Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

Tag: Respeito

Que tal falar bem?

Sabendo-se que este blog anda muito crítico e que é muito fácil achar defeito nos outros, já que ninguém é perfeito, proponho um desafio: vamos procurar ressaltar as qualidades, ao invés de enaltecer os defeitos. Por exemplo: se Victor Ferraz é ruim, quem pode ser o titular da lateral-direita, e por quê?

Se o candidato X à presidência do Santos não presta, e nem o Y, então qual é o melhor, e por quê? Quais são suas qualidades morais, técnicas, profissionais? Sim , porque no nosso desafio não vale desancar todo mundo e não apontar o melhor, o mais indicado.

Fui criticado porque não quis entrar no coro dos que execravam Dorival Junior, porque, modéstia à parte mais experiente do que a maioria, sabia que do universo de técnicos brasileiros não havia muita coisa melhor. Está aí o cansado bonachão e piadista Levir Culpi que não me deixa mentir.

Mas dá para ser campeão da Libertadores mesmo assim? Sim, dá, porque o futebol sul-americano é o subúrbio do futebol mundial. Se o San Lorenzo e o Atlético Nacional foram campeões, qualquer clube um pouco acima do medíocre também pode.

Mas, voltando à proposta deste post, espero que meus colegas se concentrem em aspectos positivos das pessoas e sugiram ideias de coisas boas para o Santos. Criticar é muiiito fácil. Tenho percebido isso. Mas ainda sou dos que valorizam mais a construção do que a destruição. Vivemos em um país em que algumas pessoas acham que em uma frase conseguirão apagar o que outros fizeram em uma vida inteira. Em um primeiro momento parece que sim, mas na verdade isso é impossível.

Bem, voltemos ao desafio: tente escrever coisas positivas sobre os jogadores do Santos, o técnico, o presidente, os candidatos à presidência. Aproveite para fazer a campanha de seu candidato favorito. Tente reprimir seu impulso para a fofoca e a maledicência. A propósito, o contrário de maleficência é respeito, uma qualidade que, ao menos de vez em quando, todos deveriam experimentar.

Inscrições abertas para o II Curso de Especialização Técnica e Ética do Novo Jornalismo Esportivo

Sou do tempo em que jornalistas precisavam ter o diploma universitário para exercer a profissão. Hoje parece que ele não é obrigatório. Porém, continua sendo obrigatório escrever bem, conhecer a técnica e a ética da profissão. Idealizei esse curso pensando em profissionais, estudantes e interessados. O primeiro, em julho, foi um sucesso. Estou esperando a turma de setembro. Lembro que as inscrições se encerrram dia 4, próxima segunda-feira. Abaixo, o programa e informações para as inscrições.

Temas do Curso

Pirâmide Invertida X Novo Jornalismo

As maneiras tradicional e criativa de se escrever uma reportagem

As regras para uma boa entrevista

Da preparação à técnica de colher informações e escrever

As dez qualidades do bom jornalista

Extraídas do livro “Lições de Jornalismo”.

Como escrever para

Jornal – Revista – Rádio – TV – Blog

Mídia Social e Assessoria de Imprensa

Escrever um livro

Como pesquisar, escrever e publicar

Os limites da polêmica

Como evitar os crimes de opinião:

Difamação, Injúria e Calúnia

Princípios do bom texto

Clareza

Objetividade e ordem direta

Escolha das palavras simples e concretas

Uma ideia por parágrafo

Precisão. Sem ela não há credibilidade.

Isenção. A necessidade de ser neutro.

Empatia. O melhor repórter se apaixona pela matéria.

A importância de reler o texto

Criatividade e os caminhos que levam a ela

Comportamento do repórter

Humildade e Respeito. Qualidades essenciais.

Ousadia e Iniciativa. Quando elas são obrigatórias.

Descrição das funções Jornalísticas

Repórter – Copidesque – Chefe de Reportagem

Revisor – Editor – Editor-chefe

Como fazer

Títulos – Subtítulos – Olhos – Intertítulos – Legendas

Lições na classe e em casa

Matérias sobre eventos escolhidos

Trabalho Final

Certificado de Conclusão com o número de horas/aula

Curso de Especialização Técnica e Ética do Novo Jornalismo Esportivo

Carga horária: 16 horas

Datas e horários: dias 5, 6, 12, 14, 19, 21, 26 e 28 de setembro, das 19h30 às 21h30.

Local: Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo (ACEESP).

