Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

film izle

Tag: Romarinho

Bill não!!!


Bill, de terceiro reserva do Corinthians a “reforço” do Santos.

Sabe quando você não quer acreditar? Achei que era boato, que não se concretizaria. Porém, resolvi pesquisar melhor. Não é que o Bill, terceiro reserva do alvinegro da capital, é mesmo dado como novo “reforço” do Santos para o Campeonato Brasileiro?! Não sei, mas acho que a diretoria do Santos está querendo brincar com o torcedor. Será que eles acham que estão administrando uma companhia de balé, uma orquesta ou um circo, cujas contratações não dependem da opinião do público?

Por que acreditar que um jogador de terceira categoria, que não ser viu para o rival, servirá para o Santos? Se o torcedor já estava de saco cheio do Rentería e não via a hora de ele se mandar, como explicar a contratação de Bill para o lugar do colombiano?

E o pior é que o presidente do Bragantino, Marcos Chedid, dava ao Santos a prioridade na contratação de Romarinho, por 600 mil reais. Mas a diretoria do Santos preferiu o Bill, do mesmo Bragantino.

Leio que o diretor Nei Pandolfo, o presidente Luis Álvaro e o vice Odilio Rodrugues anunciaram as negociações com o Bill como se o Santos estivesse trazendo o Fred ou o Luís Fabiano. Bill é o ó doborogodó. É uma contratação errada, que já vem com rejeição total da torcida. É outro Marcel ou Rentería. Dinheiro jogado fora. Mais um péssimo negócio de um time que agora tem 37 jogadores no elenco.

O maior problema que vejo no caso é não ouvir a voz que vem das arquibancadas, não consultar o coração do torcedor. E o santista não queria e não quer o Bill. Lembro-me que nos tempos do site Santista Roxo, da Resgate, uma contratação foi abortada depois que o Arnaldo Hase descobriu que o jogador tinha antecedentes criminais. A crítica de um site de oposição foi ouvida e o negócio não se concretizou.

O Bill me parece um bom moço. Até tem cara de padre. Mas jogar bola, meu nego, não joga. Faz um golzinho de vez em quando, e olhe lá. É um Totonho piorado, para quem pegou aqueles tempos difíceis…

Por que, cargas d´água, essa diretoria não tem a humildade de ouvir o torcedor? Trazer o Bill é pedir para sofrer, é ouvir e ler críticas o tempo todo, é se desgastar inutilmente.

Deixo aqui um sincero pedido aos mandatários santistas: voltem atrás no negócio e devolvam o Bill. O desgaste dessa contratação será sentido por muito tempo. A cada gol do Romarinho e a cada canelada do Bill – se é que ele vai jogar -, os torcedores se lembrarão do grande negócio que vocês fizeram. Quem avisa, amigo é…

E você, o que achou da contratação do Bill?


Coisas que eu nunca tinha visto no futebol

Nunca tinha visto – ou ouvido – a cidade de São Paulo comemorar tanto um gol de time argentino. Nunca imaginei que o Boca Juniors pudesse ser tão amado pelos brasileiros.

No lance do gol do Boca, o zagueiro Chicão impede que a bola entre tocando-a propositalmente com a mão. É caso claríssimo de expulsão. Nunca tinha visto um lance assim em que o jogador não tivesse sido expulso – o que faria Chicão desfalcar o alvinegro da capital no jogo do Pacaembu.

Sempre muito ajudado quando joga em La Bombonera, nunca tinha visto o Boca ser prejudicado pela arbitragem em seu próprio campo. Além de fazer vistas grossas à expulsão de Chicão, foi marcado impedimento em um lance em que o próprio zagueiro corintiano cabeceou a bola para um atacante do Boca; não se interrompeu a partida quando torcedores do Corinthians jogaram sinalizadores na direção do goleiro do Boca, permitiu-se a cera do goleiro Cássio a outras coisinhas.

Nunca tinha visto o sempre ponderado Riquelme reclamar tanto da arbitragem. No caso, a do chileno Enrique Osses. Disse o ídolo do Boca: “O árbitro se comportou como um idiota. Nunca me queixo dos árbitros, mas desta vez não teve como. Espero que ele nunca mais apite nossos jogos. Ele já tinha tornado a nossa vida impossível no Rio de Janeiro (no empate por 1 a 1 com o Fluminense, no retorno pelas oitavas de final da Libertadores). A Copa também se ganha com os árbitros. Eles (Corinthians) foram inteligentes. Colocaram um árbitro que os ajudou”.

Nunca tinha visto uma emissora de tevê puxar tanto o saco de um time, como a Fox fez com o alvinegro paulistano. Nem a TV Corinthians seria tão parcial.

Também nunca tinha visto um jogador estreante entrar com tanta tranqüilidade e ser tão afortunado em um jogo de Libertadores como Romarinho. Em pensar que, como Sócrates, é mais um santista de nascimento e coração que tem tudo para brilhar no alvinegro paulistano. Só pelas atuações contra Palmeiras e Boca Juniors o rapaz já pagou os 600 mil reais que custou o seu passe.

Nunca tinha visto um time brasileiro armar uma retranca tão eficiente. Lembrou-me quando a gente jogava pelada na rua com um golzinho sem goleiro. Quando um jogador ficava em cima da linha, era quase impossível marcar. Tite armou um esquema parecido.

Apesar de todo o esquema extra-campo planejado para trazer o título para o Corinthians, a verdade é que eu nunca tinha visto esse time jogar tão tranqüilo em jogos decisivos da Libertadores. Estou com um forte pressentimento de que na próxima quarta-feira nós veremos algo que nunca tínhamos visto, que é o alvinegro da capital perder a sua centenária virgindade. Já estava na hora.

Ainda não cataloguei todas opiniões sobre quem deve ficar ou sair do Santos, mas prometo que na segunda-feira publicarei texto sobre o assunto.

E o que você tem visto no futebol que nunca viu antes?


© 2018 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