Diversos Livros em Promoção na Livraria do Odir

Santos está pior e mais caro do que em 2013

Amigos, não acho que o Santos jogou tão mal, mas também não jogou bem contra o Botafogo e mereceu perder por 1 a 0. Porém, deixo a vocês a análise dos jogadores e da partida. É algo tão repetitivo, que nem dá vontade de falar de novo. A verdade é que o Santos perdeu mais uma fora de casa e neste Brasileiro já não vence um jogo no campo do adversário desde a oitava rodada, quando ganhou do Bahia por 2 a 0.

De lá para cá foram cinco jogos fora e cinco derrotas: Fluminense (0 a 1), Internacional (0 a 1), Cruzeiro (0 a 3), São Paulo (1 a 2) e, hoje, Botafogo (0 a 1). Nem ao menos um empatezinho. Assim fica difícil sequer pensar em disputar uma vaga para a Copa Libertadores. Nesse ínterim ainda perdeu mais uma, em casa, para o Corinthians (0 a 1).

O que mais preocupa nisso tudo nem é o retrospecto, pois um time medíocre e barato, pode, sim, ter uma campanha medíocre. Mas o Santos deste ano é uma equipe medíocre bem mais cara do que no Brasileiro do ano passado.

Em 2013 o técnico era o barato Claudinei Oliveira e não havia Cicinho, Leandro Damião e Robinho. A equipe, cuja base era Aranha; Rafael Galhardo (ou Bruno Peres), Gustavo Henrique, Durval e Mena; Alison, Arouca, Cícero e Montillo; Gabriel (ou Everton Costa) e Thiago Ribeiro terminou o primeiro turno em sétimo lugar, com 29 pontos, sete vitórias, oito empates e quatro derrotas.

Em 2014 o Santos está em décimo, com 23 pontos, seis vitórias, cinco empates e sete derrotas. Ou seja, mesmo que vença o Vitória, no próximo sábado, às 18 horas, no Pacaembu, na última rodada do turno, ainda assim terminará com três pontos a menos do que em 2013.

Agora vêm essa notícia de que Robinho foi convocado por Dunga para amistosos contra Equador e Colômbia. Cabe a pergunta: Foi convocado só para esses jogos caça-níqueis, ou há um plano real de levá-lo até a próxima Copa? O certo é que a reestreia de Robinho para os santistas de São Paulo e Interior, marcada para o próximo sábado, terá de ser adiada.

Tudo bem. O Santos não é só Robinho. O santista não deve condicionar o seu apoio ao time a um ou outro jogador. A partida contra o Vitória é importante, na medida em que se não ganhar ao menos os jogos em casa, daqui a pouco o risco do rebaixamento voltará a assombrar a Vila.

Como muitos já disseram, este é mais um Campeonato Brasileiro perdido. Não houve planejamento na formação do elenco e nem na montagem da comissão técnica. A de Claudinei Oliveira, mesmo bem limitada, dava mais resultado e tinha uma relação custo x benefício bem melhor.

A chance de conseguir vaga na Libertadores é a Copa do Brasil. No Brasileiro, se não cair, já poderemos respirar aliviados – e esperar que os resultados das urnas, em dezembro, tragam uma administração menos ruim para o Santos.

Santos só faz 3 pontos em 5 rodadas e fica atrás do Flamengo, que era o último

Eu sempre disse que Vanderlei Luxemburgo pode ser um tanto malandro, mas entende mais de futebol do que qualquer outro técnico no Brasil. Quando quer trabalhar, como agora, consegue resultados impressionantes. Veja que na 13ª rodada, quando assumiu o Flamengo, o time era o último colocado, com apenas 10 pontos, enquanto o nosso Santos era o sexto, com 20.

Pois com a derrota do Santos para o Botafogo e a vitória do Flamengo, fora de casa, sobre o vitória (2 a 1), o rubro-negro carioca alcança a nona posição no campeonato, duas à frente do Alvinegro Praiano. E isso sem nenhuma contratação, usando apenas os jogadores que já estavam no elenco. Veja como estava a classificação do Campeonato Brasileiro após a 13ª rodada:

classificacao apos 13 rodada

E pra você, por que o Santos ficou mais caro e pior?

O esquema hoje, no Maraca, teria de ser “bola pro Damião”

damiao
Damião tem treinado muito. Na sala de musculação (Foto: Vinicius Vieira/ Santos FC)

Se você casa com uma pessoa e ela fica gorda e feia, você tem três opções: 1 – Pedir o divórcio; 2 – Juntar dinheiro para o spa e as plásticas; 3 – Fingir que a estética não é importante, e o que vale mais é o que a pessoa tem no seu interior. Como o Santos não conseguiu ainda vender o Leandro Damião e como ele é grandinho para aprender alguns fundamentos do futebol, hoje seria dia de montar um esquema para ele fazer gols no Botafogo.

Tá bom, já sei que após o treino de ontem, na Gávea, Oswaldo de Oliveira anunciou que Rildo entrará no lugar de Gabriel e Damião continuará no banco. Tecnicamente, Oswaldo está correto. Acho até que Damião está um pouco acima do peso. Rildo deve começar aberto pela esquerda, Thiago Ribeiro pela direita, e Robinho no meio. O ataque se torna mais ágil assim. Porém, se Damião não jogar, como o Santos vai recuperar o prejuízo monstruoso de seu investimento?

Não adianta chamar o rapaz de poste, cone e outros objetos imóveis. Um centroavante fixo como ele, se não recebe bola, não tem nenhuma função no time. Com Damião na frente, seria preciso armar o ataque para jogar em função dele. Por exemplo, a ultrapassagem, pela direita, deve ser feita com Thiago Ribeiro e Cicinho, e pela esquerda com Robinho e Mena. Lucas Lima e mesmo Arouca devem entrar pelo meio, usar Damião como parede, ou preparar para a conclusão do atacante.

