Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

film izle

Tag: Promoção de livros de futebol

Faltam apenas cinco dias!

Faltam apenas cinco dias para encerrar a promoção de livros de futebol em homenagem ao 105º aniversário do Santos. Aproveite os enormes descontos!

Faltam apenas cinco dias para encerrar a promoção de livros de futebol em homenagem ao 105º aniversário do Santos. Aproveite os enormes descontos!

Clique aqui para entrar na Livraria do blog e fazer a festa!

Liquidação Total dos livros até 30 de abril! Não perca!

Na comemoração dos 105 anos do Santos, reduzi ao máximo os preços dos livros oferecidos na Livraria deste Blog e ainda mantive o frete grátis e a dedicatória. Promoção só vai até o dia 30 deste mês. Depois, os preços dos livros voltarão ao normal.

Confira os novos preços e entre na livraria para comprar para você e para os amigos. Conhecer e divulgar a história é uma forma de manter o carisma, a cultura e a visibilidade do Santos.

Veja só como os livros ficaram baratos (e todos com frete grátis)

Dossiê Unificação dos títulos brasileiros
1 exemplar: 39 reais.
2 exemplares: 59 reais.

Time dos Sonhos
1 exemplar: 39 reais.
2 exemplares: 59 reais.

Sonhos mais que possíveis
1 exemplar: 14 reais.

Dinheiro, é possível ser feliz sem ele
1 exemplar: 23 reais.
2 exemplares: 35 reais.

A PROMOÇÃO VAI ATÉ 30 DE ABRIL OU ATÉ ACABAR O ESTOQUE

—— Para entrar na livraria e garantir os seus exemplares, tecle aqui ——

ou entre na sala Comprar Livros, anunciada no alto desta página.

A história do Santos em PDFs a preços simbólicos

DonosdaTerraNa Raça!Ser SantistaPedrinho escolheu um time

Diante de constantes pedidos de livros já esgotados em papel, como Donos da Terra, Na Raça, Ser Santista e Pedrinho escolheu um time, o blog está oferecendo cópias em PDF dessas obras por apenas R$ 4,50 (quatro reais e cinquenta centavos) e apenas R$ 2,50 para o livro Pedrinho escolheu um time. O PDF é enviado pelo e-mail que o comprador designar no endereço para a entrega.

Clique aqui para comprar o PDF do livro “Donos da Terra” por apenas R$ 4,50


O futuro do e de Santos

É só trocar o tênis pelo futebol e terá a nova Santos

É só trocar as academias de tênis por CTs de futebol e teremos a nova Santos

Nesse ano de eleições, em que mais de uma dezena de grupos surgem com a intenção de participar do pleito que definirá o novo presidente do Santos, é bom deixar as coisas bem claras, pois sempre haverá aquele que tentará colocar palavras na nossa boca e intenções na nossa cabeça. A forma como eu vejo a relação do Santos com sua cidade é bem clara. Para mim, o time deve continuar, eternamente, sediado em Santos, até porque sua presença pode contribuir para o desenvolvimento da cidade e da região, mas, no momento, deve se exibir mais vezes fora de sua cidade. Apenas isso.

Já expliquei meu ponto de vista ao secretário de turismo de Santos em uma das oportunidades em que ele visitou o Museu Pelé. Assim como a Flórida é a região que concentra o maior número de academias de tênis do mundo e atrai milhares de jovens de todos os continentes interessados em aprimorar seu jogo, Santos pode se tornar o epicentro de uma região de excelência do futebol, com academias para instrução e treinamento, centro de estudos e palestras e uma faculdade do futebol.

Usar a expertise de tantos ex-jogadores de fama mundial para ensinar a ginga e a criatividade do futebol brasileiro a jovens de todo o mundo criará em Santos um polo turístico ligado ao futebol, com amplos benefícios para a cidade e a Baixada Santista, atraindo divisas, gerando empregos e aumentando o PIB e a renda per capita da região.

