não ser que não sejam santistas de verdade, ou tenham interesses maiores do que a sagrada santistidade.

E em terceiro lugar, o número de conselheiros necessários para registrar a chapa está quase sendo alcançado. Alegro-me em dizer que só este blog já preencheu as 20 vagas a que teve direito. Entre eses 20 conselheiros, destaco o professor Guilherme Nascimento, autor do Almanaque do Santos, notável historiador do futebol em geral e do Santos em particular. Com o Peres, a cultura e a arte ligadas ao Santos terão um grande incentivo.

Informo ainda que nesta manhã de segunda-feira consegui a autorização de José Carlos Peres e dos amigos da Ong Santos Vivo para preencher as 20 vagas restantes, suficientes para completar a chapa, com mais leitores assíduos deste blog.

Desta forma, abro novamente a possibilidade de que você, leitor atuante deste blog, que tem ao menos cinco anos como sócio do clube, se candidate ao cargo de conselheiro do Santos pela chapa que apoia José Carlos Peres a presidente. O cargo de conselheiro está aberto a homens e mulheres, jovens e idosos. Vamos transformar o Santos em uma verdadeira democracia. Vamos dar voz aos santistas, hoje deixados à margem das decisões do clube.

Lembro que além dos conselheiros efetivos, a chapa precisa apresentar mais 20 conselheiros suplentes, que não terão necessidade de participar das reuniões, a cada dois meses, em Santos. Portanto, mesmo que você sinta que não terá possibilidade de ir às reuniões do Conselho, há a possibilidade de se candidatar como suplente, o que seria de grande força para a chapa do Peres.

Temos de estancar essa sangria desatada de amadorismos e prejuízos em que se transformou o nosso Santos. Não se contente em reclamar, ou dar sugestões, pela Internet. Candidate-se ao Conselho do Santos pela chapa Ong Santos Vivo e dê a José Carlos Peres e sua diretoria a chance de construir “O Santos que a gente quer”.

Então, criou coragem e se decidiu? Envie e-mail para mim – odir.cunha@uol.com.br e vamos, juntos, trabalhar para salvar o Santos do apequenamento anunciado e colocá-lo, de novo, no caminho da grandeza que ele merece.

E então, vamos apoiar José Carlos Peres para presidente do Santos?

Evento em São Bernardo do Campo nesta quinta-feira

Alô amigos do ABCD: atendendo a pedidos, José Carlos Peres e a Ong Santos Vivo estarão na próxima quinta-feira, dia 6 de novembro, às 19 horas, na sede do São Bernardo Tênis Clube – Rua Tietê, 255, Vila Vivaldi, São Bernardo, falando de suas propostas para uma administração eficaz, transparante e eficiente do nosso Santos e recebendo inscrições para o Conselho Deliberativo.

O site do São Bernardo Tênis Clube é São Bernardo Tênis Clube e o telefone, (11) 4366-2929. Você sócio e torcedor do Santos, não deixe de comparecer a este encontro com José Carlos Peres, o candidato que vai transformar o clube n’ “O Santos que a gente quer”. Até lá!

convite Peres ABC

Já se decidiu pelo Peres? De qualquer forma, vá ouvir suas propostas.


Você quer um Conselho atuante, ou vaquinhas de presépio?

Um tabu e mais algumas coisas em jogo contra o Inter

Reveja este movimentado empate na Vila:

Desde 1989 o Santos não perde para o Internacional na Vila Belmiro. Em 18 jogos, foram 12 vitórias do Alvinegro Praiano e seis empates. Hoje, às 17 horas, como Enderson Moreira deverá poupar alguns titulares, esse tabu correrá perigo. Outro motivo de interesse, para mim, nesta partida, é o desempenho de Gabriel, que assinou com o Santos por 200 mil reais por mês, como se estivesse fazendo um grande favor, mas até agora não tem justificado o salário.

Falta mais atenção, inteligência, precisão e coragem a Gabriel. Mas a cada jogo esperamos que ele mostre essas qualidades. Quem sabe, hoje. Se vencer, o Santos afasta matematicamente a ameaça de rebaixamento e fica muito perto de garantir ao menos uma vaga na Sul-americana.

Se perder, poderá entrar de farol baixo contra o Cruzeiro, na quarta-feira, em jogo que decidirá uma vaga na final da Copa do Brasil. O empate não fede e nem cheira. Mas não é nada bom para o Inter, que só depende do Campeonato Brasileiro para conseguir uma vaga na Libertadores.

Pela tradição dos dois times, este jogo, no Pacaembu, reuniria de 15 a 20 mil pessoas. Na Vila, a gente sabe, o público não deverá passar de seis mil pessoas. Mas não vamos falar mais nisso, pois o assunto acirra bairrismos idiotas. O que me preocupa é que há candidato à presidência do Santos que quer ver o Santos fazendo todos os seus jogos na Vila. Seria a receita ideal para transformar o clube em um Jabaquara, ou uma Portuguesa Santista.

