Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

film izle

Tag: São Paulo Futebol Clube

Nosso superclássico é contra o Criciúma, neste domingo, às 18h30

enderson moreira
Enderson Moreira com três de suas apostas: Lucas Lima, Patito e Caju. Santos faz a melhor campanha no segundo turno, mas terá jogo dificílimo neste domingo, em Criciúma (Foto: Ricardo Saibun).

Robinho ia tocar pela primeira vez na bola quando o complicado árbitro chinês Fan Qi (em chinês, “Fan Chi) apitou o final do jogo. Levar o grande atacante do Santos, e uma das raras atrações do Campeonato Brasileiro, para assistir, do banco de reservas, esse tal de Superclássico das Américas, foi sacanagem. Mas há muito a CBF está totalmente dissociada dos clubes brasileiros. Ela usa os melhores jogadores que os clubes conseguem contratar, ou revelar, e se nega a pagar seus salários enquanto estes servem a Seleção.

Se, não só no caso de Robinho, mas também no de Kaká, fossem jogadores jovens, cujos passes pertencessem aos clubes, ainda se poderia entender. Estariam sendo testados para a próxima Copa e ainda valorizados com a convocação para a Seleção Brasileira. Mas os passes de Robinho e Kaká não pertencem a Santos e São Paulo, que os emprestaram por apenas seis meses. A cada viagem destas com a Seleção, os dois clubes têm grande prejuízo.

Em campo, um desafio que mais pareceu jogo de casados e solteiros. Mas o Brasil ganhou e Diego Tardelli fez os dois gols. Enfim, a Seleção tem um centroavante que não mata de canela. Messi não conseguiu marcar nem no pênalti inventado pelo árbitro chinês. Neymar só fez firula. Se a convocação de Robinho fosse para valer, ele deveria ter voltado para o segundo tempo no lugar do filho do pai.

Superclássico mesmo estava sendo jogado também na China, mas em Xangai, e transmitido pelo outro canal do Sportv, em que o melhor narrador da casa, Eusébio da Silva Resende – nome em homenagem ao Eusébio, craque de Portugal – descrevia, ponto a ponto, o duelo em que o suíço Roger Federer quebrou a invencibilidade do sérvio Novak Djokovic na China, que vinha desde 2010. 6/4 e 6/4, com direito a matar o jogo com um voleio. Agora Federer decide o título do Masters 1000 de Xangai com o francês Giles Simon, que na outra semi derrotou o espanhol Feliciano Lopez.

Superclássico em Criciúma

Para o santista, superclássico de verdade – ao menos em emoção – será o deste domingo, às 18h30m, contra o Criciúma, no estádio Heriberto Hülse, certamente lotado para este jogo decisivo para o futuro dos dois times no campeonato. A campanha do Santos é bem melhor e o time parece ter entrado em uma fase muito boa, mas não podemos nos iludir. Será um confronto disputado em clima nervoso, com muita correria, e se entrar com o pé mole o Santos pode ter a mesma sorte do Atlético Mineiro, derrotado na semana passada, em Criciúma, por 3 a 1.

Pela tabela, o favoritismo do Santos parece ampla, já que é o sétimo colocado, com 42 pontos e duas vitórias, contra a penúltima posição do adversário, que tem 27 pontos ganhos e apenas seis vitórias, mas é aquele tipo de jogo que se o Santos entrar desconcentrado, quando acordar, será tarde.

Sem Robinho, que está viajando com a turma do Dunga pela Ásia, o Santos deverá manter o mesmo time que vem atuando. O técnico Enderson Moeira deve escalar novamente Caju, Patito, Geuvânio e Leandro Damião entre os titulares. O garoto Gabriel, de quem esperamos tanto, precisa se orientar melhor. No último jogo entrou muito mal.

O Criciúma, também chamado de Tigre, ou Carvoeiro, deve ser escalado pelo técnico Gilmar Dal Pozzo com Bruno, Eduardo, Ronaldo Alves, Joílson e Giovanni; Rodrigo Souza, João Vitor e o nosso conhecido Cléber Santana; Lucca, Bruno Lopes e Souza.

