Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

Time dos Sonhos

Hora de pôr ordem na casa

A derrota para a humílima Ferroviária, na Vila sagrada, ainda ribomba nas nossas cabeças. É óbvio que há muita coisa errada no Santos e é natural que o torcedor se preocupe com a sorte do time na Copa Libertadores, a competição mais importante de 2017 (fora o Mundial, claro).

Não finjamos o contrário, por favor. Paulista, Copa do Brasil, Brasileiro, todos os títulos têm a sua importância, mas a Libertadores vale mais, até porque pode colocar o Santos em um patamar acima de todos os outros clubes brasileiros.

Porém, se a equipe tem dificuldades em sua própria casa, o que esperar do Glorioso Alvinegro Praiano em 9 de março, uma quinta-feira à noite, quando iniciará a competição sul-americana de clubes enfrentando o respeitável Sporting Crystal, do Peru, em Lima?

Se o clima entre diretoria e comissão técnica, comissão técnica e jogadores, jogadores e torcida não melhorar, será mais sensato tirarmos o cavalinho da chuva, ou o peixe do mar, pois nem passaremos da primeira fase da Libertadores. Digo nós porque o momento é de união entre os santistas.

Um espírito de porco pode dizer: “Mas Odir, se o Santos for campeão da Libertadores, você jamais será eleito presidente do clube”. Pois eu respondo: ser campeão da Libertadores em 2017 é de importância fundamental para a história do Santos, perto desse feito quem será o próximo presidente santista não tem importância.

E como a gente critica, mas sugere soluções, apelo para que o presidente Modesto Roma, a direção de futebol, o técnico Dorival Junior e a comissão técnica tenham uma longa reunião para detectar o que está havendo e estabelecer metas e compromissos. Depois, que outra reunião, entre a direção do clube e os jogadores, seja realizada.

É preciso botar para fora tudo que está engasgando todo mundo. Sem lavar a roupa suja e colocar ordem na casa, o Santos vai passar um ano difícil. Não é hora de beicinho, nem de mimimi, nem de mentiras ou desculpas. Quem estiver incomodado, peça para sair. O time está diante de seu maior desafio desde 2012. É hora de ser forte, determinado, corajoso e de fazer jus a ser lembrado, para todo o sempre, na história do Santos e do futebol.

Sete providências recomendadas

1 – Priorizar a Libertadores, Usar o Campeonato Paulista para testar e dar ritmo a todos os contratados e aos garotos da base, mas não estafar os titulares absolutos nos jogos do Estadual.

2 – Criar um sistema de jogo mais precavido para os jogos fora de casa. Que Dorival e seu filho não se iludam. Fora de casa o bicho vai pegar. Mesmo o grande Santos, no seu melhor ano, que foi 1962, empatou em 1 a 1 tanto com o Cerro Porteño, em Assunção, quanto com a Universidad Católica, em Santiago, e só ganhou do Deportivo Municipal, da Bolívia, por 4 a 3, porque virou ao final da partida, após estar perdendo por 3 a 2.

3 – Escolher jogadores com espírito de Libertadores, ou preparar o espírito de quem for escolhido. Além de ter calma, será preciso inteligência, além de tranquilidade para não revidar ao ser provocado, e nem afrontar o árbitro.

4 – Oferecer um bom prêmio em dinheiro a cada jogador em caso de título. Sabemos que eles já ganham bem, mas é uma regra de mercado. Todos os outros clubes motivam, o Santos não pode deixar de fazê-lo.

5 – Ficar atento às arbitragens. Há muito direcionamento nas arbitragens do campeonato sul-americano de clubes.

6 – Promover uma pacificação com a torcida. Se não houver o famoso pacto, o ambiente se degringolará e os jogadores, em vez de motivados, se sentirão enojados e temerosos. Se não der para ganhar o Paulista, dane-se, o que importa é a Libertadores.

7 – O jogador deve encarar cada partida da Libertadores como se fosse a última de sua vida. Para ter força, deve lembrar dos ídolos do passado e se espelhar neles. Enfim, fazer jus a vestir essa camisa.