Por outro lado, para que se possa empreender um plano permanente de captação de sócios para o clube, dobrar sua arrecadação com as rendas de jogos, criar condições para se obter melhores contratos de patrocínio máster e de material esportivo e ainda poder reivindicar cotas de tevê mais generosas, o Santos precisará jogar em estádios maiores. Por isso que, olhando para todos os lados, só vemos o Pacaembu como o grande palco dos jogos do Alvinegro Praiano.

Ao jogar mais na Capital, onde tem 1,2 milhão de torcedores – multidão capaz de lotar 30 Pacaembus – o Santos dobrará sua média de público e sua arrecadação, poderá reservar de 15 a 20 mil lugares para seus sócios, terá mais visibilidade e garantirá bons argumentos para a mesa de negociações com potenciais patrocinadores e também com a tevê.

Sim, o Santos é um time que se tornou internacional pela visão de homens como Athié Jorge Cury e pela arte e personalidade de gênios como Pelé, Zito, Coutinho, Carlos Alberto Torres, Pepe e tantos outros. Não pode ter medo de seguir o seu destino.

Não creio que a construção de um estádio seja a prioridade no momento. Controlar as dívidas sem perder a competitividade da equipe é o grande desafio de 2017 e dos anos vindouros. Superando essa arrebentação, um mar calmo e azul se abrirá para os santistas. O clube se tornará mais rico e também contribuirá para o crescimento de sua região, pois o dinheiro arrecadado gerará empregos e abrirá novas oportunidades profissionais para os habitantes da cidade e da Baixada Santista.

A viagem de Santos a São Paulo, em ônibus leito, com ar condicionado e frigobar, leva praticamente o mesmo tempo que o Botafogo gasta diariamente para ir da sua sede aos treinos, no Engenhão. Não há motivo para que alguns caprichos individuais desviem o Santos de um projeto que o tornará mais forte, mais popular e mais vencedor.

E você, o que acha disso?

Envie sua sugestão Por um Santos melhor
Na última coisa em que muitos políticos profissionais do futebol pensam é na vontade dos sócios e torcedores de um clube. Mas vamos fazer diferente. Vamos criar um programa administrativo baseado na vontade dos santistas e não impor a todos um projeto saído da cabeça de meia dúzia, como tem acontecido. Envie sua sugestão Por um Santos melhor pela caixa de comentários deste blog ou pelo e-mail blogdoodir@blogdoodir.com.br

anuncio-promocao-de-natal

Promoção de livros até a meia-noite do dia 31. Aproveite!


time dos sonhos - autor lendo trecho do livro para Robinhoeu, Pelé e as crianças - livro segundo tempodossie - peres e eu

Livro é um presente duradouro. Pense nisso antes de presentear neste final de ano. Atente para as promoções de livros do Blog do Odir até a meia-noite do dia 31 deste mês.

Time dos Sonhos: Você compra apenas um exemplar, mas recebe dois, sem despesa de correio, mais as versões eletrônicas dos livros Donos da Terra, Ser Santista e Pedrinho escolheu um time.

Após fechar a compra, peça dedicatórias para os dois exemplares de Time dos Sonhos pelo e-mail blogdoodir@blogdoodir.com.br

Por tudo isso você vai pagar apenas 68 reais.

Como proceder: clique em Comprar Livros, no alto da home deste blog, e compre apenas um exemplar de Time dos Sonhos. Os outros eu envio para você.

Dossiê Unificação dos títulos brasileiros: Compre apenas um exemplar, por 38 reais, mais as despesas de correio que o Pagseguro calcula logo que você inserir o número do seu CEP, e eu enviarei dois exemplares para você. Para pedir as dedicatórias, é só enviar e-mail para blogdoodir@blogdoodir.com.br

Segundo Tempo, de Ídolo a Mito: Até 31 de dezembro esta obra-prima poderá ser adquirida na Livraria deste blog por apenas 49 reais, mais as despesas de correio. Conheça a vida de Pelé de um ângulo que você nunca viu antes. O livro irá com uma dedicatória do autor para o comprador. Se quiser uma dedicatória para outra pessoa, é só enviar e-mail para blogdoodir@blogdoodir.com.br

dossie - livro
O Santos não conseguiu, mas o Palmeiras é eneacampeão brasileiro, sim.