Santos terá uniforme em homenagem ao Dia Das Crianças

Notícia do site do Santos: Para comemorar o Dia das Crianças, o Santos FC entrará em campo neste domingo, contra o Criciúma, vestindo um uniforme um pouco diferente do tradicional. A mudança estará nos números, desenhados por atletas mirins da equipe de futsal do Peixe, e estampados na cor azul, do Unicef. A ideia, criada pelos departamentos de Marketing e Comunicação do Peixe, é estimular os torcedores a se tornarem doadores do órgão da ONU, contribuindo para o desenvolvimento de milhares de crianças nos mais de 190 países em que o Unicef está presente, como Brasil, Etiópia e Síria.

Acho legal ajudar, de vez em quando, essas entidades. Eu mesmo dou uma forcinha à Abrinq aqui no blog. No entanto, o marketing do clube deveria estar mais empenhado em criar ideias para atrair patrocinadores que podem ajudar o Santos a pagar suas dívidas.

Enderson não tem medo do Pacaembu

Gostei muito de saber que Enderson Moreira não tem qualquer complexo de jogar no Pacaembu, que ele considera também uma casa do Santos. É bom ouvir uma declaração racional sobre o assunto. Se o gramado é bom, quase toda a torcida é do Santos e se o clube já ganhou tantos títulos jogando lá, por que haveria algum problema de o Santos jogar no Pacaembu? Mais um ponto a favor de Enderson em comparação ao seu comodista antecessor.

Hoje tem festança lá na quadra da Torcida Jovem

Hoje a Torcida Jovem, que acompanhei desde seu nascimento, completa 45 anos. Para comemorar, haverá uma festa de arromba lá na quadra da Jovem. Segue o convite para todos os interessados:

O Grêmio Recreativo Cultural Torcida Jovem do Santos vem através deste convidar vossa senhoria e família para juntos comemorarmos o nosso aniversário de 45 anos que será realizado no dia 11/10/2014, a partir das 22 horas em nossa sede, à rua Doutor Luiz Carlos, 03, São Paulo/SP, pois para nós será um momento precioso.

Para abrilhantar ainda mais a nossa festa, convidamos Emicida, Art Popular, Mc Frank, Mc Bó, DJ Luisinho, com participação especial da Ala Musical e Bateria Nota 10 da Escola de Samba Torcida Jovem.

No primeiro turno Santos x Criciúma foi assim:

E você, o que espera de Criciúma e Santos, neste domingo?


Um Sansão de muitos desafios


Marcos Assunção treinou com bola na sexta-feira e pode ser a surpresa para o clássico. Seria genial ver um duelo dele com Rogério Ceni (Foto: Ricardo Saibun/ Divulgação Santos FC).

Alguém duvida de que o clássico de hoje, na Vila Belmiro, às 17 horas, entre Santos e São Paulo, marcará o maior ibope do futebol em 2013? E será o maior porque não é um time ou outro que garante a audiência, mas a qualidade do espetáculo, e hoje ele tem tudo para ser dos melhores, principalmente porque decidirá o líder do Campeonato Paulista e depois porque marcará o primeiro duelo entre Paul McCartney e John Lennon, ou melhor, entre Neymar e Paulo Henrique Ganso.

Um dia escrevi que juntos seriam mais fortes. Mas Ganso foi embora, por dinheiro e fama, e hoje parece um peixe fora d’água. Não creio que um dia voltará a jogar como no primeiro semestre de 2010. Por outro lado, Neymar, afogado por compromissos publicitários com tantos patrocinadores, também vive um período de estafa que está freando suas arrancadas e atrapalhando seu futebol. Espero que jogue mais pelo time, hoje, que não se esqueça de que há outros bons jogadores ao seu lado, de que não é preciso resolver tudo sozinho.

Há quem aposte que o confronto mais esperado será o de Montillo x Ganso, pois o meia argentino veio para substituir o ex-maestro e nada melhor do que uma partida que põe os dois de lados opostos para se avaliar quem é o melhor, ou quem está melhor.

Na verdade, para mim, o maior duelo de hoje reunirá Cícero e Ganso, já que ambos foram, digamos, trocados entre os clubes. Tudo bem que um era reserva do Tricolor e o outro considerado um dos titulares absolutos do Santos, mas em campo a situação tem se invertido. Enquanto Cícero tem se destacado, com atuações polivalentes que incluem aplicação na defesa e versatilidade no ataque, Ganso tem se arrastado em campo. Algo me diz que esse panorama se repetirá hoje.