O quarto título da Libertadores colocará o Santos como o time brasileiro mais vitorioso em competições internacionais. É uma meta difícil e ousada, mas, como diz o outro, se não for para sonhar, é melhor nem viver.

E você, o que acha disso?

frete-gratis

Sei que às vezes é frustrante querer comprar um livro aqui no blog e perceber que com a taxa do frete o dinheiro não dá.

Bem, acho que resolvi isso. Reduzi o preço e incluí o frete em todos esses cinco livros anunciados abaixo.

As promoções de dois exemplares também incluem o frete pago. Assim dois Dossiês ou dois Time dos Sonhos saem por 79 reais, sem outras despesas, e dois exemplares de Dinheiro, é possível ser feliz sem ele saem por 39 reais.

E para todos eles eu farei uma dedicatória exclusiva, com carinho e gratidão, claro, pois sem leitores não há livros, nem cultura.

Para quem comprar os livros “Time dos Sonhos”, ou “Segundo Tempo, de Ídolo a Mito”, o blog ainda enviará, gratuitamente, as versões eletrônicas dos livros Donos da Terra, Ser Santista e Na Raça!

E se você adquirir o “Dossiê Unificação dos títulos brasileiros a partir de 1959” e também quiser os três livros eletrônicos de presente, é só escrever e-mail para blogdoodir@blogdoodir.com.br que nós lhe enviamos.

Clique aqui para entrar na livraria e escolher os seus livros, em promoção.

dinheiro-e-possiveldossie - livronovo time dos sonhos


Crise de comando

Desculpem-me mas nem vou analisar uma derrota na Vila Belmiro para a Ferroviária treinada por um técnico de futsal diante de 5.500 testemunhas em uma maravilhosa noite de sábado. As evidências dizem tudo. Só gostaria de lembrar que:

Quando os jogadores não queriam jogar no Pacaembu, o presidente e a diretoria acharam ótimo, porque preferem o Santos só para Santos, ou melhor, só para eles.

Quando o técnico e os jogadores se recusaram a fazer a pré-temporada nos Estados Unidos, ou em Marrocos, alegando desgaste excessivo, a presidência e a diretoria também aceitaram.

Quando, em 2015, resolveram sacrificar uma vaga na Libertadores pelo Brasileiro para se poupar para a final da Copa do Brasil, a presidência e a diretoria se calaram.

Era evidente que haveria problema na primeira vez em que os jogadores fossem contrariados, o que ocorreu com a demissão do gerente de futebol Sérgio Dimas.

Agora, a presidência e a diretoria do Santos estão em uma sinuca de bico, pois as opções são as seguintes:

Limpar o elenco dos jogadores indisciplinados e paneleiros.

Contratar de novo o Sérgio Dimas e se desmoralizar.

Substituir o técnico Dorival Junior por um que tenha mais personalidade, mas aí a crise entre o técnico e os jogadores será ainda maior.

Dirigir o clube com isenção e profissionalismo e fazer o que é melhor para o Santos, não para o grupo que se apossou do clube.

E pior disso tudo é que a Copa Libertadores está logo aí. Ou a presidência e a diretoria agem com liderança e responsabilidade, ou a vaca vai pro brejo.

Qual é a sua opinião sobre isso?

frete-gratis

Sei que às vezes é frustrante querer comprar um livro aqui no blog e perceber que com a taxa do frete o dinheiro não dá.

Bem, acho que resolvi isso. Reduzi o preço e incluí o frete em todos esses cinco livros anunciados abaixo.

As promoções de dois exemplares também incluem o frete pago. Assim dois Dossiês ou dois Time dos Sonhos saem por 79 reais, sem outras despesas, e dois exemplares de Dinheiro, é possível ser feliz sem ele saem por 39 reais.

E para todos eles eu farei uma dedicatória exclusiva, com carinho e gratidão, claro, pois sem leitores não há livros, nem cultura.