Endereço: Av. Paulista, 807, 9º andar, conjunto 904, São Paulo. Fones: (11) 3251-2420 e 3289-8409.

Investimento: R$ 300,00 (trezentos reais – 50% na matricula, 50% até o dia 15 de setembro.)

Sócios da ACEESP em dia com a anuidade não pagam.

Informações e inscrição até 4 de setembro pelo e-mail blogdoodir@blogdoodir.com.br

Ministrado por Odir Cunha, jornalista profissional há 40 anos – Jornal da Tarde, O Globo, rádios Globo, Excelsior e Record, TV Record, editor de nove revistas esportivas, diretor de comunicação da Secretaria Municipal de Esportes de São Paulo, diretor da Ampla Comunicação, editor das editoras de livros Novo Conceito e Magma Cultural, dono do Blog do Odir, autor de 27 livros, biógrafo de Oscar Schmidt, Pelé e Gustavo Kuerten, ganhador de dois prêmios Esso e três prêmios da Associação Paulista dos Críticos de Arte.


Não vejo nenhum paulista na minha frente!

O elenco e o técnico não são unanimidades entre os santistas. Faltam jogadores e Claudinei Oliveira ainda não agrada a muitos. Mas a verdade é que o Santos, com um jogo a menos, é o melhor dos times paulistas no Campeonato Brasileiro. Você acha que é o menos ruim? Que seja. O certo é que quem apostava que o time seria rebaixado, caiu do cavalo. Se jogar tudo o que pode, o Alvinegro Praiano terá boas chances de conquistar uma vaga para a Libertadores. Pra começar o Santos deve olhar para a frente e nunca para trás.

Veja os melhores momentos de Santos 2 x 1 Criciúma:
http://youtu.be/kNWvo_xv5r4

SANTOS 2 X 1 CRICIÚMA
Vila Belmiro
Árbitragem: Arilson Bispo da Anunciação (BA), auxiliado por Janette Mara Arcanjo (MG) e Valdebranio da Silva (RO).
Público: 5.147 pagantes. Renda: R$ 126.376,00
Cartões amarelos: Montillo e Arouca (Santos); João Vitor, Elton e Henik (Criciúma)
Gols: Thiago Ribeiro aos 20 e Willian José aos 41 minutos do primeiro tempo. Tony aos 34 minutos do segundo.
Santos: Aranha, Cicinho, Edu Dracena, Gustavo Henrique e Mena; Renê Júnior, Arouca, Leandrinho (Renato Abreu) e Montillo (Pedro Castro); Thiago Ribeiro e Willian José (Giva). Técnico: Claudinei Oliveira.
Criciúma: Helton Leite, Matheus Ferraz (Henik), Leonardo e Fábio Ferreira; Tony, Elton (André Gava), João Vitor, Daniel Carvalho (Fabinho) e Diego Hoffmann; Lins e Wellington Paulista
Técnico: Sílvio Criciúma

gabigol
Gabriel precisa do carinho da torcida para mostrar o que sabe (Ricardo Saibun/ Divulgação Santos FC)

Há jogos que têm tudo para marcar uma arrancada no campeonato. Este que o Santos faz contra o Criciúma, neste domingo, às 18h30, na Vila Belmiro, é um deles. O Alvinegro Praiano tem jogado bem e desta vez atua em casa, diante de uma torcida que começou a comparecer – e a entender o momento do time – diante de um adversário desfalcado e combalido. Tudo nos leva a prever uma vitória santista, mas o oponente merece respeito.

A confiança na vitória do Santos vem da análise dos rendimentos dos dois times, das circunstâncias da partida e dos elencos. Concordo com quem insiste que o Santos não é nenhuma maravilha, mas ao mesmo tempo lembro que não há nenhum time maravilhoso neste Campeonato Brasileiro e que por mais jogadores medianos e inexperientes que tenha, o Alvinegro Praiano ainda possui uma equipe visivelmente mais qualificada do que outras, entre elas o adversário deste fim de semana.

Mesmo sem Alison e Cícero, suspensos, o time que Claudinei Oliveira pode levar a campo tem uma boa defesa, formada por Aranha, Cicinho, Edu Dracena, Gustavo Henrique e Eugenio Mena; um meio-campo que não tem criado muito, mas dificulta demais as ações do adversário, que terá Renê Junior (ou Renato Abreu, ou Leandrinho), Arouca e Montillo; e um ataque que cria boas oportunidades de gol, formado por Thiago Ribeiro, Gabriel e Willian José.