Outro desafio que gostaria de ver reuniria Marcos Assunção e Rogério Ceni, para mim os melhores cobradores de falta do País. Mas, em princípio, Assunção não está escalado. Talvez entre apenas no decorrer da partida.

Só espero que desta vez o técnico Muricy Ramalho se renda às expectativas e escale Miralles desde o começo. Quantos jogos mais o gringo terá de ficar no banco e entrar arrebentando para o técnico se convencer de que ele merece ser o titular do Alvinegro Praiano?

É importante que os fazedores de gols do Santos se saiam bem, pois do outro lado haverá Luis Fabiano, um artilheiro que sempre requer cuidados. Aliás, o time todo do São Paulo é bem harmônico, rápido e insinuante. O clássico de hoje reunirá as duas melhores equipes do Campeonato Paulista e por isso, repito, será acompanhado por todos que amam o futebol. Tenho certeza absoluta de que a TV Globo perceberá hoje há muita vida no futebol mesmo sem os seus dois protegidos.

Jogo difícil, disputado, mas com favoritismo do Santos

Ainda há posições em disputa no Santos. O garoto Jubal foi muito bem na última partida, mas hoje, por ser uma partida de maior responsabilidade, acho que Muricy escalará Neto, se este já estiver recuperado.

As laterais ainda são um problema para o Alvinegro Praiano, principalmente na esquerda, com Guilherme Santos. Se nenhum volante fizer a cobertura por ali, o São Paulo já começará o jogo com o mapa da mina na mão.

O São Paulo virá com uma formação mais ofensiva – três no meio-campo e três atacantes –, o que deverá pressionar a defesa santista, mas com quatro no meio (René Junior, Arouca, Cícero e Montillo), ceio que os santistas dominarão o setor.

Neymar e Miralles, ou Neymar e André, com o apoio de Montillo, creio ser um ataque tão bom ou melhor do que Jadson (ou Douglas), Osvaldo e Luís Fabiano, mas isso dependerá muito das circunstâncias do jogo. Quem marcar primeiro terá a oportunidade dos contra-ataques e isso, em um jogo parelho, pode ser decisivo.

A Vila Belmiro estará lotada e isso não deixa de ser um trunfo importante. Quanto à arbitragem, será de Flávio Rodrigues Guerra, auxiliado por
Herman Brumel Vani e Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo.

O que vejo nos meus sonhos mais inflamados é o Santos indo pra cima, marcando gols e deixando o adversário aturdido. Vejo Montillo desencantando, Cícero fazendo o seu e o centroavante – Miralles ou André – também balançado o barbante do adversário.Três gols? Sim, vejo essa quantidade. E olhe que nem pensei em Neymar, que talvez hoje perceba que se jogar mais para o time pode permitir a seus companheiros o espaço que os são-paulinos quererão lhe tomar.

Reveja o maior Sansão dos últimos 11 anos jogado na Vila:

E você, o que espera de Santos e São Paulo, neste domingo?


Ganso, Fundo, Sport e 50 anos do título histórico na Libertadores

Como já escrevi antes na minha coluna do jornal Metro de Santos, o melhor que a diretoria do Alvinegro Praiano faz é não colocar empecilhos para que o Ganso possa bater as asas. Desde que um clube brasileiro pague a multa, claro. E fiquei sabendo que não é só o São Paulo que está interessado no grande meia santista. Ganso pode até ir para outro grande brasileiro que não é paulista. O telefone de Luis Álvaro não para de tocar…

Também como já escrevi, acho que Ganso e Neymar se afinaram tão bem que nunca deveriam se separar. Porém, enquanto o Menino de Ouro é feliz da vida e muito bem orientado pelo pai, Ganso seguiu os maus conselhos de seus mentores da Dis. E, como diz minha sábia mãe, “quando a cabeça não pensa, o corpo padece”.