Para quem comprar os livros “Time dos Sonhos”, ou “Segundo Tempo, de Ídolo a Mito”, o blog ainda enviará, gratuitamente, as versões eletrônicas dos livros Donos da Terra, Ser Santista e Na Raça!

E se você adquirir o “Dossiê Unificação dos títulos brasileiros a partir de 1959” e também quiser os três livros eletrônicos de presente, é só escrever e-mail para blogdoodir@blogdoodir.com.br que nós lhe enviamos.

Clique aqui para entrar na livraria e escolher os seus livros, em promoção.

dinheiro-e-possiveldossie - livronovo time dos sonhos


Costas do Victor Ferraz

Meu amigo e minha amiga, a Ferroviária, que enfrenta o Santos neste sábado, às 19h30, na Vila Belmiro, é um perigo. Digo isso porque o seu técnico, o PC de Oliveira, é novo no ramo e, como todo técnico novo, certamente não gosta de inventar. Fará o que é o óbvio ululante, o que quer dizer que, a exemplo do São Paulo, no meio da semana, forçará suas jogadas de ataque nas costas do Victor Ferraz.

Vê-se até pelo porte físico do nobre PC, um tanto acima do peso, que ele não é de correr no campo e nem está acostumado com a rotina dura dos treinamentos no futebol. Por isso, por ser um principiante no cargo, é evidente que não criará fórmulas mirabolantes para tentar vencer o Santos no Urbano Caldeira. Se conhece alguém no São Paulo e lhe perguntou o que o tricolor fez para ganhar na quarta-feira, já deve ter ouvido a resposta: jogar nas costas do Victor Ferraz.

Um detalhe é que o simpático PC de Oliveira é técnico da Seleção Brasileira de Futsal, ou seja, é novato no futebol de campo, mas sabe como ninguém explorar aqueles espaços exíguos que surgem nas quadras do futsal. Imagine, então, caro leitor, e cara leitora, o homem vislumbrando aquela verdadeira Avenida Paulista, aquela Ana Costa ampliada que convencionamos chamar costas do Victor Ferraz.

Mesmo que não tenha assistido à partida, mas que puxe papo com uma criança em fase pré-escolar em um sítio perdido na zona rural de Araraquara, ainda assim ouvirá do pequerrucho, ou da pequerrucha, que qualquer um sabe que a manha para ganhar do Santos, na Vila ou em qualquer outro lugar, é jogar nas costas do Victor Ferraz.

Se o buraco por ali já era grande, ficou maior agora que o professor Dorival Junior resolveu criar uma versão tupiniquim da laranja mecânica, que poderia se chamar meio jerimum mecânico. Meio porque funciona mais ou menos bem do centro do campo para a frente, mas é uma lástima do centro para trás. É mais ou menos aquela história do neurocirurgião que se formou por correspondência e só sabe abrir a cabeça do paciente, mas não sabe fechá-la. Dorival deve pensar: meu time é ótimo com a bola no pé, quando a perde não é problema meu. O que tenho a ver com as costas do Victor Ferraz?

Na verdade, só por ter sido escolhido como capitão da equipe já se percebe que esse rapaz tem as costas quentes. Por outro lado, tem também as costas largas para suportar toda essa pegação no pé. Afinal, para quem é titular absoluto no Santos há tanto tempo, para quem joga mais no ataque do que na defesa e já marcou… já marcou… quantos gols ele já marcou pelo Santos, mesmo? Bem, não importa. Para quem tem a dupla missão de defender e atacar, além de trotar cientificamente pelo campo para enganar o adversário, talvez seja injusto destacar que a única tática de todos os adversários que têm enfrentado o Santos nos últimos dois anos seja jogar nas costas do Victor Ferraz.

E você, o que acha disso?

frete-gratis

Sei que às vezes é frustrante querer comprar um livro aqui no blog e perceber que com a taxa do frete o dinheiro não dá.

Bem, acho que resolvi isso. Reduzi o preço e incluí o frete em todos esses cinco livros anunciados abaixo.