A escalação do Santos que eu tenho está cheia de dúvidas. Mas, creio que Enderson poupará Alison, Arouca, Lucas Lima e Robinho, escalando em seus lugares, respectivamente, Renato, Souza, Serginho e Jorge Eduardo. Parece que Serginho e Jorge Eduardo entraram bem contra o Chapecoense. Vejamos hoje.

O Santos deverá iniciar a partida com Aranha, Cicinho, Edu Dracena, David Braz e Mena; Alison (ou Renato), Arouca (Souza) e Lucas Lima (Serginho); Robinho (Jorge Eduardo), Rildo e Gabriel.

O técnico Abel Braga deverá escalar o Internacional com Alisson, Cláudio Winck, Alan, Ernando e Fabrício; Willians, Aránguiz, D’Alessandro, Alan Patrick e Jorge Henrique; Nilmar. A arbitragem será de Jailson Macedo Freitas (BA), auxiliado por Alessandro A. R. de Matos (BA) e Luiz Carlos S. Teixeira (BA).

E você, o que espera de Santos x Inter?

Você quer um Conselho atuante, ou vaquinhas de presépio?

Chega de um Conselho assim. O Santos precisa de um Conselho fiscalizador e com opinião.

Li uma crítica a José Carlos Peres, candidato à presidência do Santos, dizendo que ele estava apelando para a mídia social para conseguir os conselheiros que faltam para completar a sua chapa. A crítica dizia, em outras palavras, que conselheiro tem de ser escolhido a dedo, não pode ser qualquer um. Percebi muito preconceito e um certo ditatorialismo por trás dessa crítica.

O Conselho do Santos, para ser atuante, tem de ter representantes dos variados segmentos que representam os santistas e, acima de tudo, precisa ser composto por pessoas que efetivamente queiram fazer parte dele, têm boas ideias, um senso crítico bem desenvolvido e estão dispostas a ser fiscalizadoras da administração do clube.

Hoje, o que temos no Santos? Um Conselho omisso, ou muito pouco operante, que não se ergueu nem diante das mais profundas barbaridades cometidas contra o clube. Onde estava este Conselho quando a diretoria marcou o amistoso temerário contra o Barcelona, causador da maior vergonha que o Santos passou em campos do estrangeiro?

Por que não impediu que um time improvisado e em formação, recheado de garotos, dirigido por um técnico interino, enfrentasse a melhor equipe do mundo diante de sua torcida e em data festiva? 8 a 0 foi pouco, senhoras e senhores. Enquanto isso, o presidente, seus familiares e membros da diretoria estavam passeando como nababos em Barcelona, indiferentes à vergonha que os verdadeiros santistas sentiram com aquele evento.

Houve exceções, houve, sim, um ou outro conselheiro mais revoltado e exaltado, que alertou para a prevaricação, mas, no todo, pouca resistência o Conselho fez, e muito menos impediu que a presidência e a diretoria do Santos levassem, dia após dia, o clube para esta situação crítica e quase insolvente em que está hoje.

Onde estava o Conselho quando Neymar foi “vendido” ao Barcelona, em um negócio em que o clube ganhou 17 milhões e a empresa do pai de Neymar, 40. Que negócio da China foi esse? O presidente do Barcelona já pediu demissão, o governo da Espanha já convocou os envolvidos para depor e o Conselho do nosso querido Santos está acompanhando o caso pelos jornais.

Onde estava, ainda, o nosso Conselho, quando o clube pediu 40 milhões emprestados à Doyen Sports para contratar Leandro Damião? Como um clube que tem um médico como presidente pôde investir tanto dinheiro em um jogador que já veio com um problema no quadril?

Hoje, Damião não vale nem 15 milhões, e com os juros do empréstimo, o preço a ser pago já está perto dos 47 milhões. Somem-se mais salários que já recebeu e ainda receberá e é fácil perceber o quanto foi lesivo para o Santos esse negócio, que não encontrou resistência alguma do Conselho.

Nem falarei de outros negócios altamente nocivos aos interesses do Santos, como a inexplicável compra de cem por cento dos direitos de Bill, deixando de lado o jogador Romarinho, que é santista e pedia para vir ao Santos por um valor menor. Nem falarei da péssima negociação com a Rede Globo sobre as cotas de tevê, sobre a incompetência ao lidar com os sócios e com as arrecadações nos estádios, falhas que estão levando o clube à ruína.