O burro é investir uma fortuna em um jogador e não criar condições para que ele se sobressaia. Concordo que o marketing deve falar com o técnico antes de um investimento irreal desses, mas agora a Inês é morta. Ou o Damião faz gols, se destaca, ou nenhum clube do mundo vai oferecer por ele ao menos o que o Santos pagou, e ele continuará eternamente sugando a energia vital do Glorioso Alvinegro Praiano.

Como o Gabrielzinho fez o favor de tomar um cartão amarelo de graça por fazer um gol que eu nunca perdi na vida (sim, jamais perdi uma cobrança de pênalti, pode perguntar ao meu irmão Marcos, ao Haroldinho, ao Paulinho Alemão e aos amigos do campo do Diamante, na Cidade Dutra). Bem, mas como o Gabriel, muito mal orientado por Wagner Dinheiro e pelo Santos, ainda toma amarelo por tirar a camisa, Damião deveria ter outra oportunidade de começar uma partida, ou ao menos entrar no segundo tempo, depois que Rildo cansasse os botafoguenses.

Pelo jeito, o Santos começa com Aranha, Cicinho, Edu Dracena, David Braz e Mena; Alison, Arouca e Lucas Lima; Thiago Ribeiro, Robinho e Rildo. Para alguns santistas pode não ser grande coisa, mas é um time que preocupa o técnico do Botafogo, Vagner Mancini. Para ele, o Santos tem um ataque muito perigoso, “de muita qualidade”, e exigirá grandes cuidados do alvinegro carioca. Presumo que mesmo jogando em casa em alguns momentos o Botafogo poderá atrair o Santos e especular os contra-ataques.

Está aí um jogo que merecia ser tratado como grande evento, com uma solenidade antes da partida e a presença de ídolos do passado. Há um lado bonito no futebol que não tem sido explorado por nossos clubes. O Santos pode e deve começar isso. O torcedor deve ir ao estádio para um espetáculo da família, se não de arte, ao menos de emoção. E o reconhecimento da história dos clubes e dos ídolos do passado torna o futebol mais humano e confraternizador. E depois, com a bola rolando, ganhe quem jogar melhor.

No Botafogo, o atacante Emerson Sheik, de tão penosa lembrança para os santistas, deve jogar, pois o clube carioca conseguiu efeito suspensivo após o atleta ser punido pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por uma entrada violenta no volante Henrique, do Cruzeiro. Esse negócio de efeito suspensivo é outra mágica do STJD que geralmente só favorece times do Rio. Na final de 1995 o Santos pediu um para Vagner e foi negado. Para o STJD, a justiça não é nada cega.

No meio-campo do time carioca o volante argentino Mario Bolatti deve substituir o paraguaio Pablo Zeballos. Não sei dizer se isso é bom ou ruim. Acredito em um jogo muito disputado, pois a garra deve ser uma das armas do time do Rio – algo, aliás, que também não pode faltar ao Alvinegro Praiano. E se as equipes se igualarem na garra, creio que uma vitória santista é bem possível. O que não pode é voltar ao marasmo preguiçoso de alguns jogos fora de casa.

Pena que a tevê aberta não transmitirá a partida, a de mais história deste domingo à tarde. Escolheu o “carismático” São Paulo x Figueirense. De qualquer forma, àqueles que a verão, fica aqui o convite para fazer os comentários neste blog após o jogo. Até mais. Abraços!

Se Gabriel tem mesmo proposta de 10 milhões de euros, vá com Deus!

O ideal para o marketing do Santos é ter sempre um garoto da base se destacando no time profissional, de preferência no ataque. Gabriel é o jogador do momento. Mas ainda não fez o suficiente para ser chamado de craque e nem de ídolo. É apenas o melhor dos Meninos da Vila, mas não vale 250 mil reais por mês nem aqui, nem na China (bem, talvez na china valha).

Talvez em outra situação financeira, o clube pudesse apostar nele e lhe pagar um salário de craque, mas não creio que seja o caso. Para começar, há poucos craques no futebol brasileiro e os salários deles estão superdimensionados diante da realidade de nosso futebol.

Na situação atual, se esta proposta de 10 milhões de euros pelo garoto não for um blefe do empresário Wagner Ribeiro, então que o negócio seja fechado, antes que o Santos, um dia, fique com uma mão na frente e outra atrás, como nos casos de Neymar e Paulo Henrique Ganso. Porém, além de Gabriel, o clube deve negociar Leandro Damião e Thiago Ribeiro. Este último parece que está em greve: não acerta mais o gol nem com reza braba.

E pra você, o Santos deve jogar para Leandro Damião hoje?

Só a presença de Robinho já muda o Santos

robinho maduro
Um Robinho mais maduro agora comanda o Santos (Foto: Ivan Storti/ Santos FC)

Só a presença de Robinho já dá uma cara e uma personalidade nova para o Santos. Viram o gol dele contra o Grêmio? Pura sorte, dirão. Sim, mas ele estava lá, no lugar certo, deu o toque certo, a bola ricocheteou nele e pegou o goleiro no contra-pé. A gente fica com a impressão de que se fosse qualquer outro jogador do Santos, teria acontecido alguma coisa que faria a bola ir pra fora, ou pra mão do goleiro. Robinho faz as coisas se tornarem mais simples.

“Robinho é importantíssimo para nós, como qualidade técnica, nível extra. Mas tem outra coisa, a identidade dele com a camisa do Santos, a confiança que passa, realmente nos dão a condição de estabilizar a equipe mesmo em um momento de grande pressão”, reconheceu Oswaldo de Oliveira.