Se quiser saber porquê, aproveite a Promoção de Natal e adquira o Dossiê Unificação dos títulos brasileiros a partir de 1959.

Na compra de um exemplar, por apenas 38 reais, eu envio o segundo exemplar de presente para você. Logo que comprar, envie e-mail para blogdoodir@blogdoodir.com.br e diga para quem quer as dedicatórias.

Clique aqui para garantir o seu Dossiê e o presente de Natal do seu amigo santista, palmeirense, botafoguense, ou torcedor do Cruzeiro, Fluminense e Bahia.

A promoção do livro Time dos Sonhos continua
Pelé dormindo com os livros Time dos Sonhos
Com apenas 68 reais você recebe dois exemplares do livro Time dos Sonhos, a Bíblia do Santista, sem despesas de correio, com direito a dedicatórias em cada um deles (basta enviar e-mail para blogdoodir@blogdoodir.com.br e dizer para quem quer as dedicatórias) e ainda recebe, por e-mail, as versões eletrônicas dos livros Donos da Terra, Ser Santista e Pedrinho escolheu um time.
É só comprar um exemplar de Time dos Sonhos que envio o pacote todo para você. Já tem o livro? Então compre para os amigos. Uma obra com preciosas 535 páginas sobre a rica história do Santos é um presente para toda a vida, você sabe.
Clique aqui para comprar um exemplar do livro Time dos Sonhos e ganhar mais um, com dedicatórias exclusivas e mais as versões eletrônicas de Donos da Terra, Ser Santista e Pedrinho escolheu um time.Tudo por 68 reais, e ainda dá para parcelar!

Leia O barqueiro de Paraty, uma história de virtude e amizade que pode mudar sua vida. Mas se vida simples e os ensinamentos do filósofo Epiteto não lhe interessam, compre para sua mulher, mãe, ou filha, pois estou certo de que elas gostarão.

Na livraria deste blog a versão em papel de O barqueiro de Paraty está esgotada. Mas é possível adquiri-lo em Ebook, na Amazon, por apenas R$ 10,21 (abaixei um pouco mais o preço). Essa história, um tanto autobiográfica, é um ótimo presente para quem quer aprender mais sobre a essência da vida simples e a filosofia de Epiteto. No link abaixo é possível ler o primeiro capítulo. Experimente…
Clique aqui para entrar na Amazon, ler uma parte do livro “O barqueiro de Paraty” e, se gostar, adquiri-lo por apenas R$ 15,64.

Estou esperando sua sugestão Por um Santos melhor


Dentro ou fora do Alçapão


Mesmo com Rafael Longuine e Serginho desperdiçando cobranças de pênaltis, os reservas do Santos sobraram em Rio Branco e venceram com facilidade o Galvez por 3 a 0, gols de Longuine, Paulinho e Fernando Medeiros. Com o resultado, o Santos avança para as oitavas de final da Copa do Brasil. Há que se destacar a boa participação dos torcedores santistas do Acre, provando, mais uma vez, a universalidade da torcida santista.
Levando-se em conta que o sinal + quer dizer que o jogador foi bem, – que foi mal e = que ficou no meio termo, avalio os santistas da seguinte forma: Vladimir (=), Daniel Guedes (+), Valencia (=), Lucas Veríssimo (=), Luiz Felipe (=) e Caju (=); Leandrinho (=), Fernando Medeiros (+), Gregore (=), Rafael Longuine (+) e Serginho (-); Paulinho (+), Maxi Rolón (=) e Lucas Crispim (=). Técnico: Lucas Silvestre (=).


Reveja o golaço de Ricardo Oliveira e os melhores momentos da única vitória do Santos fora de casa no Campeonato Brasileiro do ano passado.

Anteontem o amigo Luiz Tomaz, notável comentarista deste blog, sugeriu que discutíssemos as causas dessa bipolaridade santista, mormente no Campeonato Brasileiro, no qual é um predador na Vila Belmiro e uma presa fácil fora dela. A dificuldade será tática, técnica, psicológica, física ou de caráter? Bem, o assunto está na roda, na qual deve entrar todo aquele que tem algo a dizer.