Enfim, a lista de erros e desmandos dessa gestão, com o silêncio e a cumplicidade do egrégio Conselho santista, é enorme. E isso só acontece, e continuará acontecendo, enquanto os conselheiros forem escolhidos por serem compadres dos dirigentes, mais interessados em não atrapalhar a amizade com estes do que servir ao Santos.

O que a chapa Ong Santos Vivo propõe é um Conselho Atuante, com santistas de personalidade, dinâmicos, corajosos, que exponham as dificuldades do clube, fiscalizem e peçam explicações sobre os atos da presidência e da diretoria, enfim, mergulhem ativamente na vida do Alvinegro Praiano. Não se quer um Conselho formado por vaquinhas de presépio.

Aquele que está ouvindo o meu apelo por este blog, ou o apelo de José Carlos Peres pela mídia social, e está se decidindo a agir pelo Santos, candidatando-se a uma vaga no Conselho pela chapa da Ong Santos Vivo, é aquele santista que estava sendo colocado à margem das decisões do clube, que não era ouvido e a quem só era dado o “direito” de ser testemunha dos fatos. O que se quer é totalmente diferente: é oferecer ao santista a possibilidade de ser ouvido e participar diretamente da vida do clube. E, como já dizia um velho técnico do futebol, “quem pede tem a preferência”.

Uma chapa que quer a transparência e a livre discussão dos problemas do Santos, não pode escolher só velhos e acomodados amigos para compor o Conselho. O que se quer é gente de personalidade, ideias e opinião. Se você é um desses, tem mais de cinco anos como sócio do Santos e quer se candidatar a uma vaga no Conselho, não para puxar o saco do Peres, mas para ter e dar sua opinião livremente, entre em contato comigo pelo e-mail
odir.cunha@uol.com.br

O número de conselheiros da chapa “O Santos que a gente quer”, da Ong Santos Vivo, que apoia José Carlos Peres à presidência do Santos, está quase fechado, mas ainda há vagas para santistas que estão fartos desse mundo de falsas promessas e falcatruas em que se transformou o nosso Santos. Se você não quer mais do mesmo, se realmente acha que chegou a hora de o Santos ser administrado com a seriedade e a competência que se deve, venha para o lado da chapa que é capaz de promover essa mudança.

E você, já pensou sobre isso?


Em carta, José Carlos Peres reafirma que não fará coalizões

Minha coluna no jornal Metro desta sexta-feira. Veja na página 14.

Correram rumores de que a chapa “O Santos como a gente quer”, da Ong Santos Vivo, que apoia José Carlos Peres para presidente do clube, estaria articulando coalizões com outras chapas para garantir a vitória na eleição de 6 de dezembro. Isso é uma desbragada mentira! Jamais passou pela cabeça de José Carlos Peres, ou dos líderes de sua chapa, atitude semelhante. Até porque seria uma traição aos santistas que apoiam a filosofia de trabalho e transparência pregada por Peres desde o início de sua campanha. Princípios não se negociam.

O Santos não precisa de balaios de gatos, de grupos oportunistas se unindo para dividir o butim. Ele precisa, como nunca, de pessoas sérias, capazes e dispostas a arregaçar as mangas para tirá-lo da difícil situação em que se encontra depois de anos e anos de administrações temerárias, de falsos líderes de palavras fáceis, mas pouca ação; de muita teoria e pouquíssima prática; de muitas promessas e raríssimas realizações. O santista não suporta mais isso e sabe que não pode mais errar, sob o risco de ver seu time do coração sumir do mercado do futebol.

A seguir, a carta assinada por José Carlos Peres, desmentindo os boatos de coalizão espalhados por integrantes de chapas rivais:

Carta aberta aos santistas

Amigos,

As eleições do Santos FC entram num perigoso estágio de especulações, ilações, desconstrução de personagens e, especialmente, de informações não verdadeiras.

Vencer o pleito não pode ser uma meta a ser alcançada “a qualquer preço”.

A minha candidatura, suportada pela ONG Santos Vivo, não entrará nesse clima de dissimulação, de produção de mentiras, de vale tudo.

É importante esclarecer, portanto, para que ninguém alegue desconhecimento, os seguintes pontos:

1) Não fizemos e não faremos composições oportunistas. Não negociamos com qualquer grupo cargos ou participação especial. A época de composições programáticas já terminou, haja visto o lançamento de todas as candidaturas.

2) Nossas alianças só seriam possíveis com a absoluta observância de nossos pontos programáticos, e com absoluto respeito aos compromissos irrenunciáveis que estabelecemos.

3) Nossa pré-lista ao Conselho Deliberativo está quase concluída. A partir da pré-lista e em reunião com aqueles valorosos santistas que se dispuseram a nos apoiar e que têm plena convicção nos pontos programáticos que lançamos, elaboraremos a lista final a ser apresentada quando do registro de nossa chapa.