Sim, esse poder que alguns jogadores têm apenas com a sua presença é que é difícil para alguns analistas compreenderem. O craque não pode ser analisado com os mesmos parâmetros de um jogador normal. Fico imaginando Robinho, em plena forma, jogando a Copa do Mundo. Seria outro peso, outra personalidade para a Seleção Brasileira. Desculpem-me os fãs de Bernard, mas deixar Robinho para levar o assustado velocista foi uma das piores decisões de Felipão – que quinta-feira percebeu como Robinho, mesmo voltando de contusão e sem se expor muito, pode ser decisivo.

Se Robinho puder driblar, ele dribla. Se puder passar, ele passa.Se tiver de voltar para marcar, ele volta e marca. Se tiver de acelerar o jogo, ele acelera. Se tiver de segurar a bola, ele segura. O Menino amadureceu. Hoje é um jogador que, com sua experiência, comanda e dá confiança e tranquilidade ao Santos. Quem não quer jogar no mesmo time de Robinho?

Amanhã, domingo, às 16 horas, no Maracanã, Santos e Botafogo reviverão o grande clássico alvinegro da fase de ouro do futebol brasileiro. Em 1963 saiu um ranking mundial de clubes e o Santos era o líder, seguido pelo coirmão carioca. Um jogo de muita história que, se a televisão obedecesse à meritocracia, seria o transmitido pela tevê aberta. Afinal, quem não quer ver Robinho?

O técnico Wagner Mancini, do Botafogo, disse que seu time precisa emplacar algumas vitórias seguidas. Que coincidência, o Santos também precisa. E uma vitória no Maraca seria excelente, pois na rodada final do turno, não se esqueça, nós temos encontro marcado no Pacaembu, próximo sábado, contra o Vitória, e a chance de novo triunfo. Acreditemos irmão. Como Robinho!

Damião deve jogar no lugar de Gabriel

A bobagem de tirar a camisa ao comemorar o gol de pênalti contra o São paulo, tirou do inexperiente Gabriel a chance de jogar no Maracanã, contra o Botafogo. Se até o horário do jogo não surgir nenhum clube estrangeiro interessado por Leandro Damião, ele deve entrar no lugar do garoto, formando o ataque com Robinho e Thiago Ribeiro.

Logo após venceu o Grêmio por 2 a 0, o Santos viajou de Porto alegre para o Rio de Janeiro e neste sábado pela manhã treinou na Gávea, campo do Flamengo. O time para o clássico alvinegro deve ser o mesmo que jogou no Sul, com exceção de Gabriel, ou seja: Aranha, Cicinho, Edu Dracena, David Braz e Mena; Alison, Arouca e Lucas Lima; Thiago Ribeiro, Leandro Damião e Robinho.

Ingressos pela Internet, até as 17 horas de hoje, sábado

Estão à venda os ingressos para Botafogo e Santos, domingo, às 16 horas, no Maracanã. Os preços vão de R$ 20 a R$ 50. Além dos pontos de venda, os torcedores podem comprar as entradas também pela internet através do site www.maracana.com. Os cariocas estão na 14ª posição, com 19 pontos. Os paulistas estão em 10º, com 23.

Pontos de venda com guichês exclusivos para retirada:
Maracanã – Bilheteria 3 (Rua Professor Manoel de Abreu, s/nº)
Engenhão – Bilheteria Norte (Rua das Oficinas, s/nº, Engenho de Dentro)
Sede General Severiano (Av. Venceslau Brás, nº72, Botafogo)

Pontos de venda e retirada
Cariocas FC – Méier (Rua Dias da Cruz, nº255 – Shopping Méier)
Havaii Sports – Park Shopping Campo Grande (Estrada do Monteiro, nº1.200, Loja 105 G)
Havaii Sports – Via Parque (Av. Ayrton Senna, nº 3.000, Barra da Tijuca)
Estádio Caio Martins (Rua Presidente Backer, s/nº – Icaraí, Niterói)

Venda no dia do jogo

Pontos e venda – das 10 às 13 horas
Sede General Severiano (Av. Venceslau Brás, nº72, Botafogo)

Bilheterias do Maracanã

- das 10h até o término do primeiro tempo
Bilheteria 2 (Maracanãzinho) – venda geral para a torcida do Botafogo
Bilheteria 3 (Célio de Barros) – retirada da compra pela internet
- das 12h até o término do primeiro tempo
Bilheteria 1 (Maracanãzinho) – venda geral para a torcida do Botafogo
Bilheteria 4 (Júlio Delamare) – venda geral para a torcida do Botafogo
Bilheteria Contêiner Mata Machado – venda geral para a torcida do Santos

Reveja o gol de Robinho contra o Grêmio:

E você, acha que Robinho pode fazer a diferença contra o Botafogo?

Timemania – Com 2.149.249 apostas em 80% das cidades brasileiras, Santos foi o quarto time mais citado como “time do coração” no teste do dia 28, quinta-feira. Alvinegro teve 3,21% dos votos, apenas 0,12% menos que o São Paulo.

1º FLAMENGO RJ 104.794 4,91
2º CORINTHIANS SP 85.621 4,01
3º SAO PAULO SP 71.007 3,33
4º SANTOS SP 68.483 3,21
5º PALMEIRAS SP 62.187 2,92
6º GREMIO RS 60.893 2,86
7º VASCO DA GAMA RJ 55.522 2,6
8º CRUZEIRO MG 53.984 2,53
9º INTERNACIONAL RS 53.314 2,5
10º BOTAFOGO RJ 46.920 2,2
11º ATLETICO MG 44.819 2,1

Acorda Santos! – minha coluna de sexta-feira no Metro Jornal

Santos x Grêmio: posturas opostas diante do racismo

santos de 1913, com dois negrossantos campeao de 1935 - 4 negrosTesourinhasantos - time dos sonhos
O Santos de 1913 (no alto, à esquerda), perfilado com três negros; o campeão paulista de 1935, com quatro; Tesourinha, o primeiro negro a ser aceito no Grêmio, em 1952 (depois de ter atuado pelo Internacional) e por fim o Santos bicampeão mundial de 1962/63, com sua elite de ébano.