As promoções de dois exemplares também incluem o frete pago. Assim dois Dossiês ou dois Time dos Sonhos saem por 79 reais, sem outras despesas, e dois exemplares de Dinheiro, é possível ser feliz sem ele saem por 39 reais.

E para todos eles eu farei uma dedicatória exclusiva, com carinho e gratidão, claro, pois sem leitores não há livros, nem cultura.

Para quem comprar os livros “Time dos Sonhos”, ou “Segundo Tempo, de Ídolo a Mito”, o blog ainda enviará, gratuitamente, as versões eletrônicas dos livros Donos da Terra, Ser Santista e Na Raça!

E se você adquirir o “Dossiê Unificação dos títulos brasileiros a partir de 1959” e também quiser os três livros eletrônicos de presente, é só escrever e-mail para blogdoodir@blogdoodir.com.br que nós lhe enviamos.

Clique aqui para entrar na livraria e escolher os seus livros, em promoção.

dinheiro-e-possiveldossie - livronovo time dos sonhos


Esquema DJ2017 reprovado

O problema do sistema idealizado pelo técnico Dorival Junior para o Santos em 2017 é que existem adversários, e que estes também pegam na bola e atacam, e quando atacam dão de cara com a defesa do Santos arreganhada, com buracos nas extremas e no meio e ainda marcando em linha. O São Paulo de Rogério Ceni tem seus méritos por vencer, de virada, na Vila Belmiro, por 3 a 1, mas do jeito que está jogando o Santos não passará um jogo sem sofrer gols, e mais de um. Em três jogos no Campeonato Paulista, já foram sete gols sofridos, um pouco mais de dois por jogo.

Mas enquanto o São Paulo ficou atrás e o Santos teve espaço para tocar a bola no campo do adversário, parecia até o Barcelona, como queria Dorival. O Alvinegro Praiano inaugurou o marcador aos 10 minutos, com Copete completando jogada sensacional de Vitor Bueno, e ainda teve outras oportunidades. Mas aos poucos o São Paulo perdeu o medo, passou a tocar mais a bola no campo do Santos e começou a perceber os incríveis buracos na defesa santista.

Aos 36 minutos Zeca cometeu pênalti bobo em Gilberto e Cueva bateu para empatar. Zeca não precisava fazer a falta, só pular junto para a cabeçada. Aos 10 minutos do segundo tempo, repetindo o que já fizera contra o Red Bull, Lucas Lima perdeu a bola no meio de campo e proporcionou um contra-ataque que a avenida Ana Costa no meio da defesa do Santos ajudou a transformar em gol do adversário. Aos 27 minutos, em novo contra-ataque que pegou a defesa santista novamente esburacada, Luiz Araújo, que já fizera o segundo, fez o terceiro do São Paulo.

Há jogadores santistas que merecem ressalvas, sim, pois não jogaram bem, alguns talvez jamais consigam jogar realmente bem, mas o maior culpado pela derrota do Santos foi o técnico Dorival Junior e seu esquema suicida. Menos mal que a derrota ocorra no início do ano e no Campeonato Paulista. Se fosse na Copa Libertadores, um revés desses, na Vila Belmiro, poderia colocar o sonho do tetracampeonato a perder.

Lembro ao ilustríssimo técnico que Libertadores não se ganha com ataque, mas sim com a defesa. Muricy Ramalho levou o Santos ao tricampeonato depois que fez o time marcar atrás da linha da bola. A equipe segurou empates sem gols no México e em Montevidéo que se tornaram decisivos. Se quiser manter esse esquema contra os gringos, o Santos sofrerá gols e não conseguirá furar a retranca e a catimba adversárias. Só um técnico muito ingênuo jogaria uma competição dura como a Libertadores com um sistema tático desses.

Não dá para inventar em um ano tão importante para a história do Santos. O negócio é jogar no 4-3-3 mesmo e lutar pelos pontos de cada dia. Esse contra o São Paulo não era um jogo para perder. Fizesse a tática feijão com arroz e o time ganharia sozinho, pois é mais experiente do que o do São Paulo e tinha o ótimo apoio de 11.320 pagantes.