O tema é grave e causa espécie o fato de a direção de futebol do clube não buscar a ajuda de especialistas para decifrar o que passa no corpo e na mente de nossos heróis durante a relevante competição nacional. Os números são aterradores.

É hora de você comprar o seu Dossiê. E ganhar o Donos da Terra de presente (só por 20 reais e mais as despesas de correio)

dossie - livro

Em comemoração ao início do Campeonato Brasileiro, este blog lança agora a promoção do livro “Dossiê Unificação dos Títulos Brasileiros a partir de 1959”. A obra, de José Carlos Peres e Odir Cunha, com 323 páginas, resgatou os títulos brasileiros da era de ouro do nosso futebol (o reconhecimento da CBF está impresso no livro). Por apenas 20 reais, mais as despesas de correio, você adquire o Dossiê com dedicatória exclusiva e ainda ganha de presente um exemplar, em PDF, do livro “Donos da Terra”, com a história completa do primeiro título mundial do Santos.

Clique aqui para comprar o seu Dossiê.

No Campeonato Brasileiro do ano passado, por exemplo, das 19 partidas que realizou como visitante, o Santos perdeu 11, empatou sete e venceu apenas uma, sobre o Cruzeiro, graças a um chute excepcional de Ricardo Oliveira, de canhota e de fora da área, em partida na qual o time de Minas teve oportunidades para empatar e mesmo virar o resultado.

Ao final da competição, o Alvinegro Praiano, que fez fama mundial vencendo os mais terríveis rivais em suas casas, tinha conquistado apenas 18,75% dos pontos que disputou em campos adversários, retrospecto pior do que os rebaixados Avaí, Vasco e Goiás e só melhor que o lanterna Joinville.

Justiça seja feita, o problema não é recente e não deve ser creditado apenas a esses jogadores e a essa comissão técnica. Lembro-me que em 1996, convidado para um programa de tevê em Santos, irritei o zagueiro Ronaldão ao lhe perguntar por que em casa o Santos podia vencer qualquer oponente e, fora dela, podia perder para qualquer um. Na verdade, naqueles tempos já era difícil encontrar as respostas.

Creio que os recentes desempenhos dos underdogs Leicester, campeão da Inglaterra, e Audax, semi-campeão paulista, tragam de volta a esquecida e refrescante sensação de que não é só o dinheiro, a fama ou a quantidade de torcedores que faz um time ser vitorioso e exibir-se de cabeça erguida mesmo no campo de batalha inimigo. Resta-nos, humildemente, aprender com esses dois exemplos.

Sabe-se que ambos surpreenderam os favoritos, principalmente, por seu desempenho fora de casa. Quando se julgava que abdicariam do ataque e passariam o tempo a especular alguma fortuita jogada ofensiva, se atreveram a encurralar o opositor, com excelentes resultados. Para conseguir isso, obviamente mostraram qualidades. Quais seriam elas? Eu diria, resumidamente:

1 – Inovação Tática. Ao avançar, quando todos esperavam que recuasse, assumir a posse da bola, ao invés de desfazer-se dela e deixar a iniciativa para o adversário. Inverter os papeis, não se conformar de ser o pequeno, o coadjuvante da história.

2 – Técnica suficiente para fazer a tática funcionar. Sim, porque não adianta pensar nas táticas mais mirabolantes se não há jogadores com habilidade, com fundamento para cumpri-las. Não será qualquer cabeça-de-bagre que terá calma e controle para sair jogando desde a sua defesa, de passar e lançar com perfeição. Contar com essa técnica requer a astúcia de garimpar jogadores bons e baratos no mercado, já que estamos falando de times sem orçamentos competitivos. Para a montagem dessas equipes foi preciso contar com verdadeiros especialistas em futebol, capazes de contratar pelo mérito absoluto e não por indicação ou pela amizade com empresários.