Aquela garota que xingou o goleiro Aranha de “macaco” e aqueles jovens torcedores do Grêmio que imitaram o som de macacos atrás da meta do goleiro do Santos, não fizeram nada diferente do que sempre fizeram em um estádio de futebol. Isso faz parte de uma cultura que vem de casa e também do clube, já que o Grêmio, fundado em 1903, manteve-se rigorosamente racista até 1952, quando finalmente aceitou um negro no seu time, o ídolo gaúcho Tesourinha.

Por outro lado, o Santos, fundado em 14 de abril de 1912, já nasceu sob a égide do abolicionismo. Entre seus fundadores destacava-se Ricardo Pinto de Oliveira, um dos líderes do movimento abolicionista de Santos. Não foi à toa que na hora de escolher o nome para o novo clube, fosse sugerido “África”, o continente negro de origem de tantos brasileiros.

Primeira cidade de São Paulo a abolir a escravatura, Santos já não tinha escravos em 1887, um ano antes da assinatura da Lei Áurea. A cidade libertária e revolucionária, que se abria para o mundo com o seu enorme porto, tinha sido largamente influenciada pelas ideias de seu filho ilustre José Bonifácio de Andrada e Silva (Santos, 13 de junho de 1763 — Niterói, 6 de abril de 1838), patriarca tanto da Abolição, como da Independência do Brasil.

Em 1913, apenas um ano depois de sua fundação, já se vê uma foto do Santos com três negros perfilados. Em 1935, no time que venceu o Corinthians, no Parque São Jorge e conquistou o primeiro de seus 20 títulos paulistas, lá estavam os negros Ferreira, Janguinho, Marteletti e Neves.Depois, com a chegada de Pelé, Coutinho, Dorval, Lima, Mengálvio, Geraldino, Joel Camargo, Edu, Abel, Cláudio Adão, Robinho… é até covardia lembrar a importância de geniais craques negros para o Santos.

Importância reconhecida por jornalistas de todo o mundo, como Briam Ames, do Daily Mail, de Londres, que em 1962, após ver o Santos derrotar o Sheffield por 4 a 2, escreveu: “Vejo e não acredito. A elite de ébano do futebol mundial nos transportou ontem para uma nova dimensão do esporte… As testemunhas do que ocorreu em Sheffield dirão a seus filhos e netos que o futebol dos brasileiros chega ao sobrenatural”.

Se formos ver bem, 80% dos grandes craques brasileiros foram negros ou tiveram ascendência negra. Se o racismo já demonstra uma ignorância profunda da condição humana, o racismo no futebol brasileiro é atestado com firma reconhecida de imbecilidade absoluta. Sem o negro, como já disse Mário Filho, não haveria futebol no Brasil.

Mas, infelizmente, o racismo dos gremistas é praga antiga que passa de pai pra filho. Ela vem em um pacote que também inclui tendências separatistas, como se o Rio Grande do Sul fosse outro país, o “Sul”. Hoje o clube está divulgando uma nota contra essas demonstrações racistas de sua torcida. Ótimo. Mas há anos a torcida gremista entoa cânticos racistas no estádio e mantém um site, da torcida “Geral do Grêmio” com dezenas de “cantos de guerra” em que aparece a palavra “macaco”. Por que a diretoria do clube não agiu antes para extirpar esse mal?

Confira o racismo nas letras da torcida do Grêmio

Por outro lado, há também uma ala mais consciente da torcida do Grêmio que tenta lutar contra esses extremismos e criou até um movimento para que se tire a palavra “macaco” dos cantos de guerra da torcida tricolor.

Movimento de gremistas para tirar a palavra “macaco” dos cantos de guerra

Sei que é muito difícil escapar do padrão de uma cultura arraigada há tanto tempo em uma comunidade, ainda mais quando ela é composta de jovens, naturalmente ousados e politicamente incorretos. Não acredito que a maioria desses gremistas que ofendiam Aranha e os jogadores santistas acreditem mesmo que a cor da pele faz uma pessoa melhor ou pior do que outra. Agem assim porque são condicionados pelo meio. Porém, condicionados pelo meio ou não, está na hora de parar com isso. E a CBF e o Poder Público têm recursos para evitar que essa doença se propague.

Milhares de gremistas cantando “Chora macaco imundo” (desculpe por postar isso, mas é pra ver que esse comportamento já está arraigado na torcida do Grêmio há muito tempo e a diretoria do clube não fez nada para impedi-lo).

E você, o que pensa sobre o racismo no futebol brasileiro?

Grêmio 0 x 2 Santos. A melhor vitória do ano!

Grêmio 0 x Santos 2

O Santos jogou bem o primeiro tempo e teve sorte. Isso foi o suficiente para marcar dois gols, não sofrer nenhum, segurar o resultado na segunda etapa e dar um passo importante para passar pelo Grêmio, em Porto Alegre, nas oitavas-de-final da Copa do Brasil.

Mesmo com três atacantes – Gabriel, Thiago Ribeiro e Robinho –, o Santos soube fechar melhor o meio-de-campo. Mas o Grêmio ainda assim conseguiu boas oportunidades, uma delas claríssima, salva em cima da linha por Mena.