Acabamos vendo um técnico iniciante, como Rogério Ceni, fazer as substituições certas, motivar a equipe com a atitude correta e sair da Vila Belmiro com uma vitória incontestável. A entrada de Luiz Araújo no lugar de Neilton ainda no intervalo – algo que Dorival Junior jamais faria – se tornou decisiva.

É preciso ter coragem para substituir, para testar os contratados, para colocar no banco quem não está jogando bem ou se acha o dono do time. Que me desculpem os fãs desses rapazes, mas Thiago Maia tropeça na bola, assim como Rodrigão; Leandro Donizete é lento e Victor Ferraz gira, gira, e não faz nada de produtivo. Por sua vez, Lucas Lima joga só pra ele. Se não testar outros jogadores no Campeonato Paulista, quando o professor os testará? Em um jogo fora de casa pela Libertadores?

Bem, mas ainda há muito futebol em 2017 e espero que Dorival Junior e sua trupe tenham a humildade de perceber que o sistema que estão querendo implantar no Santos é suicida e fará o time ser eliminado precocemente da Libertadores, além de não vencer nenhuma competição que disputar este ano.

Escalação e notas dos jogadores do Santos
Vladimir(5), Victor Ferraz (3), Lucas Veríssimo (4), Yuri (5) e Zeca (4); Leandro Donizete (3) (Bruno Henrique |(4, pela vontade), Thiago Maia (2,5) e Lucas Lima (4) (Thiago Ribeiro (3); Vitor Bueno (6,5), Copete (5,5) e Rodrigão (4) (Kayke (sem nota). Técnico: Dorival Junior (1)

Lembra?

frete-gratis

Sei que às vezes é frustrante querer comprar um livro aqui no blog e perceber que com a taxa do frete o dinheiro não dá.

Bem, acho que resolvi isso. Reduzi o preço e incluí o frete em todos esses cinco livros anunciados abaixo.

As promoções de dois exemplares também incluem o frete pago. Assim dois Dossiês ou dois Time dos Sonhos saem por 79 reais, sem outras despesas, e dois exemplares de Dinheiro, é possível ser feliz sem ele saem por 39 reais.

E para todos eles eu farei uma dedicatória exclusiva, com carinho e gratidão, claro, pois sem leitores não há livros, nem cultura.

Para quem comprar os livros “Time dos Sonhos”, ou “Segundo Tempo, de Ídolo a Mito”, o blog ainda enviará, gratuitamente, as versões eletrônicas dos livros Donos da Terra, Ser Santista e Na Raça!

E se você adquirir o “Dossiê Unificação dos títulos brasileiros a partir de 1959” e também quiser os três livros eletrônicos de presente, é só escrever e-mail para blogdoodir@blogdoodir.com.br que nós lhe enviamos.

Clique aqui para entrar na livraria e escolher os seus livros, em promoção.

dinheiro-e-possiveldossie - livronovo time dos sonhos

E você, o que acha disso?


Roma não cumpre palavra

Libertem o gigante!

Na saída do jogo, domingo, um senhor me dizia que estava organizando uma caravana com amigos do Taboão da Serra para voltar ao Pacaembu sábado, às 19h30, a fim de assistir ao jogo contra a Ferroviária. Grupos de santistas de Osasco e Guarulhos também tinham me avisado, por e-mail, que fariam a mesma coisa. Afinal, jogo no Pacaembu, com mando de campo do Santos, é coisa rara e o presidente Modesto Roma já tinha anunciado a partida contra a Ferroviária para o estádio paulistano. Agora, porém, chega a notícia de que Roma voltou atrás e fará a partida na Vila Belmiro.