Uma outra opção tática seria jogar só com dois atacantes, com Arouca, Renato Abreu, Montillo e Leandrinho no meio, porém com liberdade para Leandrinho se aproximar do ataque, que teria Thiago Ribeiro e Gabriel (ou Willian José).

Considero a possibilidade de substituir o garoto Gabriel nesta segunda opção porque a torcida tem pegado muito no seu pé e ele realmente não tem jogado bem. Se começar a ser vaiado, sumirá de campo. Aliás, acho que nessa posição ocupada por Gabriel poderá haver um revezamento entre ele, Neilton e Victor Andrade. Manter sempre um garoto – rápido e atrevido – no ataque é muito bom e embanana a defesa adversária. Quem tiver melhor dos três, joga.

A vitória nesse domingo tem tudo para ser sucedida por outra vitória no meio da semana, frente ao já desanimado Náutico. Estes seis pontos colocariam o Santos na briga direta por uma vaga para a Copa Libertadores de 2014. Mas não se ganha seis pontos de uma vez só. É preciso jogar cada partida com fé, atenção e determinação.

O que esperar do Criciúma?

Todo adversário merece respeito? Teoricamente, sim. Mas se um time favorito respeita demais o outro, e não o ataca e pressiona como deve, esse outro começa a ganhar confiança (ou “gostar do jogo”, como dizem os comentaristas da tevê), e ao se sentir à vontade pode alcançar o gol e tornar a partida dramática. As grandes zebras ocorrem assim, ou por falta de respeito, ou por respeito demais.

Mas é claro que o Criciúma merece cautela. Trata-se de uma equipe que já viveu lampejos vitoriosos neste Brasileiro. Relembre, amigo e amiga, que de 24 de agosto a 5 de setembro o Criciúma, dirigido pelo técnico interino Silvio Criciúma, em quatro jogos venceu três e empatou um: derrotou Vitória (1 a 0) e São Paulo (2 a 1) fora de casa, venceu o Coritiba (2 a 1) em Criciúma e empatou com a Ponte Preta, em Campinas, por 0 a 0. Portanto, já mostrou que merece cuidados.

No momento, porém, o desespero bate à porta do Criciúma. O time não vence há quatro jogos e vem muito desfalcado para a Vila Belmiro. Os laterais Sueliton e Marlon, machucados, não jogam. O reserva de Marlon, Gilson, também está com problemas físicos. Por isso, o lateral-esquerdo do time catarinense deverá ser o garoto Diego Hoffmann, que veio das categorias de base. Nem é preciso dizer que Cicinho, Gabriel e/ou Thiago Ribeiro têm de forçar a barra por ali.

O volante Serginho e o atacante Cassiano, ambos contundidos, também não devem entrar em campo. Outros prováveis desfalques são os ex-santistas Éwerton Páscoa, que deverá ser substituído por Fábio Ferreira, e o centroavante Marcel, cujo lugar deverá ser ocupado por nosso conhecido Wellington Paulista. Outra substituição provável é a de Morais por Daniel Carvalho.

À espera de erros de passes do Santos, ou do aproveitamento de alguma bola parada, o Criciúma, com três zagueiros, provavelmente jogará com Helton Leite, Matheus Ferraz, Fábio Ferreira e Leonardo; Tony, Elton, João Vitor, Daniel Carvalho e Diego Hoffmann; Lins e Wellington Paulista.

A arbitragem será de Arilson Bispo da Anunciação (BA), auxiliado por Janette Mara Arcanjo (MG) e Valdebranio da Silva (RO). Confesso que não tenho maiores referências sobre esse trio. Desejo-lhes boa sorte, apenas.

Enfim, será um confronto que exigirá determinação e fome de gol dos santistas, mas ao mesmo tempo implicará algum cuidado, pois o adversário já conseguiu bons resultados fora de casa. Qual a melhor maneira de encarar uma partida assim? Pode parecer uma resposta comum, mas o ideal é entrar em campo como se fosse para uma decisão mesmo. Se render o máximo que pode, ou ao menos 80% de seu potencial, o Santos vence por uma diferença de dois gols, devolve os 3 a 1 que sofreu no primeiro turno e segue adiante em busca de uma honrosa classificação para a Libertadores.

Aprecie este Santos moleque de 2003, na mesma Vila Belmiro, marcando cinco gols no Criciúma em apenas 23 minutos de jogo:

E você, o que espera do Santos diante do Criciúma?


© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