Porém, o Alvinegro Praiano também atacava. Numa dessas vezes, aos 37 minutos, David Braz surgiu livre em um escanteio para abrir o marcador, de cabeça. Cinco minutos depois e foi a vez de Robinho contar com a sorte e fazer o segundo, em uma bola que ricocheteou no zagueiro.

No segundo tempo o time abdicou de atacar e permitiu o domínio total do Grêmio, mas o time gaúcho se mostrou impotente para ao menos fazer um golzinho. No contra-ataque, Rildo ainda perdeu gol feito.

Agora a situação do Santos está bem encaminhada. O time até pode perder o jogo de volta, na Vila Belmiro, desde que por um gol de diferença, e ainda assim estará classificado para as quartas-de-final da Copa do Brasil.

A vitória veio do meio

Desta vez, Arouca, Alison e Lucas Lima foram muito bem e equilibraram as ações no meio-campo. Robinho, Thiago Ribeiro e Gabriel recuavam para ajudar o setor e partiam para o ataque com a bola dominada. A ausência de Leandro Damião tornou o time mais ágil.

Mena foi bem e salvou gol certo do Grêmio, o que abriria a contagem e mudaria o panorama tático da partida. Como marcou primeiro, o Santos pôde esperar a oportunidade de contra-ataques, e justo em um deles saiu o gol de Robinho, de pura sorte. Ele chutou, a bola bateu em um zagueiro do Grêmio, rebateu em Robinho e pegou o goleiro no contra-pé.

Querem que eu fale que no segundo gol do Santos Lucas Lima matou a bola com o braço. Na velocidade normal do jogo, eu não vi. Só na câmera lenta deu pra ver. O que posso dizer? santista não gosta de ser roubado, mas também não gosta de ser ajudado pela arbitragem. Porém, se o árbitro quisesse ajudar o Santos, no minimo teria expulsado aquele jogador que pisou no Aranha, e depois paralisado o jogo por racismo, o que interditaria o estádio gremista por um bom tempo.

No segundo tempo o Santos recuou demais e permitiu ao Grêmio o domínio completo da partida. Poderia ser um erro fatal, mas o time do Sul se mostrou pouco competente, o gol não saiu e a vantagem santista para o jogo de volta se tornou muito grande.

Destaques e decepções

Lucas lima, Arouca, Alison e Mena foram destaques positivos do Santos. Aranha também se mostrou muito seguro. A zaga, formada por Edu Dracena e David Braz, começou insegura, mas se entrosou depois e pouco permitiu a Barcos e outros atacantes que tentaram penetrar pelo meio.

Cicinho participou do gol de Robinho, mas sempre foi um elo fraco da defesa. Tomou um drible de costas que nem a minha avó tomaria. Incrível como Cicinho é ruim para dar o bote na hora certa (isso é questão de reflexo e pode ser treinado). Thiago Ribeiro e Gabriel se mexeram, mas pouco fizeram de útil. Só pelo jogo de ontem, Gabriel jamais poderia pedir aumento de salário.

Racismo contra Aranha

Aranha foi vítima de insultos racistas e de xingamentos de “Macaco” feitos por uma torcedora gremista identificada por várias câmeras. Para dar exemplo, a moça deveria ser proibida de voltar a um estádio de futebol.

Infelizmente, não é a primeira vez que a torcida do Grêmio, que abriga uma ala neonazista entre seus seguidores, promove atos racistas em um estádio de futebol. É uma minoria que ainda não entendeu que não adianta ter um estádio moderno e continuar agindo como troglodita.

Por essas e outras é que o Grêmio é um clube regional. Em um país multirracial, como o Brasil, essa tendência racista de sua torcida torna o tricolor gaúcho bastante antipatizado em outros Estados do País, principalmente no Norte e no Nordeste, onde negros e mestiços predominam.

Aranha fala sobre o racismo

Robinho também comenta o racismo dos gremistas

Grêmio 0 x 2 Santos
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Data: 28 de agosto de 2014, quarta-feira
Horário: 20h (de Brasília)
Renda: R$ 814.899,00
Público: 30.294 (28.091 pagantes)
Grêmio: Marcelo Grohe, Pará, Werley, Rhodolfo e Zé Roberto (Matías Rodríguez); Walace (Matheus Biteco), Ramiro e Giuliano; Luan (Alán Ruiz), Barcos e Dudu. Técnico: Luiz Felipe Scolari.
Santos: Aranha; Cicinho, Edu Dracena, David Braz e Mena; Alison, Arouca e Lucas Lima; Thiago Ribeiro (Alan Santos), Gabriel (Leandro Damião) e Robinho (Rildo). Técnico: Oswaldo de Oliveira
Gols: David Braz aos 37 e Robinho aos 42 minutos do primeiro tempo.
Arbitragem: Wilton Pereira Sampaio (Fifa-GO), auxiliado por Kleber Lúcio Gil (Fifa-SC) e Carlos Berkenbrock (SC).
Cartões amarelos: Ramiro e Pará (Grêmio); Edu Dracena, Alison e David Braz (Santos)

E você, o que achou da vitória e do racismo contra Aranha?

Robinho se recuperou e enfrenta o Grêmio hoje à noite

Santos e Grêmio, logo mais, às 20 horas, ao vivo, pela ESPN. Narração de Cledi Oliveira, comentários de Mauro Cesar Pereira.
Fim do primeiro tempo: Grêmio 0 x 2 Santos (gols de David Braz e Robinho)

Primeiro, veja que o Robinho não tem mais nada:

Agora, reveja a partida sensacional entre Grêmio e Santos pela Copa do Brasil de 2010:

Robinho se recuperou e enfrenta o Grêmio hoje à noite

robinho bomrobinho peso 4robinho peso 1robinho peso 3
Robinho queria muito jogar, e estará em campo logo mais, contra o Grêmio, revivendo o grande jogo de 2010 (Foto: Ivan Storti/ Santos FC).