A matéria que saiu no Globo Esporte, assinada por Lucas Musetti, diz que o Peixe não concluiu transferência do mando da partida, ou seja, faltou apenas enviar um papel assinado para oficializar o mando de campo. Pelo público de quase 24 mil pessoas que mostrou contra o Red Bull (mais de 20 mil pagantes), em um horário ruim e com mando de campo do adversário, era fácil prever que o jogo contra a Ferroviária teria grande possibilidade de atrair um número ainda maior de torcedores.

Bem, recentemente tivemos a demissão do gerente de futebol Sergio Dimas sob a alegação de este ter se esquecido de inscrever o Santos na Copa Libertadores da América. Pois bem. Mas se agora alguém do clube não “concluiu a transferência do mando da partida” contra a Ferroviária para o Pacaembu, não é de se esperar que alguém também seja punido? Ou esse “esquecimento” era mesmo a vontade de Modesto Roma?

Sem todas as informações e sem os depoimentos dos responsáveis nunca poderemos ter uma opinião definitiva sobre o caso. Ocorre que por todos os fatos anteriores, depreende-se que não há a mínima vontade dessa gestão de permitir que santistas de fora da cidade, principalmente de São Paulo, tenham participação ou influência nos rumos políticos do clube. Mesmo com a consequência natural de se perder dinheiro e visibilidade ao ignorar o Pacaembu, não interessa às pessoas que controlam o Santos correr o risco de vê-lo escapar de suas mãos.

É como se quisessem que o Santos deixasse de ter os torcedores que angariou durante décadas além dos limites de sua cidade. Isso parece suicídio mercadológico, pois que presidente de uma organização preferiria que ela encolhesse? Quem gostaria de transformar um baobá em bonsai? Pois é. Essa administração santista parece pensar assim.

Engraçado é que há algum tempo entrevistei o presidente da Portuguesa Santista, o senhor Lupercio Conde, e lhe perguntei se, caso a Briosa tivesse muito mais torcedores em São Paulo, como ocorre com o Santos, em que cidade faria seu novo estádio. Ele não demorou nem dois segundos para responder: “Em São Paulo, claro!”.

Ficou evidente ali, naquela resposta curta e grossa, a visão, a inteligência, e o desprendimento do presidente da Portuguesa Santista, pois provou que pensa no sucesso do clube em primeiro lugar, sem bairrismos nem personalismos. Gostaria e acho que boa parte dos santistas também, que o Glorioso Alvinegro Praiano fosse dirigido por um líder assim.

Frustrar dezenas de milhares de santistas que já se preparavam para tomar o Pacaembu no próximo sábado não foi, positivamente, uma atitude inteligente e nem politicamente correta do presidente santista. Assim está se afastando cada vez mais dos santistas do planalto e cavando um abismo que pode engolir o seu sonho de reeleição.

Clique aqui para ler a matéria do Globo Esporte.

frete-gratis

Sei que às vezes é frustrante querer comprar um livro aqui no blog e perceber que com a taxa do frete o dinheiro não dá.

Bem, acho que resolvi isso. Reduzi o preço e incluí o frete em todos esses cinco livros anunciados abaixo.

As promoções de dois exemplares também incluem o frete pago. Assim dois Dossiês ou dois Time dos Sonhos saem por 79 reais, sem outras despesas, e dois exemplares de Dinheiro, é possível ser feliz sem ele saem por 39 reais.

E para todos eles eu farei uma dedicatória exclusiva, com carinho e gratidão, claro, pois sem leitores não há livros, nem cultura.

Para quem comprar os livros “Time dos Sonhos”, ou “Segundo Tempo, de Ídolo a Mito”, o blog ainda enviará, gratuitamente, as versões eletrônicas dos livros Donos da Terra, Ser Santista e Na Raça!

E se você adquirir o “Dossiê Unificação dos títulos brasileiros a partir de 1959” e também quiser os três livros eletrônicos de presente, é só escrever e-mail para blogdoodir@blogdoodir.com.br que nós lhe enviamos.

Clique aqui para entrar na livraria e escolher os seus livros, em promoção.

dinheiro-e-possiveldossie - livronovo time dos sonhos


« Older posts

© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