4) Entendemos o Conselho Deliberativo como o órgão mais importante do clube, porque ele é o verdadeiro representante do associado. E, nessa ótica, ao longo da campanha, possibilitamos que muita gente se inscrevesse, sem que para isso fosse necessário ser amigo do rei.

5) Apresentaremos aos eleitores um Conselho Deliberativo renovado, comprometido com os pontos que defendemos, mas, sobretudo, com a representação do associado na nossa gestão, que será transparente, moderna e afinada com nosso programa.

Se estamos certos, ou não, nessas diretrizes, o associado irá dizer nas urnas. Mas não podemos, a pretexto de angariar mais votos, romper nossos compromissos mais caros, que são exatamente os que nos diferenciam das demais chapas em disputa.

Por fim, deixamos claro a todos os associados, dissidentes de outras candidaturas, ou não, que estamos abertos ao apoio e engajamento individual de todos. A ONG sempre teve interesse na discussão de um futuro melhor para o clube. E continuará assim, porque, mais importante do que vencer a eleição, será gerir um clube em sérias dificuldades financeiras.

Contamos com todos vocês, antes, durante e após as eleições.

José Carlos Peres, candidato a presidente do Santos pela Ong Santos Vivo

O número de candidatos ao Conselho Deliberativo, pela chapa Ong Santos Vivo, de José Carlos Peres, está quase fechado. Mas ainda há vagas. Os interessados podem enviar e-mail a mim: odir.cunha@uol.com.br

Você é favor ou contra esses conchavos, digo, coalizões eleitorais?


Candidatura do Peres, jogo contra o Botafogo… Semana decisiva!

Neste blog, falamos muito em mudanças e sugerimos muitas ações que podem e deveriam ser feitas pela diretoria do Santos. Também falamos em ir mais ao estádio gritar pelo time. Pois bem. Nesta semana, teremos boas oportunidades de dar o exemplo do que queremos. A primeira é nesta terça-feira, quando José Carlos Peres e a Ong Santos Vivo lançam sua chapa para as eleições presidenciais do Santos, com ótimas propostas para o nosso clube. A segunda será nesta quinta-feira, quando nada nos impede de encher o Pacaembu para empurrar o Santos contra o Botafogo, em busca da semifinal da Copa do Brasil. Eu vou, você não vai? Divulguemos a hashtag #quintanoPaca. E na sexta-feira Guilherme Gomez Guarche lança seu livro “1955, O Começo”.

convite - campanha - peres

Iniciamos uma semana decisiva para o Santos. Nesta terça-feira, José Carlos Peres, executivo do G4 Paulista e representante da Ong Santos Vivo, lança sua candidatura à presidência do Santos. Com uma longa folha de serviços prestados ao clube e com uma proposta de mudanças profundas, Peres é o favorito para ganhar as eleições de 6 de dezembro, com a chapa O Santos que a gente quer.

O evento, aberto a todos os santistas, será no Bikkini Barista – Rua XV de Novembro, 94/96, Centro de Santos – a partir das 19 horas. Estarei lá e espero encontrar amigos do blog interessados em conhecer melhor as ideias do Peres e da Ong Santos Vivo para o nosso Santos.

Dois dias depois será a vez do esperado encontro com o Botafogo, no Pacaembu, pelas quartas de final da Copa do Brasil. A partida está marcada para às 21h30 de quinta-feira, no Pacaembu. Depois de vencer no Rio por 3 a 2, o Santos precisará ao menos de um empate para ficar a dois confrontos do título da Copa do Brasil.

O santista tem de prestigiar o time nesse desafio. Infelizmente os altos e baixos têm sido constantes entre os clubes brasileiros. Em casa, com o apoio da torcida, vamos ajudar o Santos a viver um grande momento na quinta-feira. Vou e levarei acompanhantes. Peço o apoio dos amigos para divulgar esse jogo pelas redes sociais. Sugiro que no twitter seja usada a hashtag #quintanoPaca

Finalmente, na sexta-feira, dia 17, o amigo Guilherme Gomez Guarche, responsável pelo Departamento de Memória do Santos, lança seu novo livro – 1955, O Começo – no Memorial das Conquistas da Vila Belmiro, a partir das 18 horas. O livro conta a saga do título paulista de 1955, sacramentado com a bomba de Pepe contra o Taubaté, o segundo Estadual do Santos e aquele que iniciou uma série memorável de conquistas do Alvinegro Praiano.

É evidente que também estarei lá dando um abraço no Guarche e nos amigos da Assophis, a Associação dos Pesquisadores e Historiadores do Santos Futebol Clube. Preservar e divulgar a rica história do Santos é um ofício sagrado que deve ser devidamente valorizado.

Posso contar com você nesta semana decisiva para o Santos?


© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