É um craque, muito jovem ainda, e saberá superar esse momento difícil de sua carreira e ainda colocar muitos atacantes na cara do gol. Seremos eternamente gratos pelo que já fez pelo Santos, assim como esperamos que ele saiba mostrar gratidão – o que parece não ser o seu forte – pelo time que lhe permitiu ser alguém no futebol e na vida.

Prós e contras do Fundo que vem por aí

Esta semana, talvez para amenizar a crise que começou a se instalar com a derrota vexatória para o Bahia na Vila Belmiro, a diretoria do Santos anunciou que o fundo para contratar jogadores, prometido há quase três anos, finalmente sairá do papel. Num primeiro momento isso parece ótimo. Mas na verdade esse fundo é uma moeda de duas faces.

Antes, presidentes ricos colocavam dinheiro no Santos e depois o recebiam de volta. Milton Teixeira e seu filho, Marcelo, cansaram de fazer isso e conseguiram montar alguns grandes times, como o Santos de 1983/84 e a partir de 2001. Os Teixeira afirmam que perdoaram parte da dívida ou receberam juros bem menores do que um banco cobraria.

Agora, um grupo de investidores colocará dinheiro no clube e, é claro, quererá recebê-lo de volta com algum lucro. Investidores estão longe de ser padres franciscanos. As duas questões que deverão ser esclarecidas são:

1 – Quais serão os juros a serem pagos pelo Santos e o prazo de pagamento?

2 – Quem decidirá quais jogadores serão contratados? Se for para trazer apostas desesperadas como Bill, sinto que, só para usar mais um ditado popular, o tiro poderá sair pela culatra.

50 anos do primeiro título da Libertadores


Imagens de uma conquista histórica do futebol brasileiro

Na quinta-feira, 30 de agosto, completaram-se 50 anos do primeiro título do Santos na Copa Libertadores. Tratou-se da conquista mais importante de um time brasileiro até aquele momento, pois até ali não eram disputadas competições oficiais para definir o campeão sul-americano. E o Santos enfrentou nada menos do que o bicampeão do continente e campeão mundial: o clássico e aguerrido Penãrol, do Uruguai.

O futebol brasileiro e sul-americano vivia seu período áureo. Naquele mesmo ano a Seleção Brasileira tinha conquistado o bicampeonato mundial, no Chile. Nas disputas intercontinentais entre os clubes campeões da América do Sul e da Europa, o domínio era sul-americano (nos dez anos iniciais de decisões do Mundial Interclubes, de 1960 a 1969, os times do continentes somaram seis títulos, contra quatro dos europeu).

Algo impensável hoje, foi comum, até pouco mais da metade da década de 1960, assistir aos grandes europeus excursionando pela América do Sul. Aqui estava o melhor futebol, os craques, a referência técnica do esporte no planeta. Como o valor de cada conquista não pode ser avaliada apenas pela frieza burra dos números, mas sim pela época em que está inserida e pelo nível dos contendores, pode-se afirmar que aquela conquista do Santos, que seria sacramentada logo depois com o primeiro título Mundial de um time brasileiro, colocou o nosso futebol em um patamar que jamais foi alcançado novamente.

O amigo e colaborador deste blog, Wesley Miranda, produziu um vídeo sobre o primeiro este título histórico do Santos e me enviou em tempo hábil para que fosse postado na quinta-feira, dia do cinqüentenário da conquista. Porém, o blog fervia com as discussões após a derrota para o Bahia e resolvei deixar o vídeo para este sábado, um dia mais light por aqui. Divirta-se:

E amanhã, o que esperar do time contra o Sport?

Os chineses já dizem que crise é sinônimo de oportunidade. Acho que o técnico Muricy Ramalho deveria usar um pouquinho de seu salário para fazer um cursinho que ao menos mude o seu discurso. “É difícil… não é fácil… sem o Neymar e o Arouca não dá… sem o Ganso não dá…”. Isso já encheu o torcedor. Trabalha, pô!

Sem o Ganso escale o Felipe Anderson, que apesar de inexperiente ao menos mostra mais vontade e não foge das divididas. Se o Patito não estiver bem, coloque o Victor Andrade. Se os garotos seguraram as pontas nas horas difíceis, por que não podem voltar ao time agora? Será que jogando ao lado de Neymar não renderão muito mais?

Bem, e você, o que acha destes assuntos do sábado?


© 2018 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