3 – Condição física capaz de impor um ritmo forte aos jogos. Um time menos favorito não pode desprezar a expressão “vencer pelo cansaço”. O condicionamento físico já fez milagres pelo Santos e pela Seleção Brasileira. Hoje se percebe que o Alvinegro Praiano não consegue manter o mesmo ritmo durante todo o jogo. E nesse mesmo quesito entra a idade dos jogadores. Obviamente os mais jovens têm mais força, velocidade e energia. É preciso ter coragem para renovar e visão para perceber quando o grande ídolo está virando o fio.

Quando o futebol é um sonho
Pelé dormindo com os livros Time dos Sonhos
Clique aqui para saber como adquirir o livro Time dos Sonhos sem despesas de correio, com dedicatória exclusiva do autor e ainda ganhar o livro Donos da Terra em versão eletrônica por apenas apenas 68 reais, que podem ser parcelados.

4 – Confiança e desejo de vitória. Bem, este é o aspecto psicológico. Viu-se, ao final do jogo com o Santos, que alguns jogadores do Audax, de tão abatidos, choravam de tristeza. Poderiam estar contentes por, mesmo em um time menor, terem pressionado o Santos na Vila Belmiro. Mas queriam mais, queriam o título. Esse é o sentimento que os jogadores do Santos devem ter quando atuam fora de casa. As dimensões do campo continuam as mesmas e a torcida não participa do jogo. A questão é decidida em campo. Não há motivo real para se dedicar menos à partida, abrir mão da iniciativa, ou acreditar menos na vitória, só porque o jogo é fora de casa.

5 – Por fim, mais até do que a psicologia, há o caráter de cada jogador. Algo que se tem, ou não se tem. O jogador brasileiro de futebol sabe que, quando atua fora de casa, será menos cobrado em caso de derrota. Às vezes, nem cobrado será. Por isso, geralmente corre e se dedica menos ao time quando está longe de sua torcida. Esse comportamento desleixado tem cura? Não sei. Creio que dependa de uma boa liderança, algo que o Santos do técnico Lula e de jogadores como Zito e Mauro Ramos de Oliveira tinha. Caráter, no caso do atleta competitivo, é fazer questão de ganhar mesmo quando não é cobrado por isso. Na verdade, é ter um sistema de cobrança interno tão desenvolvido que independa das pressões externas.

O Leicester e o Audax – este em uma proporção bem menor, é verdade – conseguiram reunir, ao menos por uma temporada, essas condições mágicas que fazem os underdogs rosnarem na casa dos outros. Pena que seus times serão desmanchados pelos mais ricos e, ao que tudo indica, restará apenas a lembrança da efêmera ousadia.

Assim como o campeão inglês e o time de Osasco, um dia o Santos já foi a surpresa, o assombro que encantou a todos. E teve de repetir essa façanha dezenas, centenas de vezes, até conseguir um lugar entre os maiores do futebol. Agora, por ironia, parece destinado a buscar nesses times menores a inspiração para voltar a se impor em qualquer estádio, ou, como diz o seu hino, dentro ou fora do Alçapão.

Nesse sábado, às 18h30, em sua estréia no Campeonato Brasileiro, já terá um teste de ouro para checar seu status de bicampeão paulista em uma partida como visitante. Enfrentará o respeitabilíssimo Atlético Mineiro no Independência. O que veremos em campo com a camisa alvinegra praiana? O tigre que devora a todos na Vila Belmiro, ou o gatinho assustado que se inibe, se intimida ou se acomoda no campo do adversário?

Se eles conseguiram, você também pode
SonhosMaisQuePossiveis
O livro de bolso “Sonhos mais que possíveis” traz 60 histórias reais de superação física e psicológica de atletas olímpicos. Eu o recomendo para todo mundo que anda reclamando da vida, principalmente para os adolescentes.
Ele está sendo oferecido neste blog por apenas 6 reais, mas os custos de correio são maiores do que o preço do exemplar. Dessa forma, se você estiver interessado no livro, com dedicatória do autor, envie e-mail para blogdoodir@blogdoodir.com.br com o seu endereço e vamos estudar a maneira mais econômica de você ter em casa esse livro motivador que é “Sonhos mais que possíveis”.

E pra você: o que falta para o Santos jogar bem fora de casa?


© 2018 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