Era para ficar bom em apenas duas semanas, mas Robinho levou a sério o tratamento para sua distensão. Ontem fez peso, bateu bola e deve iniciar a partida desta quinta-feira, às 20 horas, contra o Grêmio, em Porto Alegre, pelas oitavas-de-final da Copa do Brasil. Gabriel e Thiago Ribeiro devem ser seus companheiros de ataque. Leandro Damião deve ser poupado, pois o clube espera uma proposta concreta de um clube europeu por ele até sábado.

Depois de fazer dupla com Diego e Neymar, Robinho, agora um veterano de 30 anos, jogará ao lado de outro Menino da Vila, que fará 18 anos no sábado. Eles treinaram juntos e devem formar o trio atacante com Thiago Ribeiro. Normalmente Gabriel ficaria no banco, mas o Santos pretende vender Damião até domingo e não quer correr o risco de o jogador se machucar. Já recuperado de uma lesão no púbis, Damião quer jogar para ganhar ritmo, mas se der o azar de se machucar, o Santos continuará sem poder negociá-lo.

O Santos deve entrar em campo contra o Grêmio com Aranha, Cicinho, Edu Dracena, David Braz e Mena; Alison, Arouca e Lucas Lima; Thiago Ribeiro, Gabriel e Robinho. Mais uma vez será essencial que os atacantes recompanham rápido para ajudar na marcação do meio-campo. E se tomar o primeiro gol, tudo ficará mais complicado. Por outro lado, se marcar primeiro, poderá abrir grande vantagem.

Assim, o técnico Oswaldo de Oliveira deve manter o esquema com três atacantes. O técnico do Grêmio, Luiz Felipe Scolari, que já tem quatro títulos da Copa Brasil, está só esperando o Santos definir o seu time, para escalar também o seu. Caso o Alvinegro jogue mesmo com três atacantes, é bem provável que Felipão se decida pelo sistema 4-5-1, com apenas Barco na frente.

Segundo o jornal Zero Hora, são estas as opções de Felipão para o jogo de hoje:

Esquema do jogo contra o Corinthians:

Marcelo Grohe; Matías Rodríguez, Werley, Rhodolfo e Zé Roberto; Ramiro, Walace (Matheus Biteco), Luan, Giuliano e Dudu; Barcos.

Esquema com mais um meia:

Marcelo Grohe; Matías Rodríguez, Werley, Rhodolfo e Zé Roberto; Ramiro; Luan, Giuliano, Alán Ruiz (Rodriguinho) e Dudu; Barcos

Esquema com mais um zagueiro:

Marcelo Grohe; Werley, Rhodolfo, Geromel (Bressan); Matías Rodríguez, Ramiro, Giuliano, Luan, Dudu e Zé Roberto; Barcos.

Ocorre que no treino com portões fechados no CT do Grêmio, Pará atuou na lateral direita e no lugar de Fellipe Bastos foram testados dois jogadores: Matheus Biteco e depois Walace. Biteco permaneceu em campo para treinar cobranças de falta.

Os gremistas estão preocupados com Robinho e os atacantes do Santos. Barcos preveniu que é importante não sofrer gols em casa. O clube quer que o torcedor compareça em massa à Arena Grêmio e por isso está oferecendo 30% de desconto para todos os setores do estádio. Os ingressos podem ser adquiridos pelo site oficial do Grêmio com preços a partir de R$ 15.

Bem, não vou ficar em cima do muro. Eu ainda acho uma temeridade enfrentar o Grêmio em Porto Alegre com três atacantes. Em 2010, pela Copa do Brasil, o Santos fez isso, mas os atacantes eram Neymar, André (em ótima forma) e Robinho. Agora é preciso alguém mais no meio-campo, ou o Grêmio dominará por ali, forçará até abrir o marcador, e a partir daí as coisas ficarão difíceis para o Santos. É claro que se o Santos abrir o marcador antes, tudo poderá mudar, mas um técnico não pode jogar pôquer. É melhor o cerro do que o duvidoso.

O aumento que o Gabriel quer

gabriel consolado
“Calma, garoto, vai devagar, você ainda não está com essa bola toda. Você vai jogar ao lado do Robinho e verá que não dá para ganhar nem 10% do que ele ganha” (Foto: Ivan Storti/ Santos FC).

Fiquei sabendo que Gabriel quer ganhar cerca de 250 mil reais por mês e um contrato de três anos. O Santos quer dobrar o salário de 60 para 120 mil e esticar o prazo de contrato para cinco anos. Há um impasse. Mais uma vez não posso ficar em cima do muro.

O certo é que Gabriel não fez um por cento do que já fez Robinho. Com 18 anos Robinho comandou o Santos rumo ao Campeonato Brasileiro. Sei que os tempos são outros, mas o que o staff de Gabriel quer não é nada razoável.

Deveriam levar em conta que Gabriel não teria tido as oportunidades que teve em nenhum outro clube brasileiro, muito menos do exterior. Ele ainda não fez uma exibição de encher os olhos e nem sequer decidiu uma partida. Na verdade, ainda é uma incógnita. Nem preparo psicológico para atuar nos jogos de maior responsabilidade ele tem demonstrado.

Quando é para criticar, a gente critica, mas desta vez creio que a proposta do Santos é excelente. Gabriel poderia muito bem ficar mais uma temporada no Santos e aí sim seguir o seu caminho de ilusão rumo à Europa. Digo ilusão porque pelo futebol que tem mostrado, não será titular de nenhum time europeu, mesmo de nível médio. Ainda é um principiante no futebol profissional. Tem muito o que aprender.

