Abaixe o som do vídeo com os quatro gols santistas, aumente o som da música de Tim Maia e curta essa vitória achocolatada sobre o Atlético Mineiro.

Em campo, como se esperava, o Santos foi bem – bem, não, excelente! – e goleou o Atlético Mineiro, segundo colocado no Campeonato Brasileiro, por 4 a 0, com dois gols de Gabriel, um de Ricardo Oliveira e um de Marquinhos Gabriel. O que deu tristeza foi olhar as arquibancadas vazias e imaginar que esse jogo poderia ter sido realizado no Pacaembu.

Com apenas 6.179 pagantes, o jogo só chegou a dois terços tanto do público de Joinville e Sport, que teve 9.512 pagantes; quanto de Figueirense e Avaí, que atraiu 9.618 torcedores. Se um clássico nacional, contra um dos melhores times brasileiros do momento, não consegue reunir mais do que seis mil santistas na Vila, e se a diretoria evita jogar no Pacaembu, por motivos políticos, então, apesar do bom rendimento em campo, o futuro do Santos é preocupante, não? Mas vamos falar de coisas alegres…

Contra o Atlético, o time todo teve um bom rendimento, principalmente do meio-campo para frente. Gabriel, Lucas Lima, Marquinhos Gabriel e Ricardo Oliveira foram os destaques, mas Thiago Maia, Renato, Victor Ferraz, Vanderlei e Zeca também foram eficientes. Só a dupla de zaga David Braz e Gustavo Henrique deu alguns calafrios, mas acabou saindo invicta do jogo.

Com 2 a 0 o jogo já estava ganho, pois o Santos tocava a bola e o Atlético, impotente, só corria atrás dela, sem criar nenhuma jogada de gol. Quando lembramos que o Santos também venceu o São Paulo com facilidade (3 a 0) e derrotou duas vezes o Corinthians, pela Copa do Brasil, é impossível deixar de imaginar que o time poderia estar brigando pelo título se a mudança de técnico tivesse sido feita antes.

De qualquer forma, matematicamente, nada está perdido. O problema do Santos tem sido mais psicológico do que técnico, ou tático. Se conseguir ser fora da Vila o mesmo leão que é quando joga lá, então poderá vencer novamente o Corinthians, domingo, às 11 horas, no Itaquerão, e aí sim entrar mesmo na briga por uma vaga no G4 e, quem sabe, por algo mais.

A única diferença entre o jogo de ontem e o de domingo, é que o próximo adversário, em casa, correrá e lutará mais, buscará mais o gol. Porém, se o Santos não se intimidar e jogar solto, mas focado, poderá, sim, conseguir outro grande resultado. Eu acredito.

Menos de 2.500 pessoas para ver Pelé no auge!
Imagine que um túnel do tempo lhe desse a oportunidade de voltar 54 anos atrás e assistir ao jogo Santos e Juventus, na noite de quarta-feira, 6 de setembro de 1961, na Vila Belmiro. No domingo, o Santos havia vencido o São Paulo, no Morumbi, por 6 a 3, com quatro gols de Pelé, e naquela quarta-feira Pelé jogaria novamente, formando um ataque com Tite, Mengálvio, Dorval, Ele e Pepe. Quanto a gente não daria para ver um jogo desses? Pois saiba que apenas 2.428 pagantes foram ao Urbano Caldeira naquela noite, em que o Santos goleou o Juventus por 10 a 1, com cinco gols de Pelé, quatro de Pepe e um de Dorval. Ou seja: assim como as goleadas, público pequeno é uma velha tradição da Vila Belmiro.

Santos 4 x 0 Atlético-MG
Vila Belmiro, 16/09/2015, 22 horas.
Público: 6.179 pagantes. Renda: R$ 235,610,00.
Santos: Vanderlei, Victor Ferraz, David Braz, Gustavo Henrique, Zé Carlos; Thiago Maia, Renato, Lucas Lima (Leandro), Marquinhos Gabriel, Gabriel Barbosa (Marquinhos); Ricardo Oliveira (Vitor Bueno). Técnico Dorival Júnior.
Atlético/MG: Victor, Patric, Leonardo Silva, Jemerson e Douglas Santos; Rafael Carioca, Dátalo, Giovanni Augusto (Dodô); Luan (Cárdenas), Carlos (Thiago Ribeiro) e Lucas Pratto. Técnico: Levir Culpi.
Gols: Gabriel aos 37 minutos do primeiro tempo: Gabriel aos 9, Ricardo Oliveira aos 25 e Marquinhos Gabriel aos 46 minutos do segundo tempo.
Arbitragem: Heber Roberto Lopes (SC), auxiliado por Kleber Lucio Gil (SC) e Fabricio Vilarinho da Silva (GO), todos da Fifa.
Cartões amarelos: David Braz (Santos); Giovanni Augusto (Atlético-MG).

Lucas Lima e Ricardo Oliveira na Seleção

Lucas Lima e Ricardo Oliveira
Eles merecem! (Foto: Ricardo Saibun/ Santos FC)

Creio que o nome de Lucas Lima está garantido na lista que o técnico Dunga divulgará nesta quinta-feira, para defender o Brasil nas Eliminatórias. Algo me diz que Ricardo Oliveira também poderá ser chamado. Mesmo não sendo um garoto, está muito bem fisicamente, sua técnica é perfeita, sua experiência conta muito e, como dizem, “futebol é o momento” e, no momento, o Brasil não tem um centroavante melhor do que ele.

E você, o que achou do Santos, dentro e fora do campo?