A possível venda de Leandro Damião

Estou chorando até agora com a possibilidade de o Santos perder o melhor centroavante do time desde Serginho Chulapa. Mas, fazer o quê, a vida é cheia de chegadas e partidas. Vai com Deus, meu filho! E não se esqueça de pedir a bênção para a mamãe Santos. Que Milão se divirta com seus gols. Receio que até domingo surja uma proposta concreta por este ídolo que deixará muitas saudades na Vila Belmiro. Tremo só de pensar.

Valeu Bragantino!

Bem que o Douglas, ou Anos60, nosso companheiro de blog, avisou que o Bragantino estava pensando grande ao levar o seu jogo pela Copa do Brasil, contra o Corinthians, para a Arena Pantanal. Mesmo sem ter nenhum dos 28.820 pagantes torcendo por ele – que proporcionaram a bela renda de R$ 1.630.540,00 –, o valente Bragantino, que tem um distintivo parecido com o do Santos e jogou todo de branco, como o nosso Glorioso Alvinegro Praiano, jogou melhor e ganhou por 1 a 0, com um golaço de Sandro. Em pensar que o Santos preferiu enfrentar o Alvinegro de Itaquera na Vila Belmiro, com público de 12.329 pagantes e renda de R$ 357 mil, e ainda perdeu o jogo, por 1 a 0. Em homenagem à visão e coragem do Bragantino, o blog traz o gol da vitória da Lingüiça Mecânica. Em outros jogos de ontem, pela Copa do Brasil, o Flamengo perdeu para o Coritiba por 3 a 0, em Curitiba; o Palmeiras foi derrotado pelo Atlético Mineiro, no Pacaembu, por 1 a 0, e o Botafogo perdeu no Rio para o Ceará por 2 a 1.

Parece brincadeira, mas não é. Paolo Guerrero também deu um encontrão no árbitro pelas costas, desta vez sob os aplausos de Mano Menezes. Ele vê o árbitro, mas não freia o movimento e ainda estende o cotovelo. Novamente lance de expulsão que sai de graça. Parece que o alvinegro itaquerense está criando uma forma dissimulada de agredir o árbitro. Espera-se que o tribunal da CBF não deixe mais essa agressão impune. Veja:

E em Coritiba, quem diria, Zé Love brilhou contra o Flamengo:

Para completar, a noite ainda teve Bill, aquele, como herói do Ceará:

E para você, como o Santos deve jogar contra o Grêmio, hoje?

Pesquisa do Lance diz que até recém-nascidos torcem por um time

Lance no lixo

O Jornal Lance está divulgando uma pesquisa dizendo que todo brasileiro torce por um time, mesmo os recém-nascidos. Foram ouvidas apenas sete mil pessoas de não se sabe quantas cidades. O resultado é de um empirismo total, já que a margem de erro é de imensos 1% para cima ou para baixo, o que pode mudar a posição anunciada de todos os times a partir do terceiro colocado.

O Santos mais uma vez foi prejudicado, com sua torcida colocada em décimo lugar, atrás de clubes regionais como os dois do Rio Grande do Sul e os dois de Minas Gerais. Por aí já se percebe que a pesquisa não teve a abrangência que deveria ter. De qualquer forma, a margem de erro (1%) pode colocar o Alvinegro Praiano em quinto lugar, à frente do Vasco, posição que seria mais condizente com a realidade do futebol brasileiro.

O primeiro absurdo é não levar em conta que cerca de 40% dos brasileiros não torcem para time algum, porcentagem que aumenta a cada ano. Para a pesquisa, todos os brasileiros têm um time, até mesmo os recém-nascidos. Diz a matéria do Lance: “Como em todas as outras edições da pesquisa, o Flamengo lidera o ranking. Desta vez tem 16,2% de preferência, o que equivale a 32,5 milhões de rubro-negros no país, tendo como base a estimativa do IBGE de 2013, cuja população brasileira é de 201 milhões de pessoas”.

Confira a matéria do jornal Lance sobre a “pesquisa”

Se esta pesquisa estiver correta, ao menos com relação aos índices de Flamengo e Corinthians, então o Flamengo tem 19,4 milhões de torcedores, e o Corinthians 16,3 milhões, já que no máximo 60% dos brasileiros, ou 120 milhões, torcem por um time. Pesquisas comprovam que 40% dos brasileiros não torcem para time algum. Portanto, fica mais do que evidente que essa história de 40, 30 milhões é uma balela alimentada pela mídia.

Quer dizer que pegaram a população do Brasil, simplesmente calcularam 16,2% dela, incluindo bebês, idosos, todas as mulheres, estrangeiros, homossexuais, religiosos… e chegaram ao total da torcida do Flamengo? Então, é só nascer no Brasil e já ter um time? Brincadeira… E querem que o torcedor, o leitor do Lance, leve essa pesquisa a sério? Nem que fosse um idiota completo.

Outra informação do Lance sobre a pesquisa diz que “além disso, este estudo ganha relevância por ser realizada (sic) com jovens entre 10 e 15 anos, o que não ocorre em outras pesquisas. Dessa forma, o Lance! Ibope indica as tendências de crescimento e queda das maiores torcidas do país.”

Aqui o texto é confuso. A pesquisa toda foi realizada com jovens de 10 a 15 anos, ou eles também foram ouvidos? E quantos deles foram ouvidos e de que cidades do Brasil? Isso não se diz. É estranho o Santos não estar muito bem colocado entre os jovens, pois o time comandado por Neymar e Paulo Henrique Ganso passou três anos ganhando no mínimo dois títulos por ano, entre eles uma Libertadores, enquanto o Atlético/MG ganhou uma Libertadores e já pulou seis posições?

Neste link abaixo há mais informações sobre a pesquisa e a possibilidade de comentá-la. Ela diz que na faixa etária de 55 anos para cima o Santos é o quarto, atrás de Flamengo, Corinthians e São Paulo. Até aí, repete exatamente o que vemos na Timemania. Mas na faixa de 10 a 15 anos a pesquisa coloca o Santos no décimo-quinto lugar, atrás de Bahia e Vitória, empatados em sétimo; Sport, em décimo, e Santa Cruz, em décimo-quarto. Pela pesquisa, o Santos tem apenas 440 mil jovens de 10 a 15 anos torcendo por ele em todo o País. Pelo jeito, um dos motivos para aumentar a torcida entre os adolescentes é deixar o time cair para a Segunda, ou Terceira Divisão. Ser gozado pelos colegas na escola faz aumentar a torcida. Outra estranha curiosidade é que aparecem dois times de Pernambuco na frente do Santos. Pergunta-se: que peso deve ter sido dado à população de Pernambuco, sabendo que Recife tem uma população de 1.599.513 pessoas, menor do que a Baixada Santista.
Mais informações sobre a “pesquisa” do Lance

Há menos de uma semana citei Émerson Gonçalves, estudioso do marketing esportivo e dono do blog “Olhar Crônico Esportivo”. Ao analisar os resultados da pesquisa muito mais abrangente da Pluri Stochos do ano passado, ele escreveu:

“Muito provavelmente, a presença da torcida do Santos na sexta colocação é um dos primeiros sinais da fase Robinho/Diego. Ainda é prematuro falar em efeito Neymar, uma vez que o universo pesquisado foi o de brasileiros com 16 anos e mais de idade. O crescimento da torcida provocado pelo atleta começará a aparecer nas pesquisas em 2015 ou 2016, sempre considerando o mesmo universo etário dessa pesquisa. Caso o Ibope realize nova pesquisa nacional considerando o público de 10 anos e mais de idade, acredito que o resultado de Neymar já seria visível nesse ano mesmo.”

Como se vê, o analista previa o crescimento da torcida do Santos entre os mais jovens, e o Lance vem com essa pesquisa dizendo que a torcida do Santos caiu de sexto para décimo? É difícil acreditar. A não ser que a margem de erro funcione 100%. Ou seja: o Santos não tenha 2,4% do total, e sim 1% a mais, ou 3,4%, enquanto o Vasco, quinto colocado, não tenha 3,6% e sim 2,6%. Isso deixaria o Alvinegro Praiano em quinto lugar, atrás apenas de Flamengo, Corinthians, São Paulo e Palmeiras, o que seria bem mais plausível.

As cidades em que essas pesquisas são feitas também são muito importantes para o resultado final, pois as capitais, sempre ouvidas, são os maiores redutos dos times locais (Grêmio, Inter, Cruzeiro, Atlético/MG), mas a Baixada Santista, região em que o Santos tem a maioria dos torcedores, nunca é ouvida. E tem mais habitantes do que Porto Alegre. Por aí se vê que o furo é grande.

Porto Alegre tem 1.467.823 habitantes e Belo Horizonte tem 2.479.175. São os redutos dos times grandes desses Estados. Okay. Mas o Santos não é um time de capital. Seu reduto, a região onde tem um percentual maior de torcedores é a Baixada Santista, que possui 1.765.277 habitantes. Não consultar as cidades da Baixada e consultar Porto Alegre e Belo Horizonte já deixa o Santos em grande desvantagem.

O que eu quero dizer é que uma pesquisa de torcidas no Brasil não pode ser concentrada apenas nas capitais dos Estados, pois a conta não fecha. Tudo bem que o Santos tenha muitos torcedores em São Paulo, mas para efeito de torcida sua capital é a Baixada Santista e esta região tem de ser consultada em toda pesquisa de torcidas no País, só que ela não é consultada nunca. É como se tirassem Porto Alegre dos gaúchos, Belo Horizonte dos mineiros, São Paulo dos times grandes do Estado e o Rio de Janeiro dos clubes cariocas. Todos eles perderiam muito. É o que ocorre com o Santos pelo fato de a cidade de Santos e a região da Baixada Santista, estranhamente, não entrarem nas pesquisas. E só na Baixada moram 500 mil santistas.

Baixada Santista, nove cidades que, somadas, têm mais do que a população de Porto Alegre. Aqui a torcida do Santos reina. Só que nunca é ouvida nas pesquisas de torcidas de futebol. Por que será?

O engraçado é que nenhuma enquete que vejo entre jovens torcedores coloca o Santos abaixo de sexto lugar no País. Agora mesmo entrei no IG e lá estava o ranking da torcida virtual, com o Santos em sexto lugar, com mais de 8.000 votos, número superior ao total de pessoas consultadas na pesquisa do Lance. Enfim, mais uma pesquisa furada, sem critério nem abrangência.

Porém, de nada adianta brigarmos para que essas pesquisas de torcida sejam bem feitas e retratem a verdade do tamanho das torcidas de futebol do Brasil, se o santista não der demonstrações de grandeza. Por isso, volto a convocar os santistas e os blogueiros do Santos em particular, para divulgarmos o jogo que o time fará no Pacaembu, dia 6 de setembro, sábado, às 18h30, contra o Vitória. A partida encerrará o turno. Não vale nada em especial, mas seria legal se os santistas comparecessem em grande número ao Pacaembu mais uma vez. Para incentivar o time e calar a boca de alguns gênios do achismo.

E você, o que achou dessa pesquisa do Lance?